Arquivo da tag: Wi-Fi

Sedã médio recebe uma leve plástica e estreia a versão Premier, com frenagem autônoma e internet nativa a bordo — grátis por 3 meses ou 3 GB

Seu plano de dados do celular acabou? Se você estiver ao bordo do novo Cruze, isso pode não ser um problema. O Chevrolet passa a oferecer conexão de internet na linha 2020. Ao ligar o veículo, os ocupantes contam com sinal de wi-fi nativo, que funciona como o de casa. O acesso é configurado no ícone “roteador” exibido na nova tela multimídia de oito polegadas. Ali, os usuários definem o nome e a senha do wi-fi para conectar até sete dispositivos.

Porém, como nos voos comerciais, o serviço de internet é cobrado à parte. Por ora, a GM divulgou só o valor do pacote básico “Navegação + Música”, com 2 Gigabytes de dados: R$ 29,90/mês. A assinatura será feita com a operadora Claro, o que pode parecer ruim para clientes de outras empresas de telefonia móvel. E isso não poderá ser alterado, já que o chip é fundido secretamente em uma das muitas placas eletrônicas.

Se os 2 GB parecem pouco para uma vida mais e mais conectada, os clientes poderão escolher entre outros três pacotes: Carona (5 GB), Corporativo (10 GB) e Família (20 GB). Os valores e os preços serão divulgados em setembro, quando a linha 2020 chega às lojas.

Até lá, a GM terá de bolar uma estratégia para vender as assinaturas da internet e do OnStar. Esses dois serviços são gratuitos no início e serão cobrados após a “degustação”. No caso da internet, são três meses ou 3 GB de dados. Já o OnStar funciona de graça por um ano, e depois é pago em três pacotes (Safe, Protect e Exclusive), de R$ 54,90 a R$ 79,90. A seu favor, a GM contará com o público mais endinheirado da linha Cruze. Mesmo assim, será desafiador — haja grana para tantas mensalidades!

Além de economizar o plano de dados do celular com a criançada (no caso de casais com filhos), a internet embarcada trará outras facilidades combinada à nova geração do MyLink. Será possível ver informações de trânsito em tempo real no GPS, atualizar o sistema operacional, instalar um aplicativo ou fazer o agendamento online da revisão. A central passa a aceitar duas conexões Bluetooth simultâneas.

A tela tem navegação mais simples, com menus que correm lateralmente como nos smartphones atuais. Outra novidade é a personalização para até dois usuários, que podem configurar plano de fundo e rádios favoritas, por exemplo. As interfaces Apple CarPlay e Android Auto estão presentes nas versões mais recentes, e os ocupantes ficarão felizes ao notar que o console inferior passa a ter duas entradas USB.

Segundo a GM, a inédita versão Premier possui 42 processadores, 22 antenas e 14 redes, tudo para garantir rapidez de uso e um sinal com o mínimo de oscilação. Um detalhe interessante é a barbatana no teto: o módulo tem quatro antenas, o que permite desfrutar do sinal do wi-fi a até 15 metros de distância.

E o que mais mudou no Cruze? Bom, o médio recebeu uma leve plástica para ter o design mais recente da marca. A nova grade, cheia de cromados, une os faróis e dá mais presença ao modelo. Mas o destaque são as lanternas de LED, que dão efeito tridimensional e são bem mais interessantes que as anteriores. Por dentro, poucas alterações. A maior é a nova tela multimídia.

A mecânica também foi mantida, o que não é má notícia. O valente motor 1.4 turbo flex de 153 cv e 24,5 kgfm de torque segue conectado ao câmbio automático de seis marchas. Pena a GM não ter adicionado paddle-shifts para trocas manuais.

A despeito dos bons números em pista — zero a 100 km/h em 8,8 segundos e resgate de 60 km/h a 100 km/h em 4,8 s —, falta um “modo Sport” para apimentar a direção. O consumo não impressiona nem incomoda (média de 9,9 km/l com etanol).

Entre os equipamentos, as novidades estão no Cruze Premier, novo topo de linha. O carregador por indução ganhou nicho mais amplo, para acomodar smartphones grandes e receber uma gama maior de aparelhos. E a segurança está reforçada pelo sistema de frenagem autônoma de emergência com detector de pedestres, um belo diferencial para incomodar o novo Civic, que não incorporou recursos semiautônomos. Ponto para o Chevrolet.

TESTE

Aceleração
0 – 100 km/h: 8,8 segundos
0 – 400 m: 16,4 segundos
0 – 1.000 m: 29,8 segundos
Vel. a 1.000 m: 177,8 km/h
Vel. real a 100 km/h: 93 km/h

Retomada
40 – 80 km/h (Drive): 3,8 segundos
60 – 100 km/h (D): 4,8 segundos
80 – 120 km/h (D): 5,9 segundos

Frenagem
100 – 0 km/h: 42,1 metros
80 – 0 km/h: 26,9 metros
60 – 0 km/h: 15 metros

Consumo
Urbano: 8,2 km/l
Rodoviário: 11,7 km/l
Média: 9,9 km/l
Autonomia em estrada: 415 km

FICHA TÉCNICA

Motor
Dianteiro, transversal, 4 cil. em linha, 1.4, 16V, comando duplo, injeção direta, turbo, flex

Potência
150/153 cv a 5.200 rpm

Torque
24/24,5 kgfm a 2.000 rpm

Câmbio
Automático sequencial de seis marchas; tração dianteira

Direção
Elétrica

Suspensão
Indep. McPherson (diant.) e eixo de torção (tras.)

Freios
Discos ventilados (diant.) e discos sólidos (tras.)

Pneus e rodas
215/50 R17

Dimensões
Comprimento: 4,66 m
Largura: 1,79 m
Altura: 1,48 m
Entre-eixos: 2,70 m

Tanque de combustível
52 litros

Porta-malas
440 litros (fabricante)

Peso
1.321 kg

Central multimídia
8 pol., sensível ao toque; Android Auto e CarPlay

Garantia
3 anos

Cesta de peças
R$ 15.002,19

Seguro
R$ 4.197

Revisões
10 mil km: R$ 292
20 mil km: R$ 684
30 mil km: R$ 440

Pesquisa americana mostra que consumidores de carros novos pagam por recursos embarcados que dificilmente (ou jamais) irão usar

foto-imagem-onstar

Cerca de 10% do valor de um carro corresponde ao que se paga por equipamentos de conectividade. Porém, um estudo americano da consultoria JD Power revela que poucos proprietários usam todos os recursos oferecidos.

Serviços de concierge e wi-fi são os líderes de desprezo dos proprietários. A maioria dos respondentes afirma que o recurso indesejado veio como equipamento de série. Outra reclamação recorrente foi a falta de explicações no momento da compra do carro. “Quando o consumidor nem é apresentado aos recursos da central multimídia, há uma probabilidade enorme de ele nunca utilizar a tecnologia. Ou pior, nem saber de sua existência”, explica Kristin Kolodge, diretora da JD Power.

A pesquisa entrevistou 4.200 donos de carros novos nos Estados Unidos. O estudo selecionou apenas recém-proprietários, três meses após a compra. Segundo os pesquisadores, nesse período os motoristas têm a maior chance de adotar as novas soluções tecnológicas do carro. “Os primeiros 30 dias são críticos. As fabricantes precisam acertar de primeira. Os sistemas precisam ser intuitivos ou, então, os consumidores usarão seus celulares.”

A pesquisa mostra ainda que quem tem entre 21 e 38 anos usa mais o smartphone dentro do carro, preferindo o aparelho à central multimídia.”Esses consumidores já estão familiarizados com a operação dos celulares e, em sua maioria, os consideram mais precisos”, afirma Kristin. Por causa disso, 20% dos entrevistados disseram não verem necessidade de ter em seu próximo carro sistemas como o Apple CarPlay e Android Auto.

 

Os recursos menos utilizados:

– Serviço de concierge – 43%

– Wi-fi – 38%

– Park Assist – 35%

– Head-up display – 33%

– App da marca – 33%

 

Os recursos mais utilizados:

– Alerta de ponto cego

– Sensor de estacionamento sonoro ou por câmera

– Sistemas que evitam colisão, como a frenagem automática

 

Carros conectados – Previsão é que 60 milhões de veículos estarão conectados nas ruas até 2018

carros-conectados-foto

Daqui a cinco anos, haverá 59,86 milhões de carros conectados circulando por estradas do mundo todo, segundo previsão da consultoria MarketsandMarkets (M&M).

Dados divulgados nesta quinta-feira, 14, estimam que a indústria passará por um crescimento anual de 41,2% entre 2013 e 2018. O que deve gerar US$ 98,42 bilhões ao setor.

Segundo a M&M, essa alta ocorrerá graças ao desenvolvimento de tecnologias móveis como LTE, Wi-Fi, entre outras.

Mercados maduros já introduziram recursos de conectividade aos veículos. Nos Estados Unidos é onde mais existem carros conectados, seguidos pela Ásia, enquanto Brasil, Alemanha e Rússia apresentam potencial para crescimento.

Dentre as companhias que mais investem nisso atualmente estão General Motors, BMW, Ford, Audi, TomTom, Apple, AT&T, Alcatel Lucent, Verizon, China Mobile, Microsoft e Intel.

Sistema de prevenção de acidentes – GM desenvolve sistema Wi-Fi para ajudar motorista a identificar pedestres, ciclista e ruas congestionadas

Os pesquisadores da GM estão em fase final de desenvolvimento de uma rede Wi-Fi que virá integrada aos seus veículos e ajudará o motorista a identificar pedestres, ciclistas e ruas congestionadas. A intenção principal do V2i, segundo a empresa, é evitar acidentes.

Baseado no novo sistema de comunicação Wi-Fi Direct, que permite a comunicação de dispositivos compatíveis sem a necessidade de um ponto de acesso para isso, o projeto irá fornecer avisos prévios aos motoristas sobre veículos lentos, parados, piso escorregadio, vias bloqueadas, má condições de visibilidade etc.

A ideia é permitir que outros sensores e sistemas de alertas já disponíveis em veículos e smartphones de pedestres (por meio de um aplicativo que a GM está desenvolvendo) possam se comunicar e integrar com o V2i, para que haja uma continua troca de informação. Com base nesses dados, os veículos identificariam os possíveis problemas e alertariam os motoristas.