Arquivo da tag: Software

A Bridgestone, fabricante de pneus, processa IBM – Software da Big Blue não teve desempenho esperado

ibm-logo

A fabricante de pneus Bridgestone está pedindo US$ 75 milhões de indenização à IBM. A companhia alega que o software da ‘Big Blue’ não teve o desempenho esperado e “deixou a operação da empresa um caos”.

O sistema da IBM, que controla os pedidos dos clientes da fabricante japonesa, foi chamado de ‘defeituoso‘ por perder e apagar dados. A Bridgestone também reclamou sobre a duplicação de solicitações.

Em entrevista ao Business Insider, a IBM declarou que os problemas aconteceram devido à má gestão do projeto. A companhia ainda disse que a cliente “não tinha liderança na área de TI”, pois substituiu o diretor do departamento seis vezes durante a implantação do software.

O projeto custou mais de US$ 75 milhões e começou em janeiro de 2012.

Google testa carro sem motorista nas ruas da Califórnia

Testes com carro da Google já cobriram 225 mil quilômetros.

Engenheiros do Google testaram um carro que dirige sozinho nas ruas da Califórnia, segundo anunciou a companhia em seu blog.

O carros usa câmeras de vídeo montadas no teto, sensores de radar e uma mira a laser para enxergar outros carros e obstáculos no trânsito, segundo o engenheiro de software Sebastian Thrun.

Um motorista treinado acompanhou os testes dentro do carro para tomar o controle em caso de alguma falha. A Google espera que os carros possam eventualmente reduzir os congestionamentos e o número de acidentes nas ruas.

Batida por trás
Em um comunicado postado no blog oficial da companhia, Thrun disse que os testes com o carro que se auto-dirige já cobriu 225 mil quilômetros.

O carro cruzou a icônica ponte Golden Gate, em San Francisco, andou pelas famosas ladeiras da cidade, se dirigiu entre escritórios da Google e circulou em volta do lago Tahoe, sem sofrer acidentes.

Os engenheiros responsáveis pelo projeto disseram ao jornal The New York Times que o único incidente ocorrido durante os testes foi uma batida por trás sofrida quando o carro estava parado em um semáforo.

Em seu post no blog, Thrun, que é professor de ciências da computação e engenharia eletrônica na Universidade Stanford, afirmou que a segurança é “a principal prioridade” do projeto.

As rotas são pré-planejadas, mapeadas por motoristas reais, e a polícia local é avisada com antecedência sobre os testes.

Transporte do futuro
Thrun cita os números da Organização Mundial da Saúde, que mostram que mais de 1,2 milhão de pessoas morrem anualmente em acidentes de trânsito, para dizer que esses números podem e devem ser reduzidos.

“Acreditamos que nossa tecnologia tem o potencial para reduzir esse número, talvez em até metade disso”, afirma Thrun. “Este projeto ainda está em um estágio experimental, mas dá uma ideia de como o transporte pode parecer no futuro, graças aos avanços das ciências da computação”, diz.

Nos últimos tempos, a Google vem se aventurando cada vez mais em novos negócios à parte de seu serviço principal de buscas na internet.

Fonte: G1

Toyota diz que resolveu os problemas de aceleração involuntária

Fabricante incorporou novas tecnologias na linha e investiu em treinamento.
Marca japonesa afirma que casos de aceleração involuntária caíram 80%.

A Toyota anunciou nesta segunda-feira (4) que resolveu os problemas com mais de cinco milhões de veículos envolvidos nos três principais recalls da empresa este ano, incluindo unidades do Corolla no Brasil.

Em 1,8 milhão de unidades foram feitas correções no sistema de aceleração e em outros 3,1 milhão de veículos os tapetes passaram por reparos ou foram substituídos -caso do recall no Brasil. Além disso, 128 mil Prius e Lexus tiveram seu software de sistema antibloqueio de freio atualizado.

“A Toyota tem feito progressos significativos nos últimos meses para garantir que nossos clientes possam ter total confiança na qualidade, segurança e fiabilidade dos seus veículos”, afirmou o chefe de qualidade da Toyota na América do Norte, Steve Angelo.

Toyota diz que a partir de 2011, todos os seus veículos serão equipados com o sistema de freios Smart Stop e que abriu uma nova unidade norte-americana para treinar trabalhadores em como lidar com reclamações de clientes. A montadora afirma ainda que as novas medidas do controle de qualidade garantem que nenhum hardware defeituoso seja incorporado na linha da marca.

“Os esforços contínuos da Toyota para reforçar a qualidade do veículo e a segurança, e para responder rapidamente e completamente às preocupações de nossos clientes, são movidos por nossos valores fundamentais e sempre será uma parte fundamental de nossa empresa”, disse Angelo.

“Nosso objetivo é estabelecer novos padrões ainda mais elevados para garantir a qualidade e a receptividade do cliente continuando a colocar eles em primeiro lugar em tudo que fazemos.”
Como resultado de seus esforços, a Toyota afirma que as questões envolvendo aceleração involuntária caíram 80%.

Fonte: G1

Carros sem segurança – Software CarShark permite hackear, controlar e inutilizar qualquer carro

CarShark é um software que permite invadir o sistema de computador em carros, possibilitando inutilizar os freios, desligar o motor, tocar música e causar um belo estrago eletrônico. É ao mesmo tempo genial e absolutamente assustador. Veja como funciona.

Uma equipe de pesquisadores liderados por professores da Universidade de Washington e a USCD invadiram o sistema CAN (Controller Area Network, rede de controle), instalado em todos os carros novos construídos nos EUA, para mostrar o quão potencialmente vulnerável é o sistema. O CAN possibilita que os sistemas instalados no carro se comuniquem, facilitando o diagnóstico de problemas, mas nas mãos de hackers se torna uma porta aberta para desativar um carro.

Os pesquisadores se conectaram ao carro por meio de uma simples porta OBD-II e, usando o programa CarShark, identificaram os pacotes de dados enviados pelo CAN. Para alguns truques eles usaram um processo chamado de “fuzzing” e enviaram pedaços de código aleatórios para confundir o sistema. Isso fez a buzina disparar, abrir o porta-malas e até impedir o funcionamento dos freios. Deveria haver um sistema antifalhas para os freios, mas manipulando os solenoides do ABS é possível bloquear o seu uso.

O ataque mais assustador é chamado “autodestruição” e basicamente faz uma contagem regressiva de 60 segundos e então desliga o motor e trava as portas.

Não é preciso se assustar tanto. Não é uma tarefa fácil para alguém sem experiência com programação acessar o CAN e reescrever o código em um carro moderno, mas só o fato de haver essa possibilidade é algo que os cientistas acreditam que os fabricantes deveriam considerar ao proteger esses sistemas.