Arquivo da tag: Saveiro

Fim da linha para os carros da Volkswagen: Gol, Up, Fox, Voyage e Saveiro – Ausência de equipamentos de segurança é o motivo

Encosto de cabeça e cinto de segurança de três pontos são itens tão comuns que muitos até desconhecem a existência de modelos que não possuem o equipamento em todas as posições. Mas esses carros existem, e têm data para acabar: 28 de janeiro de 2020.

É nesse dia que serão completados cinco anos da publicação da portaria 518/2015 do Contran. Ela obriga que a maioria dos veículos vendidos no Brasil tenham encosto de cabeça e cinto de três pontos retrátil para todos os ocupantes, além de ao menos um assento com pontos de fixação para cadeirinhas do tipo Isofix e Latch.

FIXAÇÃO ISOFIX/LATCH GARANTE A ANCORAGEM CORRETA DA CADEIRINHA (FOTO: DIVULGAÇÃO)

As exceções ficam para modelos do tipo 2+2 (como o Civic Si e Porsche 911), conversíveis e modelos com só uma fileira de bancos, como picapes e vans comerciais.

Quase todas as marcas generalistas terão que atualizar ao menos um modelo, mas a mais afetada é a Volkswagen: Up!, Gol, Voyage, Saveiro e Fox não se enquadram em um ou mais quesitos da legislação.

FIXAÇÃO ISOFIX/LATCH GARANTE A ANCORAGEM CORRETA DA CADEIRINHA (FOTO: DIVULGAÇÃO)

Faltam a Up!, Gol e Voyage o cinto de segurança de três pontos, enquanto no Fox não há encosto de cabeça central. Do quarteto, só o Up! já tem Isofix/Latch nos bancos traseiros.

A Volkswagen do Brasil não respondeu ainda se os modelos serão adaptados ou irão sair de linha.

FIXAÇÃO ISOFIX/LATCH GARANTE A ANCORAGEM CORRETA DA CADEIRINHA (FOTO: DIVULGAÇÃO)

Do ponto de vista técnico a adição de cinto e encosto não é tão complexa. Isso porque a Saveiro cabine dupla já tem os itens para todos os ocupantes, e a migração dos equipamentos para Gol e Voyage, que derivam do mesmo projeto, seria mais fácil.

O grande problema é a colocação do Isofix/Latch. Esses pontos de ancoragem são responsáveis por manter a cadeirinha estável em acidentes, e por isso são realizadas soldagens diretamente ao monobloco do carro.

O UP! NACIONAL TEM ISOFIX E ENCOSTO CENTRAL, MAS FALTA O CINTO DE TRÊS PONTOS (FOTO: DIVULGAÇÃO)

Por conta disso, e também pela exigência legal, essas mudanças requerem novos ensaios de crash-test. E isso não é barato: cada batida custa R$ 400 mil para a Volkswagen.

O Up! tem o mesmo problema, mas há uma solução menos cara — e ousada — que a marca poderia tomar. Bastaria à Volkswagen homologar o compacto como um veículo de quatro lugares, como já ocorre na Europa.

NA EUROPA O UP! SÓ LEVA DUAS PESSOAS NO BANCO TRASEIRO (FOTO: DIVULGAÇÃO)

Mas isso, além de gerar novos custos, poderia sacrificar as vendas do Up!. A decisão de preparar o carro para cinco pessoas na América do Sul, inclusive, foi para ampliar o mercado do modelo, evitando repetir o que houve com a primeira geração do Ford Ka, que só podia levar quatro pessoas.

A lógica garante a sobrevida do quarteto, mas é possível que o Fox não sobreviva à mudança na legislação. Com projeto antigo e sem ter uma nova geração no horizonte, o hatch que já vinha perdendo versões pode sair de linha na virada do ano.

Copia dos irmãos

AS VERSÕES MAIS CARAS DO UNO JÁ OFERECEM ENCOSTO CENTRAL E CINTO DE TRÊS PONTOS PARA TODOS (FOTO: DIVULGAÇÃO)

Modelos de outras marcas também precisarão se adequar. Entre os afetados estão Fiat Mobi, Uno e Doblò, Citroën C3 e Aircross, Renault Duster, Oroch e Kwid e Nissan March e Versa.

A diferença é que a maioria deles já ofereceu os itens obrigatórios em mercados mais exigentes, sobretudo a Europa. Assim, basta às fabricantes adotar os equipamentos e apresentar os ensaios de segurança que já haviam sido feitos nas versões europeias — desde que a estrutura de ambos seja igual.

COLOCAR ISOFIX NO MOBI NÃO SERÁ DIFÍCIL: A VERSÃO PARA A ARGENTINA JÁ VEM COM ELE DESDE O LANÇAMENTO 

O caso do Uno é ainda mais simples: ele já tem os equipamentos, mas como opcionais. O que muda é que agora passam a ser de série.

A Renault deve adotar uma postura mais drástica com o Duster. Sem cinto de três pontos e Isofix, o SUV pode simplesmente deixar de ser produzido na virada do ano.

Menos radical seria adotar o banco da Oroch — que também não tem Isofix —, mas às vésperas de mudar de geração, é mais fácil aguardar a estreia do novo Duster. A picape também será reestilizada, mas deve ganhar os pontos de fixação antes disso.

Por fim, é certo que o recém-lançado Kwid também será atualizado, e a mudança irá ocorrer antes mesmo de sua primeira reestilização, prevista para 2021.

VW Saveiro e Fox com problemas em consumo

Já imaginou descobrir que o nível do óleo do seu automóvel baixa constantemente depois de rodar 2.000 km ou menos?

Esse é o drama vivido por proprietários de modelos da Volkswagem com o motor MSI 1.6 16V, lançado em agosto de 2015 e que equipa Gol, Fox, Saveiro e o novo Polo.

Entre os motores “beberrões” está o Fox Highline 2016 do empresário Thiago Resende, do Rio de Janeiro (RJ). “O óleo do meu carro vive sumindo e a concessionária diz que é normal.

Faço as revisões, rodo menos de 2.500 km e o nível já está abaixo do mínimo”, conta Thiago.

“A autorizada agora recomendou verificar o óleo a cada abastecimento. Tive vários carros e isso nunca aconteceu comigo.”

O caso é tão conhecido que a própria Volks emitiu para sua rede um boletim chamado Informação Técnica do Produto, número 2026880/4, em 31 de março de 2017.

O documento diz que o consumo excessivo de lubrificante pode ocorrer por montagem incorreta ou desgaste prematuro dos anéis ou de outro componente interno do motor ou mesmo por falha nos vedadores das hastes das válvulas.

Não é raro que o problema acabe afetando a durabilidade de peças do motor, como ocorreu com o empresário Wanderley de Oliveira Reis, de Guarulhos (SP).

“Com dois meses de uso e menos de 4.000 km rodados, o o motor estava ‘grilando’. Por isso a autorizada trocou biela, pistão, juntas e outras partes”, diz Wanderley, que tem uma Saveiro Cross 2014.

Em casos extremos, a avaria pode obrigar a substituição do motor e, por consequência, dor de cabeça com a documentação.

“Após reclamar várias vezes, agora terei de trocar o motor, que tem só 8.000 km de uso. A concessionária ofereceu a troca e a extensão da garantia, mas como fica meu prejuízo na hora da revenda? O prontuário do veículo ficará com essa mudança de motor registrada”, preocupa-se Renato Guerino de Souza, de São Paulo (SP), dono de um Fox 2015.

Consultada, a Volkswagen do Brasil não se manifestou sobre o caso até o fechamento desta edição.

O POVO RECLAMA

“Existem diversos relatos na internet sobre esse problema. Fiz várias indagações à concessionária, que não resolveu nada. Ela sempre diz que está aguardando uma resposta da fábrica, que já sabe desses casos.” José Nelson de Lima, técnico em ar-condicionado, Jaboatão dos Guararapes (PE), dono de um Fox Highline 2015

“Meu carro com menos de 4.000 km rodados estava com o motor ‘grilando’. Agora preciso trocar algumas peças. Até hoje, só tive decepções.” Wanderley de Oliveira Reis, empresário, Guarulhos (SP), dono de uma Saveiro Cross 2014

Picape ganha visual mais distante da linha Gol e chega às lojas em abril

foto-imagem-saveiro

Quando a Volkswagen disse que a picape Saveiro se distanciaria do Gol, foi difícil de acreditar, mas a surpresa foi positiva ao ver o novo conjunto dianteiro mais agressivo e robusto – com inspirações claras na picape média Amarok. Oferecida em sete configurações, a novidade tem preços entre R$ 43.530 e R$ 69.250.

A verdade é que a vida nunca foi fácil para o modelo, já que a Fiat Strada praticamente dominou a liderança entre os comerciais leves nos últimos anos. Mas desde a chegada das novas Duster Oroch e Fiat Toro, foi preciso repensar o posicionamento da picapinha no mercado – apesar da marca negar qualquer intenção de brigar com as “médias-compactas”.

“Finalmente, temos uma Saveiro com identidade própria. Ela está mais robusta e com uma versão mais voltada ao trabalho [Robust]. Estamos certos de que vamos superar as expectativas dos nossos clientes”, disse Jorge Portugal, vice-presidente de vendas e marketing da Volkswagen do Brasil.

Parece que a Saveiro tomou fermento para crescer? Acredite, não é apenas impressão. A dianteira ficou mais alta e agora o capô está menos inclinado do que nas versões anteriores, enquanto a suspensão elevada da configuração topo de linha Cross foi adotada por toda a gama, o que aumentou em 2 cm a distância em relação ao solo. Na configuração com cabine simples, a caçamba comporta 924 litros, com cabine estendida, leva até 734 litros, enquanto a Saveiro cabine dupla é capaz de transportar até 580 litros na compartimento de carga.

foto-imagem-saveiro

A lista de equipamentos ficou mais recheada em todas as configurações (confira mais no fim da página), mas sob o capô não há nenhuma novidade: seguem em linha os motores 1.6 8V de 104 cv e 15,6 kgfm e 1.6 16V de 120 cv de potência e 16,8 kgfm de torque – a transmissão é manual de cinco marchas em ambos os casos, mas o propulsor mais potente é oferecido apenas na versão topo de linha Cross.

Confira os preços de toda a linha

Volkswagen Saveiro Robust 1.6 8V Cabine Simples – R$ 43.530
Volkswagen Saveiro Trendline 1.6 8V Cabine Simples – R$ 47.970
Volkswagen Saveiro Trendline 1.6 8V Cabine Extendida – R$ 52.730
Volkswagen Saveiro Trendline 1.6 8V Cabine Dupla – R$ 52.270
Volkswagen Saveiro Highline 1.6 8V Cabine Dupla – R$ 63.070
Volkswagen Saveiro Cross Cabine 1.6 16V Extendida – R$ 66.110
Volkswagen Saveiro Cross 1.6 16V Cabine Dupla – R$ 69.250

Visual

Os novos faróis, bem maiores do que aqueles empregados no Gol e no Voyage reestilizados, chamam a atenção. Com dupla parábola, o conjunto ficou mais refinado e agora está integrado com a grade, que traz frisos cromados nas versões mais caras Highline e Cross. As lanternas também estão mais modernas e agora têm iluminação com efeito 3D, mas o formato da peça é o mesmo de antes.

foto-imagem-saveiro

Por dentro, as novidades são as mesmas do restante da família Gol. Ou quase, já que apenas as versões mais caras da picape receberam o painel de linhas mais modernas, enquanto a inédita opção de entrada Robust traz na cabine o mesmo visual de antes – com exceção do volante, que agora tem desenho inspirado na peça utilizada pelo Golf, porém, simplificado.

Nova Saveiro Rocket e Agile Crossport

foto-imagem-nova-saveiro

Volkswagen Saveiro RockeT


Nesta edição, a presença de conceitos nacionais foi pequena, apenas o Mio, da Fiat, mostrou alguma originalidade. Mas, das modificações promovidas em modelos de série dois carros nos chamaram a atenção, a Saveiro RockeT e o Agile Crossport.

A picape da Volkswagen não passa de um estudo, mas traz ideias interessantes como o motor turbo de 122 cv herdado da Audi e o câmbio de seis marchas. O design buscou inspiração em cupês e como hoje vale tudo em mesclar estilos dá até para entender a intenção da marca.

O Crossport é um Agile com cara de CrossFox. Pelo menos foi a primeira impressão que causou ver um compacto com visual off-road e pintura laranja. Nesse caso, a Chevrolet não quis inventar nada na parte mecânica, apenas mostrar ao público como ficaria o hatch em traje fora-de-estrada. Nem seu deu ao trabalho de montar o carro, tarefa repassada à conhecida Batistinha Garage.

O visual do carro só comprova que o Agile passa longe do conceito de automóvel. Ele se dá melhor mesmo no papel de mini-utilitário mesmo. Presente no Anhembi, o hatch Aveo, por exemplo, é incontáveis vezes mais interessante que a criação de Carlos Barba e cia. Só a GM não vê.

crossport-605x403

Chevrolet Crossport


 

IMG_2267-605x403

Volkswagen Saveiro RockeT


 

Fusca ainda aparece entre os 10 usados mais vendidos

O Volkswagen Fusca, que deixou de ser fabricado em 1996 em sua segunda fase (parou de ser produzido em 1986 e voltou em 1993 a mando do então presidente Itamar Franco), ainda aparece entre os 10 carros usados mais vendidos do Brasil. Segundo levantamento da Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores), o popular foi o nono mais transferido de agosto com 16.004 unidades.

O líder do ranking é o Volkswagen Gol, com 101.973 transferências registradas pela Fenabrave. Bem atrás vem os Fiat Uno e Palio, com 57.006 e 56.354 carros respectivamente. Entre as marcas, a Volkswagen é a mais vendida entre os veículos de passeio e comerciais leves usados com 27.85% deste mercado. A GM vem em segundo com 23,31%, pouco à frente da Fiat, que tem 22,97%.

Comerciais leves

Entre os utilitários, a Fiat Strada liderou o mercado de usados de agosto com 13.666 unidades contra as 12.547 da rival Volkswagen Saveiro. As veteranas da Ford, Pampa e F1000, aparecem respectivamente nas 12ª e 13ª posições com 3.420 e 2.735 unidades. A sucessora da Pampa, a Courier, ficou atrás com 2.582 carros transferidos no mês passado.

Fonte: iCarros

Fotos da picape Peugeot 207 flagrada em teste

Versão mais simples está pronta para ser lançada, em março

A briga entre as picapes leves vai esquentar mais a partir de março, quando será lançada a Peugeot 207 Pickup. Dessa vez o carro foi flagrado em testes pelo leitor Diogo Dias na versão mais simples, sem os adornos da Escapade, com apelo aventureiro. Repare que os para-lamas não contam com as proteções emborrachadas da versão off-road, o que deixou o carro com visual mais discreto.

Assim como a Escapade, a 207 Pickup mais simples também vem com step-sides laterais, solução inaugurada pela Chevrolet Montana e copiada pela nova VW Saveiro. Os motores serão os mesmos 1.4 de 82 cv e 1.6 16V de 113 cv que equipam a família 207 (hatch, sedã e perua). Esperam-se preços agressivos para enfrentar a forte concorrência do segmento.

Fonte: G1