Arquivo da tag: licenciados

Resolução do Contran – Placas Refletivas e Motorista gastará mais

Resolução do Contran obriga uso de placas refletivas em veículos e motorista gastará mais

Quem pretende comprar um carro novo ou fazer a transferência de veículo de uma cidade para outra terá que mexer no bolso. O gasto extra é de médios R$ 100 por veículo.
Depois de 1º de abril, o gasto adicional será obrigatório para mudar as placas dos veículos. O Contran (Conselho Nacional de Trânsito) adiou de 1º de janeiro para essa data o prazo que torna obrigatório o uso de placas refletivas em carros. A mudança vale para carros licenciados a partir da data em que a resolução entra em vigor e para quem transferir a placa do carro para outra cidade ou estado depois desse prazo.

Hoje, além do IPVA, licenciamento e DPVAT, o motorista paga R$ 70,99 por uma placa comum em Ribeirão Preto, ao adquirir um veículo novo. Já a placa refletiva custará até R$ 110 o par, segundo apurou a reportagem nesta quarta-feira (18). A diferença é de R$ 39 e o motorista pagará 55% a mais na placa obrigatória, na comparação com a atual.

A película refletiva já é obrigatória para veículos de três e duas rodas, conforme estipulado pelo Denatran (Departamento Nacional de Trânsito), em 2007.
Segundo o Denatran, foi observada uma mudança no número de acidentes de motos por conta do uso das placas refletivas nesse tipo de veículo, fator que motivou também o emplacamento de carros.

Mais segurança

Para André Meireles, gerente de um despachante na Rua Garibaldi, no Centro, os motoristas ainda não sabem da mudança das regras e optam pela placa por questão de “estética”. “Por enquanto, mesmo que não seja obrigatória, a adesão dos motoristas por esse tipo de placa ainda é pequeno”, disse. As mudanças valerão apenas para novos emplacamentos.

Fonte: Jornal A Cidade

 

IPVA 2010 prorrogado em São Paulo

A Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo decidiu prorrogar os prazos para que os contribuintes paguem a primeira parcela do IPVA 2010. O anúncio, antecipado à Folha Online, foi feito após o registro de problemas e lentidão nos pagamentos nos últimos dias.

O governador de São Paulo, José Serra (PSDB), afirmou que os problemas aconteceram por falhas de processamentos de dados causadas pelo grande número de pagamentos registrados nos primeiros dias.

A prorrogação valerá para os proprietários de veículos de final placas 1, 2 e 3, que poderão efetuar a quitação entre os dias 22 e 26 de janeiro. De acordo com a Febraban (Federação Brasileira de Bancos), desde ontem, o sistema da Fazenda que processa as informações sobre o pagamento e repassa aos bancos está operando com dificuldades devido ao grande volume de transações.

Com isso, muitos proprietários não conseguem completar os pagamentos ou enfrentam lentidão para quitar os débitos. Para solucionar os problemas, os bancos acionaram, pelo segundo dia, os chamados sistemas de contingência. De acordo com o assessor técnico da Febraban, Walter de Faria, essa opção busca os dados do pagamento em um arquivo interno do banco, evitando a necessidade de uma conexão com a Fazenda.

O educador Arturo Alcorta afirmou à Folha Online que fez, até a segunda-feira, cerca de dez tentativas de quitar o imposto. “Tentei pagar direto na agência, colocava o Renavam mas o sistema da Fazenda não entrava e a operação não era completada”, disse, ressaltando que diversas pessoas na mesma agência não conseguiram efetuar o pagamento.

A Fazenda informou nesta terça que recebeu, nos dois primeiros dias de vencimento, 1,44 milhão de pagamentos. A frota tributável do Estado está em torno de 13 milhões de veículos, e a taxa de inadimplência esperada pelo governo fica entre 5% e 7%, totalizando pagamentos esperados de cerca de 12,1 milhões.

Prazo

O prazo para que os donos de veículos usados licenciados no Estado de São Paulo paguem o IPVA deste ano começou na sexta-feira. O vencimento para as outras placas vai até o dia 21 deste mês e é válido para o pagamento à vista e para o pagamento da primeira parcela. Nesta terça-feira, devem realizar a operação os proprietários de veículos com placa de final 3.

O pagamento com atraso terá multa de 0,33% ao dia, limitada a 20%, e juro pela taxa Selic.

Em fevereiro o contribuinte já não poderá quitar o imposto com o desconto de 3% –o prazo vai de 10 a 26. Também nesse período vence o prazo da segunda parcela. Entre os dias 10 e 23 de março poderá ser paga a terceira (e última) parcela.

O contribuinte poderá também antecipar o licenciamento do veículo (R$ 56,10 mais R$ 11 pela postagem, esta opcional) quando quitar o imposto. Essa antecipação poderá ser feita neste mês (parcela única, com desconto), em fevereiro (parcela única, sem desconto) ou em março (última das três parcelas).

A taxa de licenciamento também poderá ser paga entre abril e dezembro, conforme o algarismo final da placa.

Quem optar pela antecipação do licenciamento do veículo neste mês, em fevereiro e em março terá mais prazo para pagar o imposto. Nesse caso, independentemente do número final da placa, o IPVA poderá ser pago até o dia 21 deste mês, com o desconto de 3%; até 26 de fevereiro, sem o desconto; e até 23 de março, se parcelado.

Fonte: FolhaOnline

Redução do IPI em 2009 – Licenciamento de carros bate recorde no Brasil

No ano passado, foram licenciados 3,14 milhões,11,4% a mais do que em 2008.

O Brasil registrou no ano passado o licenciamento de 3,14 milhões de veículos, o que significa um aumento de 11,4% sobre 2008, maior volume da história do país. Um dos fatores que impulsionou a venda de carros em 2009 foi o IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) reduzido para veículos zero quilômetro. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (7) pela Anfavea – associação que representa as montadoras.

Os carros flex – que podem utilizar álcool ou gasolina – tiveram participação de 88,2% no total de licenciamentos no ano passado, seguidos por gasolina (7,4%) e diesel (4,5%). Os importados, no geral, representaram 15,6% dos licenciamentos.

Já a produção de veículos montados e desmontados somou 3,18 milhões de unidades em 2009, uma queda de 15% em relação a 2008 – quando foram produzidos 3,22 milhões de carros de passeio.

As exportações brasileiras de veículos também apresentaram queda em 2009, com recuo de 35,3% em relação a 2008, passando de 734,6 mil para 475 mil. Esse recuo foi puxado, principalmente, pela queda de 58,7% nas vendas externas de máquina agrícolas e recuo de 35,6% na comercialização de carros de passeio. Em valores, as exportações caíram quase que pela metade no período comprado, de US$ 13,9 milhões para US$ 8,2 milhoes.

Emprego

Apesar da redução do IPI, que tinha como objetivo também manter os empregos no setor, as montadoras, no geral, cortaram 2.400 vagas em 2009. Com isso, o nível de emprego no setor automobilístico caiu 1,9% em relação a 2008 – de 126,8 mi para 124,4 mil.

A queda foi mais acentuada na indústria de máquinas agrícolas automotrizes, que reduziu o total de vagas em 9,6% no ano passado. Nas montadoras de carros de passeios, a queda foi bem menor, de 0,7%.

Fonte R7