Arquivo da tag: índia

Novo EcoSport 2012 – Veja fotos do carro da Ford


A Ford revelou o novo EcoSport nesta quarta-feira (4), no Salão de Nova Délhi, na Índia. O SUV também está sendo mostrado nesta manhã em Brasília. A apresentação desse que é um dos lançamentos mais esperados para 2012 acontece simultaneamente em diversos mercados porque o novo SUV compacto será vendido em mais de 100 países. Desenvolvido pela equipe de engenharia brasileira da montadora, o carro vai ser produzido, inicialmente, no Brasil, Índia e Tailândia. A data de lançamento ainda é mantida em segredo, assim como o preço.

Para a Ford do Brasil, o carro é um marco, pois coloca o país como um dos centros de desenvolvimento de produtos globais para a companhia norte-americana. No entanto, o salão indiano foi escolhido como palco principal da estreia porque se trata do país onde a Ford tem forte foco de expansão; além disso, a expectativa é que o evento atraia 1,4 milhão de visitantes.

 Carro foi mostrado também na Índia nesta quarta

Para o mercado brasileiro, o carro começa a ser produzido em Camaçari, na Bahia, onde é feito o modelo anterior. O novo EcoSport conta com a plataforma do New Fiesta, o primeiro que traz no DNA o conceito “One Ford”, de globalização dos carros da companhia.

No evento em Brasília, a montadora destaca que é a primeira vez que a engenharia de Camaçari desenvolve um carro global. “Esse nosso novo produto começa a nova realidade de globalização”, afirma o diretor de assuntos corporativos da Ford América do Sul, Rogélio Golfarb.

O presidente da Ford do Brasil e Mercosul, Marcos de Oliveira, destaca a importância do lançamento também para o desenvolvimento do Brasil, já que a montadora anunciou em dezembro uma nova fábrica de motores em Camaçari, a primeira no Nordeste. A nova unidade custará R$ 400 milhões em investimentos e terá capacidade para produzir 210 mil motores por ano.

A montadora não revela quanto investiu no projeto do EcoSport, mas o presidente da operação no Brasil afirma que o montante está incluso nos R$ 2,8 bilhões destinados ao Nordeste entre 2011 e 2015. O total para o Brasil é de R$ 4,5 bilhões. “O Brasil é visto com bons olhos”, diz Oliveira. A capacidade produtiva em Camaçari vai aumentar de 250 mil unidades para 300 mil.

EcoSport é o primeiro carro global desenvolvido pela Ford em Camaçari

A Ford do Brasil lançará também neste ano um terceiro veículo global. Entre os modelos aguardados estão o novo Ka e um modelo do segmento B, revelado ao G1 durante o Salão de Frankfurt.

Relembre a história do EcoSport

2003 – O modelo criado pela equipe de engenheiros da Ford no Brasil foi lançado em abril.

2004 – Lançamento da versão 4WD, com tração total inteligente e aparência externa diferenciada.

2005 – Primeiro utilitário esportivo com motor flex, na versão 1.6. No final do mesmo ano, introduziu a versão FreeStyle, com itens de estilo personalizados.
Lançada em edição limitada, fez tanto sucesso que virou modelo de série e representa mais de 60% das vendas da linha.

2006 – Trouxe sistema de áudio com conexão para iPod, USB e auxiliar frontal, além de integração Bluetooth para celular, que permite fazer e receber ligações, usar a agenda de contatos, receber mensagens, visualizar quem está ligando e ouvir músicas via “streaming”.

2007 – Chegada do EcoSport Automático, com foco no conforto ao dirigir. No mesmo ano, a linha teve a primeira mudança abrangente de estilo.

2008 – Lançamento do motor Flex 2.0.

2009 – Introdução do economizador de bateria, que desliga as luzes internas após 10 minutos de inatividade, e alto-falantes de maior potência e qualidade de som.

2010 – Design e equipamentos renovados, incluindo painel, grade, faróis e o emblema EcoSport no capô, e introdução de três anos de garantia. Confira as Primeiras Impressões do modelo quando houve a mudança.

2011 – Lançamento do modelo 2012, com a inclusão de airbag e freios ABS no modelo FreeStyle 2.0 e os mesmos itens como opcionais no FreeStyle 1.6. Desde 2003 a Ford já vendeu mais de 750 mil unidades do modelo.

Atriz Deborah Secco, ao lado do presidente da Ford do Brasil, participa da apresentação em Brasília

Fotos do carro Tata Nano pegando fogo na Índia

Não se trata do primeiro caso. Outros três já foram relatados

Mais um caso de incêndio envolvendo o carro mais barato do mundo, o Tata Nano, acaba de ser relatado pelo site indianautosblog.com. Trata-se do terceiro desde que o carro foi lançado, há quase um ano. Como das outras vezes, o fogo começou na parte de trás do carro, onde fica instalado o motor. Mas, nesse caso mais recente, aconteceu enquanto o carro estava sendo entregue ao proprietário, o agente Satish Sawant.

Um motoqueiro passava pelo veículo quando percebeu o incêndio e avisou o dono do carro, que se mostrou bastante surpreso com o incidente. “ Não tenho a menor ideia de como isso aconteceu. Apenas me avisaram que o veículo estava pegando fogo. O motor fica atrás e não tinha visto nada de anormal”, disse Sawant.

A fabricante indiana soube do problema e soltou uma nota oficial dizendo que todos os incêndios aconteceram com os carros parados e que deve ter acontecido por causa de um conector elétrico instalado próximo do volante. A Tata Motors já mudou o fornecedor dessa peça e começou a investigar outras possíveis causas do problema. Além disso, ofereceu devolver o dinheiro que recebeu do senhor Sawant pelo carro. Na Índia, o compacto é vendido pelo equivalente a R$ 5 mil.

Fonte Revista Auto Esporte

Tata lança minivan do Nano

Magic Iris usa a mesma plataforma do subcompacto e leva até 5 pessoas.
Motor a diesel tem 11 cv e velocidade máxima é de 55 km/h.

Depois de desenvolver o carro mais barato do mundo, a Tata parece também querer o título de minivan mais em conta do mercado. O Magic Iris, apresentado no Salão do Automóvel de Nova Délhi, na Índia, lembra uma Kombi, mas como é feito na mesma plataforma do Nano, leva somente cinco passageiros.

O motor a diesel é de 611 cm³ e tem 11 cavalos de potência, o que permite que a minivan alcance, no máximo, 55 km/h. O tanque de combustível tem capacidade apenas para 10 litros.

A proposta é interessante para os consumidores de triciclos que são muito utilizados na Índia. O preço não foi divulgado, mas deve seguir a filosofia de “carro do povo” do Nano.

Fonte: G1

Suzuki apresenta o novo Alto

Hatch é equipado com motor 660 cc e faz 24,5 km/l de gasolina.
Após três décadas de produção modelo deverá ser substituído em breve.

O presidente da Suzuki Motor, Osamu Suzuki, apresentou nesta quarta-feira (16) o novo Alto em um hotel de Tóquio. O hatch de entrada da marca completou em 2009 três décadas de produção.

fotos-imagens-novo-suzuki-alto-presidente-osamu-suzuki

O compacto conquistou vários países pelo baixo custo e versatilidade. Equipado com motor de 660cc, o modelo tem consumo médio de 24,5 km/l de combustível.

Apesar do sucesso, o Alto deverá ser substituído em breve por um novo carro pequeno, fruto da parceria entre a Suzuki e a Volkswagen, que custará entre US$ 4.300 e US$ 5.400 para o mercado indiano.

“Em algum ponto nós precisaremos de um substituto para o Alto. Essa faixa de preço é o patamar de entrada para os clientes indianos hoje, assim não podemos deixar esse segmento aberto”, disse R.C. Bhargava, presidente da Maruti Suzuki, fabricante líder de carros de passageiros na Índia.

Em relação ao acordo anunciado entre a montadora alemã e japonesa, a Volkswagen irá comprar 20% de participação na Suzuki por US$ 2,5 bilhões, assimilando o conhecimento da empresa japonesa em carros pequenos e a dominância na Índia em um esforço da VW de se tornar a maior montadora do mundo.

O Economic Times informou que o novo modelo terá preço entre US$ 4 mil e US$ 5 mil no mercado europeu, bem abaixo dos US$ 8.800 do Up, o carro mais barato atualmente da Volkswagen.

Fonte: G1

Volkswagen compra 20% da Suzuki por US$2,5 bi

fotos-imagens-volkswagen-suzuki

A Volkswagen vai comprar um quinto da Suzuki Motors por 2,5 bilhões de dólares, dando à companhia alemã a expertize da companhia japonesa na produção de carros pequenos e domínio na Índia, enquanto busca se tornar a maior montadora do mundo.

Com a indústria global de veículos ainda enfrentando demanda frágil, excesso de capacidade crônico e regras ambientais mais rígidas, a pressão tem crescido para que montadoras unam força para reduzir custos e desenvolverem novas tecnologias.

No início deste mês, a PSA Peugeot Citroen e a Mitsubishi Motors informaram que vão explorar relacionamento mais próximo, que até agora vinha sendo limitado a uma parceria de projeto.

O acordo recente prevê que a Suzuki vai investir até metade dos recursos recebidos em ações da Volkswagen, ganhando o apoio da terceira maior montadora do mundo. As ações de ambas as companhias subiram.

“É uma combinação interessante que tem benefícios mútuos”, afirmou o analista Toshiro Yoshinaga, da Aizawa Securities. “A Suzuki tem uma sólida posição na Índia e o mesmo acontece com a Volkswagen na Europa.”

A Volkswagen, que também é a maior montadora da China, o maior mercado de veículos do mundo, vai fornecer à Suzuki tecnologia para produção de carros híbridos e elétricos que não possui em sua linha de produtos.

Nos primeiros seis meses de 2009, a Volkswagen vendeu 3,265 milhões de veículos e a Suzuki vendeu 1,15 milhão. As vendas combinadas das empresas de 4,415 milhões de unidades superam as de 3,564 milhões de unidades da Toyota.

Fonte: Reuters