Arquivo da tag: Imposto

Suspensão do IPVA – Alesp aprova suspender pagamento do imposto de veículos novos durante a pandemia de Covid-19

O secretário da Fazenda e Planejamento poderá autorizar novos prazos para o imposto. O pagamento deve ocorrer depois da pandemia.

A Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) aprovou por unanimidade, na tarde desta terça-feira (7), o Projeto de Lei 424/2020, que permite a suspensão do pagamento do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) de 2020 em situações extraordinárias, como a pandemia de Covid-19. O pagamento do IPVA deverá ser feito depois da pandemia.

O projeto é de autoria do governador João Doria (PSDB). A aprovação do texto foi feita em sessão extraordinária da Alesp ocorrida em ambiente virtual presidida pelo deputado Cauê Macris (PSDB), presidente da Alesp, com 80 votos favoráveis e nenhum contrário.

A aprovação não dispensa do pagamento do IPVA, e sim de adequação ao momento de pandemia.

O objetivo do projeto de lei é evitar multas nesses casos e outras situações excepcionais. Ainda de acordo com o projeto, o Secretário da Fazenda e Planejamento pode autorizar a suspensão ou prorrogação dos prazos do imposto.

Com a suspensão dos atendimentos presenciais do Detran, em virtude da pandemia, os veículos novos não estão sendo emplacados, o que impossibilita o pagamento do IPVA desses automóveis.

O projeto segue para sanção do governador.

IPI reduzido – Concessionários lotam no último fim de semana

O último fim de semana com Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) sobre carros foi de concessionárias cheias e muita gente em busca de um veículo novo e mais barato em São José dos Campos. Em algumas revendedoras, já há até falta de veículos.

A Veibrás, concessionária da General Motors (GM), teve movimento intenso nos dois dias em que promoveu um feirão para alavancar as vendas. Na sexta-feira (24) e no sábado (25), foram vendidos 120 veículos, sendo 90 zero quilômetro. “Apostamos em uma mídia forte aproveitando o último fim de semana da redução e deu certo. Foi o nosso melhor fim de semana do mês”, afirma a gerente de vendas Viviane Silveira. De acordo com ela, normalmente são vendidos 40 carros. “Comparando o período de antes, sem IPI, e agora, com a redução, tivemos um aumento nas vendas de 30 a 40%”, afirmou.

Na Veibrás, alguns modelos já estão faltando. Os carros de entrada, como Celta, Prisma e Ágile, ainda tem em estoque. Já veículos como S10, Cruze Sport e Spin estão em falta.

Já a Original Veículos, revenda Volkswagen, também afirmou que as vendas estão superando as expectativas. “Tivemos aumento de 20% neste fim de semana. Não foi nosso melhor, mas as vendas estão melhorando gradativamente conforme se aproxima o fim da redução”, explica Danilo Dalla, gerente da concessionária.

Os modelos de entrada do Fox e Gol G5 estão em falta. No fim de semana, a concessionária vendeu dez veículos, sem a realização de um feirão, apenas com maior divulgação na própria loja.”A gente torce para que o IPI reduzido continue porque com ele temos um aumento de 40% nas vendas”, afirma Dalla.

Na Itavema Fiat dois veículos também estão com fila de espera: Siena 1.6 e Novo Palio. No fim de semana, a concessionária vendeu 13 carros a mais do que o normal. “Cresceram não só as vendas, mas também o movimento de pessoas na loja. Sinto que o que o cliente precisava pesquisar, já pesquisou. Eles vêm para fechar negócio”, diz Marco Aurélio da Silva, gerente de vendas. Na loja, foram vendidos 23 carros neste fim de semana, enquanto o normal é dez carros.

Para o economista Guaraci Lima de Moraes, o momento para quem precisa de um carro é bom, mas mesmo assim é necessário aproveitar com cautela. “Não trocar de carro de maneira precipitada, apenas por conta da redução do imposto. É preciso de planejamento, programar a compra para não ter uma dívida que pode prejudicar o orçamento da família”, explica.

Fim do IPI

Representantes do Ministério da Fazenda devem se reunir nesta semana com fabricantes de veículos beneficiados pela redução do IPI para avaliar o repasse do corte do tributo aos consumidores, segundo apurou o G1. As informações colhidas nesses encontros vão servir de subsídio para o governo decidir se haverá ou não prorrogação da medida.

Na sexta-feira (24), o Ministério da Fazenda informou que ainda não há definição de uma possível prorrogação do benefício para esses setores. A redução do IPI foi anunciada em maio. De lá para cá, houve aumento significativo na venda de carros novos e redução dos estoques das montadoras, que já se preparam para elevar a produção em suas fábricas.

Há duas semanas, o vice-presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Luiz Moan, disse que o setor não espera a renovação do corte do IPI para carros. Na avaliação dele, o setor conseguirá manter em alta a venda de veículos mesmo sem o benefício.

Prorrogada isenção de ICMS para carros de deficientes físico – Desconto do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para compra de automóveis será até fim de 2012

Isenção de ICMS para carros de deficientes é prorrogada
O desconto só valeria até o fim de abril, mas o Confaz decidiu prorrogar até o fim de 2012.

Foi prorrogada a isenção de Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para compra de automóveis por pessoas com deficiência física. A isenção só valeria até o fim deste mês, mas o Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) decidiu prorrogar até 31 de dezembro de 2012. Pela lei, deficientes não condutores podem comprar carros livres de IPI, enquanto os que vão dirigir o próprio veículo têm isenção total de ICMS e IPI.

As medidas são revistas pelos estados a cada vez que expiram, já que a lei que determina a isenção não é fixa, como reivindica a Associação Brasileira das Indústrias de Revendedores de Serviços para Pessoas com Deficiência (Abridef). Outra reivindicação é a ampliação do valor máximo do veículo zero quilômetro para que o deficiente possa ter direito ao desconto. Hoje o abatimento só é válido para os carros que custam até R$ 70 mil.

De acordo com a Abridef, mais de 29 mil carros foram vendidos no ano passado com isenção de imposto para deficientes físicos. Hoje, com a isenção, o deficiente consegue comprar um carro com desconte de mais de 30% do valor da tabela.

Vendas de carros tem queda em março – As vendas de automóveis e comerciais leves novos no Brasil em março caíram 14,4%

As vendas de automóveis e comerciais leves novos no Brasil em março caíram 14,4 por cento sobre o mesmo mês do ano passado, influenciadas por efeitos de calendário e base forte de comparação, gerada pelo fim do desconto de imposto um ano antes.

Segundo uma fonte do setor com acesso aos dados de licenciamentos, as vendas de março somaram 288.829 unidades, na segunda melhor performance já registrada para o mês após março de 2010, quando a expectativa pelo fim do desconto do IPI causou correria às lojas e vendas de 337.436 automóveis e comerciais leves.

Na comparação com fevereiro, no entanto, as vendas de março foram 11,6 por cento maiores, refletindo ainda o forte movimento da indústria que fechou o primeiro trimestre com um total acumulado de 777.923 automóveis e comerciais leves vendidos, 3,63 por cento acima do registrado um ano antes.

A associação de montadoras de veículos, Anfavea, divulga na próxima semana o fechamento oficial das vendas e produção para março, incluindo também caminhões e ônibus. A entidade estima vendas de 3,69 milhões de veículos em 2011, incluindo ônibus e caminhões, crescimento de 5 por cento sobre 2010.

Em março, a Fiat registrou vendas de 64.553 automóveis e comerciais leves, alta de 6,3 por cento na comparação com fevereiro e queda de 12,3 por cento sobre março de 2010. A Volkswagen apurou emplacamentos de 58.124 unidades, 6,9 por cento a mais que fevereiro, mas 16,3 por cento baixo das vendas de março de 2010, segundo a fonte.

A General Motors registrou alta de 19,3 por cento nos licenciamentos sobre fevereiro, para 55.282 unidades. Na comparação anual, houve queda de 21 por cento.

A Ford vendeu em março 17 por cento a mais que em fevereiro e 23,7 por cento menos que o licenciado um ano antes, com 27.675 automóveis e comerciais leves.

Fonte UOL Economia

IPVA mais barato em 2011 – Carros usados pagarão menos Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores

Situação ocorre devido à queda do valor de mercado dos veículos; retração foi de 12% neste ano

Números a ser divulgados pela Secretaria da Fazenda do Estado devem apontar que os donos de carros e motos usados devem pagar menos IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores) em 2011. A tabela final da Fazenda está sendo elaborada com base na pesquisa de preços da Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas) e deverá ser concluída nesta quinzena.

No caso dos carros, os valores devem cair em torno de 7%. A queda do valor do IPVA das motos será de 9%. A situação ocorre devido à redução média do preço dos usados no mercado, de 12,2%, impactando diretamente na queda do valor do imposto.

Além das motos e carros, donos de ônibus, caminhões e utilitários também vão pagar menos imposto em 2011. A redução média global – calculada a partir da média de tipos de veículos – deve oscilar entre 5% e 10%. A redução é menor do que a ocorrida de 2009 para 2010, quando os valores diminuíram 12,2% para carros de passeio e motos.

As formas de pagamento continuam as mesmas. A data ainda não foi definida, porém, quem optar por pagar o imposto em janeiro, à vista, terá desconto de 3%. Outra forma é deixar para pagar o valor total à vista, só que em fevereiro, sem desconto. Se preferir, pode-se dividir em três parcelas, que vencem em janeiro, fevereiro e março.

Descontão

O governo do Estado informou ontem que 314 mil consumidores utilizaram os créditos da Nota Fiscal Paulista para abater o valor devido do IPVA. Foram destinados R$ 57 mi indicados para 268 mil veículos – a diferença ocorre pois um consumidor pode indicar um carro que não é seu para ter o benefício.

O resgate dos valores foi concluído no domingo.

Pagamento do IPVA com desconto começa hoje – Tabela do Vencimento do IPVA 2010

Calendário com vencimento do imposto acompanha placa do veículo

Os proprietários de automóveis, ônibus e caminhões que quiserem pagar o IPVA (Imposto sobre Veículos Automotores) com desconto de 3% devem quitar o imposto a partir desta sexta-feira (8). O cronograma de pagamento dos débitos segue o final das placas dos veículos e se estende até o dia 21 de janeiro.

Para quem optar pela divisão do débito, vai pagar três parcelas: a primeira em janeiro, a segunda em fevereiro e a terceira em março (veja tabela abaixo). Quem preferir parcelar o pagamento deverá ficar atento às datas porque o atraso vai acarretar multa de 0,33% ao dia – com limite de 20% – mais juros com base na taxa básica (Selic). Além disso, o proprietário não pode licenciar o veículo e fica sujeito a apreensão do veículo.

O IPVA também poderá ser quitado de uma só vez em fevereiro, mas quem preferir esta forma de pagamento não será beneficiado com o desconto. Entre os dias 10 e 26 do mês que vem será destinado também ao pagamento da segunda parcela, para quem optou por pagar a dívida a prazo.

Caso o proprietário do veículo queira liquidar o licenciamento, basta antecipar o pagamento da taxa – R$ 56,10 mais R$ 11 se optar pela entrega em casa via correios. Há três maneiras de liquidar o licenciamento: na parcela única com desconto (em janeiro), na parcela única sem desconto (fevereiro) ou na terceira parcela do IPVA (em março).

Quitar o licenciamento de forma antecipada rende benefícios. Quem pagar a taxa em janeiro, terá um tempo maior para pagar o IPVA. Independentemente da placa do veículo, o dono poderá pagar o imposto com desconto de 3% até o dia 21 deste mês, ou até 26 de fevereiro sem desconto e até 23 de março parcelado.

Em 2010, os proprietários de automóveis no Estado de São Paulo vão pagar, em média, 12,2% menos que no ano passado. Para as motos, a queda do imposto será de 9,8%. Juntos, carros e motocicletas são 85% dos cerca de 13 milhões de veículos que pagam o IPVA no Estado.

Os donos de caminhões pagarão 7,7% menos; os proprietários de ônibus e microônibus vão desembolsar quantia 4,1% menor. Para quem possui um utilitário, o recuo do imposto será, em média, de 7,5%. No geral, o valor do IPVA caiu 9,3%, retração explicada pela diminuição do valor venal dos veículos (veja o valor no site da Secretaria da Fazenda – ).

Fonte R7

Carros – IPVA fica em média 9,3% mais barato em 2010 em São Paulo – Tabela de vencimento do imposto

Quem pagar em janeiro terá desconto de 3%. Veja a tabela de vencimento do imposto em 2010.

A Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo informou nesta terça (10) que o valor médio do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) será 9,3% menor em 2010.

Para carros, a redução média é de 12,2%. Para motos, de 9,8%. O IPVA dos utilitários cairá em média 7,5%, o de caminhões, 7,7% e o de ônibus e microônibus, 4,1%.

O cálculo foi feito com base nos preços médios dos veículos apurados pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), em setembro de 2009, mês em que vigorava o desconto do IPI (Imposto Sobre Produtos Industrializados) para carros novos.

O desconto derrubou o preço dos veículos usados e, consequentemente, forçou a queda do valor do IPVA.

Os proprietários de veículos usados no Estado de São Paulo que efetuarem o pagamento do iIPVA em cota única no mês de janeiro de 2010 terão desconto de 3%. O IPVA também pode ser parcelado, sem desconto, observando as datas de vencimento em janeiro, fevereiro e março.

Carros a gasolina recolherão 4% sobre o valor venal. Carros a álcool e gás pagam 3%; bicombustível recolhe 4%; picape cabine dupla 4%; utilitários (cabine simples), ônibus, microônibus, tratores e motocicletas pagam 2% sobre o valor venal; caminhões recolhem 1,5%. Os veículos com mais de 20 anos de fabricação estão isentos.

Tabela-vencimento-IPVA-2010

O contribuinte que deixar de recolher o imposto fica sujeito à multa de mora de 20% do valor do imposto e a juros de mora com base na taxa Selic. Além disso, ele ficará impedido de efetivar seu licenciamento e sujeito à apreensão do veículo.

Fonte G1