Arquivo da tag: GM

Recall Chevrolet Onix Plus – GM suspende vendas do carro por causa de incêndios

Fabricante admite pela primeira vez que casos de fogo já registrados no país têm a ver com falha no software de gerenciamento do motor

A GM decidiu suspender, a partir da noite da última terça-feira (5), as entregas do Chevrolet Onix Plus. A medida foi tomada depois que QUATRO RODAS divulgou, na segunda (4), o registro de dois casos de incêndio do sedã no país.

Em comunicado interno emitido a concessionários e obtido por nossa reportagem, a fabricante anunciou internamente a suspensão e admitiu pela primeira vez que o fogo pode ser provocado por uma falha no projeto.

Ainda, informou ter tomado a “iniciativa de anunciar um recall”. Confira o texto na íntegra:

O comunicado não especifica quais seriam as condições “muito específicas” de pressão, temperatura, umidade e composição do combustível, e também não estabeleceu um prazo para oficializar o recall.

mas o fato é que dois incêndios foram registrados em regiões do país com climas bem diferentes: um no pátio da fábrica de Gravataí (RS) e outro no Piauí.

QUATRO RODAS já contatou concessionárias do estado de São Paulo (SP). Algumas afirmam que ainda têm o carro normalmente para entrega, enquanto outras já confirmaram a suspensão.

Uma delas admitiu que a fabricante não apenas suspendeu a entrega de unidades já presentes em estoque, como também o abastecimento de novas unidades à rede.

Segundo um dos lojistas consultados, a fabricante está promovendo “uma atualização de software de gerenciamento do motor” nos exemplares já produzidos e ainda não entregues.

Com o comunicado, nossa reportagem pode afirmar que este é a quarta falha envolvendo o Onix Plus relatada aos concessionários.

Outras três já haviam sido divulgadas exclusivamente por QUATRO RODAS na terça-feira: uma na porca do aterramento, outra no chicote do painel de instrumentos e uma terceira relacionada a conflitos no número de série do motor.

Sedã médio recebe uma leve plástica e estreia a versão Premier, com frenagem autônoma e internet nativa a bordo — grátis por 3 meses ou 3 GB

Seu plano de dados do celular acabou? Se você estiver ao bordo do novo Cruze, isso pode não ser um problema. O Chevrolet passa a oferecer conexão de internet na linha 2020. Ao ligar o veículo, os ocupantes contam com sinal de wi-fi nativo, que funciona como o de casa. O acesso é configurado no ícone “roteador” exibido na nova tela multimídia de oito polegadas. Ali, os usuários definem o nome e a senha do wi-fi para conectar até sete dispositivos.

Porém, como nos voos comerciais, o serviço de internet é cobrado à parte. Por ora, a GM divulgou só o valor do pacote básico “Navegação + Música”, com 2 Gigabytes de dados: R$ 29,90/mês. A assinatura será feita com a operadora Claro, o que pode parecer ruim para clientes de outras empresas de telefonia móvel. E isso não poderá ser alterado, já que o chip é fundido secretamente em uma das muitas placas eletrônicas.

Se os 2 GB parecem pouco para uma vida mais e mais conectada, os clientes poderão escolher entre outros três pacotes: Carona (5 GB), Corporativo (10 GB) e Família (20 GB). Os valores e os preços serão divulgados em setembro, quando a linha 2020 chega às lojas.

Até lá, a GM terá de bolar uma estratégia para vender as assinaturas da internet e do OnStar. Esses dois serviços são gratuitos no início e serão cobrados após a “degustação”. No caso da internet, são três meses ou 3 GB de dados. Já o OnStar funciona de graça por um ano, e depois é pago em três pacotes (Safe, Protect e Exclusive), de R$ 54,90 a R$ 79,90. A seu favor, a GM contará com o público mais endinheirado da linha Cruze. Mesmo assim, será desafiador — haja grana para tantas mensalidades!

Além de economizar o plano de dados do celular com a criançada (no caso de casais com filhos), a internet embarcada trará outras facilidades combinada à nova geração do MyLink. Será possível ver informações de trânsito em tempo real no GPS, atualizar o sistema operacional, instalar um aplicativo ou fazer o agendamento online da revisão. A central passa a aceitar duas conexões Bluetooth simultâneas.

A tela tem navegação mais simples, com menus que correm lateralmente como nos smartphones atuais. Outra novidade é a personalização para até dois usuários, que podem configurar plano de fundo e rádios favoritas, por exemplo. As interfaces Apple CarPlay e Android Auto estão presentes nas versões mais recentes, e os ocupantes ficarão felizes ao notar que o console inferior passa a ter duas entradas USB.

Segundo a GM, a inédita versão Premier possui 42 processadores, 22 antenas e 14 redes, tudo para garantir rapidez de uso e um sinal com o mínimo de oscilação. Um detalhe interessante é a barbatana no teto: o módulo tem quatro antenas, o que permite desfrutar do sinal do wi-fi a até 15 metros de distância.

E o que mais mudou no Cruze? Bom, o médio recebeu uma leve plástica para ter o design mais recente da marca. A nova grade, cheia de cromados, une os faróis e dá mais presença ao modelo. Mas o destaque são as lanternas de LED, que dão efeito tridimensional e são bem mais interessantes que as anteriores. Por dentro, poucas alterações. A maior é a nova tela multimídia.

A mecânica também foi mantida, o que não é má notícia. O valente motor 1.4 turbo flex de 153 cv e 24,5 kgfm de torque segue conectado ao câmbio automático de seis marchas. Pena a GM não ter adicionado paddle-shifts para trocas manuais.

A despeito dos bons números em pista — zero a 100 km/h em 8,8 segundos e resgate de 60 km/h a 100 km/h em 4,8 s —, falta um “modo Sport” para apimentar a direção. O consumo não impressiona nem incomoda (média de 9,9 km/l com etanol).

Entre os equipamentos, as novidades estão no Cruze Premier, novo topo de linha. O carregador por indução ganhou nicho mais amplo, para acomodar smartphones grandes e receber uma gama maior de aparelhos. E a segurança está reforçada pelo sistema de frenagem autônoma de emergência com detector de pedestres, um belo diferencial para incomodar o novo Civic, que não incorporou recursos semiautônomos. Ponto para o Chevrolet.

TESTE

Aceleração
0 – 100 km/h: 8,8 segundos
0 – 400 m: 16,4 segundos
0 – 1.000 m: 29,8 segundos
Vel. a 1.000 m: 177,8 km/h
Vel. real a 100 km/h: 93 km/h

Retomada
40 – 80 km/h (Drive): 3,8 segundos
60 – 100 km/h (D): 4,8 segundos
80 – 120 km/h (D): 5,9 segundos

Frenagem
100 – 0 km/h: 42,1 metros
80 – 0 km/h: 26,9 metros
60 – 0 km/h: 15 metros

Consumo
Urbano: 8,2 km/l
Rodoviário: 11,7 km/l
Média: 9,9 km/l
Autonomia em estrada: 415 km

FICHA TÉCNICA

Motor
Dianteiro, transversal, 4 cil. em linha, 1.4, 16V, comando duplo, injeção direta, turbo, flex

Potência
150/153 cv a 5.200 rpm

Torque
24/24,5 kgfm a 2.000 rpm

Câmbio
Automático sequencial de seis marchas; tração dianteira

Direção
Elétrica

Suspensão
Indep. McPherson (diant.) e eixo de torção (tras.)

Freios
Discos ventilados (diant.) e discos sólidos (tras.)

Pneus e rodas
215/50 R17

Dimensões
Comprimento: 4,66 m
Largura: 1,79 m
Altura: 1,48 m
Entre-eixos: 2,70 m

Tanque de combustível
52 litros

Porta-malas
440 litros (fabricante)

Peso
1.321 kg

Central multimídia
8 pol., sensível ao toque; Android Auto e CarPlay

Garantia
3 anos

Cesta de peças
R$ 15.002,19

Seguro
R$ 4.197

Revisões
10 mil km: R$ 292
20 mil km: R$ 684
30 mil km: R$ 440

Sedã e hatch serão o primeiro modelo no país a contar com a tecnologia. Serviço de concierge OnStar continua a disposição no modelo

A Chevrolet vai remodelar a linha Cruze em 2019 (linha 2020). A novidade terá 4G e Wi-Fi na versão mais cara do médio – o Cruze LTZ. O equipamento estará disponível tanto no três-volumes quanto na configuração hatchback.

Para lançar o Cruze 2019, a General Motors afirma ter investido cerca de 340 milhões de dólares. O sedã faz parte de um plano que prevê o lançamento de 11 modelos no Brasil apenas no ano que vem.

O Cruze irá chegar ao Brasil já com atualizações de estilo, pois o carro remodelado já circula nos Estados Unidos desde abril.

Com a novidade, será possível navegar na internet utilizando a rede nativa do veículo, e não por meio de modem externo ou pelo smartphone de algum dos ocupantes. Esse recurso é comum na Europa e Estados Unidos, pois lá não há impedimento tecno-burocrático que barra a adoção do equipamento.

Por aqui, há um imbróglio técnico envolvendo a Anatel e as empresas de telecomunicações impossibilitava a homologação da internet veicular, apesar de a maioria das fabricantes já dispor desse acessório nos modelos vendidos em outros países.

O lançamento da GM irá permitir que os ocupantes usem o sistema do carro como hotspot e rotear o sinal de internet por meio do Wi-Fi.

Além do 4G, o serviço de concierge OnStar continuará disponível, sem custo adicional no primeiro ano de uso do veículo. Não foram divulgadas informações acerca de mensalidade da nova tecnologia.

GM – General Motors: Apesar dos lançamentos, previstos para chegarem às lojas entre 2020 e 2021, boa parte dos modelos atuais deverão continuar disponíveis

Após anunciar o investimento de R$ 1,9 bilhão em sua fábrica de motores em Joinville (SC) e 1,4 bilhão em Gravataí (RS), a GM agora afirma que também vai modernizar a unidade produtiva de São Caetano do Sul, em São Paulo. Com o aporte R$ 1,2 bilhão, a capacidade deverá aumentar de 250 mil veículos por ano para 330 mil. Mas não só isso. Novos projetos também deverão sair da linha de montagem, que hoje produz Cobalt, Montana, Onix e Spin.

Segundo Marcos Munhoz, vice-presidente da General Motors no Mercosul, boa parte dos modelos atuais serão mantidos, apesar das novidades. “Vamos popular toda a linha com muitas opções. Então, vamos ter muitos SUVs, muitos sedãs e muitos hatches”, explica. Quanto às picapes? “Só Montana e S10, porque, na nossa visão, não cabe mais que isso”.

Os primeiros lançamentos deverão ser revelados entre 2020 e 2021, de acordo com o executivo. Entretanto, não há planos para veículos menores que o Onix. “Já fizemos vários estudos e, quando você faz essas análises ou olha o segmento, parece que está difícil de fazer sucesso”, afirma. Vale lembrar que, desde o início do ano, tanto o hatch como o sedã Prisma receberam reforços estruturais que já estão disponíveis, inclusive nas opções Advantage.

Em relação às motorizações, a empresa também confirmou novidades para os próximos anos, já que a capacidade produtiva da linha de montagem catarinense saltou de 120 mil unidades anuais para 420 mil. “Hoje, temos alguns motores que produzimos aqui e outros que importamos. Em Joinville (SC), vamos continuar fazendo os propulsores atuais, assim como uma nova família”, diz Munhoz, sem revelar se haverá opções de três cilindros ou turbinadas.

Sedã puxa a fila da nova linha Chevrolet. Lançamento será em dezembro

foto-imagem-cobalte

A GM prepara para os próximos meses a renovação de toda a sua linha. Assim como aconteceu na última grande mudança, em 2011, o Cobalt será o primeiro a trazer as novidades: na virada do mês você verá como ele vai encarar o futuro.

Com a proximidade do lançamento, a marca se mexe para ajustar os últimos detalhes. As imagens acima, feitas pelo fiel leitor Walter Yukio, mostram o Cobalt rodando durante testes na Rodovia Anhanguera, próxima da cidade de Jundiaí (SP).

Conforme você pode ver nas projeções feitas por João Kleber Amaral, aqui as mudanças vão além do estilo inspirado no Cruze. Os faróis perderão em altura e serão esticados em direção aos para-lamas. Já a grade não ficará tão larga quanto você viu nas projeções do Onix 2016 – confira aqui as mudanças que o hatch e a picape S10 também vão receber.

Na traseira, saem as lanternas verticais e entra um conjunto semelhante ao do Cruze atual, com dois elementos, um fixado no para-lamas e outro invadindo a tampa do porta-malas. “Ele terá um caráter mais luxuoso. Deixaremos o Prisma com a função de modelo base por enquanto”, diz uma fonte da marca.

Cobalt terá o painel renovado fugindo do estilo da família Onix/Prisma. Será o primeiro a estrear a segunda geração do sistema multimídia My Link.

foto-imagem-Cobalt

Spin Activ com um novo estilo inspiração aventureira

foto-imagem-spinA Chevrolet anunciou Hoje OS Preços da rotação Activ, Versão aventureira do Carro familiar.O Modelo Chega ao Mercado este Mês POR R $ 62,060 na version com o motor 1.8 de 106/108 cv e marchas manual do Cambio de Cinco.Na version MESMO do motor com e Câmbio automático de SEIS marchas, um spin Ativo TEM Preço de R $ 65,860.A configuracao Nova do Elementos Traz Modelo Decorativos na carroceria, ACABAMENTO Exclusivo interno, tendão de um cor preta Como predominante, e, e claro, o estepe na tampa Traseira. Para Completar o visual fóruns de estrada, o spin ganhou rodas de 16 “e pneus 205/60 Miscelânea, O Que resultou em hum ganho de 8 milímetros de na altura do Modelo. A Altura Da Suspensão NAO FOI alterada, Segundo a General Motors, mas Passou Por uma nova calibragem. A rotação Ficou 75 kg Mais pesada Nesta version.

Entre OS itens de série, a minivan oferece Direção hidráulica, ar-Condicionado, Vidros e Travas Elétricos, sistema multimídia meu link e rack de teto não.

foto-imagem-spin

Como Expectativas da Pará GM um sorteio Activ São altas. A marca Aposta Que a Versão aventureira Será, Responsável POR ATÉ 25% das vendas da Linha.

Autoesporte ESTA na Apresentação Oficial do Modelo e Trara MAIS INFORMAÇÕES Nesta page.

foto-imagem-spin

foto-imagem-spin

Carros da Google – Empresa pode ser uma ameaça no setor automobilístico, prevê General Motors – GM

carro-do-google-ameaca-ao-setor-automobilistico-imagemO Google revelou nesta semana seu primeiro protótipo de carro autônomo, capaz de dirigir sem qualquer tipo de intervenção humana. Foi o suficiente para causar rebuliço na indústria automobilística. Um executivo da GM, uma das maiores fabricantes de veículos do mundo, já vê a empresa como uma “séria ameaça competitiva” se continuar neste caminho.“Qualquer um pode fazer qualquer coisa com tempo e dinheiro suficientes. Se eles decidirem se esforçar para isso, não tenho dúvidas de que eles se tornarão uma ameaça”, afirma Mark Reuss, chefe de desenvolvimento de produto na General Motors, em entrevista à Bloomberg.

A declaração se segue após o anúncio de que o Google produzirá 100 carros capazes de dirigir sozinhos para fins de testes. Por enquanto, os veículos irão se deslocar a uma velocidade máxima de 40 km/h.

No entanto, mesmo que o Google esteja produzindo seus próprios carros para testes, não há previsão se eles de fato lançarão os veículos para os consumidores. Eles podem simplesmente licenciar sua tecnologia para outras fabricantes.

A GM, por sua vez, também está testando seus próprios recursos para carros autônomos, com uma tecnologia chamada Super Cruise, com alguns comandos autônomos, como controle de velocidade, freio e direção seguindo as orientações da pista. Reuss crê que a tecnologia deve chegar em alguns anos, mas será uma transição suave.

“Será uma mudança gradual, nada que irá dobrar a mente das pessoas”, ele diz. No entanto, ele crê que as cidades não serão tomadas por carros autônomos por um bom tempo.

Novo Sonic caem na internet

foto-imagem-novo-sonic

A apresentação do novo Chevrolet Sonic só acontecerá no começo de junho, durante o Salão de Chongqing. Mas as primeiras imagens oficiais do modelo já caíram na internet.

O design acompanha a nova identidade visual trazida pelo novo Cruze, exibido durante o último Salão de Pequim. A grade frontal do Sonic continua dividida em duas partes, mas agora ela está mais discreta. Os faróis ficaram menores e mais espichados, lembrando um pouco o visual do Hyundai HB20.

foto-imagem-novo-sonicAs imagens mostram a traseira do sedã, mas não do hatch. No caso do modelo três-volumes, os antigos elementos circulares foram substituídos por lentes convencionais. A Shanghai-GM, joint-venture responsável por fabricar os modelos da Chevrolet na China, lançará com o novo Sonic uma versão atualizada do sistema multimídia MyLink que terá novas funções.

foto-imagem-novo-sonicPor lá, o novo Sonic terá motores 1.4 S-TEC III para o sedã e 1.6 para o hatch. A potência de ambos despencou: o 1.4 entrega 99 cv (ante 103 cv do modelo antigo), enquanto o 1.6 tem 117 cv – frente os 121 cv de seu antecessor.

Sedã Classic, no entanto, continuará a ser produzido

foto-imagem-GMA GM do Brasil anunciou na sexta-feira (16) o fim da produção do sedã Classic em sua unidade em São José dos Campos (SP). A desativação da linha estava prevista para acontecer no fim do ano, mas foi antecipada devido o alto custo das operações o que tornou a manutenção da linha inviável, segundo informou a montadora. Até então, a fábrica do Vale do Paraíba produzia 150 unidades do modelo por dia, em apenas um turno de trabalho. O sedã, no entanto, continuará a ser produzido normalmente nas plantas de São Caetano do Sul (SP) e em Rosário, na Argentina. Em São José dos Campos, continuarão a ser fabricados o utilitário esportivo Trailblazer e a picape S10.
Reação nas vendas
Após ser deixado de lado por vários meses, o Classic voltou a figurar entre os mais vendidos em julho. Com 10.973 unidades emplacadas no período, o veterano conseguiu ultrapassar Fiat Siena e se tornar o sedã compacto mais vendido no mês. A reação do modelo poder ser atribuída à ofensiva da GM nas revendas, que tem promovido insistentes feirões em que o modelo é ofertado com condições especiais. Além disso, a adoção de ABS e airbag na linha 2014 garantiu ao sedã uma pequena sobrevida de pelo menos mais um ano. No acumulado do ano, o Classic é o 10º carro mais vendido, com 54.659 unidades comercializadas.
Novo compacto em São José dos Campos
A Chevrolet está na briga com outras subsidiárias da GM para receber um investimento de R$ 2,5 bilhões para produzir até 2017 um novo modelo no país, na fábrica São José dos Campos.
Conforme Autoesporte já havia informado, trata-se de um compacto inédito que viria com a missão de substituir a dupla Celta e Classic.

Onix da GM divulga detalhes do carro – Hatch compacto da montadora estreia no Salão de São Paulo

GM divulgará em breve primeira imagem do Onix; acima, a projeção do modelo (Crédito: Renato Aspromonte)

A General Motors do Brasil confirmou na manhã desta quinta-feira (6) o lançamento do seu (aguardado) novo hatch compacto, o Chevrolet Onix. Rival para Fiat Novo Uno/Palio, Renault Sandero, Volkswagen Gol/Fox e os futuros Hyundai HB20 e Toyota Etios, o Onix estreia em outubro, no Salão do Automóvel de São Paulo, chegando às lojas na mesma época. Feito sobre a plataforma Gamma II, a mesma do sedã Chevrolet Cobalt, o modelo será produzido na fábrica de Gravataí, no Rio Grande do Sul – onde também são fabricados os pequenos Celta e Prisma.

Onix vai apostar no espaço interno amplo e em boa relação custo/benefício para brigar com os vários rivais

Segundo o comunidado oficial da GM, o Onix é o primeiro veículo da marca Chevrolet cujo nome final será o mesmo do projeto. “Muito se falou em Projeto Onix durante o desenvolvimento do carro, e o nome sempre apareceu com força, foi bem aceito em todas as regiões em que foi apresentado”, explica Gustavo Colossi, diretor geral de marketing da montadora. Como curiosidade, Ônix é um mineral de quartzo que, na antiguidade, foi muito usado como adorno e até símbolo de proteção – no caso dos Romanos.


Hatch estreia sistema multimídia MyLink, com ampla conectividade, e terá câmbio automático de seis marchas

Sistema multimídia MyLink e câmbio automático de seis marchas

A General Motors sabe que a competição entre os compactos nacionais vai se acirrar nos próximos meses, com as chegadas de Etios e HB20. Por isso, para começar o jogo, a montadora confirmou dois dos principais recursos que o Onix terá. O primeiro deles é o sistema multimídia MyLink, que reúne tela de LCD sensível ao toque integrada ao painel e ampla conectividade (Bluetooth para celulares e entradas auxiliar e USB) – por enquanto, navegador GPS não está confirmado. O hatch compacto também oferecerá opção de câmbio automático de seis marchas, transmissão inédita no segmento de compactos de entrada.

Essa transmissão, que terá modo sequencial com trocas na própria alavanca, é a mesma utilizada pelo compacto premium Sonic, nas versões hatch e sedã, e pelo médio Cruze – também disponível nas duas carrocerias. Nas versões mais simples, o Onix usará caixa manual de cinco marchas. Motores e outros detalhes técnicos do novo compacto da GM não foram revelados. Nas próximas semanas, a montadora vai divulgar mais imagens (teasers) do modelo. A produção na fábrica de Gravataí começa no início de outubro. O Onix deve ter preço inicial na faixa dos R$ 30 mil, para brigar especialmente com Gol, Palio, Sandero e HB20.