Arquivo da tag: etanol

Governo havia aumentado o imposto sobre os combustíveis na semana passada

O preço do combustível no Brasil pode ter mais uma reviravolta nesta semana. Uma liminar do juiz substituto Renato Borelli, de Brasília (DF), emitido nesta terça (25) determina a suspensão imediata do reajuste da gasolina, etanol e diesel por todo o país.

Apesar de a decisão só passar a valer após o governo ser notificado, a AGU (Advocacia Geral da União) já afirmou que irá recorrer da decisão.

Na última sexta (21) passaram a valer as novas alíquotas de PIS/Confins para os combustíveis no Brasil. O valor mais que dobrou no caso da gasolina, passando de R$ 0,38 para R$ 0,79 – em alguns postos o litro chegou a R$ 4,39.

Caso a alta seja repassada integralmente ao consumidor, o litro do combustível vai subir em média R$ 0,41. Para encher um tanque de 45 litros, por exemplo, o gasto pode aumentar em até R$ 18,45. O etanol, que tinha a tributação zerada, passou a ser taxado em R$ 0,20 por litro.

No caso do diesel, os impostos passaram de R$ 0,25 para R$ 0,46/litro. Vale ressaltar que essa alta tem impacto direto no custo do frete e transporte público, o que deve provocar um aumento em cascata de diversos bens e serviços.

Além de citar os prejuízos à população, Borelli argumenta que o aumento dos impostos por decreto é inconstitucional, pois deveria ter sido feito por uma lei, e não um decreto. O juiz também destaca em sua decisão que não foi respeitada a “noventena”, que é um prazo de 90 dias entre a publicação da norma e o início de seu vigor.

Saiba se abastecer o carro apenas com etanol pode afetar o funcionamento do seu carro

foto-imagem-oficina-combustivel

 

Abastecer o carro com gasolina ocasionamente garante maior durabilidade da bomba de combustível, segundo o engenheiro Rubens Venosa da oficina Motor Max. “Quando o motorista utiliza só álcool por um longo período, forma-se uma espécie de geléia no tanque. Isso entope as tubulações e o pescador de combustível, que é responsável por levar o líquido para o motor”, orienta. Por isso, o ideal é abastecer com gasolina pelo menos a cada três meses, para evitar este efeito. “Não precisa ser muito, apenas meio tanque já ajuda”.

As montadoras afirmam que não é necessário fazer este abastecimento periódico, mas Venosa reforça que sua dica vem da experiência ao lidar com carros de clientes. “Uma bomba de um carro a gasolina dura, em média, 60 mil quilômetros. Já em um carro abastecido apenas com álcool, que já tem uma durabilidade menor por conta da corrosão, isso pode cair para apenas 20 mil quilômetros”, declara.

Vale a pena lembrar, também, que no inverno é importante manter o tanque reserva de gasolina sempre abastecido, para garantir que a partida a frio do carro funcione. E Venosa reforça, “troque gasolina do reservatório a cada seis meses, no máximo, para ela não ficar muito velha”.

Proprietários reclamam da dificuldade para fazer o motor do carro funcionar pela manhã com etanol

foto-imagem-palioO receio de o carro não funcionar logo pela manhã tem irritado alguns proprietários de Fiat Palio, que às vezes levam vários minutos para fazer o motor funcionar quando o veículo está abastecido com etanol. É o caso do empresário Gilberto Gimenes Ortin, de Campinas (SP). “Desde a compra, ele sempre deu trabalho para pegar na primeira partida depois de passar algumas horas parado. Com álcool, deixava o motor esquentar por 5 minutos, no mínimo, antes de sair”, conta o dono de um Palio Sporting 2013 1.6 16V. “Levei-o para consertar dez vezes em duas concessionárias e fiquei quase um mês sem o carro. Não conseguiam resolver o defeito.”

Gilberto não é o único com esse tipo de reclamação: recebemos 27 casos de proprietários relatando
dificuldade de partida e falhas no uso quando o motor roda com etanol. “Mesmo com o tanquinho de partida a frio abastecido com gasolina, o carro sofre para pegar”, diz o analista de suporte Andrei Lopes Cabral, de São Paulo (SP), dono de um Palio Attractive 1.0 2014. “Preciso tentar mais de cinco vezes, aguardando alguns segundos entre uma tentativa e outra. Levei o automóvel para a concessionária, que chegou a reprogramar a injeção eletrônica, mas o problema ainda se mantém.”

Segundo alguns desses proprietários, a solução para as falhas está na troca da bomba de combustível. Foi o que aconteceu com Gilberto: “Depois que descobri isso, troquei a peça, e o motor está ligando na primeira vez que viro a chave. Só que a garantia não cobriu e tive de pagar R$ 1 100”.

A justificativa de sete concessionárias Fiat questionadas por nossa reportagem nas cidades de Belo Horizonte, Porto Alegre, Rio de Janeiro e São Paulo foi a mesma: elas alegam que a causa é o uso de combustível adulterado. Mas a maioria dos donos ouvidos diz que, mesmo trocando de posto, a falha não costuma ser sanada.


O POVO RECLAMA

“Em um ano, tive de trocar a bateria do meu carro duas vezes por causa da dificuldade de dar a partida.”- Nayane da Silva, farmacêutica, Anápolis (GO), dona de um Palio Attractive 1.0 2012

“Sempre que tento ligar o carro de manhã, ou quando ele fica algumas horas parado, preciso tentar no
mínimo três vezes para o motor pegar.” – Nivaldo José Milagres, técnico, Contagem (MG), dono de um Palio 1.0 Attractive 2012

RESPOSTA

A Fiat diz que não tem conhecimento de problemas crônicos de dificuldade de partida em seus carros. “Eventuais reclamações estão ligadas a diversos fatores, tais como qualidade do combustível, precária manutenção do veículo, falta de abastecimento do reservatório de partida a frio, entre outros.”

 

Carro da Kia Sportage flex – Crossover ficou com motor 12 cv mais potente com etanol e chega a 178 cv


A Kia Motors do Brasil já comercializa o crossover médio Sportage com motorização flex no país. O bloco 2.0 litros de quatro cilindros que empurra o utilitário agora produz 169 cv de potência com gasolina, e ganhou 12 cv com etanol, passando a gerar máxima de 178 cv. A atualização na mecânica também contemplou a caixa de câmbio manual, que passa a ter seis marchas em vez de cinco – a transmissão automática já tinha seis marchas.

Outra novidade interessante no Sportage é a troca da direção hidráulica pela elétrica, que é mais eficiente e passa a vir de fábrica em todas as versões. E a configuração top de linha do crossover agora exibe filetes de leds (diodos luminosos) na base dos faróis. Os preços sugeridos do novo Sportage flex vão de R$ 90.900 a R$ 113.400. O utilitário é o terceiro modelo com motor flex da montadora sul-coreana, ao lado de Picanto e Soul.

Estados Unidos enfrentam alta dos preços da gasolina

Conflitos no Oriente Médio fazem cotação do petróleo subir rapidamente.
No estado de Chicago, o galão da gasolina pode chegar a US$ 4,799.

A alta dos combustíveis não afeta somente os brasileiros. Os norte-americanos têm enfrentado o encarecimento da gasolina, provocado pelo rápido aumento dos preços do petróleo por causa dos conflitos no Oriente Médio. Para um país dependente de carro e que sempre teve baixo custo para abastecê-lo, o impacto é alto.

Em Chicago, um dos estados que possuem os preços mais elevados do combustível, o valor da gasolina comum pode chegar a US$ 4,799 (R$ 7,69) o galão, que corresponde a aproximadamente 3,78 litros.

No Brasil, o valor da gasolina também subiu, mas o que realmente prejudicou o país dos carro flex foi a alta dos preços do etanol. De acordo com a Agência Nacional do Petróleo (ANP), os elevados preços do açúcar no mercado internacional, os maiores em 30 anos, fizeram com que as usinas aumentassem a produção do adoçante, reduzindo o volume de cana destinado ao álcool e, consequentemente, provocando um aumento no valor do biocombustível no varejo.

O consumo de etanol em vez da gasolina só compensa economicamente para o consumidor quando o valor do álcool é de, no máximo, 70% do preço da gasolina.

Fonte: AutoEsporte

 

Ministério da Fazenda espera queda do preço do álcool combustível a partir de maio

Avaliação foi feita por dois secretários do Ministério da Fazenda.
Expectativa é de recuo do preço com início da safra deste ano.

O Ministério da Fazenda espera um recuo do preço do álcool etanol a partir de maio deste ano, quando a safra deste ano, que começa a ser colhida em abril, chegará nos postos de combustíveis. A avaliação foi feita pelo secretário-adjunto de Política Econômica (SPE) do Ministério da Fazenda, Gilson Bittencourt, e pelo secretário de Acompanhamento Econômico da pasta, Antonio Henrique.

“No final deste mês, começa a entrar a safra e há um processo de normalização [do preço do combustível]. Começa a baixar a partir de maio”, avaliou Antonio Henrique. Já de acordo com Gilson Bittencourt, o preço do álcool combustível começa a ficar “competitivo”, em relação ao que é cobrado pelo litro da gasolina, também no mês que vem. A vantagem de se utilizar álcool, em termos econômicos, só acontece se o preço do produto não estiver acima de 70% do litro da gasolina.

“A safra é de bilhões de litros. Não tem como fazer estoques muito significativos. Você tem que começar a vender. Vai cair bastante em relação ao preço que está hoje, mas não vai retornar ao patamar de dois ou três anos atrás”, disse Bittencourt, que é o principal interlocutor da área agrícola no Ministério da Fazenda.

Segundo ele, o preço do álcool subiu nos últimos meses, entre outros fatores, por conta do crescimento da renda do trabalhador – que gerou uma aquisição maior de veículos pela população. Ele observou que a venda de gasolina registrou um aumento de venda de 17% no último ano. “Foi um crescimento violento”, declarou ele. Bittencourt não quis comentar, porém, a informação de que o governo poderia aumentar a taxação sobre o açúcar como forma de tentar estimular a venda de álcool combustível no país.

Bittencourt avaliou que o preço do álcool combustível cairá mais rapidamente nos estados onde o Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) é menor, como é o caso de São Paulo. Neste estado, o ICMS sobre o álcool combustível é de 12%, em comparação com a média de 25% em outros estados. Além disso, lembrou ele, São Paulo, em conjunto com o Paraná, Mato Grosso e Goiás, entre outros, também é um estado produtor.

Fonte: G1

Seca no Brasil reduz previsão para produção de biocombustível em 2011

Agência Internacional de Energia reduziu projeções para o país.
Em contrapartida, a produção de etanol nos EUA deve subir.

A Agência Internacional de Energia (AIE) reduziu as projeções para a produção global de biocombustíveis em razão do desempenho do Brasil no setor. Segundo a entidade, a seca na região Centro-Sul reduziu a produção de cana-de-açúcar no fim do ano passado e estimulou a substituição para produção de açúcar, em detrimento do etanol.

A projeção para a oferta global de biocombustíveis em 2011 foi rebaixada em 15 mil barris por dia, para 1,8 milhão de barris por dia. Para o Brasil, a expectativa teve redução de 15 mil barris por dia. Assim, a média deverá ser de 510 mil barris por dia.

Em contrapartida, a produção de etanol nos Estados Unidos cresceu no fim do ano passado e pode ter superado 900 mil barris por dia em dezembro, conforme relatório mensal divulgado nesta terça-feira (18) pela AIE. Os produtores de etanol e biodiesel se beneficiam da decisão do governo norte-americano de renovar o crédito fiscal de US$ 0,45 e US$ 1,00 por galão, respectivamente. A agência acredita que a produção de etanol nos EUA deve subir de 860 mil barris por dia em 2010 para 900 mil barris por dia neste ano.

Fonte: G1

Abastecer com Etanol é vantajoso em apenas seis estados

Goiás e São Paulo têm a maior competitividade para o álcool combustível.
Já a gasolina está mais vantajosa em Roraima e no Rio Grande do Sul.

De acordo com os dados da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) o preço da gasolina segue mais competitivo em 20 estados e o Distrito Federal, enquanto abastecer com etanol é vantajoso em seis estados.

O estado do Ceará é o único em que é indiferente o uso de um ou outro. A vantagem do etanol é calculada considerando que o poder calorífico do motor a álcool é de 70% do poder nos motores à gasolina, ou seja, o motorista tem vantagem econômica com o preço do combustível de cana até esse porcentual do valor cobrado nos postos pelo derivado de petróleo.

O etanol só é competitivo em relação à gasolina nos estados de Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, São Paulo e Tocantins. Goiás tem a maior competitividade para o etanol no Brasil, de acordo com os preços levantados pela ANP, com o preço médio do hidratado em 62,96% do cobrado pela gasolina. Em São Paulo, que concentra quase 60% do consumo de etanol, a proporção está em 68,14%, bem próxima à paridade com a gasolina.

Segundo o levantamento, além de Goiás e São Paulo, o preço médio do etanol no Paraná está em 68,97% do da gasolina, em Mato Grosso do Sul em 69,22%, e em Tocantins em 68,85%.

Já a gasolina está mais vantajosa principalmente em Roraima (preço do etanol é 82,14% do valor da gasolina) e no Rio Grande do Sul (80,05%). No cálculo, são utilizados valores médios coletados em postos em todos os estados e no Distrito Federal.

Fonte: Revista AutoEsporte

Mercosul cria placa única para veículos

Implantação começa a partir de 2016 com caminhões e ônibus.
Carros deverão receber nova placa em 2018.

Resolução aprovada na reunião do Mercosul na quinta-feira (15), em Foz do Iguaçu (PR), cria uma placa única para os veículos dos países-membros do bloco: Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai.

A proposta é de longo prazo. Segundo o Itamaraty, a placa deve ser implantada para veículos de carga e passageiros, como caminhões e ônibus, a partir de 2016. Para as outras categorias, como carros, a entrada em vigor será em 2018, quando os veículos novos já receberão a placa do bloco.

Com o instrumento, veículos de qualquer um dos quatro países poderão circular livremente nos vizinhos. O cadastro será integrado, e as multas, também. A cobrança única de infrações, no entanto, não é o foco da medida.

“A ideia da placa não é penalizar, a ideia da placa é muito simples: é pra botar o Mercosul na garagem de todos vocês”, explica o embaixador Antônio José Ferreira Simões, subsecretário-Geral para América do Sul, América Central e Caribe do Itamaraty.

A placa terá o símbolo do Mercosul. A primeira será usada num ônibus movido a etanol em que os presidentes do bloco vão se deslocar no encerramento da Cúpula Social do Mercosul, na noite desta quinta-feira, em Itaipu. Já a combinação de números será determinada pelas autoridades de cada país.

Segundo o embaixador, a placa única vai melhorar a segurança e a livre circulação dos habitantes dos países do bloco. “Assim como as pessoas se sentem cidadãs da Europa, vão se sentir cidadãs do Mercosul”, diz.

O primeiro passo para a implantação da proposta será o cadastro de cerca de 100 mil veículos que fazem o transporte de carga e o transporte rodoviário entre os países do Mercosul. “Vários desses veículos já tem três ou quatro placas de carro. Vamos usar a base de dados destes veículos, eles serão os primeiros a ter uma placa do Mercosul.”

Atualmente, os veículos de carga e de passageiros que transitam no Mercosul são obrigados a ter o Certificado de Inspeção Técnica Veicular (CITV), que comprova suas condições de segurança.

Fonte: G1

Álcool no seu carro – Abastecer o motor com etanol é vantajoso em apenas sete estados: GO, MT, MS, PR, PE e Tocantins

Etanol é mais competitivo em GO, MT, MS, PR, PE, SP e Tocantins.
Na semana passada, o álcool combustível era vantajoso em oito estados

Abastecer com etanol em vez de gasolina é vantagem em apenas sete estados, de acordo com dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Na semana passada, era vantagem em oito estados.

Hoje, o etanol está competitivo nos estados de Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, Pernambuco, São Paulo e Tocantins. Nos estados da Bahia, Ceará, Rondônia e Rio de Janeiro é indiferente a utilização de álcool ou gasolina no tanque. Em 15 estados e no Distrito Federal, o consumidor que opta pela gasolina leva vantagem.

No Estado de São Paulo, que concentra quase 60% do consumo de etanol, o combustível tem a segunda maior vantagem do Brasil e perde apenas para Goiás. Considerando o preço médio da gasolina de R$ 2,469 por litro em São Paulo, o etanol hidratado é competitivo na região até R$ 1,7283 e, na média da ANP, o preço em São Paulo ficou em R$ 1,616 por litro nesta semana. O preço do etanol subiu 1,2% no estado de São Paulo na semana.

A vantagem do etanol é calculada considerando que o poder calorífico do motor a álcool é de 70% do poder nos motores à gasolina. Segundo o levantamento, em São Paulo, o preço do etanol corresponde a 65,45% do preço da gasolina (até 70% o etanol é competitivo). Em Goiás, a relação é de 62,57%, em Mato Grosso de 65,77%, no Paraná de 66,89% e em Mato Grosso do Sul de 67,64%. A gasolina está mais vantajosa principalmente em Roraima (o preço do etanol é 82,18% do valor da gasolina) e no Amazonas (+ 81,61%).

Fonte Auto Esporte