Arquivo da tag: cuidados

Os airbags exigem alguns cuidados – A bolsa de ar sai do painel do carro a quase 300 km/h

Aparentemente, segurança veicular no Brasil fica em último lugar na preocupação das autoridades de trânsito. Tanto que, apesar de o Congresso e o Contran terem tornado obrigatórios (por pressão de fabricantes) os dispositivos ABS e airbags, não houve rigorosamente nenhuma preocupação do governo em esclarecer os motoristas sobre estes dois equipamentos eletrônicos de segurança. Como eles atuam e os cuidados a serem tomados. Por isso, os airbags exigem alguns cuidados.

Não adianta, por exemplo, saber que os airbags frontais, obrigatórios no Brasil desde janeiro de 2015, fazem as bolsas se inflarem para proteger motorista e passageiro no caso de um impacto frontal. É importante também saber os cuidados a se tomar no automóvel equipado com este dispositivo.

No caso do motorista, o airbag fica dentro da parte central do volante e exige vários cuidados. O primeiro é manter uma distância mínima de 20 centímetros para não receber um impacto muito forte no rosto quando a bolsa se infla. O segundo é evitar de colocar objetos metálicos defronte ao tórax (caneta no bolso da camisa, por exemplo) que pode ferir o motorista se pressionado pela bolsa.

E, finalmente, posicionar as mãos opostas horizontalmente no volante (15 para as três, no relógio) para evitar que os braços recebam um golpe quando o airbag inflar. Os airbags exigem, ainda, alguns outros cuidados.

No caso do passageiro, ele tem que estar a uma distância maior do painel de onde vem a bolsa, pois ela é bem maior que a do motorista: manter um mínimo de 40 centímetros. Além disso, não colocar jamais os pés sobre o painel, pois no caso de um acidente frontal, quando a bolsa se inflar, ela vai atingi-lo e machucá-lo ao invés de protegê-lo.

Ninguém imagina o tamanho da pancada provocada por uma bolsa inflável: ela é arremetida para fora de seu compartimento a uma velocidade de quase 300 quilômetros por hora. Inclusive, o airbag já matou pessoas. Já teve velhinha baixinha norte-americana que dirigia “pertinho” do volante e que morreu quando a bolsa de ar se abriu!

Saiba em que casos é possível mudar a roda ou usar um pneu de outra medida sem comprometer a segurança

foto-imagem-pneu-aro

Colocar um pneu mais largo para dar mais estabilidade, trocar o aro por um esportivo, aproveitar as rodas de outro carro… Há várias razões que levam alguém a substituir o conjunto original de fábrica. Mas, antes, é preciso tomar cuidados básicos para não colocar sua segurança em risco ou danificar o veículo.

Primeiro é importante entender as medidas envolvidas. No pneu 185/60 R14, o 185 é a largura da banda de rodagem em milímetros, 60 indica a altura do perfil (60% da largura), R diz que é radial, 14 é o diâmetro da roda que ele pode receber, em polegadas. Já no aro 5Jx15, o 5 revela a largura do aro em polegadas, o J é o tipo de perfil do aro (a área do seu encaixe com o pneu) e 15, o diâmetro.

O maior cuidado é tentar manter sempre o diâmetro externo do conjunto (tolerância de 3% para mais ou para menos). “Caso não faça isso, você corre o risco de ter a leitura do velocímetro errada, poderá aumentar demais a altura do automóvel em relação ao chão, causando um desequilíbrio e, no caso de ter pneus maiores, haverá aumento de consumo”, diz Vinícius Sá, gerente de marketing de pneus de passeio da Goodyear.

Assim, ao optar por um pneu mais largo para melhorar a estabilidade, há ainda outras duas restrições. A primeira: o pneu não pode ultrapassar o para-lama, sob risco de raspar na carroceria ou na suspensão.

Película Automotiva (Fumê) O Certo e o Errado na Aplicação

Filme é procurado para aumentar a segurança e a privacidade, mas há quem extrapole na dose

A película automotiva ficou mais famosa com o nome de “filme”. Surgiu no início dos anos 80 e foi ganhando público, mas muita gente abusou. Com vidros cada vez mais escuros, a privacidade pode aumentar, mas a visibilidade noturna fica seriamente prejudicada. O Contran teve de interferir e estipulou a resolução 254, de 2007, que passou a delimitar a porcentagem de luminosidade mínima para cada vidro do carro.

Pela lei, vidros frontais devem manter no mínimo 75% da entrada de luz, vidros laterais dianteiros, 70%, vidros laterais traseiros, 28%, e vidros dianteiros, 28%. Todos devem ter chancela indicativa no vidro. Quem apelar para o estilo e decidir escurecer mais que o permitido, pode levar cinco pontos na carteira e pagar multa, que varia para cada estado do país. E tem de remover a película.

O principal fator que leva à colocação do filme é a segurança, seguida da privacidade. Há no mercado películas com especificações diferentes que ajudam a proteger a pele do sol, manter a temperatura do ambiente, reduzir ruídos ou até criar uma barreira antivandalismo. Algumas películas chegam a reforçar o vidro em 18 vezes, e protegem o motorista e os passageiros de estilhaços em caso de impacto, além de barrar 99% os raios UV.

Aplicação
A aplicação deve ser feita em oficinas credenciadas. Mais do que a mão-de-obra, a qualidade do filme deve ser boa para evitar o surgimento de bolhas ou o descascamento. “As bolhas podem ser formadas a partir da má colocação ou má qualidade do produto. Um filme tem de durar no mínimo cinco anos”, afirma Enrique Mozen, instalador da H3 Customs. Os fabricantes chegam a oferecer até 5 anos de garantia em alguns tipos de película.

A instalação começa com a limpeza do vidro, antes da colocação do filme com ajuda de água ou sabão. Após a aplicação é preciso esperar “curar”, como diz Jonatas, consultor da Insulfilm. “É preciso deixar o carro parado por três dias, depois ficar cinco dias sem usar o desembaçador. Filmes como o de antivandalismo demoram cerca de 20 dias para secar totalmente”.

O preço do serviço custa em média R$ 100 para carros populares de duas portas e R$ 120 para carros populares com quatro portas. “Se o carro for mais alto, o preço varia de R$ 140 e R$ 160. O valor depende de quantos vidros o carro tem e a dificuldade da aplicação e modelagem”, afirma Enrique.

Cuidados
Depois que o filme foi colocado e “curado”, os cuidados com a limpeza e a lavagem são iguais aos de um vidro comum – podem ser lavados com água e sabão. “Se o vidro ainda não estiver seco, deve ser limpo com um pano bem de leve, para não tirar o filme do lugar”, ensina o instalador da H3 Customs.

Camaleão
Os filmes podem ser comprados em diversas tonalidades. Estão disponíveis no mercado tons de azul, verde e preto, entre outros. Além das cores, existe o filme fotocromático, que escurece de acordo com a necessidade e a incidência de luz. “A película consegue escurecer 70% quando há muita luz, sem exceder os limites da lei”, diz Jonatas.

Fonte: Revista AutoEsporte

Viagem de carro – Dicas de como acomodar a bagagem no carro

Excesso de malas e objetos soltos podem prejudicar a visibilidade.
Distribuição de peso é importante para evitar desgaste da suspensão.

Levar-objetos-em-cima-do-carro-interfere-na-aerodinamica-do-veiculo--Foto-Daigo-OlivaG1

As férias estão chegando e com elas as viagens de carro com a família toda passam a ser mais frequentes. Nesse período não se pode esquecer do porta-malas, que costuma ficar cheio de objetos de todos os tipos.

Pegar estrada exige alguns cuidados com a bagagem para garantir a segurança e conforto dos passageiros durante a jornada. O mais comum é o motorista colocar os objetos de qualquer jeito, sem a menor preocupação.

Desse modo, o que vemos nas estradas brasileiras são veículos trafegando abarrotados de sacolas, mochilas e malas por todos os lados. O vidro traseiro desaparece e muitos objetos ficam soltos, um pecado mortal. É importante que todo motorista saiba que segundo o artigo 105 do Código de Trânsito Brasileiro obstruir a visão do retrovisor interno de veículos de passeio é uma infração grave e sujeito a multa. Então, veja algumas dicas para aproveitar ao máximo o espaço do seu carro.

Para começar, faça uma lista com tudo o que será necessário para a viagem. Essa relação é importante para se ter uma noção do que vai ser transportado e assim saber onde colocar cada coisa, além de ter uma ideia real se haverá espaço suficiente para tudo. Lembre-se de avaliar o que deve ficar à mão e assim facilitar o acesso ao porta-malas. Outra dica bacana é não deixar para arrumar a bagagem somente no momento de partir. Muitas vezes tudo que é feito as pressas fica de qualquer jeito e isso é o que não deve acontecer com a bagagem do seu automóvel.

Tudo que puder deixar de levar é importante. Carregar objetos desnecessários além de dificultar a montagem da bagagem também consome combustível desnecessariamente. Saiba que qualquer quilo de sobra faz diferença.

Seja organizado

Organização é sempre bem vinda, assim organize sua bagagem por categorias. Fica a seu critério, mas poderia, por exemplo, ser assim: roupas, agasalhos, calçados, produtos de higiene, utensílios de camping, materiais de pesca, de praia e por aí vai.

Procure utilizar malas de formatos variados, pois o objetivo será aproveitar todo o espaço do porta-malas. Mas lembre-se, malas muito grandes são complicadas de encaixar, além de serem desconfortáveis para, por exemplo, subir escadas. Em uma viagem, independente da duração, é fundamental levar uma mochila pequena para acomodar uma troca de roupa em uma emergência, guardar documentos, artigos eletrônicos ou mesmo levar a praia, uma caminhada, etc.

Coloque os volumes mais pesados no fundo. As malas maiores e aquelas mais rígidas ficam embaixo.Por cima delas a bagagem mais flexível e os objetos frágeis. Procure dividir a bagagem pelo peso também, de modo que o carro fique equilibrado, sem peso em excesso num dos lados. Além de facilitar a condução também evite o desgaste de peças da suspensão.

Dentro do carro nenhum objeto pode viajar solto. Isso vale para as coisas que ficam no painel, nos bancos, nos portas-treco e principalmente em cima da tampa traseira, nos carros do tipo perua e naqueles em que se tem acesso ao porta-malas pelo interior do veículo.

Essa medida é fundamental, pois em caso de acidente um objeto que esteja solto no interior do carro pode se transformar em uma armadilha mortal, capaz de fazer um enorme estrago. Na pior das hipóteses, coloque em baixo dos bancos, nos eventuais bolsos na parte de trás dos bancos dianteiros, no porta-luvas ou mesmo nos portas-mapa das portas.

Tome cuidado com latas de refrigerante e garrafas de água. Se não estiverem bem encaixadas podem escapar e rolar para os pedais do motorista, o que pode ocasionar um acidente. No caso de brinquedos para as crianças, leve somente aqueles que cabem nos compartimentos internos do carro.

Mas vamos ser realistas. Muitos carros nacionais não esbanjam espaço no porta-malas. Então, o que fazer? No caso de uma perua, por exemplo, se tiver que avançar as bagagens e talvez colocar alguma mala pequena em cima da tampa do porta-malas, a dica é que fique presa, bem afixada. Isso é possível com cordas elásticas. Nos modelos hatch, que tem acesso ao porta-malas pelo interior do carro, a regra é a mesma. Não esqueça que não se pode atrapalhar a visão do retrovisor interno.

Se ficar na dúvida, faça antes de pegar a estrada um teste para conferir se a bagagem esta devidamente colocada no carro. De uma volta na quadra, vá sozinho de preferência e, sem exagerar, faça movimentos bruscos e uma freada mais acentuada. O objetivo é verificar se não ficou nenhum objeto solto, capaz de machucar algum ocupante.

Uma opção para solucionar a falta de espaço pode ser a instalação de bagageiros de teto, racks ou mesmo um porta-bicleta. Um detalhe importante a se considerar é que tal dispositivo vai interferir na aerodinâmica do automóvel e em consequência no consumo de combustível. Mas se não tiver outra opção, o jeito é esse. Vale lembrar que existe um limite de peso para transportar objetos, tanto para o bagageiro, quanto para o veiculo. Por isso é recomendável levar os itens mais leves nesse equipamento.

No mais é aproveitar as férias e relaxar com a família. Boa viagem!

Fonte: G1