Arquivo da tag: caminhões

Fabricante entrega seus primeiros oito caminhões blindados no país para empresa de transporte de cargas especiais

foto-imagem-scania-blindado

O Brasil registrou em 2014 nada menos que 17,5 mil roubos de cargas (um aumento de 42% sobre 2013), representando uma perda de R$ 1 bilhão. Os reflexos desse surto de violência não demoraram a aparecer no país que é o líder mundial no mercado de carros blindados. A Scania recentemente anunciou a venda de seus primeiros oito caminhões blindados para a empresa de segurança privada Prosegur.

Os dois tipos de veículos (cavalos mecânicos 4×2 e semipesados 6×2) possuem cabines blindadas e eixos e suspensões redimensionados para suportar o peso extra. Eles são capazes de transportar cargas de até 7.100 kg, e possuem suspensão pneumática com quatro ajustes de altura diferentes, para facilitar o embarque e desembarque.

foto-imagem-scania-blindado

Carros mais vendidos do mês de janeiro 2013

carro-HB20-Hyundai-foto-imagem-lateral

O HB20 da Hyundai é um dos destaques da lista dos 10 carros mais vendidos em janeiro

A Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores) encerrou o mês de janeiro com 296.853 automóveis e utilitários leves vendidos, o melhor desempenho histórico do mês. Somando caminhões, ônibus, motocicletas e demais equipamentos automotores, o número sobe para 450.770 unidades.

A lista dos mais vendidos em janeiro foi marcada pela presença de modelos novatos entre os dez principais e pela ausência de modelos da Ford. Os líderes de vendas continuam os mesmos. A expectativa da Fenabrave para 2013 é de que o número de vendas chegue a 3.743.285 autos e utilitários. Em 2012, o total chegou a 3.634.421.

Confira os carros e que fizeram a alegria dos consumidores – e dos vendedores – no começo do ano, segundo o registro de emplacamentos da Fenabrave:

1º Gol – Volkswagen –22.338
2º Uno – Fiat – 18.025
3º Palio – Fiat – 17.358
4º Fox/Crossfox – Volkswagen – 12.436
5º Onix – Chevrolet – 10.724
6º Siena – Fiat –9.852
7º Celta – Chevrolet – 9.241
8º HB20 – Hyundai – 9.030
9º Corsa Sedan – Chevrolet – 8.479
10º Voyage – Chevrolet – 8.024
11º Sandero – Renault – 7.357
12º Fiesta – Ford – 7.215
13º Chevrolet – Cobalt – 4.959
14º Punto – Fiat – 4.886
15º Ka – Ford – 4.640
16º Corolla – Toyota – 3.866
17º Chevrolet – Agile – 3.639
18º C3 – Citroen – 3.212
19º City – Honda – 3.208
20º Spin – Chevrolet – 3.024

Compras do governo dão preferência a veículo nacional

Para caminhões, margem será de 17% Veículos produzidos no Brasil terão margem de preferência em licitações do governo federal, segundo o decreto 7.816/2012, publicado no Diário Oficial da União última segunda-feira (1º). Para caminhões, a margem será de 17%; furgões terão 15%; e implementos rodoviários, 14%. Os índices serão aplicados apenas para produtos nacionais. A margem de preferência será calculada sobre o menor preço ofertado de produto manufaturado estrangeiro e será desconsiderada se o concorrente for nacional. A política de compras governamentais faz parte do Plano Brasil Maior, por serem indutoras do desenvolvimento da indústria, incentivando o investimento em inovação e o avanço tecnológico. As compras governamentais foram regulamentadas pela Lei 12.349/2010, que concede margem de preferência de até 25% para produtos manufaturados e serviços nacionaisque atendam às normas técnicas brasileiras e incorporem inovação. As margens de preferência são setoriais, definidas pela Comissão Interministerial de Compras Públicas (CI-CP), criada pelo Decreto nº 7.546/2011. A comissão é composta por integrantes dos ministérios da Fazenda; Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior; Ciência, Tecnologia e Inovação; Relações Exteriores e Planejamento, Orçamento e Gestão. Os itens abrangidos pelo decreto são: caminhões – tratores rodoviários para semirreboque, caminhões para transporte de mercadorias, caminhões para usos especiais e veículos de combate; e implementos rodoviários – reboques e semirreboques para usos agrícolas, outros reboques e semirreboques para transporte de mercadorias e outros reboques e semirreboques. Na categoria furgões, foram incluídos “viatura ambulância, socorro médico e unidade odontológica”. Produtos – Outros bens com margem de preferência já definidas são confecções, calçados e artefatos. Nesse caso, a margem de 20%, até 21 de dezembro de 2013, foi determinada pelo Decreto 7.756/2012, que substituiu o Decreto 7.601/2011, por ter prazo de validade de apenas seis meses. O decreto de 2011 embasou editais de pregão eletrônico realizados pelo Ministério da Defesa – Comando da Aeronáutica (Pregão 032012 – jaqueta, boné e calça de educação física) e Comando do Exército (Pregão 12012 e 212011 – camiseta, agasalho, calça, manta, mochila, saco de dormir). O Ministério da Saúde também utilizou o critério em licitações para a compra de camisetas e bonés (Pregão 012012).

Mais Alimentos passa a financiar camionetas

Os agricultores familiares passaram a ter acesso ao crédito do Pronaf Mais Alimentos para comprar camionetas para transportar produtos até os mercados e feiras. Segundo o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), a inclusão desse tipo de veículo no programa foi uma reivindicação dos próprios produtores. Indicadas para o transporte de cargas, as camionetas financiadas pelo programa abrangem quatro modelos fabricados por empresas diferentes. Cada uma com capacidade de até 750 quilos. O financiamento oferecerá condições especiais, com descontos de aproximadamente 15% em relação ao preço praticado no mercado. Como fazer – O financiamento é efetivado nos bancos que operam a linha de crédito do Pronaf Mais Alimentos. Mas, antes de ir ao banco, o agricultor interessado deve procurar as empresas de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) para desenvolver um projeto técnico simplificado, onde especificará como o veículo será usado. As especificidades técnicas dos modelos incluídos no programa estão disponíveis na página do programa na internet. “Com essa iniciativa, vamos diminuir a distância entre o agricultor familiar e o mercado. Esse tipo de veículo, próprio para transportar cargas, será usado para expandir as vendas dos produtores rurais”, explica o coordenador do programa no MDA, Marco Antônio Viana Leite.

Vendas de carros tem queda em março – As vendas de automóveis e comerciais leves novos no Brasil em março caíram 14,4%

As vendas de automóveis e comerciais leves novos no Brasil em março caíram 14,4 por cento sobre o mesmo mês do ano passado, influenciadas por efeitos de calendário e base forte de comparação, gerada pelo fim do desconto de imposto um ano antes.

Segundo uma fonte do setor com acesso aos dados de licenciamentos, as vendas de março somaram 288.829 unidades, na segunda melhor performance já registrada para o mês após março de 2010, quando a expectativa pelo fim do desconto do IPI causou correria às lojas e vendas de 337.436 automóveis e comerciais leves.

Na comparação com fevereiro, no entanto, as vendas de março foram 11,6 por cento maiores, refletindo ainda o forte movimento da indústria que fechou o primeiro trimestre com um total acumulado de 777.923 automóveis e comerciais leves vendidos, 3,63 por cento acima do registrado um ano antes.

A associação de montadoras de veículos, Anfavea, divulga na próxima semana o fechamento oficial das vendas e produção para março, incluindo também caminhões e ônibus. A entidade estima vendas de 3,69 milhões de veículos em 2011, incluindo ônibus e caminhões, crescimento de 5 por cento sobre 2010.

Em março, a Fiat registrou vendas de 64.553 automóveis e comerciais leves, alta de 6,3 por cento na comparação com fevereiro e queda de 12,3 por cento sobre março de 2010. A Volkswagen apurou emplacamentos de 58.124 unidades, 6,9 por cento a mais que fevereiro, mas 16,3 por cento baixo das vendas de março de 2010, segundo a fonte.

A General Motors registrou alta de 19,3 por cento nos licenciamentos sobre fevereiro, para 55.282 unidades. Na comparação anual, houve queda de 21 por cento.

A Ford vendeu em março 17 por cento a mais que em fevereiro e 23,7 por cento menos que o licenciado um ano antes, com 27.675 automóveis e comerciais leves.

Fonte UOL Economia

IPVA mais barato em 2011 – Carros usados pagarão menos Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores

Situação ocorre devido à queda do valor de mercado dos veículos; retração foi de 12% neste ano

Números a ser divulgados pela Secretaria da Fazenda do Estado devem apontar que os donos de carros e motos usados devem pagar menos IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores) em 2011. A tabela final da Fazenda está sendo elaborada com base na pesquisa de preços da Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas) e deverá ser concluída nesta quinzena.

No caso dos carros, os valores devem cair em torno de 7%. A queda do valor do IPVA das motos será de 9%. A situação ocorre devido à redução média do preço dos usados no mercado, de 12,2%, impactando diretamente na queda do valor do imposto.

Além das motos e carros, donos de ônibus, caminhões e utilitários também vão pagar menos imposto em 2011. A redução média global – calculada a partir da média de tipos de veículos – deve oscilar entre 5% e 10%. A redução é menor do que a ocorrida de 2009 para 2010, quando os valores diminuíram 12,2% para carros de passeio e motos.

As formas de pagamento continuam as mesmas. A data ainda não foi definida, porém, quem optar por pagar o imposto em janeiro, à vista, terá desconto de 3%. Outra forma é deixar para pagar o valor total à vista, só que em fevereiro, sem desconto. Se preferir, pode-se dividir em três parcelas, que vencem em janeiro, fevereiro e março.

Descontão

O governo do Estado informou ontem que 314 mil consumidores utilizaram os créditos da Nota Fiscal Paulista para abater o valor devido do IPVA. Foram destinados R$ 57 mi indicados para 268 mil veículos – a diferença ocorre pois um consumidor pode indicar um carro que não é seu para ter o benefício.

O resgate dos valores foi concluído no domingo.

Recalls no Brasil – Mais de 1 milhão de veículos: carros, motocicletas, caminhões – Dados são do Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor(DPDC)

Montadoras fizeram 38 convocações de janeiro a agosto.
Departamento do MP Federal levantou dados a pedido do G1.

Nos oito primeiros meses do ano, já foram convocados no Brasil 1,052 milhão de carros, motocicletas, caminhões e comerciais leves em recalls, de acordo com o levantamento feito pelo Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC), do Ministério Público Federal, a pedido do G1.

A marca foi atingida após o anúncio de recall de 59.714 Chevrolet Agile, na última sexta-feira (27). Apenas para efeito de comparação, o número de veículos envolvidos em convocações neste ano equivale a um terço das 3,18 milhões de unidades produzidas no país em todo o ano passado.

O volume de convocados até agosto é o maior desde 2008, quando foram chamados de volta às concessionárias 1,26 milhão de veículos, e é 44% superior a 2009, que teve 728.525 unidades em recall. Em número de chamados, este ano contabiliza 38 até agosto, sendo que alguns recalls envolvem mais de um modelo. Em todo o ano passado, foram 43 convocações, pelos dados do DPDC, número considerado recorde.

Confira a lista dos veículos que foram convocados para recall até agosto de 2010


Fonte G1

Preço do carro novo sobe 2,7% em um ano, maior nível em 17 meses

Alta diz respeito aos preços no varejo até abril.
Dados são da Fundação Getúlio Vargas (FGV).

A inflação acumulada do carro novo teve alta de 2,7% nos últimos 12 meses no varejo até abril, o maior nível em 17 meses, segundo levantamento da Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Entre os motivos da alta dos preços estão a retirada da redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) e o período de elevação de custos, por conta do aumento do preço do aço, um dos principais insumos na fabricação de veículos.

Para o economista da FGV André Braz, a inflação do carro novo deve encerrar este ano em alta, bem diferente de 2009, quando os preços do automóvel terminaram com queda de 4,63%.

O levantamento mostra que os carros novos registraram deflação no varejo durante todo o ano de 2009, na taxa acumulada em 12 meses. O ponto mais baixo na curva de preços ocorreu em agosto do ano passado, quando a deflação dos automóveis atingiu 8,06%.

Carros caros
Em 2010, os consumidores estão fugundo dos automóveis mais caros. Os dados da FGV confirmam os divulgados pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), que apurou quedas nas vendas de automóveis zero quilômetro em 2010.

Em abril, foram vendidos 208.919 automóveis novos, 24,15% a menos do total de março. A retração de vendas parece continuar este mês: na primeira quinzena de maio, a Fenabrave divulgou recuo de 31,97% nas vendas em relação a igual período em abril, totalizando 82.231 unidades.

No que diz respeito a todos os veículos (automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus), a queda nas vendas em abril foi de 21,4%.

De acordo com Braz, no ano passado houve grande antecipação de compras por parte dos consumidores, que aproveitaram os estímulos fiscais para comprar automóveis mais baratos.

Fonte: G1

Radares irão multar carro sem inspeção em SP

Quase um quarto da frota esperada não compareceu à vistoria obrigatória

Em 2010, o Programa de Inspeção Veicular Ambiental atingirá toda a frota paulistana, calculada em 6,5 milhões de veículos. Do 1,9 milhão de automóveis e motocicletas matriculados em São Paulo que deveriam ter passado pela inspeção ambiental em 2009, cerca de um quarto ainda não compareceu à vistoria obrigatória. O prazo para a regulamentação foi estendido até o fim deste mês. Após essa data, carros, motos, ônibus e caminhões em situação pendente terão o licenciamento bloqueado e podem levar quatro multas mensais de R$ 550.

A fiscalização será feita também pelos radares que “leem” placas e “deduram” infratores do rodízio municipal de veículos, responsáveis por 27% das infrações de trânsito, que somam cerca de 600 mil mensais. O Programa de Inspeção Veicular Ambiental vem sendo implantado gradativamente em São Paulo, desde 2008 e 2009 e terá novidades em 2010.

A Inspeção Veicular Ambiental é uma necessidade imediata para melhorar a qualidade de vida do paulistano. Está prevista por lei e todos os procedimentos adotados são aqueles preconizados pelo CONAMA (Conselho Nacional do Meio Ambiente) em sua resolução número 7.

Diante da abrangência nacional de caráter obrigatório, o peso do subsídio e a implantação integral do programa na cidade, a Prefeitura de São Paulo vai suspender a devolução da tarifa da inspeção em 2010.

Fonte: G1

Pagamento do IPVA com desconto começa hoje – Tabela do Vencimento do IPVA 2010

Calendário com vencimento do imposto acompanha placa do veículo

Os proprietários de automóveis, ônibus e caminhões que quiserem pagar o IPVA (Imposto sobre Veículos Automotores) com desconto de 3% devem quitar o imposto a partir desta sexta-feira (8). O cronograma de pagamento dos débitos segue o final das placas dos veículos e se estende até o dia 21 de janeiro.

Para quem optar pela divisão do débito, vai pagar três parcelas: a primeira em janeiro, a segunda em fevereiro e a terceira em março (veja tabela abaixo). Quem preferir parcelar o pagamento deverá ficar atento às datas porque o atraso vai acarretar multa de 0,33% ao dia – com limite de 20% – mais juros com base na taxa básica (Selic). Além disso, o proprietário não pode licenciar o veículo e fica sujeito a apreensão do veículo.

O IPVA também poderá ser quitado de uma só vez em fevereiro, mas quem preferir esta forma de pagamento não será beneficiado com o desconto. Entre os dias 10 e 26 do mês que vem será destinado também ao pagamento da segunda parcela, para quem optou por pagar a dívida a prazo.

Caso o proprietário do veículo queira liquidar o licenciamento, basta antecipar o pagamento da taxa – R$ 56,10 mais R$ 11 se optar pela entrega em casa via correios. Há três maneiras de liquidar o licenciamento: na parcela única com desconto (em janeiro), na parcela única sem desconto (fevereiro) ou na terceira parcela do IPVA (em março).

Quitar o licenciamento de forma antecipada rende benefícios. Quem pagar a taxa em janeiro, terá um tempo maior para pagar o IPVA. Independentemente da placa do veículo, o dono poderá pagar o imposto com desconto de 3% até o dia 21 deste mês, ou até 26 de fevereiro sem desconto e até 23 de março parcelado.

Em 2010, os proprietários de automóveis no Estado de São Paulo vão pagar, em média, 12,2% menos que no ano passado. Para as motos, a queda do imposto será de 9,8%. Juntos, carros e motocicletas são 85% dos cerca de 13 milhões de veículos que pagam o IPVA no Estado.

Os donos de caminhões pagarão 7,7% menos; os proprietários de ônibus e microônibus vão desembolsar quantia 4,1% menor. Para quem possui um utilitário, o recuo do imposto será, em média, de 7,5%. No geral, o valor do IPVA caiu 9,3%, retração explicada pela diminuição do valor venal dos veículos (veja o valor no site da Secretaria da Fazenda – ).

Fonte R7