Arquivo da tag: câmbio

Público com deficiência pode comprar carro com desconto direto da montadora

Agora, o compacto Fiat Mobi é mais um modelo a ser fabricado em versão específica para atender às regras de isenções de impostos para pessoas com deficiência (PCD). Ela é baseada na configuração 1.0 Drive GSR, ou seja, com câmbio automatizado. O valor cobrado pela versão PCD é de R$ 35.990.

A versão tradicional do Mobi 1.0 Drive GSR (sem o desconto para o público PCD) é tabelada em R$ 47.590. Ou seja: o valor da configuração especial é 24% menor do que o de tabela. Esse preço também é 7% abaixo do que seria se essa versão contasse apenas com a isenção de impostos direcionada a este público por lei.

O Mobi foi o primeiro da Fiat brasileira a trazer a combinação de motor 1.0 flex e câmbio automatizado. Ele é equipado com travas, vidros e direção elétricos, volante com regulagem de altura, volante com regulagem de altura e alelas  para trocas de marcha manuais e quadro de instrumentos com tela central de TFT. O motor gera 77 cv e 10,9 kgfm de torque, enquanto o câmbio automatizado tem cinco velocidades.

Confira todas as versões e preços do Fiat Mobi

Fiat Mobi 1.0 Easy: R$ 32.990

Fiat Mobi 1.0 Drive GSR automatizado PCD: R$ 35.990

Fiat Mobi 1.0 Comfort: R$ 36.990

Fiat Mobi 1.0 Like: R$ 40.590

Fiat Mobi 1.0 Way: R$ 41.990

Fiat Mobi 1.0 Drive: R$ 44.990

Fiat Mobi 1.0 Drive GSR automatizado: R$ 47.590

Boletins emitidos pela Land Rover só amenizam os problemas

Uma falha recorrente no câmbio do Evoque e do Discovery Sport tem tirado o sono dos proprietários de modelos da Land Rover. E não é pouca gente: uma busca rápida no site Reclame Aqui revelou 16 donos de Evoque e 14 de Discovery Sport, que reclamam de marchas que travam e perda de potência.

Entre eles, está o médico George Rocha Ferreira, de Recife (PE), que durante uma viagem viu o painel mostrar uma mensagem de avaria seguida pela falta de potência.

“Logo após o aviso, o carro perdeu velocidade e retomou, mas dessa vez o câmbio parecia travado em terceira ou quarta marcha”, diz o proprietário de um Discovery Sport HSE 2015. Na concessionária, soube que aquele já era o terceiro caso que ela recebia e que deveria trocar o câmbio. “Fiquei mais de 20 dias aguardando a nova caixa.”

Ficar com o veículo parado quando a caixa deixa de funcionar é normal, como relata o procurador Jorge Salomão dos Santos, de Salvador (BA).

“Um dia surgiu o alerta de avaria e o câmbio parou de responder, como se estivesse no Neutro, e o carro parou no meio da pista”, conta Jorge, que levou seu Evoque 2015 à concessionária cinco vezes, sem resolver o defeito.

Tivemos acesso aos boletins LTB 00986/2016 e LTB 0101610/2017 e à ação de serviço Q655, que alertam para falhas de funcionamento no câmbio usado no Evoque modelos 2015 e 2016 e Discovery Sport 2016.

César Sanches, proprietário da Automatik, oficina paulistana especialista em transmissões automáticas, explica que realmente existem falhas na parte elétrica desses câmbios, especialmente em chicote e conectores.

“A montadora deveria fazer uma atualização do software para que, caso a falha apareça, o sistema seja protegido. Dessa forma, a transmissão ficaria em uma marcha intermediária e não em Neutro, como vem ocorrendo em muitos casos. Assim, o proprietário poderia utilizar o veículo mesmo com alguma limitação.”

Consultada sobre o caso, a Land Rover do Brasil disse que a ação de serviço Q655 é a resposta da montadora ao boletim técnico LTB00986 e que o boletim LTB 01016 é uma simples atualização de software.

O povo reclama

“Em uma viagem, o carro apresentou a mensagem de avaria no câmbio e perdeu potência. A autorizada disse que era o terceiro caso que atendia.” George Ferreira, Recife (PE), dono de um Discovery Sport HSE 2015.

“Meu carro deixou de responder às acelerações em uma avenida movimentada, como se estivesse no Neutro. Eu tentava selecionar o D, mas o câmbio não respondia, embora o motor estivesse funcionando.” Jorge Salomão dos Santos, de Salvador (BA), proprietário de um Range Rover Evoque 2015

Baseada na versão Active Pack 1.6 16V com câmbio automático, a série inclui subwoofer de 250W

O Peugeot 208 reviveu a série especial In Concert, que já foi oferecida no hatch há quase dois anos.

Com apenas 250 unidades disponíveis, a novidade oferece um subwoofer de oito polegadas e 250W RMS, além de quatro alto-falantes e dois tweeters da marca italiana ASK.

Esta versão custa R$ 65.490 e será comercializada somente nas cores branca e prata.

O modelo é baseado na versão Active Pack, de R$ 65.640, com motor 1.6 16V flex de 118 cv de potência e 16,1 mkgf de torque, além do câmbio automático de seis marchas.

O pacote de equipamentos tem volante revestido de couro, rodas de liga leve aro 15, controle automático de velocidade, Isofix, câmera de ré e faróis de neblina de série.

Por fim, a central multimídia com tela sensível ao toque de sete polegadas é igual àquela usada nas demais configurações, com conectividade para Android Auto e Apple CarPlay.

Subwoofer de 250W é destaque da série especial In Concert 

 

O pesadelo do carro zero quilômetro

A maioria dos brasileiros tem o sonho de comprar um carro novo. No entanto, com a infinidade de recalls que estamos tendo ultimamente, não é difícil que o sonho se torne um pesadelo.

O recall nada mais é do que a confissão por parte das montadoras de que inseriram no mercado carros com problemas que colocam em risco a segurança dos consumidores. Os exemplos mais comuns são falhas nos pneus, nos freios, na direção, no câmbio, nas partes elétricas, dentre outras. Os vícios que ensejam o recall podem provocar acidentes graves que comprometem a segurança não só daqueles que estão dentro dos carros mas também de todas as pessoas que estão próximas.

O Denatran vai fazer constar na documentação dos veículos convocados, e não submetidos ao recall das montadoras, uma anotação que, além de prevenir o consumidor de riscos, acabará incentivando seu comparecimento às concessionárias, pois dificultará a venda dos veículos que tiverem problemas.

Os números de convocações de proprietários de veículos com problemas em 2010 praticamente dobraram em relação aos anos anteriores e neste ano também já foram vários os chamamentos, o que demonstra, a nosso ver, uma banalização dessa providência.

Cabe às montadoras dotar seu processo produtivo de segurança e realizar todos os testes de campo, que permitam a colocação de veículos seguros no mercado. A concorrência entre elas e a pressa no lançamento de novos modelos tem provocado tantos chamamentos. O que deveria ser a exceção acabou virando regra.

Além do recall, utilizado para falhas mais graves, existem inúmeros outros vícios em veículos que aborrecem os consumidores. Não é incomum o carro sair da fábrica com um barulho que dificilmente as concessionárias têm boa vontade para resolver. Problemas menos graves também levam os consumidores inúmeras vezes às concessionárias, fazem com que eles fiquem dias a pé, e causam diversos aborrecimentos.

Cumpre às montadoras inserir veículos novos em perfeitas condições no mercado. Se isso não acontecer, elas respondem objetivamente pelos danos que acarretarem.

Todos os gastos com locomoção que o consumidor tiver enquanto o veículo estiver submetido ao conserto deverão ser arcados pelas montadoras. Da mesma forma, se as concessionárias não conseguem por várias vezes resolver o problema, podem os consumidores buscar no Judiciário uma ordem para que a montadora solucione a falha sob pena de multa, caso isso não aconteça no prazo assinalado.

De acordo com o artigo 18 do CDC, se o problema apresentado não for solucionado dentro do prazo máximo de trinta dias, o consumidor poderá optar pelo desfazimento do negócio, pelo abatimento do preço do veículo ou pela sua substituição por outro em perfeito estado.

É bom ter em mente que os problemas apresentados pelos veículos novos, ressalvado o mau uso por parte do consumidor, são da exclusiva responsabilidade das montadoras. Todos os gastos e transtornos experimentados pelos consumidores poderão ser ressarcidos, sem prejuízo do desfazimento do negócio nos casos de problemas graves que não tenham solução e que impliquem na desvalorização do bem adquirido.

Arthur Rollo é advogado e doutor em direito pela PUC/SP.

Fonte: Repórter Diário

Ford apresenta o novo Focus ST

Modelo será exibido no Salão de Paris, neste mês.
Carro é equipado com motor Ecoboost 2.0 de 250 cavalos.

A Ford revelou imagens do novo Focus ST, que estreará no Salão de Paris no fim deste mês. O mais potente modelo da linha será vendido no mercado global em 2012. Para chamar ainda mais a atenção, a fabricante desenvolveu uma nova cor, batizada de “tangerine scream” (grito tangerina, em inglês).

Baseado na versão hatch do Novo Focus, o ST traz como diferencial novos para-choques e grade, saias laterais, spoiler e uma saia traseira com saídas de ar e saída de escape central. As rodas de liga leve têm aro de 19 polegadas e as pinças de freio são pintadas na mesma cor do carro.

No interior, o modelo recebeu bancos com costura laranja, volante esportivo com aro mais largo, acabamento em fibra de carbono no console central e três mostradores adicionais.

Sob o capô, o motor é o Ecoboost 2.0 de 250 cavalos de potência. O câmbio é manual de seis velocidades.

Fonte: AutoEsporte