Arquivo da tag: ANP

Qualidade da gasolina no Brasil – Nova resolução da ANP promete melhorar para atender novos motores e desempenho

A Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) aprovou, na última quinta-feira (16), nova resolução que visa a elevar a qualidade da gasolina vendida no Brasil.

A nova deliberação é focada principalmente na fixação de faixa de valores de massa específica da gasolina, o que resultaria em um menor consumo e maior rendimento do produto.

O documento ainda versa sobre os parâmetros de destilação do combustível, que afetam questões como dirigibilidade, desempenho e aquecimento do motor.

O último ponto abordado é a fixação de limites para a octanagem RON.

Isso porque existem dois parâmetros de octanagem, MON e RON. Anteriormente o Brasil só especificava a octanagem MON e o chamado índice de octanagem (IAD), que é a média entre MON e RON.

Agora, de acordo com a ANP, a limitação se faz necessária para atender às novas tecnologias de motores e resultará num melhor desempenho dos novos veículos.

A nova resolução passa a valer assim que for publicada no Diário Oficial da União e substitui a Resolução ANP nº 40, de 2013.

Preço do etanol caiu em 12 estados na semana passada, diz ANP

Maior queda, de 2,9%, foi em postos de São Paulo.
Gasolina ainda é mais vantajosa em todos os estados.

O preço do etanol nos postos do país caiu em 12 estados e subiu em outros 12, de acordo com dados coletados pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) na semana passada e divulgados nesta terça-feira (10). Na média, o valor foi de R$ 2,325 para R$ 2,304 por litro no período analisado, uma redução em média de R$ 0,02. No entanto, a gasolina segue mais vantajosa em relação ao etanol em todos os estados brasileiros.

Os preços nos postos caíram no Acre, Alagoas, Amazonas, Bahia, Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Paraná, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul e São Paulo na semana encerrada em 7 de maio.

Em São Paulo, a queda foi de 2,9%  No período de um mês, o preço recuou 5,9% nos postos paulistas. Em Roraima, Sergipe e no Distrito Federal o preço do álcool ficou estável.

A maior alta do etanol na semana passada foi registrada em Rondônia, de 3,11%, seguida do Pará, com 1,12%. A maior queda foi verificada em São Paulo, seguida do Rio Grande do Sul, com recuo de 2,44%, e do Paraná, com baixa de 2,11%. O preço médio do etanol nos postos em São Paulo ficou em R$ 2,075 por litro, ante R$ 2,137 na semana anterior. No Paraná, o preço médio ficou em R$ 2,226 (R$ 2,274 na semana anterior).

Álcool X gasolina
Considerando a média do preço da gasolina no país, que foi de R$ 2,914 por litro, ela segue mais vantajosa porque o preço do etanol é competitivo até R$ 2,04 por litro. No país, o preço mínimo registrado para o etanol foi de R$ 1,749 por litro, em São Paulo. O preço máximo foi de R$ 3,06 por litro, no Rio Grande do Sul. Na média de preços, o menor preço médio do etanol foi de R$ 2,075 por litro, registrado em São Paulo, e o maior preço médio foi registrado no Rio Grande do Sul, a R$ 2,791 por litro.

Fonte: G1

Abastecer com Etanol é vantajoso em apenas seis estados

Goiás e São Paulo têm a maior competitividade para o álcool combustível.
Já a gasolina está mais vantajosa em Roraima e no Rio Grande do Sul.

De acordo com os dados da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) o preço da gasolina segue mais competitivo em 20 estados e o Distrito Federal, enquanto abastecer com etanol é vantajoso em seis estados.

O estado do Ceará é o único em que é indiferente o uso de um ou outro. A vantagem do etanol é calculada considerando que o poder calorífico do motor a álcool é de 70% do poder nos motores à gasolina, ou seja, o motorista tem vantagem econômica com o preço do combustível de cana até esse porcentual do valor cobrado nos postos pelo derivado de petróleo.

O etanol só é competitivo em relação à gasolina nos estados de Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, São Paulo e Tocantins. Goiás tem a maior competitividade para o etanol no Brasil, de acordo com os preços levantados pela ANP, com o preço médio do hidratado em 62,96% do cobrado pela gasolina. Em São Paulo, que concentra quase 60% do consumo de etanol, a proporção está em 68,14%, bem próxima à paridade com a gasolina.

Segundo o levantamento, além de Goiás e São Paulo, o preço médio do etanol no Paraná está em 68,97% do da gasolina, em Mato Grosso do Sul em 69,22%, e em Tocantins em 68,85%.

Já a gasolina está mais vantajosa principalmente em Roraima (preço do etanol é 82,14% do valor da gasolina) e no Rio Grande do Sul (80,05%). No cálculo, são utilizados valores médios coletados em postos em todos os estados e no Distrito Federal.

Fonte: Revista AutoEsporte

Lula diz que Petrobras pode exportar diesel com menor teor de enxofre

Resolução prevê corte a partir de 2012, para seguir metas de emissão.
Presidente inaugura unidade de hidrotratamento do combustível em SP.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta segunda-feira (18) que o Brasil pode exportar, futuramente, óleo diesel com menor teor de enxofre. De acordo com o presidente, a Petrobras vem atuando para reduzir a concentração do material no diesel combustível, mas, em alguns lugares do país, o diesel ainda circula com 1,8 mil ppm (partes por milhão). A partir de 2013, por exigência de lei, esse nível só será aceito em tratores e máquinas agrícolas. Para 2012 já são previstas mudanças.

“Já faz sete anos que a Petrobras já vem modernizando todas as suas refinarias para que a gente possa não apenas exportar o petróleo, mas que a gente possa, quando for autosuficiente, exportar óleo diesel já refinado com 50 ppm, 10 ppm ou menos até”, disse Lula, durante a inauguração de unidades de coque e hidrotratamento de diesel da Refinaria Henrique Lage, em São José dos Campos, no interior de São Paulo.

O presidente ressaltou que a inauguração de unidades do tipo é importante para a saúde da população e também pode ajudar na maior arrecadação com a exportação de derivados do petróleo.

Óleo atual parece o de fritar bife, diz Lula
“Este óleo diesel nosso não seria aceito com essa quantidade de ppm no mercado internacional”, disse Lula. O presidente parabenizou a diretoria da empresa porque ela “resolveu elevar ao máximo o possível o padrão de qualidade dos produtos”.

Lula mostrou um vidro com diesel que usamos hoje, de cor amarela, e outro vidro com diesel a 10 ppm, transparente. Disse que o diesel atual “parece o óleo que a gente usa para fritar bife”. “A gente está trabalhando, tirando tudo quanto é poluente. A gente só não vai beber, vai deixar para o carro beber”, brincou.

Em entrevista após a inauguração, o diretor de abastecimento da empresa, Paulo Roberto Costa, lembrou que a modernização da refinaria também tem como meta atender um acordo firmado com o Ministério Público para o cumprimento de resolução do Conama (Conselho nacional do Meio Ambiente). Segundo ele, o diesel com 10 ppm de enxofre será obrigatório a partir de janeiro de 2013.

Lei exige redução da concentração de enxofre
O presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, disse que a empresa faz sua parte na questão ambiental e que o país precisa também avançar em outros pontos, como a oferta de motores adequados para um diesel mais limpo e na ampliação da inspeção veicular. “Nós sabemos que isso é um conjunto de ações que não depende só do combustível.”

Por outro lado, a indústria afirma que precisa do “novo” diesel. As fabricantes de veículos defendem que motores menos poluentes já estão prontos para a comercialização, porém a nova tenologia não aceita diesel com alto teor de enxofre.

Para respeitar metas de corte de emissão de poluentes estabelecidas pelo Ministério do Meio Ambiente, a Petrobras foi obrigada a substituir todo o diesel metropolitano por diesel com 50 ppm até 1º de janeiro de 2012. E, consequentemente, melhorar a qualidade do diesel distribuído no resto do país, para 500 ppm. A partir da redução para 50 ppm, a próxima etapa, a ser concluída em 1º de janeiro de 2013, será passar o nível de enxofre para 10 ppm.

No entanto, a Agência Nacional do Petróleo (ANP) demorou para divulgar as novas especificações para o diesel, o que atrasou o calendário da obrigatoriedade de novos motores menos poleuntes, que só deverão entrar no mercado em 2013.

Carros a diesel como alternativa ecológica
O anúncio do governo desta segunda-feira deve levantar novamente uma antiga discussão, a de liberação no país de carros movidos a diesel. Com autonomia para produzir diesel de 50 ppm e 10 ppm de enxofre a ponto de exportar, os defensores do uso do carro abastecido com o combustível ganham novos argumentos.

A venda dos modelos é proibida por causa de uma lei criada em 1976. A medida foi tomada durante a crise do petróleo, quando o Brasil tentava diminuir a importação de petróleo e derivados e investia no projeto Pró-álcool. Desde então, apenas veículos comerciais (caminhões, ônibus, caminhonetes, jipes e alguns SUVs) podem circular com o combustível.

Porém, o carro a diesel é considerado uma alternativa ecológica, tanto é que é a opção adotada atualmente pelo mercado europeu. O combustível é mais poluente do que o álcool, porém faz mais quilômetros por litro e emite menos CO2 do que a gasolina. Até agora, a ideia é rejeitada por entidades ambientais e montadoras, porque o óleo diesel, em muitas regiões do país, ainda possui alta concentração de enxofre.

Fonte: G1

Etanol perde vantagem para a gasolina na maioria dos estados

Álcool é mais competitivo em 10 estados e gasolina compensa em 14.
Os dados são referentes a semana encerrada no último sábado (4).

Os preços do etanol seguem menos competitivos que os da gasolina na maioria dos estados brasileiros, de acordo com dados da dados coletados pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) na semana encerrada no sábado, dia 4, e compilados pelo AE Taxas, da Agência Estado. O álcool é competitivo nos postos de combustíveis de 10 estados brasileiros e em 14 o uso da gasolina é mais vantajoso.

No Distrito Federal, em Minas Gerais e em Pernambuco é economicamente indiferente o uso de um ou outro. A vantagem do etanol é calculada considerando que o poder calorífico do motor a álcool é de 70% do poder nos motores à gasolina, ou seja, o motorista tem vantagem econômica com o preço do combustível de cana até esse porcentual do valor cobrado nos postos pelo derivado de petróleo.

O etanol está competitivo nos estados da Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, Rio de Janeiro, São Paulo e Tocantins. Goiás apresenta a maior competitividade do Brasil, de acordo com os preços levantados pela ANP, com o preço médio do etanol em 57,02% do cobrado pela gasolina. No Estado de São Paulo, que concentra quase 60% do consumo de etanol, a proporção está em 57,28%.

Segundo o levantamento, além de Goiás e São Paulo, o preço médio do etanol em Mato Grosso está em 58,33% do da gasolina, no Paraná em 60,66% e em Mato Grosso do Sul de 62,94%. A gasolina está mais vantajosa principalmente em Roraima (preço do etanol é 82,55% do valor da gasolina) e no Acre (81,27%). No cálculo, são utilizados valores médios coletados em postos em todos os estados e no Distrito Federal.

Fonte: G1

Abastecer o carro com álcool é vantajoso em sete estados; veja lista

Número de estados onde a gasolina é vantajosa dobrou desde outubro.
Nos estados onde o álcool é mais competitivo, o preço está perto do limite.

Com a escalada dos preços do etanol nas bombas de combustível nos últimos meses, já é mais vantajoso abastecer o carro flex com gasolina em 20 estados brasileiros, incluindo o Distrito Federal. Apenas em sete estados vale a pena usar o etanol: São Paulo, Bahia, Goiás, Mato Grosso, Paraná, Pernambuco e Tocantins.

Segundo especialistas, rodar com etanol deixa de ser vantajoso quando o preço do litro do combustível exceder 70% o da gasolina. Pesquisa divulgada na terça-feira (05) pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) mostra que, entre os dias 27 de dezembro e 2 de janeiro, a relação entre o preço médio do etanol e o da gasolina superava os 70% em 20 unidades da Federação.

O número dobrou desde o fim de outubro, quando o etanol não era competitivo com a gasolina em dez estados. De acordo com a ANP, o valor mais alto cobrado do consumidor é de R$ 2,158 o litro, na média dos preços de 26 postos pesquisados em Roraima. O valor corresponde a 80% do preço médio do litro da gasolina, de R$ 2,695.

Na maioria dos estados onde ainda é mais vantajoso abastecer o carro com etanol, o preço está perto do limite. Em São Paulo, maior produtor de álcool do país e também maior centro consumidor, os postos cobram em média R$ 1,670 por litro do etanol e R$ 2,432 pela gasolina, uma relação de 76,8%.

Veja os preços médios de álcool e gasolina nos estados do Brasil
Estado Gasolina

(preço médio)

Álcool

(preço médio)

Diferença Vantagem

para…

Acre R$ 2,924 R$ 2,089 28% Gasolina
Alagoas R$ 2,739 R$ 1,920 29% Gasolina
Amapá R$ 2,882 R$ 2,171 24% Gasolina
Amazonas R$ 2,618 R$ 1,907 27% Gasolina
Bahia R$ 2,654 R$ 1,847 30% Álcool
Ceará R$ 2,565 R$ 1,906 25% Gasolina
Distrito Federal R$ 2,725 R$ 1,983 27% Gasolina
Espírito Santo R$ 2,633 R$ 1,983 24% Gasolina
Goiás R$ 2,640 R$ 1,658 37% Álcool
Maranhão R$ 2,538 R$ 1,842 27% Gasolina
Mato Grosso R$ 2,784 R$ 1,608 42% Álcool
Mato Grosso do Sul R$ 2,628 R$ 1,868 28% Gasolina
Minas Gerais R$ 2,461 R$ 1,817 26% Gasolina
Paraná R$ 2,540 R$ 1,717 32% Álcool
Paraíba R$ 2,396 R$ 1,718 28% Gasolina
Pará R$ 2,781 R$ 2,154 22% Gasolina
Pernambuco R$ 2,628 R$ 1,748 33% Álcool
Piauí R$ 2,519 R$ 1,953 22% Gasolina
Rio de Janeiro R$ 2,605 R$ 1,889 27% Gasolina
Rio Grande do Norte R$ 2,672 R$ 1,879 29% Gasolina
Rio Grande do Sul R$ 2,530 R$ 2,045 19% Gasolina
Rondônia R$ 2,697 R$ 1,963 27% Gasolina
Roraima R$ 2,695 R$ 2,158 19% Gasolina
Santa Catarina R$ 2,645 R$ 1,984 24% Gasolina
São Paulo R$ 2,432 R$ 1,670 31% Álcool
Sergipe R$ 2,622 R$ 1,869 28% Gasolina
Tocantins R$ 2,740 R$ 1,804 34% Álcool

Fonte: G1