Arquivo da tag: Acidente

Batidas – Carros deve ser retirados da rua imediatamente após acidente

batida-de-carros-foto-imageA retirada, ou não, de um veículo da pista em caso de colisões leves é um questionamento antigo de muitos condutores cearense. Seja por omissão ou por desconhecimento das leis de trânsito, diversos motoristas cometem a infração de não adotar providências para remover o carro do local do acidente, gerando congestionamentos de minutos (e até horas!) em vias de Fortaleza.Mas, afinal, o condutor pode ou não remover o veículo da pista? A resposta depende da natureza do acidente. Em caso de colisões leves e sem vítimas, o carro deve sim ser retirado do local, conforme orienta a Autarquia Municipal de Trânsito (AMC). Já em acidentes com vítimas, o veículo pode ser removido apenas sob orientação de um agente policial.Nas colisões simples, o indicado é que as partes entrem em um acordo e liberem a via de imediato. Entretanto, muitos optam por aguardar a AMC ou a Perícia do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), apesar de não ser necessário, em caso de negociação. O longo tempo de permanência dos veículos na pista acaba favorecendo os extensos engarrafamentos na cidade, já que as viaturas demoram, em média, 40 minutos para chegar ao local.“O Código de Trânsito diz que o condutor envolvido em colisão sem vítima deve liberar a via. Ele tem a obrigação de retirar o carro, porque o interesse coletivo se sobrepõe ao particular. Em seguida, os envolvidos negociam em relação aos danos”, explica o chefe de operações da AMC, Disraeli Bezerra. O Juizado Móvel também pode ser acionado, em caso de necessidade de formalizar um acordo.

Perícia

Mas, conforme o Detran, a retirada do veículo do local sem a marcação do posicionamento do carro dificulta a realização da perícia, caso acionada. “O que a perícia do Detran tem combinado com a AMC é que seja feita a marcação onde os carros estavam posicionados para que a perícia possa fazer o trabalho dela. A demarcação pode ser feita por um dos dois órgãos”, informa a assessoria do Detran.

Os envolvidos tem de aguardar, então, a equipe que chegar mais rápido ao local. “As vezes o Detran demora duas horas, em razão do engarrafamento, mas outras vezes pode chegar em 30 minutos, depende muito”, acrescenta.

Infração

Caso o motorista se recuse a retirar o veículo da via após a marcação, será autuado, terá de pagar multa de R$ 85,13 e perderá quatro pontos na Carteira Nacional de Habilitação. Conforme estabelece o artigo 178 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), há infração média para o condutor que deixa de adotar providências para remover o veículo do local, quando necessária tal medida para assegurar a segurança e a fluidez do trânsito.

“Se não remover, a infração é bloquear a via. Às vezes as pessoas ficam discutindo, ligam para os parentes, enquanto os carros estão parados no meio da rua, prejudicando toda a coletividade. Tudo por causa de um simples dano material, que pode ser negociado”, conta Disraeli Brasil.

O CTB leva em consideração a retirada do carro, principalmente, com o objetivo de evitar um mal maior. Por exemplo, uma colisão traseira cujos veículos bloquearam a faixa da esquerda de uma via de trânsito rápido gera freadas bruscas ou diminuição acentuada de velocidade, ocasionando outras possíveis colisões e congestionamentos desnecessários.

“Só em Fortaleza ainda existe essa prática de não retirar o veículo depois de uma colisão leve. É uma coisa absurda. Em todas as cidades, independente da retirada ou não do carro, logo que acontece o acidente fica claro saber quem teve a culpa ou não”, reclama o chefe de operações da AMC.

A dúvida que fica nos condutores, em razão do impasse entre a AMC e o Detran, pode ser respondida pelas seguradoras de veículos. O corretor de seguros Valdir Queiroz garantiu que não é obrigatório deixar o carro na via. Em batidas leves e sem vítimas, a orientação é a mesma do Código de Trânsito, ou seja, os veículos envolvidos devem ser retirados, de imediato, para liberar o tráfego, sem necessidade de documentação oficial dos órgãos de trânsito.

De acordo com Queiroz, o segurado precisa conseguir o maior número de informações sobre o outro envolvido no acidente, como nome completo, endereço e placa do carro. “Também é preciso anotar o endereço onde aconteceu a colisão e fazer um Boletim de Ocorrência com a versão pessoal, caso a seguradora solicite. Nem todas pedem, mas é bom garantir”, explica.

Segundo disse, no Rio de Janeiro e em São Paulo a prática já é normal e deve ser seguida pelos moradores de Fortaleza. “Sou corretor dos mais antigos, e oriento dessa forma”, completa.

Número de acidentes

Segundo a AMC, foram registrados mais de 10 mil acidentes nas ruas de Fortaleza em 2013. Destes, 50 contabilizaram mortes, 3.923 com feridos e 7.102 sem vítimas. Os acidentes mais comuns são colisões traseiras, laterais e transversais.

o-que-fazer-em-acidentes-para-quem-telefonar

Barbeiragem na concessionária – Motorista que fazia test drive bate em carro

test-drive-acidente-carro-sao-luis

Carro da concessionária vizinha foi arremessado devido ao acidente

Um acidente inusitado ocorreu na manhã desta quinta-feira (10), em São Luís. Um motorista chegou a uma concessionária de veículos, no bairro do Calhau, em busca de mais informações sobre o carro de seu interesse. Convidado para fazer um test drive, ele acabou perdendo o controle do veículo e invadiu uma concessionária vizinha, colidindo com um outro carro, novo e sem placas, que acabou sendo arremessado de uma altura de cerca de 2,5 metros.

De acordo com o funcionário público Lucas Antônio Carvalho, que chegou ao local minutos depois do ocorrido para fazer a revisão de seu carro, o veículo conduzido pelo potencial comprador só não caiu também porque o vendedor conseguiu puxar o freio de mão.

“Quando cheguei tudo tinha acabado de ocorrer. O homem, que aparentava ter uns 30 anos, ainda estava muito nervoso. Ele teria chegado ao local em uma moto. As pessoas que estavam presentes disseram que o barulho foi tão grande que alguns pensaram se tratar de bandidos em ação”, contou.

No local do acidente há três concessionárias vizinhas. O gerente da concessionária que ofereceu o test drive, Igor Silva, afirmou não estar autorizado a prestar maiores esclarecimentos. No entanto, confirmou que todos os carros são segurados. Além disso, as três revendedoras vizinhas pertencem ao mesmo grupo econômico. Segundo Igor, o carro que foi lançado do pátio foi retirado ainda no período da manhã.

Acidente de carro – Atriz Lindsay Lohan, dirigindo seu porsche bateu em outro veículo, segundo TMZ


Imagem do carro de Lindsay Lohan após o acidente, publicada pelo site TMZ (Foto: Reprodução)

Lindsay Lohan sofreu um acidente de carro e está internada em hospital em Los Angeles, informou o site TMZ nesta sexta-feira (8).

Segundo a página, especializada em celebridades, Lindsay estava dirigindo seu porshe preto pela Pacific Coast Highway quando bateu seu carro em outro veículo.

O automóvel está bastante danificado, relataram fontes. A janela do lado do passageiro foi quebrada e o para-choque dianteiro estava destruído.

Embora uma ambulância tenha sido chamada no local do acidente, foi outro carro que levou a atriz para o hospital. Informações oficiais sobre estado de saúde da atriz ainda não foram divulgadas. Ela estaria bem, segundo o TMZ. Ela e a assistente foram vistas sangrando e com hematomas.

Thor, filho do bilionário Eike Batista, mata ciclista com seu carro Mclaren SLR placa EIK-0063

O conhecido filho mais velho de Eike Batista, chamado Thor, de 24 anos, atropelou um ciclista nessa noite na Rodovia Washington Luís, na altura de Xerém, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. A vítima é o ajudante de caminhão Wanderson Pereira dos Santos, de 30 anos.

Segundo a polícia, ele passava de bicicleta pela pista e foi atingido pelo carro, um Mercedes-Benz SLR Mclaren prata, placa EIK-0063. Thor estava no carro com um amigo, mas era ele mesmo quem dirigia. O carro está no nome de Eike Batista.

A polícia nem chegou a fazer perícia no carro, pois o advogado do rapaz recolheu o carro com o compromisso de não alterar a estrutura do automóvel. O caso foi registrado como homicídio culposo provocado por atropelamento.

Thor Batista passou mal e foi levado a um posto médico na região. Ele foi medicado e liberado. Ele chegou a comparecer a um posto policial ali perto pedindo socorro, então foi submetido a teste do bafômetro e não foi verificada a presença de álcool em ele e seu amigo. Thor estava acompanhado de um segurança.

Uso da Cadeirinha nos Carros

Uso será obrigatório em automóveis.
Objetivo é garantir maior segurança no caso de acidentes.

A partir do dia 9 de junho, o uso da cadeirinha em automóveis será obrigatório em todo o país. Pela nova lei, regulamentada pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran), quem não proteger as crianças corretamente será multado por infração gravíssima.

“Nenhuma criança de bom grado vai querer usar o cinto. Mas os pais têm de assumir essa autoridade, não só perante a lei. Perante os filhos, eles são autoridade máxima. Talvez, se os pais assumirem essa fiscalização, esse hábito, talvez a gente tenha daqui a 10, 12 anos, jovens que usarão cinto lá atrás”, sugere o especialista em educação no trânsito Eduardo Bivati.

De acordo com a psicóloga Virgínia Turra, ignorar o berreiro das crianças que não querem sentar na cadeirinha não é uma boa tática. “Isso é uma forma muito cruel de tratar uma criança, é importante conversar e ir acalmando. As crianças rapidamente detectam se os pais estão firmes e calmos na decisão ou se os pais estão inseguros na decisão. As crianças são ótimas pra detectar as inseguranças dos pais”, ensina.

Samantha Paiva, também psicóloga, conta como a família adquiriu o hábito: “Se precisam sair com a Bia, ou a gente troca de carro ou passa o cadeirão para o carro de quem precisar sair com ela. A gente vai deixar o cadeirão com a avó por uma questão de segurança da nossa filha”.

O ministro das Cidades, Márcio Fortes, reforça a importância do equipamento para a segurança das crianças. “Um lado é divulgar a legislação, mas por outro indicar que é sério risco, porque muitas pessoas dizem: ‘Ah, isso não acontece no carro com meu filho’. Eu já perdi um filho no trânsito, então posso dizer como é triste perder um filho. Não quero que isso aconteça com ninguém”, diz. “As pessoas não sabem que as crianças até 14 anos a principal causa de morte é acidente de trânsito. É bom lembrar que é muito perigoso e pode acontecer, infelizmente, com qualquer um”, ressalta.

Fonte: G1

Recall no carro da Nissan picape Frontier

Junção da coluna com a caixa de direção pode apresentar defeito.
Ao todo, 10.624 unidades serão convocadas.

A Nissan do Brasil anunciou nesta segunda-feira (15) o recall de 10.624 unidades da picape Frontier, fabricadas entre agosto de 2008 e fevereiro de 2010. A empresa convoca os proprietários para a inspeção da junção da coluna com a caixa de direção. Segundo a Nissan, nenhum acidente foi registrado por conta do eventual problema.

Os carros envolvidos na convocação são produzidos e vendidos somente no mercado brasileiro e têm numeração do chassi de 94DVCUD409J057792 a 94DVCGD40AJ448724.

A inspeção é necessária para verificar a junção da coluna com a caixa de direção. Em casos extremos, esta junção pode se soltar e causar a perda do controle do veículo causando acidentes. A inspeção será realizada sem qualquer custo ao cliente, que deverá agendar os serviços em uma concessionária Nissan.

Os proprietários envolvidos neste recall serão contatados pela empresa por meio de carta. Os clientes poderão obter mais informações por meio do Serviço de Atendimento ao Cliente, pelo telefone 0800 0111090 ou pelo site www.nissan.com.br.

Fonte G1

Saiba o que é mito sobre o uso do carro e o que não é

‘Lendas’ vão da lavagem do motor até a cor do veículo.

Quando o assunto é a mecânica dos automóveis o que não falta é mito. Tudo começa quando ouvimos de um amigo, que ouviu de outra pessoa e por aí vai. Por isso, é importante estar atento ao que é realmente verdade e o que não passa de “lenda”.

Andar na banguela

Deixar o carro em ponto morto, a famosa banguela , durante uma descida é uma assunto falado e comentado muitas vezes, mas sempre surge algum motorista com essa dúvida. Saiba que essa não é uma prática segura. Totalmente equivocada, essa prática não é nada recomendável. Apesar de economizar combustível em veículos sem injeção eletrônica, a segurança de motorista e passageiro é comprometida. O carro desengatado não conta com auxílio do freio motor, que contribuiu para uma melhor dirigibilidade e também não exige demais dos freios, que podem superaquecer e vir a apresentar falhas.

Álcool X gasolina

Sobre economia de combustível, o comentário geral aponta que o carro a álcool consome mais do que o mesmo modelo a gasolina. É uma verdade. Primeiro porque a gasolina produz mais energia e, para compensar, o álcool é injetado em maior proporção, além das características da combustão, que requerem mais compressão na versão a álcool. Porém, o motor movido a álcool torna-se mais potente.

Consumo do óleo é menor na cidade

De uma forma geral, a maioria dos motoristas acredita que o consumo do óleo do motor ou mesmo o período de troca do lubrificante na cidade é menor em relação ao uso na estrada. Trata-se de um grande equivoco. Nas rodovias a velocidade é constante, com períodos prolongados de funcionamento, o que proporciona o correto aquecimento e resfriamento do motor, ou seja, nada mais é do que o uso em condições normais. Já na cidade, o veículo faz inúmeras paradas e o motor não funciona como deveria, assim o uso é mais severo.

Outro detalhe é em relação ao nível, tanto do óleo quanto da água do motor. Não é preciso deixar sempre no máximo, mas situado entre a marca de nível mínimo e máximo. Portanto, se o seu carro está com os níveis abaixo do máximo, relaxe, pois está dentro da normalidade.

Lavagem do Motor

Quanto à lavagem de motor, o mito diz que pode trazer problemas. Essa informação é verdadeira. Com a invasão da eletrônica nos motores dos automóveis vieram também algumas restrições, sendo uma delas a lavagem do motor. Não que seja proibido, mas uma lavagem no motor deve ser feita com extremo cuidado e por pessoas habilitadas a esse serviço. A água pode danificar e, em alguns casos, até inutilizar diversos componentes eletrônicos instalados. Já ocorreram diversas panes em decorrência da lavagem do motor sem os devidos cuidados, tanto é que certos postos nem oferecem mais esse tipo de serviço.

Durante a lavagem, alguns postos de combustíveis, principalmente aqueles que ficam em cidades do interior, ainda adotam a pulverização de chassi. Essa pulverização é feita com óleo e a intenção é contribuir para a conservação, mas esse banho de óleo por baixo do carro não é recomendado porque colabora para a aderência de sujeira e, em alguns casos, pode corroer as borrachas de vedação.

Carro amarelo é mais seguro

Ainda sobre segurança no trânsito, existe o comentário sobre as cores dos veículos, sendo que umas são mais seguras e outras não. Será verdade? Pois saiba que se trata de uma informação verdadeira sim. Embora os tons como o amarelo e o laranja muitas vezes não sejam as cores preferidas dos motoristas, elas se destacam tanto durante o dia quanto à noite. Além disso, nos momentos mais críticos, como os dias de chuva e com neblina, essas cores também se destacam. Contudo, se você não faz a mínima questão de ter um carro nessas cores, também não tem problema. O importante é utilizar corretamente os instrumentos de sinalização.

Cinto de segurança e sinal vermelho

Algumas informações deixam as pessoas na dúvida pelo desuso, como por exemplo, o cinto de segurança para os passageiros do banco traseiro. Ainda são poucas as pessoas que usam e aqueles que não utilizam falam que não é preciso. Pois aí está uma grande mentira. O uso do cinto de segurança é obrigatório sim e para todos os ocupantes do veículo, tanto na cidade quanto na estrada. Consta do Código de Trânsito Brasileiro e sujeita o dono do automóvel a pagar multa e a levar pontos na carteira de habilitação.

O mesmo pode ser atribuído a história de passar semáforo fechado durante a madrugada. Apesar de o risco de assaltos ser elevado, principalmente nas grandes cidades, não existe lei que impeça a autuação por passar em farol vermelho em horário específico. Entretanto, alguns motoristas ainda preferem arriscar a vida e passar o sinal fechado sem tomar conhecimento. Nesse caso, o mais correto é diminuir a velocidade e aproximar-se vagarosamente do cruzamento até que o semáforo fique verde. Além de evitar a multa e os pontos na carteira, você escapa do risco de um acidente.

Fonte: G1

Campanha de conscientização do Ministério das Cidades – “Motorista legal é motorista consciente”

Vídeo no YouTube da Campanha “Motorista legal é motorista consciente

Em 1º de novembro, o Ministério das Cidades começou a veicular uma campanha de conscientização com o mesmo nome que dá título a esse post. O público-alvo é formado por pessoas de 18 a 40 anos, e o objetivo é incentivar a “condução com responsabilidade, o respeito às leis e o convívio civilizado nas necessidades diárias de deslocamentos”.

Cada propaganda mostra um personagem narrando a sua história como se tivesse sofrido um acidente ou cometido uma infração séria. Mas, ao fim do texto, descobrimos que eles seguiram o que era indicado pelas leis de trânsito – ou da boa convivência.

Alguns amigos reclamaram do tom “dramático” do início das narrativas… Quando viram que o desfecho era bom, não trágico, se sentiram meio “feitos de bobos” e perderam o interesse pelo resto da propaganda. Achei curiosa a reação e passei a me perguntar se a campanha surtiria efeito.

Fonte Auto Esporte