Carros baratos – Quadrilha usava site de venda para oferecer veículos com menor preço

Quadrilha usava sites de venda para oferecer carros mais baratos
Um dos integrantes foi preso por estelionato em São Paulo. Um modelo de veículo, que chega a custar R$ 34 mil, era oferecido por R$ 10 mil a menos.

Oferecendo, na internet, carros zero quilômetro a preços bem abaixo do mercado, uma quadrilha enganou vítimas em todo o Brasil. A polícia, em São Paulo, desmontou o esquema e prendeu nesta quarta-feira (25) um dos estelionatários.

A quadrilha usa sites de venda para oferecer carros com preços abaixo do mercado. Um modelo, que chega a custar R$ 34 mil na concessionária, é oferecido por R$ 10 mil a menos.

Para mostrar como é o golpe, o produtor do Jornal da Globo ligou para o telefone do anúncio. Uma mulher se apresenta como Cristiane e diz ser médica. Ela fala que tem uma dívida trabalhista para receber de um hospital. Mas em vez de dinheiro, o pagamento será feito com o carro, que ela quer revender.

Produtor: E como é que funciona, eu pago para o hospital, pago para você, pago para quem?

Golpista: Não, aí é para mim. Porque quem está vendendo o veículo sou eu.

Produtor: Então é o hospital que vai comprar o carro?

Golpista: Isso, só que vai sair quitado no seu nome. Como eu quero passar o veículo para frente, eles vão pagar o carro pra concessionária só que vai sair no seu nome, ao invés de sair no meu.

A golpista explica por que o carro está sendo vendido tão barato.

Golpista: O hospital me deve o valor cheio do carro. Eu estou pedindo um pouco mais abaixo, que é 24 e meio, mas eu estou pedindo um valor um pouco abaixo para poder vender mais rápido e também se eu retirar ele já perde um pouco do valor.

Para tentar convencer as vítimas, a mulher usa o nome de um hospital de Osasco, na Grande São Paulo. Ela passa um telefone de um suposto integrante da diretoria, que vai dar sequência na negociação. Na realidade o diretor é um segundo golpista.

Golpista: O médico tem a opção de retirar o veículo para ele, ou ele pode estar vendendo para um terceiro, tá?

E pede para o nosso produtor ir à uma concessionária escolher o carro.

Golpista: Fez esse processo a gente vai fazer o pagamento pra concessionária, no mesmo dia que for pago a concessionária, nesse mesmo dia você paga automaticamente a doutora.

O produtor foi à uma revenda de São Paulo, encomendou um carro e avisou os golpistas. Eles então enviaram para a concessionária um comprovante de pagamento falsificado no valor total do veículo. O vendedor confirma a compra, porque ainda não sabe que o depósito não foi feito.

Produtor: O hospital já te pagou o carro, então?

Vendedor da concessionária: Já está pago, já está pago, já tenho o comprovante aqui de pagamento, já tem a autenticação no boleto.

O nosso produtor recebe então uma ligação da quadrilha, que informa um número de conta para ele depositar o dinheiro da compra do carro.

Golpista: Estou te ligando para passar os dados da conta, pode ser? A conta é do meu marido, tá? Kleber da Silva Siqueira.

Várias pessoas caíram no golpe e pelo menos 27 registraram boletim de ocorrência. O nosso produtor não depositou o dinheiro e começou a ser ameaçado.

Produtor: Acho que eu vou deixar pra lá isso daí…

Golpista: Vou ligar pra doutora agora, com o maior prazer. Ela vai está indo na delegacia abrir um boletim de ocorrência contra a sua pessoa. Como você acorda para trabalhar, a gente também acorda para trabalhar.

No hospital citado pelos golpistas, não existe nenhum doutor Ribeiro nem doutora Cristiane e nesta quarta-feira (25), Kleber da Silva Siqueira foi detido para averiguação ao sair de um banco.

Ele vai responder por estelionato. A polícia procura agora o resto da quadrilha. Kleber estava sacando dinheiro depositado por uma mulher, que pediu para não ser identificada. Ela conta que pagou mais de R$ 20 mil por um carro, que nunca iria receber. “Eu vi a nota da concessionária, os meus dados, o boleto autenticado. Aí eu efetuei o depósito. É muito ruim isso, eu não quero para ninguém isso.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *