Arquivo da categoria: Voyage

Fim da linha para os carros da Volkswagen: Gol, Up, Fox, Voyage e Saveiro – Ausência de equipamentos de segurança é o motivo

Encosto de cabeça e cinto de segurança de três pontos são itens tão comuns que muitos até desconhecem a existência de modelos que não possuem o equipamento em todas as posições. Mas esses carros existem, e têm data para acabar: 28 de janeiro de 2020.

É nesse dia que serão completados cinco anos da publicação da portaria 518/2015 do Contran. Ela obriga que a maioria dos veículos vendidos no Brasil tenham encosto de cabeça e cinto de três pontos retrátil para todos os ocupantes, além de ao menos um assento com pontos de fixação para cadeirinhas do tipo Isofix e Latch.

FIXAÇÃO ISOFIX/LATCH GARANTE A ANCORAGEM CORRETA DA CADEIRINHA (FOTO: DIVULGAÇÃO)

As exceções ficam para modelos do tipo 2+2 (como o Civic Si e Porsche 911), conversíveis e modelos com só uma fileira de bancos, como picapes e vans comerciais.

Quase todas as marcas generalistas terão que atualizar ao menos um modelo, mas a mais afetada é a Volkswagen: Up!, Gol, Voyage, Saveiro e Fox não se enquadram em um ou mais quesitos da legislação.

FIXAÇÃO ISOFIX/LATCH GARANTE A ANCORAGEM CORRETA DA CADEIRINHA (FOTO: DIVULGAÇÃO)

Faltam a Up!, Gol e Voyage o cinto de segurança de três pontos, enquanto no Fox não há encosto de cabeça central. Do quarteto, só o Up! já tem Isofix/Latch nos bancos traseiros.

A Volkswagen do Brasil não respondeu ainda se os modelos serão adaptados ou irão sair de linha.

FIXAÇÃO ISOFIX/LATCH GARANTE A ANCORAGEM CORRETA DA CADEIRINHA (FOTO: DIVULGAÇÃO)

Do ponto de vista técnico a adição de cinto e encosto não é tão complexa. Isso porque a Saveiro cabine dupla já tem os itens para todos os ocupantes, e a migração dos equipamentos para Gol e Voyage, que derivam do mesmo projeto, seria mais fácil.

O grande problema é a colocação do Isofix/Latch. Esses pontos de ancoragem são responsáveis por manter a cadeirinha estável em acidentes, e por isso são realizadas soldagens diretamente ao monobloco do carro.

O UP! NACIONAL TEM ISOFIX E ENCOSTO CENTRAL, MAS FALTA O CINTO DE TRÊS PONTOS (FOTO: DIVULGAÇÃO)

Por conta disso, e também pela exigência legal, essas mudanças requerem novos ensaios de crash-test. E isso não é barato: cada batida custa R$ 400 mil para a Volkswagen.

O Up! tem o mesmo problema, mas há uma solução menos cara — e ousada — que a marca poderia tomar. Bastaria à Volkswagen homologar o compacto como um veículo de quatro lugares, como já ocorre na Europa.

NA EUROPA O UP! SÓ LEVA DUAS PESSOAS NO BANCO TRASEIRO (FOTO: DIVULGAÇÃO)

Mas isso, além de gerar novos custos, poderia sacrificar as vendas do Up!. A decisão de preparar o carro para cinco pessoas na América do Sul, inclusive, foi para ampliar o mercado do modelo, evitando repetir o que houve com a primeira geração do Ford Ka, que só podia levar quatro pessoas.

A lógica garante a sobrevida do quarteto, mas é possível que o Fox não sobreviva à mudança na legislação. Com projeto antigo e sem ter uma nova geração no horizonte, o hatch que já vinha perdendo versões pode sair de linha na virada do ano.

Copia dos irmãos

AS VERSÕES MAIS CARAS DO UNO JÁ OFERECEM ENCOSTO CENTRAL E CINTO DE TRÊS PONTOS PARA TODOS (FOTO: DIVULGAÇÃO)

Modelos de outras marcas também precisarão se adequar. Entre os afetados estão Fiat Mobi, Uno e Doblò, Citroën C3 e Aircross, Renault Duster, Oroch e Kwid e Nissan March e Versa.

A diferença é que a maioria deles já ofereceu os itens obrigatórios em mercados mais exigentes, sobretudo a Europa. Assim, basta às fabricantes adotar os equipamentos e apresentar os ensaios de segurança que já haviam sido feitos nas versões europeias — desde que a estrutura de ambos seja igual.

COLOCAR ISOFIX NO MOBI NÃO SERÁ DIFÍCIL: A VERSÃO PARA A ARGENTINA JÁ VEM COM ELE DESDE O LANÇAMENTO 

O caso do Uno é ainda mais simples: ele já tem os equipamentos, mas como opcionais. O que muda é que agora passam a ser de série.

A Renault deve adotar uma postura mais drástica com o Duster. Sem cinto de três pontos e Isofix, o SUV pode simplesmente deixar de ser produzido na virada do ano.

Menos radical seria adotar o banco da Oroch — que também não tem Isofix —, mas às vésperas de mudar de geração, é mais fácil aguardar a estreia do novo Duster. A picape também será reestilizada, mas deve ganhar os pontos de fixação antes disso.

Por fim, é certo que o recém-lançado Kwid também será atualizado, e a mudança irá ocorrer antes mesmo de sua primeira reestilização, prevista para 2021.

Segredo: Gol, Voyage e Saveiro vão passar por reestilização

 

Antes das novas gerações (previstas para 2022), os VW Gol e Voyage vão passar por mais uma reestilização.

Será a terceira da atual geração, lançada em 2008 (a última mudança é de 2016).A linha vai adotar a identidade visual da VW atualizada – que estreou no país com o novo Polo (veja aqui a briga entre Polo e Up!).

A grade é mais estreita e há um friso na parte inferior do para-choque. No Voyage, as lanternas remetem ao Virtus.

Nas motorizações, o 1.6 8V de 104 cv será substituído pelo 1.6 16V MSI de 117 cv (que equipa o Polo) e haverá uma versão automática de seis marchas (mesma caixa Aisin do Polo 1.0 200TSI).

A Saveiro também será reestilizada. Ela se desprendeu do rebanho em 2016, quando ganhou estilo próprio, mas agora seguirá a proposta estética da picape Amarok. A renovação do trio é esperada para o final de 2018, como linha 2019. Leia mais: O melhor – e o pior – da Saveiro ao longo de seus 34 anos

Apesar das mudanças no visual, a tendência é que Gol e Voyage permaneçam com menor oferta de versões.

No começo de março, a Volks deixou de oferecer as versões Comfortline 1.6 e Comfortline 1.6 I-Motion. Nem o Jetta passou incólume ao Virtus, perdendo a configuração Trendline – era o último sedã médio com motor turbo e câmbio manual à venda no Brasil

Volkswagen segue realizando mudanças na gama e tira de linha as opções mais caras dos veteranos

A Volkswagen segue reposicionando os seus modelos mais antigos após as chegadas dos lançamentos. Desta vez, a marca deixou de oferecer as versões mais caras do Gol e do Voyage.

O motivo são os novos Polo e Virtus, que passaram a ter preços próximos aos veteranos. O hatch, após receber o primeiro aumento desde o lançamento, é oferecido entre R$ 49.990 e R$ 71.760.

Já o sedã, mais caro, custa desde R$ 59.990 até R$ 79.990. Por quase R$ 80 mil na topo de linha, o Virtus também foi responsável pela morte do Jetta Trendline, o último sedã médio com motor turbo e câmbio manual no Brasil.

O Gol, líder de vendas no Brasil por 27 anos, perdeu as configurações Comfortline 1.6 (R$ 52.060) e Comfortline 1.6 I-Motion (R$ 55.460).

Com as mudanças, o hatch passa a ser vendido nas opções Trendline com motor 1.0 de 82/75 cv (R$ 43.840) e com motor 1.6 104/101 cv (R$ 49.350), além da versão Track (R$ 46.490) com o mesmo 1.0.

No Voyage, a Volkswagen tirou de linha as versões Highline 1.6 (R$ 59.350) e Highline 1.6 I-Motion (R$ 62.750).

O sedã ainda é oferecido nas versões Trendline 1.0 (R$ 51.200) e (R$ 54.690) e a Comfortline 1.0 (R$ 54.190), 1.6 (R$ 56.300) e 1.6 automatizada (R$ 59.700).

Apesar de ainda oferecer no Voyage 1.6 Comfortline, as saídas das opções com câmbio automatizado, indicam que, em breve, os dois modelos passarão a contar com o câmbio automático convencional Aisin de seis marchas. Sendo assim, apenas o Up! continuará com transmissão automatizada na VW.

Novas versões VW também são novidades da linha 2015

foto-imagem-gol-rallye

O inédito motor  EA211 1.6 16V é a principal novidade da linha 2015 dos modelos Gol e Saveiro. Fabricado na planta de São Carlos (SP), ele tem 120 cv quando abastecido com etanol e 110 cv se movido a gasolina, sempre a 5.750 rpm. Com bloco e cabeçote de alumínio, o motor tem comando de admissão variável e coletor de escape integrado, além de dispensar o reservatório de partida a frio. Inicialmente, porém, ele equipará somente os modelos Gol Rallye e Saveiro Cross – por ora as demais versões continuarão com o motor EA111 1.6, de até 104 cv.

foto-imagem-gol-rallye

A transmissão automatizada I-Motion, oferecida como opcional no Gol Rallye, também recebeu melhorias. Segundo a VW, ele ganhou uma versão atualizada do software de gerenciamento eletrônico, que “proporciona trocas de marcha ainda mais suaves e precisas”. A melhoria é perceptível principalmente quando o câmbio está no modo Drive. Quando o sistema realiza a troca de marcha automaticamente, o torque do motor é reduzido gradativamente, sendo retomado assim que a próxima marcha é engatada. Assim como antes, é possível realizar as trocas de marcha pela alavanca ou pelos paddle-shifts atrás do volante.

foto-imagem-Saveiro-Cross

Além do novo motor 1.6, a Saveiro traz na linha 2015 alguns itens inéditos em sua categoria. Na versão Cross, a picape pode ser equipada com piloto automático, freios ABS com função off-road e assistência de frenagem (BAS), controle de estabilidade (ESP), controle de tração (ASR) e assistente de partida em subidas (HSA). A Saveiro 2015 será vendida nas versões Startline (Cabine Simples), Trendline (Cabine Simples e Cabine Estendida) e Cross (Cabine Estendida). Para terminar, há também quatro novas opções de cores: Prata Lunar, Azul Night, Vermelho Ópera e Laranja Canyon.

foto-imagem-Saveiro-Cross

Segundo números fornecidos pela marca, o Gol Rallye precisa de 9,5 segundos para acelerar de 0 a 100 km/h e atinge a velocidade máxima de 190 km/h, com etanol. Com a transmissão I-Motion, o tempo de 0 a 100 km/h cai para 10 segundos, mas a velocidade final é a mesma. No caso da Saveiro Cross, o novo motor 1.6 MSI faz a picape ir de 0 a 100 km/h em 10 segundos, chegando aos 182 km/h, se abastecido com o combustível etílico.

Novidades para Gol e Voyage

O restante da linha também sofreu mudanças. O Voyage ganhou a nova versão topo-de-linha Evidence, que traz detalhes externos cromados, adesivos pretos nas colunas “B”, rodas de liga leve aro 16, interior com painel em cinza claro e revestimento dos bancos em Alcantara.

As nomenclaturas das demais versões agora segue o padrão mundial da VW. A versão de entrada é a Trendline, oferecida nos modelos Gol e Voyage. Em relação aos itens oferecidos na linha 2014, eles ganharam direção hidráulica, três apoios de cabeça no banco traseiro, chave canivete e iluminação no porta-malas. A lista de opcionais lança o pacote Conectividade, composto por rádio CD-Player com sistema Bluetooth e entradas SD Card, USB e auxiliar, I-System, seis alto-falantes e volante multifuncional.

foto-imagem-Voyage

As versões intermediárias de Gol e Voyage agora se chamam Comfortline. Ela acrescenta luzes de setas integradas nos espelhos retrovisores, aerofólio traseiro, grade frontal em preto brilhante, faróis com máscara negra, para-sois com iluminação, alto-falantes, ar quente, rádio CD Player com Bluetooth e entradas SD Card, USB e auxiliar e I-System. O comprador também pode escolher entre os pacotes Fun (bancos com revestimento exclusivo, pedaleiras esportivas e volante revestido em couro), Urban (rodas de liga leve aro 15, faróis de neblina, volante multifuncional e sensor de estacionamento) e Interatividade (com volante multifuncional e sensor de estacionamento).

Já as versões mais requintadas foram batizadas de Highline. Em relação a Comfortline, ela agrega ar-condicionado, vidros dianteiros e traseiros com acionamento elétrico, frisos laterais cromados, alarme, volante multifuncional revestido de couro e lanterna de neblina. Como opcionais, traz acabamento interno mais claro e o kit Tecnologia, composto por sensores de chuva e de luminosidade, piloto automático e sistema coming/leaving home (mantém os faróis acesos por alguns segundos após as portas do carro terem sido travadas).

Lista de carros mais vendido em agosto de 2011 no Brasil

VW Gol foi o carro mais emplacado no mês.

Recalls no Brasil – Mais de 1 milhão de veículos: carros, motocicletas, caminhões – Dados são do Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor(DPDC)

Montadoras fizeram 38 convocações de janeiro a agosto.
Departamento do MP Federal levantou dados a pedido do G1.

Nos oito primeiros meses do ano, já foram convocados no Brasil 1,052 milhão de carros, motocicletas, caminhões e comerciais leves em recalls, de acordo com o levantamento feito pelo Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC), do Ministério Público Federal, a pedido do G1.

A marca foi atingida após o anúncio de recall de 59.714 Chevrolet Agile, na última sexta-feira (27). Apenas para efeito de comparação, o número de veículos envolvidos em convocações neste ano equivale a um terço das 3,18 milhões de unidades produzidas no país em todo o ano passado.

O volume de convocados até agosto é o maior desde 2008, quando foram chamados de volta às concessionárias 1,26 milhão de veículos, e é 44% superior a 2009, que teve 728.525 unidades em recall. Em número de chamados, este ano contabiliza 38 até agosto, sendo que alguns recalls envolvem mais de um modelo. Em todo o ano passado, foram 43 convocações, pelos dados do DPDC, número considerado recorde.

Confira a lista dos veículos que foram convocados para recall até agosto de 2010


Fonte G1

Recall do Gol e Voyage pela Volkswagen

Causa da convocação é defeito nos rolamentos das rodas traseiras

A Volkswagen convoca os proprietários dos modelos Gol e Voyage, identificados pelas numerações de chassis/ano/modelo abaixo, a agendarem, em uma concessionária da marca, a inspeção dos rolamentos das rodas traseiras. O serviço será gratuito. convoca os proprietários dos modelos Gol e Voyage, identificados pelas numerações de chassis/ano/modelo abaixo, a agendarem, em uma concessionária da marca, a inspeção dos rolamentos das rodas traseiras. O serviço será gratuito.

A empresa constatou a possibilidade de insuficiência de engraxamento no rolamento das rodas traseiras em algumas unidades. A utilização do veículo nessa condição pode causar ruído e o uso continuado pode ocasionar o travamento da roda. Em casos extremos pode haver o desprendimento da roda e, eventualmente, acidentes. Com essa ação, a empresa deverá realizar a inspeção, aplicação de graxa e, se necessária, a troca do rolamento.

Essa campanha abrange 193.620 unidades dos modelos no Brasil. A empresa esclarece que os veículos produzidos a partir de julho de 2009 não estão afetados. O tempo de serviço previsto para essa inspeção é de aproximadamente uma hora e meia.

A empresa está enviando cartas aos proprietários dos veículos envolvidos nesta ação. Além disso, coloca à disposição para qualquer dúvida a Central de Relacionamento com Clientes pelo telefone 0800.019.5775. O site da empresa na internet – www.vw.com.br – também dispõe de informações e esclarecimentos sobre o assunto. Seguem as numerações de chassi envolvidas no recall:

Gol e Voyage –  Ano modelo 2009 – 9P 032 093 a 9P 087 269 e 9T 152 912 a 9T 255 796

Gol e Voyage – Ano modelo 2010 – AP000 001 a AP 049 248 e AT 000 001 a AT 051 483

Fonte: AutoEsporte

Novo Gol e Voyage – Volkswagen anuncia recall – Ano dos carros são modelos 2009 e 2010

Rolamento das rodas traseiras podem apresentar problemas.
Ação envolve 193.620 unidades, modelos 2009 e 2010.

A Volkswagen do Brasil convoca para recall, a partir desta quinta-feira (11), os proprietários dos modelos Novo Gol e Voyage. A empresa constatou que pode haver um problema de lubrificação no rolamento das rodas traseiras de algumas unidades. A utilização do veículo nessa condição pode causar ruído e o uso continuado pode ocasionar o travamento da roda ou mesmo o seu desprendimento.

Confira o número de chassis dos modelos envolvidos no recall:

Novo Gol e Voyage – Ano/Modelo 2009
9P 032 093 a 9P 087 269
9T 152 912 a 9T 255 796

Novo Gol e Voyage – Ano/Modelo 2010
AP000 001 a AP 049 248
AT 000 001 a AT 051 483

Segundo a empresa, essa campanha abrange 193.620 unidades dos modelos no Brasil. A Volkswagen esclarece que os veículos produzidos a partir de julho de 2009 não estão afetados.

A inspeção dos rolamentos poderá ser feita gratuitamente em toda rede concessionária. A ação abrange a inspeção, aplicação de graxa e, se necessária, a troca do rolamento. De acordo com a Volkswagen, o tempo de serviço previsto para essa inspeção é de aproximadamente uma hora e meia.

A empresa enviará cartas aos proprietários dos veículos envolvidos nesta ação. Além disso, coloca à disposição para dúvidas a Central de Relacionamento com Clientes pelo telefone 0800.019.5775 e o site da empresa.

Veja outras convocações que envolvem o Novo Gol e Voyage

Novembro de 2008
A Volkswagen iniciou o recall dos modelos Gol G4, Polo hatch, Golf, Spacefox, Novo Gol e Voyage equipados com faróis de neblina de série devido a um problema na lanterna de neblina (ou chuva). De acordo com a montadora, o possível defeito está na montagem da lanterna dos veículos nos quais a lente da luz de neblina é branca ao invés de vermelha, condição que pode confundir os motoristas que trafegam atrás do veículo, causando a falsa impressão que está sendo realizada uma manobra em marcha a ré. A convocação abrange 120.658 unidades.

Dezembro de 2008
A marca alemã iniciou o recall dos veículos Fox, Novo Gol e Voyage ano/modelo 2009 equipados com motor 1.0 por causa da possibilidade de endurecimento dos pedais dos freios. De acordo com a Volks, em situações de repetidos acionamentos do pedal do freio, como no trânsito urbano, pode ocorrer o enrijecimento do mesmo e, eventualmente, causar acidentes. A convocação envolveu 120.082 unidades dos modelos em questão.

Agosto de 2009
A fabricante anunciou o recall do Novo Gol, Fox e Voyage, ano/modelo 2009 e 2010, equipados com motor 1.0, para a atualização do programa de gerenciamento do sistema auxiliar de partida a frio. De acordo com a Volkswagen, foi constatado que em condições de baixa temperatura podem surgir dificuldades na hora de colocar o motor em funcionamento, obrigando o usuário a repetidas tentativas. Esta condição pode gerar perda de sincronismo da queima da mistura de ar/combustível, causando a ruptura do coletor de emissão e, eventualmente, risco de incêndio. Ao todo, o recall envolveu 268.140 unidades.

Outubro de 2009
Volkswagen do Brasil anunciou a chamada “campanha de oficina ativa” para a revisão do motor 1.0 flexível EA-111que equipa 400 mil unidades entre os modelos Gol, Voyage e Fox, fabricados a partir de abril de 2008. O engenheiro responsável da companhia, José Loureiro, confirmou que o problema que causa barulho no motor está na lubrificação. A convocação não se trata de um recall, mas esse tipo de operação é chamado pela indústria como “recall branco”, procedimento adotado, quando a montadora avalia que o defeito não coloca em risco a segurança de condutor e passageiros.

Fonte G1

Cuidados com a carro: Pintura, reparos, riscos, polimento e lavagem

pintura-carros-fotos
Reparar a pintura danificada por riscos e pequenas batidas, que não saem apenas com polimento, parte de R$ 150 nas oficinas da capital, segundo apurou a reportagem. Porém, no caso de portas e porta-malas, por exemplo, é preciso recuperar a peça inteira.

“O serviço de repintura apenas de uma área é indicado para riscos de no máximo 20 cm”, explica Eduardo Fernandes, chefe de oficina do Centro de Experimentação Viária (Cesvi).

Mesmo para esses pequenos consertos, é preciso aplicar uma camada de primer, produto que corrige imperfeições na chapa e dá aderência para a próxima camada de tinta.

pintura-carro-fotos

“Depois de pintar, deve-se lixar a peça inteira e aplicar uma demão de verniz. Isso garante o acerto de cor”, afirma Fernandes.

Já teto, capô, portas, porta-malas e para-choques precisam ser desmontados e toda a peça receber tinta. “Eles sofrem com a ação do sol e algumas recebem diretamente o calor do motor. Por isso, em três meses aparece mancha no local reparado se o serviço não for bem feito”, diz Fernandes.

Ondulações e lascas na superfície são outras consequências de serviço malfeito ou de produto sem qualidade. “Um verniz ruim pode fazer com que a superfície se descasque”, diz Roliem Barrios, proprietário da New Force Car (2294-6384), na zona leste

Para conseguir a cor exata da pintura original, oficinas trabalham com máquinas que misturam tons de tinta. “Os carros trazem, em etiquetas fixadas na lataria, o código da tinta”, diz Sérgio Moreira, da Performance Martelinho de Ouro , na zona norte. “Mas nem sempre elas batem. Por isso, a tonalidade é testada em chapas de metal.”

pintura-Carros-foto

PREÇOS – Na Performance Martelinho de Ouro, repintar porta, para-choque ou porta-malas tem preço a partir de R$ 300. O serviço no capô custa R$ 400 e R$ 600 no teto. Retoques saem por R$ 150.

Na New Force Car, a pintura de cada peça parte de R$ 250. As portas têm acréscimo de R$ 90 e a funilaria, de R$ 150.

Na Alvarenga Lavagem e Pintura (3813-8016), na zona oeste, a pintura de um capô custa R$ 350 e a de um para-lama, R$ 150.

DICAS:
Encerar carro a cada 15 dias: Cera, em spray ou pastosa, protege pintura de fuligem e piche

Polir veículo comprado usado: Depois disso, deve-se encerar o modelo periodicamente

Não passar querosene: Produto ataca borrachas e maçanetas de plástico

Evitar lavagem com cera: A que costuma ser usada em lava-rápido não protege pintura

Fonte ZAP