Arquivo da categoria: E-Up

Fim da linha para os carros da Volkswagen: Gol, Up, Fox, Voyage e Saveiro – Ausência de equipamentos de segurança é o motivo

Encosto de cabeça e cinto de segurança de três pontos são itens tão comuns que muitos até desconhecem a existência de modelos que não possuem o equipamento em todas as posições. Mas esses carros existem, e têm data para acabar: 28 de janeiro de 2020.

É nesse dia que serão completados cinco anos da publicação da portaria 518/2015 do Contran. Ela obriga que a maioria dos veículos vendidos no Brasil tenham encosto de cabeça e cinto de três pontos retrátil para todos os ocupantes, além de ao menos um assento com pontos de fixação para cadeirinhas do tipo Isofix e Latch.

FIXAÇÃO ISOFIX/LATCH GARANTE A ANCORAGEM CORRETA DA CADEIRINHA (FOTO: DIVULGAÇÃO)

As exceções ficam para modelos do tipo 2+2 (como o Civic Si e Porsche 911), conversíveis e modelos com só uma fileira de bancos, como picapes e vans comerciais.

Quase todas as marcas generalistas terão que atualizar ao menos um modelo, mas a mais afetada é a Volkswagen: Up!, Gol, Voyage, Saveiro e Fox não se enquadram em um ou mais quesitos da legislação.

FIXAÇÃO ISOFIX/LATCH GARANTE A ANCORAGEM CORRETA DA CADEIRINHA (FOTO: DIVULGAÇÃO)

Faltam a Up!, Gol e Voyage o cinto de segurança de três pontos, enquanto no Fox não há encosto de cabeça central. Do quarteto, só o Up! já tem Isofix/Latch nos bancos traseiros.

A Volkswagen do Brasil não respondeu ainda se os modelos serão adaptados ou irão sair de linha.

FIXAÇÃO ISOFIX/LATCH GARANTE A ANCORAGEM CORRETA DA CADEIRINHA (FOTO: DIVULGAÇÃO)

Do ponto de vista técnico a adição de cinto e encosto não é tão complexa. Isso porque a Saveiro cabine dupla já tem os itens para todos os ocupantes, e a migração dos equipamentos para Gol e Voyage, que derivam do mesmo projeto, seria mais fácil.

O grande problema é a colocação do Isofix/Latch. Esses pontos de ancoragem são responsáveis por manter a cadeirinha estável em acidentes, e por isso são realizadas soldagens diretamente ao monobloco do carro.

O UP! NACIONAL TEM ISOFIX E ENCOSTO CENTRAL, MAS FALTA O CINTO DE TRÊS PONTOS (FOTO: DIVULGAÇÃO)

Por conta disso, e também pela exigência legal, essas mudanças requerem novos ensaios de crash-test. E isso não é barato: cada batida custa R$ 400 mil para a Volkswagen.

O Up! tem o mesmo problema, mas há uma solução menos cara — e ousada — que a marca poderia tomar. Bastaria à Volkswagen homologar o compacto como um veículo de quatro lugares, como já ocorre na Europa.

NA EUROPA O UP! SÓ LEVA DUAS PESSOAS NO BANCO TRASEIRO (FOTO: DIVULGAÇÃO)

Mas isso, além de gerar novos custos, poderia sacrificar as vendas do Up!. A decisão de preparar o carro para cinco pessoas na América do Sul, inclusive, foi para ampliar o mercado do modelo, evitando repetir o que houve com a primeira geração do Ford Ka, que só podia levar quatro pessoas.

A lógica garante a sobrevida do quarteto, mas é possível que o Fox não sobreviva à mudança na legislação. Com projeto antigo e sem ter uma nova geração no horizonte, o hatch que já vinha perdendo versões pode sair de linha na virada do ano.

Copia dos irmãos

AS VERSÕES MAIS CARAS DO UNO JÁ OFERECEM ENCOSTO CENTRAL E CINTO DE TRÊS PONTOS PARA TODOS (FOTO: DIVULGAÇÃO)

Modelos de outras marcas também precisarão se adequar. Entre os afetados estão Fiat Mobi, Uno e Doblò, Citroën C3 e Aircross, Renault Duster, Oroch e Kwid e Nissan March e Versa.

A diferença é que a maioria deles já ofereceu os itens obrigatórios em mercados mais exigentes, sobretudo a Europa. Assim, basta às fabricantes adotar os equipamentos e apresentar os ensaios de segurança que já haviam sido feitos nas versões europeias — desde que a estrutura de ambos seja igual.

COLOCAR ISOFIX NO MOBI NÃO SERÁ DIFÍCIL: A VERSÃO PARA A ARGENTINA JÁ VEM COM ELE DESDE O LANÇAMENTO 

O caso do Uno é ainda mais simples: ele já tem os equipamentos, mas como opcionais. O que muda é que agora passam a ser de série.

A Renault deve adotar uma postura mais drástica com o Duster. Sem cinto de três pontos e Isofix, o SUV pode simplesmente deixar de ser produzido na virada do ano.

Menos radical seria adotar o banco da Oroch — que também não tem Isofix —, mas às vésperas de mudar de geração, é mais fácil aguardar a estreia do novo Duster. A picape também será reestilizada, mas deve ganhar os pontos de fixação antes disso.

Por fim, é certo que o recém-lançado Kwid também será atualizado, e a mudança irá ocorrer antes mesmo de sua primeira reestilização, prevista para 2021.

Modelo já pode ser encomendado na Alemanha por 13.625 euros

foto-imagem-up!

A Volkswagen lançou uma edição especial do up! inspirada em um Fusca comemorativo lançado na Alemanha em 1982 – o Beetle Special Bug. A versão de homenagem adota alguns detalhes originais do modelo clássico. Os primeiros pedidos já podem ser feitos na Alemanha e o hatch está disponível em duas combinações de cores exclusivas.

A versão com pintura externa em preto “black pearl” contrasta com rodas de liga leve aro 17 amarelas. Já o up! na cor amarela “savanna gold” recebe as mesmas rodas em preto. As duas versões possuem a inscrição “special” nas portas e a opção de espelhos retrovisores pretos ou prateados.

foto-imagem-up!

A Volkswagen ainda não divulgou imagens do interior, mas, segundo a marca, a edição especial terá a palavra “up!” nas soleiras em alumínio. As capas dos bancos e painel na mesma cor savanna gold serão um opcional. O modelo preto parte de 13.625 euros (R$ 50.287 na cotação atual) enquanto o amarelo custa €13.775 (cerca de R$ 50.841).

O up! também será vendido por € 16.600 – o equivalente a R$ 61.268 – equipado com um motor 1.0 TGI compatível com gás natural. No entanto, a motarização mais econômica está disponível apenas para a versão em preto. Segundo a VW, o consumo médio de combustível é de apenas 2,9 kg de gás natural por 100 km. Consequentemente, as emissões de poluentes ficam mais baixas: são liberadas 82 g de CO2/ km.

Sem novidades no desempenho, hatches ganham apenas detalhes visuais e partem de R$ 53.040 e R$ 44.370, respectivamente

foto-imagem-up

A Volkswagen criou uma nova versão para os modelos Fox e up!, batizada de Run. Apesar do nome, a série apenas adiciona itens que remetem à esportividade, sem novidades no conjunto mecânico que façam diferença no desempenho dos carros. O Fox Run tem preço tabelado em R$ 53.040, enquanto o up! Run custa R$ 44.370. Como é baseado na versão 1.6 Comfortline, o pacote Run encarece o Fox em R$ 1.250, enquanto o up! Run fica R$ 1.180 mais caro do que o Move up! em que se baseia.

Com vendas previstas até outubro, a série especial investe no apelo esportivo. Tanto o up!quanto o Fox exibem faixas laterais com a inscrição “RUN”, bem como capa dos retrovisores de cor preto Ninja, faróis e lanternas escurecidos, rodas de liga leve aro 15″ (cinza escuras no up!) e pneus de baixa resistência ao rolamento. O Fox Run, inspirado na versão Comfortline 1.6, conta ainda com grade dianteira tipo colmeia de cor preto brilhante e adesivo preto emoldurando a placa traseira.

As diferenças internas aparecem na forração preta de colunas e teto e revestimento de couro no volante e nas alavancas do câmbio e do freio. O up! tem ainda um aplique no painel alusivo à série, o que também aparece nos bancos dianteiros de ambos. Entre os itens de série doup!, baseado no Move up!, estão ar condicionado, direção elétrica e vidros dianteiros, travas e retrovisores elétricos. O pacote “Run completo” oferta sensores de estacionamento e sistema de som com quatro alto-falantes e dois tweeters.

O Fox conta com os mesmos itens de série, além do sistema de infotainment Composition Touch. Entre os opcionais estão os sistemas Composition Media e Discover Media, rodas de aro 16″ e o módulo Tecnológico, que integra controlador de velocidade, sistema coming&leaving home, retrovisor interno eletrocrômico e sensores de chuva e crepuscular. Das cores sólidas, apenas a vermelha, Tornado, é diferente. As metálicas são prata Sargas e azul Silk.

As cores disponíveis são branco Cristal, vermelho Flash e preto Ninja, sólidas, e prata Sirius e a nova azul Lagoon, metálicas. Sobre a expectativa de vendas, representantes da Volkswagen se limitaram a dizer que “historicamente, as séries especiais representam um incremento de cerca de 10%.”

Desempenho

O up! é equipado com motor 1.0 de 82 cv e tem câmbio manual ou automatizado de cinco velocidades. Nos nossos testes, o up! manual precisou de 14,4 segundos para chegar aos 100 km/h e rodou 9,2 km com um litro de etanol na cidade e outros 12,7 km na estrada.

Já o Fox conta com um 1.6 de 104 cv e transmissão manual ou automatizada de cinco velocidades. Nessa configuração, o hatch chegou a 100 km/h em 10,3 segundos e registrou médias de consumo de 12,5 km/l na cidade e 16,9 km/l na estrada.

Como não ganharam novidades mecânicas, o desempenho das versões Run deve ser bastante parecido com o que já aferimos em outras configurações.

Motor estará no novo up! esportivo que chega em junho às lojas e também no cross up!; Além do três cilindros turbinado, marca apresenta o novo 6.0 W12 de 608 cv

foto-imagem-up-volksA Volkswagen está investindo em uma ampla renovação de seus motores, desde os de baixa cilindrada até os mais encoparpados. Uma das novidades da área de powertrain da alemã é o novo motor 1.0 três cilindros TSI. Com injeção direta e turbocompressor, o motorzinho tem o DNA do Polo WRC pode entregar até 272 cv e 37,32 kgfm de torque.

Segundo o Dr. Heinz-Jakob Neusser, Chefe Mundial de Desenvolvimento de Powertrain da marca, “esse é um bom exemplo de o quanto os motores de combustão potenciais ainda têm em si”. Embora na Europa a montadora não tenha detalhado os modelos que empregarão o propulsor, no Brasil já foi confirmado que ele estreia em junho, sob o capô de uma versão apimentada do up!. Infelizmente, para equipar o compacto sua calibração será bem mais mansa: segundo nossas apurações, o motor renderá algo entre 101 cv e 104 cv de potência e cerca de 17 kgfm, disponíveis antes dos 2 mil giros. Números mais modestos, mas que estão de bom tamanho para apimentar a condução de um compacto leve, de apenas 938 kg.

Por aqui, os modelos turbinados receberão o sobrenome TSI. Embora o configurador da marca aponte uma nova versão Speedup!. É porque a motorização não será restrita ao modelo esportivo. O aventureiro cross up! também será equipado com o motorzinho e terá lançamento na mesma época.

Novo 12 cilindros

Além do novo três cilindros turbinado, a Volkswagen também deu detalhes sobre um motor que deve ficar no outro extremo da gama. A nova geração do propulsor 6.0 W12 da marca promete ser o “12 cilindros mais econômico do segmento de carros de luxo e esportivos”, e será usado pela Volkswagen, Audi e Bentley.

A unidade será capaz de render até 608 cv de potência a 6.000 rpm e 91,7 kgfm de torque, a partir dos 1.500 giros. Para “beber” de forma contida e emitir menos de 250 g/km de CO2, o motor funcionará associado ao recurso start-stop e também de desativação de cilindros individuais. Além disso, ela emprega a tecnologias de injeção direta dos motores da Audi, injeção multiponto da Bentley a outros componentes e sistemas de otimização do processo usados nos motores da família TSI. Segundo a Volkswagen, dependendo do veículo, o conjunto tem capacidade de bater a meta dos 0 a 100 km/h em menos de 4 segundos, e fazer a velocidade alcançar uma máxima de 300 km/h. É bem provável que esse motor equipe o novo SUV da Bentley.

VW CrossUp! subcompacto adere à proposta off-road

foto-imagem-crossup

Antes de lançar o CrossFox, em 2005, a VW resistia ao que seus diretores chamavam de “carro de mentira”, aquele cuja aparência sugere algo que ele não é capaz de entregar, como é o caso da maioria dos modelos que ficaram conhecidos como aventureiros urbanos. De lá para cá, porém, a fábrica não só deixou de lado essa posição como aderiu de vez ao conceito. No Salão do Automóvel, a Volks lança o CrossUp!, o quarto modelo desse tipo no Brasil. Os outros, além do CrossFox, são o SpaceCross e a Saveiro Cross.

Quando o CrossFox chegou, ainda se viu um esforço para deixar o carro mais robusto. O hatch veio com vão-livre elevado, calços na suspensão e pneus maiores. Agora as mudanças são apenas cosméticas. O CrossUp! se diferencia dos outros Up! nos detalhes prateados (em para-choques, retrovisores e rack), nos apliques de plástico preto (nas caixas de roda e soleiras) e nas rodas esportivas. Até os pneus 185/60 R15 são os mesmos do HighUp! – com o estepe seguindo do lado de dentro. Segundo o desig ner Luiz Veiga, o estepe na traseira não combinava com as linhas do Up!. Na cabine, os bancos têm revestimento exclusivo de tecido com laterais de vinil. E a alavanca do câmbio traz o nome da versão na parte superior, junto do mapa das marchas. O CrossUp! é apresentado com as duas opções de câmbio: manual e automatizado I-Motion, ambos com cinco marchas. A carroceria será sempre na versão de quatro portas.

Ao volante, não há mudanças. O CrossUp! é um carro equilibrado, obediente e bem-apoiado no chão. O desempenho do motor 1.0 é bom para a categoria. O HighUp!, testado no comparativo na página 56, fez de 0 a 100 km/h em 15,2 segundos. E conseguiu as médias de consumo de 14,1 km/l na cidade e 17,8 km/l na estrada.

Por R$ 38 040, o CrossUp! herda ainda o mesmo conteúdo do HighUp!, que custa R$ 36 790, com computador de bordo, sensor de ré, faróis de neblina e Isofix. Ar-condicionado, bancos de couro, sistema de som, alto-falantes e central multimídia são opcionais.

Compacto Up! será lançado ano que vem

Volkswagen confirma lançamento de modelo para o mercado europeu

A Volkswagen confirma que irá lançar a versão de produção do compacto Up! em 2011. O carro deverá chegar às concessionárias da marca na Europa no final do próximo ano. Sua estréia oficial está marcada para o Salão de Frankfurt, que acontece em setembro. Caberá ao modelo substituir o compacto Lupo e o Fox nacional, que é importado do Brasil ao Velho Continente.

Nas fotos dessa página é possível notar um pouco do que será o compacto, por meio deste conceito E-Up!, uma versão elétricaBMW do carrinho, que vai ganhar variantes de quatro portas, um sedã e possivelmente uma minivan. A versão elétrica é esperada para 2013 e terá como grande rival o Megacity, popular elétrico que chegará ao mercado europeu também em meados de 2013.

Fonte: Revista AutoEsporte

Honda e Volkswagen investem na corrida pelos carros elétricos

Japonesa planeja lançar um modelo elétrico e um híbrido plug-in em 2012. Já a alemã anunciou os modelos E-Up, o E-Golf e o E-Jetta para 2013.

O mercado elétrico de veículos deverá ganhar novos fortes concorrentes nos próximos anos. Dois anúncios feitos nesta semana confirmam, mais uma vez, que a tecnologia é a grande aposta das fabricantes de veículos em médio prazo. A Honda planeja lançar um modelo elétrico e um híbrido plug-in nos EUA e Japão em 2012. Já a Volkswagen aposta no lançamento dos modelos E-Up, o E-Golf e o E-Jetta em 2013.

A japonesa Honda também renovará seus motores e transmissões para alternativas com maior eficiência de combustível. Em entrevista à imprensa no Japão, nesta terça-feira (20), o CEO da Honda, Takanobu Ito, afirmou que para 2012 está previsto para o mercado europeu a chegada de um pequeno motor a diesel.

No caso da Volkswagen, as apostas estão concentradas nas tecnologias híbrida e elétrica. Também durante uma coletiva de imprensa nesta terça-feira, o CEO da Volkswagen, Martin Winterkorn, anunciou o lançamento do modelo Jetta e sua versão híbrida nos Estados Unidos. Além disso, Winterkorn ressaltou que a fabricante alemã pretende que, até 2018, 3% das suas vendas globais sejam de modelos elétricos.

Fonte: GazetaWeb