Arquivo da categoria: Honda

Versão mais forte na gama da família de médios ganhou uma versão em Lego feita com mais de 320 mil peças

Mais um carro ganha versão em bloquinhos de Lego: agora é a vez do hatchback Honda Civic Type R. A versão tem tamanho real, pesa aproximadamente 1.300 kg e foi feita especialmente para o programa australiano Lego Masters.

A montagem foi feita por uma equipe de nove pessoas e teve duração de mais de 1300 horas de trabalho.

O conjunto de 320 mil peças que formam o modelo tem como um dos principais destaques o controle tecnológico feito pelo Ipad. O tablet regula o funcionamento dos faróis, DRLs, luzes de neblina, setas, freios e luzes de ré.

“Das luzes funcionais e indicadores, passando pelos complexos logos Honda feitos de Lego, construir os detalhes do modelo foi uma diversão para nós”, afirmou Ryan McNaught, responsável pela criação e direção do projeto.

A estrutura contém uma base de ferro e peças regulares que foram coladas camada a camada, de cima a baixo.

De acordo com a marca, os itens que apresentaram maior dificuldade para serem construídos foram: limpadores de para-brisa e asa traseira, pela fragilidade e necessidade de sustentação, respectivamente.

A partir do dia 28 de abril, o brinquedo poderá ser visto no programa televisivo do canal Channel Nine, na Austrália.

Sedã de luxo passa a usar o propulsor turbinado derivado do Civic Type R

Mais de um ano após ter sido lançado nos Estados Unidos, o novo Honda Accord estreia no Brasil em pacote único de equipamentos, por R$ 198.500. O modelo foi apresentado durante o Salão do Automóvel de São Paulo.

Por aqui a décima geração do sedã virá com o mesmo motor 2.0 turbo do Civic Type R, mas recalibrado para 256 cv e 37,7 mkgf. O antigo V6 3.6 aspirado, que foi aposentado no modelo, gerava 280 cv e 34,6 mkgf, respectivamente.

O câmbio é o novo automático de dez marchas desenvolvido pela Honda que havia estreado na minivan Odyssey.

A novidade fica por conta do pacote de equipamentos, que conta pela primeira vez com controlador de velocidade adaptativo com frenagem de emergência e assistente de permanência na faixa.

O aumento do entre-eixos melhorou o espaço para quem vai atrás

Os bancos de couro têm ajuste elétrico para o motorista. A versão manual (foto), no entanto, não será oferecida no Brasil

O carregador de celular por indução está entre os itens de série no país

O porta-malas tem 472 litros de volume

Nova geração do sedã chega às lojas em agosto

foto-imagem-honda-civic

A Honda colocou hoje (11) no ar um site de lançamento para o novo Honda Civic. O sedã chega às lojas brasileiras em 25 de agosto, segundo já apuramos com concessionários. O evento de apresentação do carro para a imprensa está marcado para o dia 20 do mesmo mês. O site oferece um espaço para cadastro de dados, como email e telefone, para receber futuras informações sobre o lançamento.

A décima geração do Civic chega com um visual mais arrojado, repleta de tecnologia e um novo conjunto mecânico, com direito a motor turbo e câmbio CVT. Ela promete dar trabalho ao líder do segmento de sedãs médiosToyota Corolla e ao recém-lançado novoChevrolet Cruze.

Construído sobre uma nova plataforma, o novo Civic ficou maior e mais robusto. Ele é 5 centímetros mais largo e 2,5 cm mais baixo que a geração atual. O entre eixos também aumentou em 3 centímetros, o que garantiu mais espaço para os ocupantes. Agora, o sedã oferece cinco centímetros a mais para os joelhos dos passageiros traseiros. O porta-malas também cresceu e agora comporta 427 litros.

foto-imagem-civic-sedan

Na nova geração, o Civic dará adeus ao motor 1.8, que equipa a atual versão de entrada do sedã. O quatro cilindros 2.0, no entanto, permanece na gama, provavelmente atualizado para equilibrar melhor o consumo, mas com os mesmos 155 cv de potência. No entanto, a grande novidade em termos de motorização é o novo 1.5 turbinado. Além do turbocompressor e da injeção direta, no Brasil ele terá tecnologia bicombustível. O rendimento fica próximo ao do motor a gasolina, que entrega 176 cv de potência e 22,4 kgmf de torque, disponíveis a partir de 1.800 rpm. Já o atual câmbio automático de seis marchas será substituído por uma caixa CVT, para garantir melhor consumo de combustível, que hoje deixa a desejar.

HONDA CITY CHEGA À LINHA 2016 MAIS EQUIPADO E NOVA CENTRAL MULTMIDIA COM NAVEGADOR GPS

foto-imagem-honda-city

A Honda apresentou a linha 2016 do City, que chega às lojas da marca no próximo mês de fevereiro. Sem qualquer alteração visual, o sedã ficou mais equipado em todas as versões, com destaque para os seis airbags da versão topo de linha EXL. Os preços do modelo ainda não foram divulgados.

Desde a versão mais básica, DX, o City adota chave canivete, para-brisa degradê, ajuste de profundidade da coluna de direção, painel de instrumentos e visor do rádio com iluminação branca e retrovisores na cor da carroceria. Em seguida, a LX ganha comandos de áudio no volante e maçanetas internas cromadas.

As principais novidades, no entanto, estão para as configurações mais caras do sedã. O City EX passa a ter volante revestido em couro e apoio de braço dianteiro com porta-objetos. Já a topo de linha EXL ganha airbags de cortina, totalizando seis bolsas de proteção além das quatro laterais e frontais, e uma nova central multimídia com tela de 7 polegadas sensível ao toque com conexões Bluetooth, Wi-Fi, USB, auxiliar e micro SD. O novo sistema reproduz ainda a imagem da câmera de ré e, enfim, adiciona navegador GPS (inexistente na linha 2015).

foto-imagem-honda-city

No mais, todas as versões são equipadas com acionamento elétrico dos vidros, das travas e dos retrovisores externos, ar-condicionado (manual para DX e LX e digital touchscreen para EX e EXL), direção elétrica e ancoragem ISOFIX e LATCH para cadeirinhas infantis. O modelo permanece com o mesmo conjunto mecânico. O motor é o 1.5 i-VTEC FlexOne de até 116 cv de potência e 15,3 mkgf de torque, enquanto a transmissão é manual de cinco marchas para a versão DX e automática CVT para as demais – apenas a EX e a EXL têm aletas atrás do volante para trocas manuais.

foto-imagem-honda-city

 

HONDA REVELA O NOVO HANDA CIVIC 2016

foto-imagem-honda-civic-concept

O Salão de Nova York foi o palco escolhido pelaHonda para revelar o visual da próxima geração do Civic. Apresentado ainda sob a forma de carro conceito, a décima geração do sedã tenta resgatar o DNA esportivo da marca perdido nas últimas gerações do Civic. Basta olhar para a dianteira agressiva, os parachoques robustos, a carroceria cheia de vincos e o spoiler traseiro para perceber que o modelo de fato voltou às origens.

foto-imagem-honda-civic-concept

Segundo a montadora, além do visual arrojado, o carro terá uma dinâmica ainda mais afiada. Ele será construído sobre uma nova plataforma global e estreará o novo motor 1.5 VTEC, com turbo e injeção direta desenvolvido pela marca. O quatro cilindros será oferecido em conjunto com o câmbio manual de seis marchas ou a caixa CVT, de relações continuamente variáveis. Com isso, a Honda espera melhorar as médias de consumo e emissões do carro, sem abrir mão do desempenho e da esportividade.

foto-imagem-honda-civic-concept

É a primeira vez que o desenvolvimento global do sedã e do coupé são liderados pelo time de engenharia e design da Honda dos Estados Unidos, alocados em Los Angeles e Ohio, respectivamente. O novo Civic deve chegar ao mercado norte-americano no segundo semestre deste ano, com uma linha composta pelo sedã, coupé, hatchback e pelas versões esportivas Si e Type R. No Brasil, a novidade deve chegar um pouco depois, quase na metade do ano que vem.

Por aqui, o motor 1.5 a gasolina será convertido em flex para equipar as versões mais caras do modelo. Esse motor pode gerar até 204 cv, mas a Honda usará um ajuste mais brando. O câmbio CVT também será adotado, inclusive para casar com o motor 1.8, nas configurações de entrada da linha. A dupla acaba de estrear sob o capô do HR-V, tendo um rendimento de 139 cv com etanol e 140 cv com gasolina.

foto-imagem-honda-civic-concept

Líder de desenvolvimento do esportivo de 310 cv da Honda, Hisayuki Yagi

foto-imagem-hondaHisayuki Yagi é o líder de desenvolvimento global do hatch mais rápido da Honda – o Civic Type R, lançado durante o Salão de Genebra, na Suíça. Os números do modelo impressionam: são 310 cavalos de potência, velocidade máxima de 270 km/h e aceleração de 0 a 100 km/h em 5,7 segundos. O executivo conta como foi criar e desenvolver o carro e revela que outros carros da marca seguirão o caminho do esportivo. “O consumidor pode esperar por mais motores turbo em linhas de produção da Honda”.foto-imagem-hondaVocê pode contar um pouco sobre o processo de criar e desenvolver o novo Civic Type R?

Ele foi desenvolvido de uma forma completamente diferente da maneira que desenvolvemos carros de produção em massa. Normalmente, nós já sabemos que existe um mercado e é claro que nós tentamos atingir esse mercado. Sendo assim, nós não sabemos como será o consumidor do Type R. Esse é o carro que nós gostaríamos de expressar o nosso DNA. O conceito do Type R é de um carro de corrida que também pode ser dirigido em ruas urbanas. Esse conceito sempre esteve em nosso sangue. A proposta é completamente diferente de um carro normal de produção. Até porque esse é realmente um carro de alta performance.

O que mudou no Type R comparado ao Civic tradicional?

Para ser objetivo, a performance dinâmica, que está em um nível completamente diferente neste carro.

O motor poderia ser mais potente? A marca escolheu que o carro tivesse menos potência para poder andar nas ruas?

É claro que tecnicamente é possível ter mais cavalos, mas não fazia sentido ter mais potência no motor se isso não oferecesse uma performance dinâmica melhor. São 310 cavalos – é o melhor equilíbrio com a melhor performance em um carro e foi por isso que nós escolhemos essa especificação.

Manter a tração dianteira foi difícil?

Esse foi um dos itens desafiadores para a Honda por ser a primeira em veículos de tração dianteira. Ser rápido em uma pista de corrida com carro de tração dianteira é muito difícil e muito desafiador. É claro que é mais fácil para veículos com tração nas quatro rodas ou com tração traseira. Então, esse foi um dos desafios para a Honda. Criar o carro que tenha a máxima performance de tração dianteira no mundo.

foto-imagem-honda

Quantas unidades a marca pretende vender?

Nós vamos vender quanto o cliente quiser [risos]. Não há limites. Quanto mais o cliente quiser o carro, mais nós iremos produzir.

O modelo vem para o Brasil?

Se os brasileiros quiserem o Civic Type R, nós iremos considerar.

Esse 2.0 é o primeiro turbo da linha Type R. Veremos mais motores turbo da Honda?

O meu papel é desenvolver o carro e não tomar decisões estratégicas relacionadas ao negócio. Mas você pode esperar mais motores turbo em linhas de produção da Honda no futuro. Sempre depende da demanda da região de onde queremos trabalhar. Se fizer sentido por legislação ou por comportamento de direção usar motores turbo, iremos fazê-lo. Se não, utilizaremos essas tecnologias em motores aspirados. Nós, é claro, escolheremos a melhor solução. Iremos produzir quando houver demanda.

foto-imagem-honda

Novo honda civic black edition no Reino Unido

foto-image-honda-civic-black-editionA Honda anunciou a chegada do pacote Black Edition ao Civic em sua gama do Reino Unido. Como o nome sugere, o modelo ganha diversos detalhes em preto, como saias laterais, retrovisores externos, spoiler traseiro e até as rodas de liga-leve.Sob o capô, duas opções estão disponíveis. Uma delas é o motor 1.6 i-DTEC (movido a diesel), oferecendo 118 cavalos de potência e 30,6 kgfm de torque; a outra conta com bloco 1.8 i-VTEC (movido a gasolina), entregando 140 cv e 17,7 kgfm.

De acordo com a Honda, o pacote Black Edition está disponível aos clientes por 249 libras esterlinas ao mês, num período de três anos, mais um depósito único de 500 libras.

foto-image-honda-civic-black

Novo honda Fit

foto-imagem-fitA Honda confirmou nesta sexta-feira, 4 de abril, o lançamento do novo Fit no final de abril. Lançado em 2001, o modelo chega a sua terceira geração com design mais esportivo, mais moderno e bem equipado.

O carro será vendido em quatro versões de acabamento (DX, LX, EX e EXL), com opção de transmissão manual ou automática do tipo CVT (continuamente variável). Visualmente, o Fit inaugura a nova identidade visual da marca, que será aplicada nos futuros lançamentos da Honda. Frente a seu antecessor, os faróis ficaram menores, a grade frontal foi completamente redesenhada (a peça, aliás, é exclusiva do modelo nacional) e as lanternas agora têm uma extensão que envolve parte das colunas “C”. No geral, o carro perdeu um pouco o ar de minivan, graças ao design mais esportivo.

O interior também foi completamente renovado, adotando traços mais retilíneos. A versatilidade continua sendo uma de suas marcas registradas, com o sistema de rebatimento do banco traseiro ULT (Utility Long Tall), agora incluindo o modo “Refresh“, que permite reclinar totalmente os bancos do motorista e do passageiro da frente.

foto-imagem-honda-fit

 

O Fit chega às revendas somente na motorização 1.5 i-VTEC, entregando até 116 cv a 6.000 rpm e torque máximo de 15,3 mkgf a 4.800 rpm se abastecido com etanol. O conjunto, que já era utilizado no modelo anterior, passou por várias melhorias, incluindo aumento da taxa de compressão, comando de válvulas redesenhado e redução no atrito e no peso, aumentando o torque em baixa rotação e melhorando os números de aceleração e consumo. Ele também traz a tecnologia Flex One, que dispensa o reservatório de partida a frio.

A marca ainda não divulgou a lista completa dos itens de série e opcionais, mas revelou que as versões EX e EXL terão sistema de som com rádio AM/FM e tela LCD de cinco polegadas, integrando Bluetooth, câmera de ré, reprodução de arquivos nos formatos MP3 e WMA e entradas auxiliares P2 e USB. Já a versão LX terá rádio AM/FM com entrada USB. Direção com assistência elétrica e cintos de segurança de três pontos para todos os ocupantes fazem parte da lista de equipamentos de série para todas as versões.

O novo Fit terá sete opções de cores, incluindo a inédita tonalidade metálica Azul Netuno. Assim como no antigo modelo, a garantia será de três anos sem limite de quilometragem. Os preços variam entre R$ 49.900 no Fit DX com câmbio manual e R$ 65.900 no Fit EXL com transmissão CVT.

Veja abaixo a lista de preços da linha Fit 2015:

Honda Fit DX (manual): R$ 49.900
Honda Fit DX (CVT): R$ 54.500
Honda Fit LX (manual): R$ 54.200
Honda Fit LX (CVT): R$ 58.500
Honda Fit EX (CVT): R$ 62.900
Honda Fit EXL (CVT): R$ 65.900

Novo acessórios do Honda Mugen

foto-magem-Honda-Mugen

Poucos dias após o vazamento de um catálogo na internet, a Mugen revelou sua linha de acessórios para o Honda Vezel – alguns de gosto bastante duvidoso, aliás.

Recém-apresentado no Japão, o utilitário esportivo compacto pode ser equipado com spoilers dianteiro e traseiro, saias laterais, entradas de ar e sete tipos de rodas de liga leve, com tamanhos de até 18 polegadas.

foto-magem-Honda-Mugen

A lista ainda inclui cobertura de fibra de carbono para o espelho retrovisor, calhas de chuva, tampa do radiador de alta pressão, fluido de freio para alta performance, sistema de escapamento feito de titânio e manopla de câmbio que imita fibra de carbono.

Todos os itens podem ser encomendados em pré-venda no Japão juntamente com o Vezel. A Honda já confirmou a produção do modelo no Brasil, ainda sem data definida.

Novo SUV deve se chamar CR-U da Honda

foto-imagem-suv

Uma das estreias mais aguardadas para o Salão de Tóquio de 2013, com abertura prevista para a próxima sexta-feira (22), é o novo SUV compacto da Honda. Apresentado como carro-conceito (foto) em Detroit, no início do ano, o modelo deverá chegar ao mercado em 2014 como CR-U.

A informação foi veiculada pelo site Honda and Acura Fans, que menciona a produção do utilitário na China já a partir de 2014. A tendência, porém, é de que o nome CR-U seja adotado em todos os mercados do planeta.

Apesar de a montadora ainda não dar detalhes oficiais sobre o fato, a expectativa é de que o futuro Honda CR-U também seja fabricado no Brasil.