Arquivo da categoria: recall

Recall do Corolla no Brasil

Ação abrange modelos produzidos de março de 2008 a dezembro de 2010.
Sistema de partida a frio pode ter defeito; risco é de vazamento de gasolina.

A Toyota do Brasil informou neste domingo que o recall do modelo Corolla atinge 145.466 unidades produzidas entre março de 2008 e dezembro de 2010. A campanha foi anunciada neste sábado e abrange as versões XLi, GLi, XEi, SEG e ALTIS.

De acordo com a fabricante, o problema está na mangueira do sistema de partida a frio do carro, que pode provocar o vazamento de gasolina. Há ainda a possibilidade remota de ocorrer incêndio somente se, simultaneamente ao vazamento de combustível, existir a presença de agente produtor de faísca.

Os proprietários dos veículos envolvidos devem procurar uma loja da rede de concessionárias a partir desta terça-feira (1º). A Toyota recomenda o agendamento prévio do reparo.

Confira os números de chassi dos carros envolvidos no recall
Código do chassi Últimos sete dígitos
9BRBB42E09 ~ 9BRBB42EX9 5000542 ~ 5055571
9BRBB48E09 ~ 9BRBB48EX9 5000541 ~ 5055592
9BRBB42E09 ~ 9BRBB42EXA 5055598 ~ 5116530
9BRBB48E09 ~ 9BRBB48EXA 5055594 ~ 5116529
9BRBD48E0A ~ 9BRBD48EXA 2500002 ~ 2500007
9BRBB42E0A ~ 9BRBB42EXB 5116534 ~ 5151708
9BRBB48E0A ~ 9BRBB48EXA 5116531 ~ 5126284
9BRBD48E0B ~ 9BRBD48EXB 2500008 ~2525074

Segundo o comunicado da Toyota, devido a uma não conformidade na fabricação da mangueira, esta pode vir a deteriorar-se, gerando pequenas fissuras através das quais podem ocorrer vazamentos de gasolina.

Para mais informações, a Toyota disponibiliza o Serviço de Assistência ao Cliente no telefone 0800 703 02 06 ou a página na internet www.toyota.com.br.

No ano passado, 117.428 unidades do Corolla foram convocadas no Brasil por problemas na fixação do tapete.

Fonte: G1

O pesadelo do carro zero quilômetro

A maioria dos brasileiros tem o sonho de comprar um carro novo. No entanto, com a infinidade de recalls que estamos tendo ultimamente, não é difícil que o sonho se torne um pesadelo.

O recall nada mais é do que a confissão por parte das montadoras de que inseriram no mercado carros com problemas que colocam em risco a segurança dos consumidores. Os exemplos mais comuns são falhas nos pneus, nos freios, na direção, no câmbio, nas partes elétricas, dentre outras. Os vícios que ensejam o recall podem provocar acidentes graves que comprometem a segurança não só daqueles que estão dentro dos carros mas também de todas as pessoas que estão próximas.

O Denatran vai fazer constar na documentação dos veículos convocados, e não submetidos ao recall das montadoras, uma anotação que, além de prevenir o consumidor de riscos, acabará incentivando seu comparecimento às concessionárias, pois dificultará a venda dos veículos que tiverem problemas.

Os números de convocações de proprietários de veículos com problemas em 2010 praticamente dobraram em relação aos anos anteriores e neste ano também já foram vários os chamamentos, o que demonstra, a nosso ver, uma banalização dessa providência.

Cabe às montadoras dotar seu processo produtivo de segurança e realizar todos os testes de campo, que permitam a colocação de veículos seguros no mercado. A concorrência entre elas e a pressa no lançamento de novos modelos tem provocado tantos chamamentos. O que deveria ser a exceção acabou virando regra.

Além do recall, utilizado para falhas mais graves, existem inúmeros outros vícios em veículos que aborrecem os consumidores. Não é incomum o carro sair da fábrica com um barulho que dificilmente as concessionárias têm boa vontade para resolver. Problemas menos graves também levam os consumidores inúmeras vezes às concessionárias, fazem com que eles fiquem dias a pé, e causam diversos aborrecimentos.

Cumpre às montadoras inserir veículos novos em perfeitas condições no mercado. Se isso não acontecer, elas respondem objetivamente pelos danos que acarretarem.

Todos os gastos com locomoção que o consumidor tiver enquanto o veículo estiver submetido ao conserto deverão ser arcados pelas montadoras. Da mesma forma, se as concessionárias não conseguem por várias vezes resolver o problema, podem os consumidores buscar no Judiciário uma ordem para que a montadora solucione a falha sob pena de multa, caso isso não aconteça no prazo assinalado.

De acordo com o artigo 18 do CDC, se o problema apresentado não for solucionado dentro do prazo máximo de trinta dias, o consumidor poderá optar pelo desfazimento do negócio, pelo abatimento do preço do veículo ou pela sua substituição por outro em perfeito estado.

É bom ter em mente que os problemas apresentados pelos veículos novos, ressalvado o mau uso por parte do consumidor, são da exclusiva responsabilidade das montadoras. Todos os gastos e transtornos experimentados pelos consumidores poderão ser ressarcidos, sem prejuízo do desfazimento do negócio nos casos de problemas graves que não tenham solução e que impliquem na desvalorização do bem adquirido.

Arthur Rollo é advogado e doutor em direito pela PUC/SP.

Fonte: Repórter Diário

100 mil carros no recall – Cadillac CTS da General Motors está com problemas no airbag


Ação envolve modelo Cadillac CTS fabricado entre 2005 e 2007.
Sensores responsáveis pela ativação do sistema serão trocados.

A fabricante norte-americana de veículos General Motors (GM) retirou cerca de 100 mil veículos nos Estados Unidos, principalmente por problemas com o airbag de sua marca de luxo Cadillac, segundo um comunicado publicado nesta quinta-feira (23) no site da Agência de Segurança Rodoviária (NHTSA).

A GM fez o recall de 95.927 sedãs Cadillac CTS de 2005 à 2007 para corrigir o mau funcionamento dos sensores responsáveis pela ativação do airbag em caso de colisão, “que aumentavam os riscos de lesões e de gravidade dos acidentes”, explicou a nota.

Os proprietários dos veículos foram convidados a se dirigir a uma concessionária que substituirá, se necessário, o sistema de sensores.

A GM também retirou das ruas 1.262 modelos 2011 dos 4X4 Cadillac Escalade, pick-up Chevrolet Avalanche e Chevrolet Silverado por problemas de suspensão.

O modelo não é vendido no mercado brasileiro.

Fonte Auto Esporte

Prazos para montadoras informarem recall

Fabricantes terão até 60 dias para avisar Denatran sobre atendimento.
DPDC e Gepac lançam guia sobre direitos do consumidor em recalls.

Uma nova Portaria publicada nesta sexta-feira (17) pela Secretaria de Direito Econômico (SDE), o Ministério da Justiça e o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) define prazos e obrigações das montadoras no processo de comunicação de atendimento ou não de recall para atualização do Registro Nacional de Veículos (Renavam).

Desde 1º de novembro é dever das fabricantes comunicar o governo, além do recall e as unidades envolvidas, quantas e quais unidades atenderam à convocação, para que o dado seja atualizado no novo Sistema de Registro de Avisos de Riscos e no Renavam. Os dados podem ser verificados no site do órgão, do mesmo jeito que se consulta a existência de multas e tributos.

De acordo com a portaria, as montadoras terão até 60 dias do início da campanha para encaminhar os relatórios eletrônicos de atendimentos. A informação referente ao recall será processada pelo Denatran e incluída no registro do veículo. As campanhas não atendidas após um ano vão passar a constar ainda no Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo.

A nova portaria estabelece também que os fornecedores serão obrigados a entregar ao consumidor documento que comprove o comparecimento ao recall, com detalhes do reparo e dados do atendimento.

O objetivo do sistema é permitir que um futuro comprador de um veículo usado possa checar se o mesmo deixou de passar por eventual recall. “Saúde e segurança é prioridade do Sistema Nacional de Defesa do Consumidor e responsabilidade de todos: estado, mercado e consumidores. O novo procedimento visa ampliar a transparência e contribuir para o aumento da efetividade das campanhas de recall”. afirma a diretora do DPDC, Juliana Pereira.

Todas as novas determinações passam a valer após 90 dias, a contar da data da publicação.

Guia sobre os direitos em caso de recall
O Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC) em conjunto com o Grupo de Estudos de Acidentes de Consumo (Gepac) lançou nesta sexta-feira (17) um guia sobre direitos do consumidor em casos de recall. A publicação intitulada ‘Entenda o Recall’ explica o conceito de recall, previsto no Código de Defesa do Consumidor, expõe as obrigações dos fornecedores e ressalta a importância de se atender ao chamado o mais rápido possível.

Fonte: G1

Recall da Freelander 2

São 2.019 unidades envolvidas no recall para verificar conexão elétrica do airbag

A Land Rover do Brasil convoca 2019 unidades do utilitário esportivo Freelander 2 para verificação e possível instalação de um espaçador no conector do airbag do motorista. No comunicado divulgado pela marca consta que uma falha elétrica faz com que a luz de advertência do air bag fique acesa e que, em caso de colisão, o equipamento pode não funcionar.

Não há prazo para atendimento à campanha e se o consumidor tiver qualquer qualquer dificuldade efetuar o reparo/substituição, deve procurar um órgão de defesa do consumidor. Confira abaixo os números de chassi envolvidos na convocação. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 0800-012-2733 ou pelo site www.landrover.com.br.

Modelos 2010
SALFA2BA2AH174205 a SALFA2BA1AH214189
Modelos 2011
SALFA2BA2BH206104 a SALFA2BD7BH204181.

Fonte: Revista AutoEsporte

Recall do Volvo XC60

Apenas 10 unidades estão incluídas no recall por possível falha no airbag

Por causa de uma possível falha no air bag lateral, a Volvo faz um pequeno recall do crossover XC60 envolvendo apenas 10 unidades vendidas no Brasil. O defeito pode ocorrer por causa da montagem feita de maneira que, em caso de acidente, as bolsas podem não sejam infladas com perfeição.

A convocação será comunicada por carta aos proprietários dos veículos envolvidos. O agendamento poder ser feito pelo telefone 0800 707 74590 ou pelo site da fabricante. Os números de série incluídos no recall vão do YV1DZ714692003297 até o YV1DZ445BB213835

Fonte: G1

Volkswagen convoca cerca de 49 mil unidades da Kombi para recall

Fabricante constatou possibilidade de trincas no sistema de escapamento.
Chamado atinge veículos de 2009 a 2011. Atendimento começa terça (23).

A Volkswagen do Brasil anunciou nesta segunda-feira (22) o recall do modelo Kombi, identificados abaixo de 2009 a 2011 (veja abaixo a numeração do chassis), para agendar, a partir desta terça-feira (23), a inspeção e instalação de suporte no sistema de escapamento. De acordo com a fabricante, a campanha atinge 49 mil unidades.

Confira os números dos chassis:
2009 9P 019 162 a 9P 999 999
2010 AP 000 001 a AP 999 999
2011 BP 000 001 a BP 013 884

Em comunicado, a fabricante afirma que constatou em algumas unidades a possibilidade do surgimento de trincas no sistema de escapamento. A utilização nessa condição pode causar a quebra do componente, provocando forte ruído. A insistência do uso nessa situação, em casos extremos, pode causar incêndio no compartimento do motor, diz a montadora.

Os proprietários envolvidos no recall também receberão cartas informando sobre o procedimento de recall. Para dúvidas e outras informações a marca disponibiliza o telefone 0800 019 8866 e o site www.vw.com.br.

Fonte: G1

Recall vai constar no Renavam

Falta de reparo poderá reduzir o valor de revenda

A partir de amanhã o governo vai criar o Sistema de Registro de Avisos de Risco de Veículos Automotores para os carros cujos proprietários não atenderam ao recall das fabricantes. Essa falta passará a constar no Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam).

Além disso, será responsabilidade das montadoras avisar quais clientes tiveram seus carros devidamente reparados para depois dar baixa no sistema durante um prazo que ainda não foi definido. Entre janeiro e agosto desse ano já foram feitos 38 recalls no Brasil, envolvendo um milhão de veículos no total. Mas, segundo estimativas, quase metade não atendeu às convocações.

Fonte: Revista AutoEsporte

Toyota diz que resolveu os problemas de aceleração involuntária

Fabricante incorporou novas tecnologias na linha e investiu em treinamento.
Marca japonesa afirma que casos de aceleração involuntária caíram 80%.

A Toyota anunciou nesta segunda-feira (4) que resolveu os problemas com mais de cinco milhões de veículos envolvidos nos três principais recalls da empresa este ano, incluindo unidades do Corolla no Brasil.

Em 1,8 milhão de unidades foram feitas correções no sistema de aceleração e em outros 3,1 milhão de veículos os tapetes passaram por reparos ou foram substituídos -caso do recall no Brasil. Além disso, 128 mil Prius e Lexus tiveram seu software de sistema antibloqueio de freio atualizado.

“A Toyota tem feito progressos significativos nos últimos meses para garantir que nossos clientes possam ter total confiança na qualidade, segurança e fiabilidade dos seus veículos”, afirmou o chefe de qualidade da Toyota na América do Norte, Steve Angelo.

Toyota diz que a partir de 2011, todos os seus veículos serão equipados com o sistema de freios Smart Stop e que abriu uma nova unidade norte-americana para treinar trabalhadores em como lidar com reclamações de clientes. A montadora afirma ainda que as novas medidas do controle de qualidade garantem que nenhum hardware defeituoso seja incorporado na linha da marca.

“Os esforços contínuos da Toyota para reforçar a qualidade do veículo e a segurança, e para responder rapidamente e completamente às preocupações de nossos clientes, são movidos por nossos valores fundamentais e sempre será uma parte fundamental de nossa empresa”, disse Angelo.

“Nosso objetivo é estabelecer novos padrões ainda mais elevados para garantir a qualidade e a receptividade do cliente continuando a colocar eles em primeiro lugar em tudo que fazemos.”
Como resultado de seus esforços, a Toyota afirma que as questões envolvendo aceleração involuntária caíram 80%.

Fonte: G1

Peugeot lança série especial 307 Millesim 200 – Recall 207 HB

Edição com 1.500 unidades comemora os 200 anos da marca.
Carro será vendido a partir desta quarta-feira (29), por R$ 54.500

A Peugeot anunciou nesta segunda-feira (27) a edição especial do 307 HB (hatchback) chamada de Millesim 200. A série é limitada a 1,5 mil unidades e festeja os 200 anos da marca francesa. O Millesim vem com GPS integrado ao painel e ao sistema de som, com entrada auxiliar para conexão com iPod, MP3 e Bluetooth, bancos esportivos em couro e aerofólio traseiro. O preço sugerido é de R$ 54.500. As vendas começam na próxima quarta-feira (29).

A denominação Millesim, explica a Peugeot, remete à expressão francesa “millésime”, que representa safras excepcionais de vinhos. O modelo será vendido nas cores preto e prata, com a inscrição “Millesim 200” nas portas dianteiras. O carro contará ainda com rodas de liga leve de 15 polegadas. O motor é o mesmo do 307 tradicional: 1.6 Flex 16V, que produz até 113 cv de potência com álcool.

Nesta segunda-feira, a Peugeot anunciou também o recall de 2.238 unidades do 207 HB fabricadas em 2009 e 2010, por um problema no fechamento do capô.

Fonte: AutoEsporte