Arquivo da categoria: Picape

Crossover compacto é parente do Jeep Renegade e já conta com o novo motor 1.3 turbo da FCA

A vinda do Fiat 500X para o Brasil é condicionada ao dólar: ele será importado somente se a cotação chegar ao patamar de R$ 3,30. Caso isso ocorra, o crossover tem boas chances de ser bem-sucedido no mercado brasileiro, principalmente pela reestilização, feita recentemente na Europa, e pelas motorizações, com os novos Firefly turbo da Fiat.

Exibido junto com a Toro no Salão do Automóvel e não muito longe do Jeep Renegade e do Compass, o 500X compartilha sua plataforma com a trinca fabricada em Goiana, Pernambuco. Tal fato poderia, a princípio, encorajar sua nacionalização, mas a Fiat tem planos de fazer ali um SUV de cinco lugares com base na Toro.

Inspirado visualmente no simpático Cinqüecento, o 500X ostenta medidas bem mais imponentes: são 4,25 metros de comprimento, 1,80 m de largura, 1,60 m de altura e 2,57 m de entre-eixos.

Externamente, os novos faróis full LED, disponíveis como opcionais, chamam a atenção. O conjunto de lanternas traseiras também foi redesenhado e agora se parece muito com o do novo Cinqüecento.

No interior, o volante é novo e mais ergonômico, e o painel gráfico foi atualizado. A central Uconnect tem tela de 7 polegadas e passa a oferecer suporte para as plataformas Google Android Auto e Apple CarPlay.

Paralelamente ao facelift, foram adotados dois novos motores turbo a gasolina da família Firefly — que usam o mesmo bloco do motor fabricado no Brasil com um novo cabeçote para proporcionar o trabalho com turbo. O propulsor 1.0 de três cilindros alcança 120 cv e 19,4 kgfm de torque, enquanto o de quatro cilindros, 1.3, vai a 150 cv e 27,5 kgfm de torque. No mercado europeu, o preço do 500X parte de 19.250 euros (R$ 74.700) e chega a 22.750 euros (R$ 109.600).

Se o 500X ainda é dúvida, os motores Firefly turbo estão confirmados para o Brasil. As versões aspiradas já são fabricadas em Betim (MG); porém, a adaptação ao turbo deve ser um pouco diferente da realizada na Europa. Por aqui, o cabeçote MultiAir (com controle elétrico das válvulas de admissão) pode dar lugar a um convencional, mas o turbo e a injeção direta serão mantidos. A estreia nacional das motorizações é esperada somente para 2020 e pode fazer a sua estreia no Renegade.

Sob o capô, o 500X tem uma boa lista de opções de motorização. No caso de propulsores a gasolina, além dos Firefly há o 1.6 eTorq de 110 cv acoplado a uma caixa de cinco velocidades. Já para o diesel, as opções são o 1.3 de 93 cv e o 1.6 de 120 cv, ambos da família MultiJet. Dependendo da versão, é possível acoplar uma transmissão de dupla embreagem e seis velocidades. Toda a gama já atende aos padrões de emissões do programa europeu Euro 6.

A segurança também foi melhorada na linha 2019, que agora inclui monitoramento da pista, função Speed Advisor — que ajusta a velocidade com base na leitura que a câmera faz da pista —, frenagem de emergência, alerta de ponto cego, controle de cruzeiro adaptativo e detector de tráfego transversal. Configurações mais completas podem contar ainda com abertura das portas e partida do motor sem chave, bancos e volante com aquecimento, monitoramento de ponto cego, alerta de colisão dianteira e de mudança de faixa, entre outros mimos.

À venda em mais de cem países, o 500X poderia se chocar com a comercialização do Renegade no Brasil. Os dois compartilham a plataforma, mas o 500X tem foco na utilização urbana, enquanto o Renegade é um modelo de uso misto, na lama ou no asfalto, e que exalta suas características off-road. O Fiat até pega uma trilha leve e tem opção de tração 4×4 adaptativa, com gerenciamento de modos, mas sem aquele gosto pela lama do Renegade diesel.

Como a maioria dos proprietários vai utilizar o 500X na cidade, a melhor pedida é o 1.0 turbo, que tem potência mais do que suficiente e torque para ir de zero a 100 km/h em 10,9 segundos. Inclusive, é imerso no trânsito que o novo Fiat 500X mostra sua agilidade. O motorzinho de três cilindros é esperto e o câmbio manual ajuda com os engates precisos.Para aqueles que precisam de força extra, o 1.3 quatro cilindros é mais ágil. O torque supera o do 1.4 TSI da Volkswagen em 2 kgfm, já a potência é a mesma. A arrancada de zero a 100 km/h é feita em 9,1 s.

Ambas as versões, no entanto, são silenciosas e elásticas o suficiente para ultrapassar qualquer tráfego. Além disso, a Fiat espera que os novos motores consumam pelo menos até 20% a menos do que os da geração anterior.

O modelo turbo faz um bom trabalho nas ultrapassagens e tem fluência para viagens mais longas. Na estrada, o comportamento foi aprimorado pelos inúmeros sistemas de segurança ativa, que tornam a condução mais relaxante e proporcionam redução do consumo e das emissões por rodar em baixas rotações.

A caixa automática de dupla embreagem se mostra interessante. A direção é sempre precisa e a frenagem passa sensação de segurança. A bordo, o Fiat 500X agrada e é bem superior às expectativas — principalmente em função da boa habitabilidade e da capacidade de carga. Seria uma ótima opção para os órfãos de peruas compactas.

Ficha técnica

Motor
Dianteiro, transversal, 1.3, quatro cilindros em linha, comando simples, turbo e injeção direta de gasolina

Potência
150 cv a 5.250 rpm

Torque
27,5 kgfm a 1.850 rpm

Câmbio
Automático de dupla embreagem e seis marchas; tração dianteira

Direção
Elétrica

Suspensão
Independente McPherson (diant.) e multilink (tras.)

Freios
Discos ventilados (diant.)
e sólidos (tras.)

Pneus
225/45 R18

Dimensões
Compr.: 4,26 m
Largura: 1,79 m
Altura: 1,69 m
Entre-eixos: 2,57 m

Tanque
48 litros

Porta-malas
350 litros (fabricante)

Peso
1.320 kg

Central multimídia
7 pol., sensível ao toque

Picape compacta da Volkswagen agora tem preços entre R$ 49.440 a R$ 82.180

As concessionárias da Volkswagen já estão vendendo a linha 2019 da Saveiro. Com a atualização de ano/modelo, os preços da picape compacta ficaram um pouco maiores, aumentando até R$ 1.620. Além disso, a gama de versões ficou mais enxuta e agora conta com seis configurações.

A versão de entrada da Saveiro, a Robust de cabine simples, motor 1.6 com 104 cv de potência e câmbio manual de cinco marchas, aumentou R$ 1.050, passando de R$48.390 para R$ 49.440. Tanto ela quanto a opção com cabine dupla receberam calotas com novo design. O modelo 2019 da Saveiro Trendline ganhou o mesmo “mimo”, além do novo valor de R$ 61.190, R$1.300 a mais do que antes.

Já a Saveiro Pepper, com cabide dupla, motor 1.6 de 104 cv de potência e câmbio manual de cinco marchas, teve o maior aumento. Se antes o modelo saia por R$ 73.290, agora passou a custar R$ 74.920. Tanto ela quanto a opção com cabine estendida (agora valendo R$ 71.610) não receberam atualizações.

A última mudança ficou por conta do modelo topo de linha da gama. A Saveiro Cross 2019 agora pode ser equipada com revestimento dos bancos em Native na cor marrom. Com um aumento de R$ 1.490, a picape passou de R$ 80.690 para R$ 82.180.

Todos os preços da Volkswagen Saveiro:

Saveiro Robust Cabine Simples 1.6 – R$ 49.440 (+ R$ 1.050)

Saveiro Trendline Cabine Simples 1.6 – R$ 61.190 (+ R$ 1.300)

Saveiro Robust Cabine Dupla 1.6 – R$ 61.780 ( + 1.330)

Saveiro Pepper Cabine Estendida 1.6 – R$ 71.610 (+ R$ 1620)

Saveiro Peppers Cabine Dupla 1.6 – R$ 74.920 (+ 1.630)

Saveiro Cross Cabine Dupla 1.6 – R$ 82.180 (+ R$ 1.490)

Linha mais enxuta

A gama de versões da Volkswagen Saveiro ficou mais enxuta em 2019. Com a atualização, o modelo perdeu três configurações: a Saveiro Trendline com cabine dupla e motor 1.6, Saveiro Highline com cabine dupla  a Saveiro Cross com cabine estendida.

Vazam novas fotos da Picape Fiat Toro na internet; será lançada no início de 2016

foto-imagem-fiat-toro

Uma das grandes novidades da semana foi a confirmação por parte da Fiat do lançamento da picape Toro para o início de 2016 em todo o mercado latino-americano. Eis que, poucos dias depois do anúncio, o modelo foi flagrado sem qualquer tipo de camuflagem dentro da fábrica da Fiat Chrysler Automobiles (FCA) em Goiana, Pernambuco.

foto-imagem-fiat-toro

As imagens foram divulgadas nas redes sociais e, conforme adiantado por QUATRO RODAS, mostram uma das características mais marcantes da Toro: a caçamba com tampa dividida em duas partes (divididas por um grande logotipo da Fiat), mecanismo muito pouco utilizado pela indústria automotiva ao longo dos tempos.

Na parte dianteira da Sport Utility Pick-up – termo utilizado pela própria Fiat para se referir ao modelo, destaque para o conjunto óptico, que parece bastante moderno, para uma discreta grade superior cromada e para grandes entradas de ar – dependendo da versão, podem ser inteiramente de plástico ou contar com detalhes cromados também.

Ainda não há informações oficiais a respeito do trem de força da picape, mas a tendência é de que as opções de motorização sejam as mesmas do Jeep Renegade, uma vez que a plataforma da Toro será derivada do SUV. Assim, são esperadas versões com propulsores 1.8 flex e 2.0 a diesel, com opções de cambio manual e automático.

Picape média é baseada no Duster, mas traz uma série de modificações e aperfeiçoamentos

foto-imagem-picape

A Renault acaba de divulgar os preços da Duster Oroch, sua picape intermediária derivada do SUV Duster. Os valores começam em R$ 62 290 (Expression 1.6) e chegam a R$ 72 490 (Dynamique 2.0). Ao todo, serão três versões: Expression 1.6 16V e Dynamique 1.6 16V e 2.0 16V. Com motor 1.6, o câmbio será manual de cinco marchas e no 2.0 terá o manual de seis marchas. Por enquanto, não haverá câmbio automático, e a tração será sempre dianteira.

A Dynamique vem equipada com rodas aro 16, piloto automático, sensor de estacionamento e a central multimídia Media NAV. Entre os itens opcionais, há apenas bancos de couro. Mas existem ainda acessórios que serão vendidos na rede de concessionárias, como o kit visual Outsider, que inclui protetor frontal com faróis adicionais, alargador de para-lamas, capota marítima e grade de proteção no vidro traseiro.

foto-imagem-picape

Baseada na plataforma do Duster, a Oroch é quase completamente nova da coluna central para trás. A suspensão traseira agora é multilink, para suportar melhor o peso carregado na caçamba sem prejuízo da dirigibilidade. Com chassis alongados e reforços nas colunas e travessas, o monobloco ganhou robustez e, melhor, ficou 15,5 cm maior na distância entre-eixos. Na nova traseira, há mais espaço para pernas, ombros e cabeça.

Atrás, no lugar do porta-malas, há a caçamba com maior capacidade volumétrica: são 683 contra 475 litros. Com um extensor de caçamba, que permite esticar o espaço útil até o limite da tampa aberta, esse volume sobre para 989 litros.

foto-imagem-picape

Em relação ao acabamento, a Oroch segue o padrão Duster. Há detalhes menos vistosos, como o plástico duro (na parte superior do painel), que revela a localização dos airbags, e o acabamento preto fosco dos raios do volante, que se desgasta com o tempo (e se torna preto polido). Por fim, ela herda ainda falhas do projeto do Duster, como a posição ruim dos botões do ar-condicionado e o puxador interno das portas traseiras, que não dão apoio suficiente.

foto-imagem-picape

VW Amarok e copiada de empresa Chinesa Jiangling

foto-imagem-empresa-jiangling

Apesar da nítida evolução em termos de design e qualidade de construção, algumas marcas chinesas continuam copiando o design de modelos europeus. O plágio da vez é a da Jiangling Motors, que lançou em seu país natal a T7 – praticamente um clone da VW Amarok.

Com início de produção programado para fevereiro, a picape será oferecida com duas opções de motorização: 2.2 a gasolina com 110 cv e 2.8 turbodiesel (fornecido pela japonesa Isuzu) de apenas 100 cv.

Esta não é a primeira vez que a Jiangling Motors Corporation (JMC) se inspira em um projeto feito na Europa. A montadora fabrica em conjunto com a também chinesa Changan o Landwind X7, que imita as linhas do Range Rover Evoque.

Nova picape Colorado Performance Concept

foto-imagem-chevrolet-colorado-performance-conceptA Chevrolet divulgou a nova picape Colorado Performance Concept, que será exibida no SEMA Show, a partir de 4 de novembro. O robusto foi desenvolvido com a consultoria do piloto de motocross Ricky Carmichael, e se adequa especialmente aos amantes do off-road e de esportes radicaisA ampla caçamba traz suportes que permitem o transporte de uma moto e de outra mountain-bike ao mesmo tempo. No entanto, a estrutura também pode acoplar caiaques, pranchas de surf, barracas, entre diversos itens.

A picape Colorado Performance Concept conta com motor V6 3.6, que entrega 305 cv. Já o design apresenta carroceria em cinza fosco, com detalhes em amarelo nas laterais e nas rodas de alumínio de 17 polegadas.

foto-imagem-picape

Câmbio automático – Ford EcoSport 2.0 – Utilitário esportivo ganha câmbio de dupla embreagem por até R$ 70.890

ecosport-2013-foto-imagemFamília da nova geração do EcoSport está crescendo rápido

A família da nova geração do EcoSport está crescendo rápido. A novidade mais recente é o câmbio automatizado com dupla embreagem e seis velocidades, disponível nas versões SE (63.390 reais) e Titanium (70890 reais).

ecosport-2013-Cambio-PowerShift-foto-imagemCâmbio PowerShift: seis marchas e trocas manuais por meio de botão na alavanca

Diferente do sistema banhado a óleo aplicado em superesportivos, a transmissão PowerShift da Ford é do tipo caixa seca, o que explica o ruído de trepidação típico de disco de embreagem ao trafegar com o Eco sobre paralelepípedo. Ainda assim, traz enorme vantagem diante do conjunto automatizado com embreagem simples, como o que o Chevrolet Agile acaba de receber.

ecosport-2013-Cambio-foto-imagemNovo câmbio só está disponível para o motor 2.0

Para realizar passagens de marcha rapidamente, o PowerShift engata a marcha superior simultaneamente ao desengate da que estava em uso. “É por isso que não se tem o incômodo efeito gangorra típico dos automatizados monoembreagem”, diz Fabio Okano, gerente de engenharia da Ford. Numa tocada esportiva, as trocas podem ser realizadas em 235 milésimos de segundo tanto no modo automático como no sequencial, por meio de um botão na lateral da alavanca seletora do câmbio de seis marchas.

O PowerShift mostrou ser o câmbio correto para o Eco 2.0 – cuja versão FreeStyle com câmbio manual foi avaliada em setembro. Confrontando os números de ambos, dá para notar um empate técnico na prova de aceleração, mas ampla vantagem do segundo nas provas de consumo urbano (7,9 ante 6,7 km/l) e rodoviário (10,4 e 8,8 km/l). Em tempo: o FreeStyle 1.6 manual consumiu 8,6 km/l de etanol na cidade e 10,4 km/l na estrada. Infelizmente, a combinação ideal entre mecânica (Duratec 2.0 e PowerShift) e versão de acabamento (FreeStyle) não será oferecida. Mas a própria gerente de marketing da Ford, Adriana Carradori, reconhece: “Se o consumidor indicar que precisa mesmo de um EcoSport FreeStyle 2.0 Powershift, a versão pode nascer já em 2013”.

Veredicto

Rápido e versatile, o câmbio PowerShift fez com que o motor 2.0 Duratec voltasse a ser encarado como uma boa opção.

Fotos Nova Chevrolet Blazer 2012

GM expõe conceito do utilitário em vitrine de fábrica no ABC Paulista

A Chevrolet apresentou em novembro passado em Dubai, nos Emirados Árabes, o conceito TrailBlazer, totalmente desenvolvido pela montadora no Brasil. No entanto, a divisão brasileira sequer falou sobre o modelo que deve desembarcar no Brasil até o final de 2012 como a nova geração da Blazer. No entanto, quem passar em frente ao Centro de Design da marca em São Caetano do Sul (SP), poderá ver de perto o utilitário esportivo.

O modelo repousa atrás de uma vitrine, onde se pode ver perfeitamente todas as suas linhas. Desenhado por brasileiros, ele tem a dianteira muito parecida com a nova geração da S10, que será apresentada à imprensa brasileira nos próximos dias. Já a traseira é totalmente inédita. O utilitário deve chegar ao mercado com motores flex e diesel, assim como a picape.

Extra-oficialmente, executivos da montadora confirmam a chegada do modelo ao mercado brasileiro entre o final deste ano e o início de 2013. O modelo de produção deverá ser exposto no Salão do Automóvel de São Paulo, que acontece entre os dias 24 de outubro e 4 de novembro. Você pode conferir o calendário de lançamentos da Chevrolet no Brasil para os próximos dois anos na edição de fevereiro da revista Autoesporte, à venda nas bancas. Serão sete modelos em 2012 e três em 2013, sem falar nas novas versões e reestilizações.

Fonte: Autoesporte

 

Fotos S10 flagrada em São Paulo novamente

A nova geração da picape Chevrolet S10 está prontinha para ir às ruas brasileiras, como mostram as novas fotos enviadas pelo leitor Davi José Leite. O utilitário Chevrolet foi flagrado de novo em São Paulo e praticamente sem disfarces – faróis, lanternas e a gravata dourada estão cobertos. A nova geração da picape média será lançada no Brasil em meados de janeiro e sua chegada decretará o fim da S10 atual – só a mecânica será “reaproveitada”.

Assim como os outros , a nova S10 adotará as nomenclaturas mais recentes da General Motors. A versão mais simples será a LS, seguida da intermediária LT e da topo de linha LTZ. A picape também terá versões cabine simples e dupla, com tração traseira (4X2) ou integral (4X4). E sob o capô, uma notícia não tão inspiradora: devem ser oferecidos os mesmos motores da S10 atual, o bloco 2.4 litros flex e o 2.8 diesel turbo.

A GM, porém, deve fazer aprimoramentos nos dois blocos. Na S10 atual, o propulsor 2.4 flex produz potências de 141 cv (gasolina) e 147 cv (etanol) e um torque interessante de 21,9 kgfm aos 2.800 giros – com ambos os combustíveis. Já o bloco 2.8 diesel turbo gera 140 cv e um torque robusto de 34,7 kgfm entre 1.800 e 2.400 rpm. Ambos são acoplados a um câmbio manual de cinco marchas (ainda não há notícias sobre caixa automática).

A nova geração da S10 será produzida na fábrica da GM em São José dos Campos (SP). Lá também será montada a nova geração do utilitário esportivo Blazer. Líder do segmento de picapes médias há mais de uma década, a nova S10 enfrentará um cenário bem mais competitivo em 2012. Além da nova geração da arquirrival Ford Ranger, a Toyota remodelou a Hilux (leia aqui) e até uma picape indiana da Tata Motors deve chegar – importada pelo grupo SHC do empresário Sergio Habib, presidente da chinesa JAC Motors.

Fonte: Autoesporte

Fotos Flagra Novo Ecosport 2012 em testes

Versão totalmente nova do utilitário esportivo chega em 2012


Novo EcoSport está chegando. Duas unidades em teste foram flagradas no litoral de São Paulo pelo nosso leitor Marcelo Pequini há poucos dias. Se a princípio os carros se parecem som as novas versões do Fiesta, é porque são mulas, ou seja, carcaças de outro veículo colocadas sobre a plataforma em teste. Neste caso, realmente trata-se do novíssimo EcoSport, que será um projeto global a ser lançado pela Ford no final de 2012.

A nova geração do utilitário será vendida em diversos mercados. Além de ser desenvolvida e fabricada no Brasil, ela terá linhas de produção na China e na Tailândia. O mercado europeu também será destino do novo Ford, que terá visual mais próximo da nova linguagem global da marca do oval azul, com desenho mais próximo dos novos Fiesta e Focus. Mas aqueles que gostam do estepe na traseira não têm com o que se preocupar, ele permanecerá na versão 2012.

Fonte: Autoesporte