Arquivo da categoria: IPVA

Suspensão do IPVA – Alesp aprova suspender pagamento do imposto de veículos novos durante a pandemia de Covid-19

O secretário da Fazenda e Planejamento poderá autorizar novos prazos para o imposto. O pagamento deve ocorrer depois da pandemia.

A Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) aprovou por unanimidade, na tarde desta terça-feira (7), o Projeto de Lei 424/2020, que permite a suspensão do pagamento do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) de 2020 em situações extraordinárias, como a pandemia de Covid-19. O pagamento do IPVA deverá ser feito depois da pandemia.

O projeto é de autoria do governador João Doria (PSDB). A aprovação do texto foi feita em sessão extraordinária da Alesp ocorrida em ambiente virtual presidida pelo deputado Cauê Macris (PSDB), presidente da Alesp, com 80 votos favoráveis e nenhum contrário.

A aprovação não dispensa do pagamento do IPVA, e sim de adequação ao momento de pandemia.

O objetivo do projeto de lei é evitar multas nesses casos e outras situações excepcionais. Ainda de acordo com o projeto, o Secretário da Fazenda e Planejamento pode autorizar a suspensão ou prorrogação dos prazos do imposto.

Com a suspensão dos atendimentos presenciais do Detran, em virtude da pandemia, os veículos novos não estão sendo emplacados, o que impossibilita o pagamento do IPVA desses automóveis.

O projeto segue para sanção do governador.

Confira como é feito o processo de registro, emissão do CRV e CRLV e emplacamento por conta própria

Comprar um carro, seja novo ou usado, é considerado uma realização para muita gente. Mas também envolve gastos consideráveis que vão além do valor da compra. Colocar a documentação em dia e emplacar o automóvel também custam dinheiro, mas dá para economizar uma graninha se você mesmo ir até o cartório e ao departamento de trânstio. Veja abaixo como fazer a documentação do carro zero ou usado sem ajuda de um despachante:

Como emplacar um carro novo

O primeiro passo é registrar o veículo zero km em até 30 dias após a loja emitir a nota fiscal para gerar o Certificado de Registro do Veículo (CRV). Esse documento permite o emplacamento e a concessão do Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo (CRLV), principal documento de porte obrigatório do carro.

Verifique a necessidade de agendamento de horário na unidade do Detran mais próxima da sua casa e compareça para emitir os certificados e obter o número da placa, assim como os valores do IPVA e DPVAT. Os preços para o registro do veículo e emplacamento variam de cidade para cidade. Você até pode personalizar a placa da forma que preferir, mas isso exigirá uma taxa de aproximadamente R$ 100.

Documentos necessários: original e cópia do RG, CPF e CNH, cópia de um comprovante de residência recente, nota fiscal original da concessionária com decalque do chassi, duas cópias do formulário do Renavam preenchido e, caso o carro seja financiado, é necessário também levar o contrato original e uma cópia assinada por todos os envolvidos.

Chegando lá, é necessário pagar as taxas de emplacamento, escolher a placa do veículo e dar entrada ao CRV. Mas o certificado não fica pronto no mesmo dia. Assim que estiver com as documentações em mãos, é preciso ir a um posto do Detran.

Como proceder com a documentação de carro usado sem o despachante?

Antes de tudo, o comprador deve investigar o histórico do carro: multas, pagamentos, se IPVA, DPVAT do ano atual e documentação estão em dia. Para ter acesso a débitos e possíveis bloqueios, basta acessar o site do Detran, com o número Renavam e número da placa do veículo. Também é importante verificar se está tudo bem com o numero do chassi do carro.

Feito isso, o primeiro passo é do vendedor: ele deve comunicar ao Detran a transferência do veículo para o novo dono, processo que vai demandar uma visita ao cartório para uma cópia do comprovante de transferência.

Se isso não acontecer, todas as multas cometidas pelo novo proprietário, por exemplo, ficarão em nome do antigo, e o atual dono também não conseguirá fazer um seguro para o seu carro. Para isso, é bom ter em mãos um comprovante de quitação. Se o veículo tiver alguma pendência, não conseguirá obter um novo certificado.

De acordo com o artigo 134 do Código de Trânsito Brasileiro: “Art. 134. No caso de transferência de propriedade, o proprietário antigo deverá encaminhar ao órgão executivo de trânsito do Estado dentro de um prazo de trinta dias, cópia autenticada do comprovante de transferência de propriedade, devidamente assinado e datado, sob pena de ter que se responsabilizar solidariamente pelas penalidades impostas e suas reincidências até a data da comunicação.”

Vale lembrar que essa transferência é paga, já que será necessário expedir um novo Certificado de Registro de Veículo. Para emitir o CRV, o comprador deve procurar uma Empresa de Vistoria Veicular para comprovar a autenticidade e segurança do carro adquirido. Se o veículo for de outra cidade ou estado, é necessário também inserir novas placas e tarjetas.

O prazo para tomar as devidas providências é de até 30 dias, então fique atento às datas. Caso o período não seja respeitado, o novo dono está sujeito a uma multa grave, e existe até a possibilidade de retenção do veículo.

 

IPVA mais caro do Rio de Janeiro – Mercedes SLR MC Roadster

O superesportivo Mercedes-Bencarro-mercedes-slr-mc-roadster-foto-imagemz SLR MC Roadster vai pagar o maior valor do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) no estado do Rio de Janeiro neste ano: R$ 84,6 mil. De acordo com o Diário Oficial do RJ, que divulgou os detalhes do imposto no último dia 27, o valor venal do carro ano 2010, utilizado para calcular o IPVA devido, é R$ 2.116.976.

Ele supera modelos de luxo mais novos, como o Lamborghini Aventador (2012), que custa R$ 1.912.049, ainda de acordo com o que foi divulgado pelo governo do estado, e a Ferrari 599 GTO (2011), de R$ 1.684.363.

Com a alíquota de 4% que incide sobre os automóveis a gasolina no RJ, o proprietário de um Mercedes SLR MC Roadster vai pagar R$ 84.679,04 de IPVA.

Esse carro também foi o campeão do IPVA em SP em 2011 e 2012, mas, em 2013, acabou superado pela nova Ferrari FF (2012), que custa R$ R$ 2.496.304, de acordo com a tabela do estado, e pagará quase R$ 100 mil de imposto.

Mobilete paga R$ 11

Ainda de acordo com a tabela divulgada no Diário Oficial do RJ, o menor valor venal é o da mobiliete Hero Puch 50, ano 1998, de R$ 570. O imposto a ser cobrado por ela, com a alíquota de 2% que incide sobre motos e ciclomotores, é de R$ 11,4. Esse veículo indiano também costuma ser o de menor IPVA em SP.

Preços dos carros no Brasil – Automóvel no país custa até 106% mais que lá fora

Na garagem de casa, o carro da família pode ser o mesmo de americanos, europeus, argentinos ou japoneses. Mas o preço certamente é muito diferente. Margem de lucro maior, impostos elevados, altos custos de mão de obra, de logística, de infraestrutura e de matérias-primas, falta de competitividade, forte demanda e um consumidor disposto a pagar um preço alto ajudam a explicar o porquê de o veículo aqui no Brasil chegar a ser vendido por mais do que o dobro que lá fora.

Levantamento em cinco países — Brasil, EUA, Argentina, França e Japão — mostrou que o carro brasileiro é sempre o mais caro. A diferença chega a 106,03% no Honda Fit vendido na França (onde se chama Honda Jazz). Aqui, sai por R$ 57.480, enquanto lá, pelo equivalente a R$ 27.898,99. A distância também é expressiva no caso do Nissan Frontier vendido nos EUA. Aqui, custa R$ 121.390 — 91,31% a mais que os R$ 63.450,06 dos americanos. Há cerca de duas semanas, a “Forbes” ridicularizou o preços no Brasil, mostrando que um Jeep Grand Cherokee básico custa US$ 89.500 (R$ 179 mil) aqui, enquanto, por esse valor, em Miami, é possível comprar três unidades do modelo, que custa US$ 28 mil.

O setor teve o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) reduzido. O incentivo terminaria sexta-feira, mas deve ser prorrogada por dois meses.

Especialistas estimam que a margem de lucro das montadoras no Brasil seja pelo menos o dobro que no exterior, por causa de um quadro de pouca concorrência — ainda que já seja o quarto maior mercado de carros do mundo, incluindo caminhões e ônibus, atrás de China, Estados Unidos e Japão. O diretor-gerente da consultoria IHS Automotive no Brasil, Paulo Cardamone, estima ganho de 10% do preço de um veículo no Brasil, enquanto no mundo seria de 5%. Nos EUA, esse ganho é de 3%:

— Lucro de montadora no Brasil é maior que em qualquer lugar do mundo, pelo menos o dobro. O mercado automobilístico no Brasil é protegido, taxam-se os importados e há concentração forte das vendas nas quatro grandes marcas. Lá fora, as maiores têm cerca de 30% do mercado — afirma ele.

Volkswagen, General Motors, Fiat e Ford — responderam por 81,8% dos 2,825 bilhões de carros vendidos no país em 2011.

— Existe uma demanda grande pelos veículos no Brasil, o que mantém os preços em alta. Se a montadora sabe que há compradores, por que dar desconto? — diz Milad Kalume Neto, gerente de atendimento da consultoria Jato Dynamics do Brasil.

De todo modo, há outros vilões para preços tão elevados. O imposto é, de praxe, apontado como o grande causador. Mas, mesmo descontando as alíquotas, os consumidores nacionais ainda são os que precisariam pagar mais para ter o bem. O preço do Nissan Frontier vendido no Brasil cairia, por exemplo, de R$ 121.390 para R$ 81.209,91, ainda é mais que França e EUA com impostos.

— Não se pode ignorar o custo Brasil, que encarece toda a cadeia produtiva com os problemas de logística e infraestrutura do país, além do custo da mão de obra brasileira — diz José Caporal, consultor da Megadealer, especializada no setor automotivo.

Imposto nos eua é de até 9%

Segundo a Anfavea, a associação das montadoras, os impostos representam cerca de 30% do preço dos veículos, considerando as alíquotas normais do IPI. Nos carros 1.0, os impostos representam 27,1% do preço. Na faixa de veículos entre 1.0 e 2.0, o peso dos impostos é de 30,4% para os que rodam a gasolina e de 29,2% para motores flex e etanol. Acima de 2.0, respondem por 36,4% e 33,1% do preço, respectivamente. Nos EUA, os impostos são de até 9% do preço ao consumidor.

No Brasil, outro fator complicador é o fato de grande parte das compras ser financiada. O consumidor se preocupa mais com o tamanho da parcela que com o preço final do veículo.

— Nosso carro ainda é muito caro, é um absurdo — afirma Adriana Marotti de Mello, professora do Departamento de Administração da FEA/USP.

Quem tem o carro roubado pode ter o dinheiro do IPVA de volta

Quem tem o carro roubado pode ter o dinheiro do IPVA de volta
A restituição é proporcional, e o valor, que não é corrigido, só sai no ano seguinte ao do registro da ocorrência. Em SP, mais de R$ 16 milhões serão devolvidos a 55 mil donos de carros que foram roubados no ano passado.

Outro tipo de crime está crescendo no país. Dados oficiais mostram que a frota de veículos aumentou, e o número de ocorrências de roubos de carros também.

O susto da advogada Deise Patrícia Haru foi na porta de casa. Bandidos chegaram armados e fugiram levando o carro da família, que não tinha seguro. O que sobrou foi o financiamento: dez prestações de R$ 500.“É Horrível, a sensação de impotência, porque a gente batalha muito para conseguir as coisas. E, em um certo momento, isso some, isso acaba”, comenta Deise.

O número de roubos de veículos em Belo Horizonte cresceu 55% na comparação entre janeiro de 2011 e o mesmo período deste ano, segundo os dados da Polícia Civil. Só uma quadrilha presa em Contagem seria responsável por 70 ocorrências em seis meses. Apenas seis veículos foram recuperados.

“O crime de roubo a mão armada cresceu buscando principalmente aqueles veículos mais novos que são os veículos utilizados em outros crimes violentos”, explica o delegado Ramon Sandoli.

Em alguns estados, o contribuinte que entrou para as estatísticas de roubo de veículos pode pedir de volta o dinheiro referente ao pagamento do IPVA. A restituição é proporcional e o valor, que não é corrigido, só sai no ano seguinte ao do registro da ocorrência. “É calculado o número de dias em que ele não ficou de posse do veículo, e é restituído o valor correspondente”, diz o diretor da Secretaria de Fazenda de Minas Gerais, Leonardo Guerra.

Em São Paulo, mais de R$ 16 milhões serão devolvidos a 55 mil donos de carros que foram roubados no ano passado. E o ano de 2012 começou com aumento desse tipo de crime: 18% em janeiro, em relação ao mesmo período do ano passado. A restituição do IPVA é feita automaticamente.

Em Minas, é preciso fazer o pedido de devolução pela internet. O gerente de vendas Paulo Carvalho Ferreira, que foi assaltado na periferia de Belo Horizonte, já pôs a mão no dinheiro. Mas o que ele queria mesmo era ver o carro na garagem.

“Eu tenho um veículo, eu consigo ir a algum lugar, eu consigo passear com minha família, eu posso ir trabalhar de carro em um determinado momento, posso fazer uma viagem. Isso não consigo fazer. Então, a questão de ter devolução, em relação ao IPVA, não me traz de volta esse conforto que eu tinha”, lamenta.

Proprietário de carro que não comunicar ao Detran a venda do seu veículo pode ter surpresa com: IPVA, multas, impostos e por crimes e acidentes envolvendo o veículo


Os motoristas que venderam um carro e não comunicaram a venda ao Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso (Detran-MT) podem ter uma surpresa junto com a cobrança do IPVA. Enquanto o carro estiver no nome do antigo proprietário, ele continua responsável por multas, impostos e também por crimes e acidentes envolvendo o veículo.

Para evitar o problema é preciso ir ao Detran com uma cópia autenticada do certificado de registro do veículo, aquele que comprador e vendedor assinam, com firma reconhecida em cartório. O vendedor tem o prazo de 30 dias avisar o Detran sobre a venda.

O diretor de Veículos do órgão, Carlos Miranda, alerta que caso o comprador não faça a transferência de propriedade dentro do prazo estabelecido por lei federal, o mesmo poderá ser penalizado. “Caso a pessoa faça a transferência após o período de 30 dias, ele deve pagar uma multa pelo atraso no valor de R$ 101,00 de acordo com as normas do Denatran”, disse Miranda.

Miranda ainda ressaltou que para o vendedor do veículo evitar futuras dores de cabeça, ele deve vir ao Departamento de Trânsito de Mato Grosso e solicitar que seja feita a comunicação de venda do carro. “Através deste procedimento feito aqui no Detran, o antigo proprietário fica resguardado de qualquer dívida ou incidente que possa vir acontecer com o seu antigo veículo após a venda dele”, disse Carlos Miranda.

Com a comunicação de venda feita, o atual proprietário acaba sendo obrigado a fazer a transferência de propriedade, porque segundo Miranda, no ano seguinte, caso ele não tenha feito esse serviço, o novo dono fica impedido de fazer o licenciamento do veículo. “A comunicação de venda de propriedade é uma garantia que o vendedor tem. Ele paga uma taxa de R$ 18,00 e todas essas informações ficam no sistema do Detran. A partir daí, o IPVA, seguro e licenciamento e multas, caso aconteça, após essa venda, fica sob a responsabilidade do novo dono”, explicou o diretor de Veículos.

Veja quais são as informações para que seja feita a Comunicação de Venda:

Comunicação de Venda

Finalidade

Comunicar a venda do veículo ao Órgão Executivo de Trânsito, no caso, o Detran de Mato Grosso.

Documentação básica

– Cópia legível e autenticada do CRV, devidamente preenchido, assinado e datado, sem rasuras, emendas ou ressalvas. Com firma do vendedor reconhecida por autenticidade e com a assinatura do “de acordo” do adquirinte.

Observações

– Ao ser registrada a Comunicação de Venda, a pontuação atribuída pelo cometimento de eventuais infrações de trânsito, posterior à data de venda, é transferida automaticamente para a carteira de habilitação do novo proprietário. A responsabilidade dos débitos e obrigações passa a ser do comprador. Além disso, as eventuais novas notificações por infração de trânsito serão enviadas para o endereço informado na Comunicação de Venda.

– Qualquer alteração no registro do veículo fica bloqueada até o registro da transferência, porém este bloqueio não impede a transferência.

– A transferência do veículo só poderá ser feita para o CPF/CNPJ do proprietário indicado neste registro.

Legislação

– Artigo 134 do CBT
– Resolução 664/86 do Contra, Anexo I e alterações

Procedimentos

1 – Receber, conferir e reter a documentação apresentada.
2 – Imprimir o registro da Base Estadual arquivando-o para ficar documentada a situação anterior.
3 – Identificar se o requerente é habilitado e requerer o serviço.
4 – Colher assinatura do usuário no requerimento.
5 – Efetuar o registro da Comunicação de Venda na cadastro da Base Estadual.

– Neste momento deve ser enviada ao Sistema RENAVAM, a transação 231 (Registra Comunicação de Venda).

Calcular o IPVA 2012 em São Paulo

Veja valores venais e calcule quanto vai pagar de imposto.
Taxa pode ser paga em 3 parcelas ou em cota única com desconto de 3%.

A tabela do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) de 2012 terá valores venais dos veículos com queda média de 3,75% no estado de São Paulo. A queda para carros foi de 3,34%; para motos, de 5,56%. A diferença é a menor em 3 anos: no ano passado, foi de 7,11%, e, no ano retrasado, de 9,3%. “Nos anos anteriores a queda foi mais acentuada porque a pesquisa sobre os preços de veículos é feita no mês de setembro. Isso reflete a situação econômica do país naquele mês”, afirmou o coordenador adjunto da Coordenadoria de Administração Tributária, Edson Takashi Kondo.

As alíquotas no imposto permanecem inalteradas em relação a 2011. Proprietários de veículos a gasolina e os biocombustíveis (flex) recolherão 4% sobre o valor venal. No caso de veículos que utilizarem exclusivamente álcool, eletricidade ou gás, ainda que combinados entre si, a alíquota é de 3%. As picapes cabine dupla pagam 4%. Os utilitários (cabine simples),ônibus e microonibus e motocicletas recolhem 2% sobre o valor venal. Os caminhões pagam 1,5%.

Veja valores venais dos veículos

Veja o calendário de pagamento do IPVA de 2012:

Para calcular o valor do imposto, faça como no exemplo abaixo:

Valor venal do veículo: (exemplo: R$ 20.050)
Alíquota: 4%
Cálculo: 20.050 x 0,04 (R$ 802 é o valor que será cobrado no IPVA)

Desconto e pagamento
Os proprietários de veículos usados que efetuarem o pagamento em cota única no mês de janeiro de 2012 terão desconto de 3%. O IPVA também pode ser parcelado, sem desconto, observando as datas de vencimento em janeiro, fevereiro e março.

A Secretaria da Fazenda enviará na segunda quinzena de dezembro cerca de 15 milhões de avisos de vencimento aos proprietários de veículos registrados no Departamento Estadual de Trânsito. O aviso é apenas um lembrete – não é boleto e nem guia de pagamento. Quem não receber o comunicado deve acessar o site da secretaria para obter informações. O proprietário de veículo deve manter atualizado o endereço junto aos órgãos de trânsito.

O pagamento do IPVA pode ser feito na rede bancária autorizada, nas casas lotéricas e nos correspondentes bancários. Também pode ser recolhido pela internet, telefone, débito agendado, auto-atendimento e no guichê de caixa.

Quem deixar de recolher o imposto fica sujeito a multa de 0,33% por dia de atraso e a juros de mora com base na taxa Selic. Passados 60 dias, o percentual da multa é fixado em 20% do valor do imposto. Além disso, fica impedido de licenciar o veículo e sujeito a apreensão.

Os consumidores que utilizaram créditos da Nota Fiscal Paulista para abatimento do IPVA 2012 poderão conferir a redução no aviso de vencimento que será enviado pela Secretaria da Fazenda.

Isenção de IPVA para deficientes físicos no Ceará

Anúncio foi feito nesta terça-feira (11), Dia do Deficiente Físico.
Matéria está sendo elaborada e deve ser encaminhada para a Assembleia.

O governador do Ceará, Cid Gomes (PSB), autorizou nesta terça-feira (11), Dia do Deficiente Físico, a isenção do pagamento do Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) para portadores de deficiência física. “Essa é uma conquista para milhares de cearenses que têm algum tipo de deficiência e que poderão usar esse benefício para a melhoria de sua qualidade de vida”, disse Cid Gomes.

De acordo com o Governo do Estado, o benefício será válido a partir de 2012. No Ceará, os portadores de deficiência física já são isentos do pagamento do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) desde dezembro de 2001.

A medida deve beneficiar 7.010 pessoas cadastradas no Departamento de Trânsito do Ceará (Detran) como deficientes físicos e têm a carteira nacional de habilitação. De acordo com o Detran, desse total, 3.472 têm visão em apenas um dos olhos, e devem receber a isenção do IPVA em 2012.

A matéria está sendo elaborada pela Procuradoria Geral do Estado (PGE) e em seguida deve ser votada na Assembleia Legislativa do Ceará para ser votada. O governador Cid Gomes pediu urgência da votação da matéria. Para ter a isenção, o contribuinte deve ter notificação na carteira nacional de habilitação de que é portador de deficiência física e dirige em condições especiais.

A cobrança do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) começa em janeiro em boa parte do país. O pagamento é obrigatório e a alíquota varia conforme o modelo do veículo e também o estado em que o contribuinte reside.

Fonte: G1

 

Carro 0KM – Dicas para comprar um veículo zero

Um carro 0km é o sonho de muitos, assim como a casa própria. E na onda dos preços atrativos dos veículos de 2010, uma vez que as revendedoras têm feito promoções para acabar com o estoque neste início de ano, a vontade de ter um carro novinho na garagem é tentadora. Mas é preciso ter cuidado e não seguir o primeiro impulso. Confira as dicas:

ORÇAMENTO:

É preciso avaliar as finanças para saber se será possível se comprometer com as parcelas do carro novo.

SEGURO:

Não desconsidere a contratação de um seguro para o carro e se o valor gasto com o serviço cabe no orçamento.

IMPOSTOS:

Comprar um carro não é somente uma questão de pagar pelo valor do veículo. Lembre-se de que o IPVA dos carros mais novos são sempre mais caros.

UTILIZAÇÃO:

Pense no objetivo do carro. Se for apenas para ir ao trabalho, faculdade e sair à noite, o veículo pode ser de duas portas. Já se for um carro para a família inteira usar, um modelo de quatro portas será muito mais confortável.

CARACTERÍSTICAS:

Outro ponto importante sobre a utilização é o local por onde o carro irá circular. É preciso avaliar características de cilindrada e da potência do veículo. Para um carro que será utilizado apenas na própria cidade, o melhor modelo é o com menos cilindradas, já que facilita na hora de manobrar e estacionar. Já se o uso do carro for para viagens, o mais importante é checar a potência do veículo.

CONCESSIONÁRIAS:

Antes efetuar a compra, pesquise se o estabelecimento tem credibilidade no mercado.

COMBUSTÍVEL:

Item absolutamente indispensável na hora de fazer a compra. Para grandes distâncias, é imprescindível um veículo que use gás natural comprimido ou diesel, já que, de uma forma geral, eles são mais econômicos que a gasolina ou o álcool. Ou o carro flex.

CONFORTO:

Avalie o que é primordial no carro para ter o conforto que se deseja. Vidros elétricos, som estéreo e direção hidráulica são itens que fazem toda a diferença para o motorista.

ESTILO:

Escolha com calma o modelo e a cor do veículo para não ter perigo de se arrepender depois da compra.

COMPARAÇÃO:

Veja se vale mais a pena comprar um carro usado ou 0 quilômetro. Apesar de existir a segurança de que o novo não terá falhas mecânicas, o usado, se estiver em boas condições, também é uma opção, já que, normalmente, é mais barato.

IPVA 2011 no estado do Ceará

Quem pagar cota única até o dia 31 de janeiro terá 5% de desconto.
Valor médio do imposto caiu 11,6% em relação ao que foi cobrado em 2010.

O Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) 2011 no estado do Ceará caiu 11,6%, em média, em relação ao que foi cobrado em 2010 devido à redução dos valores dos veículos, calculados pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). De acordo com a Secretaria da Fazenda, neste ano, 1.439.288 veículos serão tributados no estado. Apenas 38.940 estão isentos.

Alíquotas
2,5% para automóveis, caminhonetes e embarcações recreativas ou desportivas;
1% para ônibus, microônibus, caminhões (a partir de 3.500 kg), cavalos mecânicos e veículos automotores de propriedade de estabelecimentos exclusivamente locadores de veículos, desde que utilizados na atividade de locação;
1% – para motocicleta e similares de até 125 cc, desde que não exista multa no prontuário do veículo no exercício de 2010;
2% para motocicleta e similares acima de 125 cc;
1,5% para aeronaves;
2,5% – para qualquer outro veículo automotor não citado anteriormente.

No Ceará, quem optar pelo pagamento em cota única até o dia 31 de janeiro terá 5% de desconto. Quem quiser dividir o valor do IPVA, deverá pagar as parcelas, que não podem ser inferiores a R$ 50,00, nos dias 18 de fevereiro, 18 de março e 18 de abril, em prestações iguais, independente do final da placa do veículo.

A Secretaria da Fazenda já disponibiliza em seu site os boletos para o pagamento do imposto. Eles também serão enviados às residências dos contribuintes, pelo correio, a partir do dia 15 de janeiro. Os boletos também podem ser retirados em qualquer unidade da Sefaz e podem ser pagos no Banco do Brasil, Caixa Econômica, BNB, Bradesco, casas lotéricas e farmácias Pague Menos.

Fonte: G1