Arquivo da categoria: GM

Sedã médio recebe uma leve plástica e estreia a versão Premier, com frenagem autônoma e internet nativa a bordo — grátis por 3 meses ou 3 GB

Seu plano de dados do celular acabou? Se você estiver ao bordo do novo Cruze, isso pode não ser um problema. O Chevrolet passa a oferecer conexão de internet na linha 2020. Ao ligar o veículo, os ocupantes contam com sinal de wi-fi nativo, que funciona como o de casa. O acesso é configurado no ícone “roteador” exibido na nova tela multimídia de oito polegadas. Ali, os usuários definem o nome e a senha do wi-fi para conectar até sete dispositivos.

Porém, como nos voos comerciais, o serviço de internet é cobrado à parte. Por ora, a GM divulgou só o valor do pacote básico “Navegação + Música”, com 2 Gigabytes de dados: R$ 29,90/mês. A assinatura será feita com a operadora Claro, o que pode parecer ruim para clientes de outras empresas de telefonia móvel. E isso não poderá ser alterado, já que o chip é fundido secretamente em uma das muitas placas eletrônicas.

Se os 2 GB parecem pouco para uma vida mais e mais conectada, os clientes poderão escolher entre outros três pacotes: Carona (5 GB), Corporativo (10 GB) e Família (20 GB). Os valores e os preços serão divulgados em setembro, quando a linha 2020 chega às lojas.

Até lá, a GM terá de bolar uma estratégia para vender as assinaturas da internet e do OnStar. Esses dois serviços são gratuitos no início e serão cobrados após a “degustação”. No caso da internet, são três meses ou 3 GB de dados. Já o OnStar funciona de graça por um ano, e depois é pago em três pacotes (Safe, Protect e Exclusive), de R$ 54,90 a R$ 79,90. A seu favor, a GM contará com o público mais endinheirado da linha Cruze. Mesmo assim, será desafiador — haja grana para tantas mensalidades!

Além de economizar o plano de dados do celular com a criançada (no caso de casais com filhos), a internet embarcada trará outras facilidades combinada à nova geração do MyLink. Será possível ver informações de trânsito em tempo real no GPS, atualizar o sistema operacional, instalar um aplicativo ou fazer o agendamento online da revisão. A central passa a aceitar duas conexões Bluetooth simultâneas.

A tela tem navegação mais simples, com menus que correm lateralmente como nos smartphones atuais. Outra novidade é a personalização para até dois usuários, que podem configurar plano de fundo e rádios favoritas, por exemplo. As interfaces Apple CarPlay e Android Auto estão presentes nas versões mais recentes, e os ocupantes ficarão felizes ao notar que o console inferior passa a ter duas entradas USB.

Segundo a GM, a inédita versão Premier possui 42 processadores, 22 antenas e 14 redes, tudo para garantir rapidez de uso e um sinal com o mínimo de oscilação. Um detalhe interessante é a barbatana no teto: o módulo tem quatro antenas, o que permite desfrutar do sinal do wi-fi a até 15 metros de distância.

E o que mais mudou no Cruze? Bom, o médio recebeu uma leve plástica para ter o design mais recente da marca. A nova grade, cheia de cromados, une os faróis e dá mais presença ao modelo. Mas o destaque são as lanternas de LED, que dão efeito tridimensional e são bem mais interessantes que as anteriores. Por dentro, poucas alterações. A maior é a nova tela multimídia.

A mecânica também foi mantida, o que não é má notícia. O valente motor 1.4 turbo flex de 153 cv e 24,5 kgfm de torque segue conectado ao câmbio automático de seis marchas. Pena a GM não ter adicionado paddle-shifts para trocas manuais.

A despeito dos bons números em pista — zero a 100 km/h em 8,8 segundos e resgate de 60 km/h a 100 km/h em 4,8 s —, falta um “modo Sport” para apimentar a direção. O consumo não impressiona nem incomoda (média de 9,9 km/l com etanol).

Entre os equipamentos, as novidades estão no Cruze Premier, novo topo de linha. O carregador por indução ganhou nicho mais amplo, para acomodar smartphones grandes e receber uma gama maior de aparelhos. E a segurança está reforçada pelo sistema de frenagem autônoma de emergência com detector de pedestres, um belo diferencial para incomodar o novo Civic, que não incorporou recursos semiautônomos. Ponto para o Chevrolet.

TESTE

Aceleração
0 – 100 km/h: 8,8 segundos
0 – 400 m: 16,4 segundos
0 – 1.000 m: 29,8 segundos
Vel. a 1.000 m: 177,8 km/h
Vel. real a 100 km/h: 93 km/h

Retomada
40 – 80 km/h (Drive): 3,8 segundos
60 – 100 km/h (D): 4,8 segundos
80 – 120 km/h (D): 5,9 segundos

Frenagem
100 – 0 km/h: 42,1 metros
80 – 0 km/h: 26,9 metros
60 – 0 km/h: 15 metros

Consumo
Urbano: 8,2 km/l
Rodoviário: 11,7 km/l
Média: 9,9 km/l
Autonomia em estrada: 415 km

FICHA TÉCNICA

Motor
Dianteiro, transversal, 4 cil. em linha, 1.4, 16V, comando duplo, injeção direta, turbo, flex

Potência
150/153 cv a 5.200 rpm

Torque
24/24,5 kgfm a 2.000 rpm

Câmbio
Automático sequencial de seis marchas; tração dianteira

Direção
Elétrica

Suspensão
Indep. McPherson (diant.) e eixo de torção (tras.)

Freios
Discos ventilados (diant.) e discos sólidos (tras.)

Pneus e rodas
215/50 R17

Dimensões
Comprimento: 4,66 m
Largura: 1,79 m
Altura: 1,48 m
Entre-eixos: 2,70 m

Tanque de combustível
52 litros

Porta-malas
440 litros (fabricante)

Peso
1.321 kg

Central multimídia
8 pol., sensível ao toque; Android Auto e CarPlay

Garantia
3 anos

Cesta de peças
R$ 15.002,19

Seguro
R$ 4.197

Revisões
10 mil km: R$ 292
20 mil km: R$ 684
30 mil km: R$ 440

Sedã puxa a fila da nova linha Chevrolet. Lançamento será em dezembro

foto-imagem-cobalte

A GM prepara para os próximos meses a renovação de toda a sua linha. Assim como aconteceu na última grande mudança, em 2011, o Cobalt será o primeiro a trazer as novidades: na virada do mês você verá como ele vai encarar o futuro.

Com a proximidade do lançamento, a marca se mexe para ajustar os últimos detalhes. As imagens acima, feitas pelo fiel leitor Walter Yukio, mostram o Cobalt rodando durante testes na Rodovia Anhanguera, próxima da cidade de Jundiaí (SP).

Conforme você pode ver nas projeções feitas por João Kleber Amaral, aqui as mudanças vão além do estilo inspirado no Cruze. Os faróis perderão em altura e serão esticados em direção aos para-lamas. Já a grade não ficará tão larga quanto você viu nas projeções do Onix 2016 – confira aqui as mudanças que o hatch e a picape S10 também vão receber.

Na traseira, saem as lanternas verticais e entra um conjunto semelhante ao do Cruze atual, com dois elementos, um fixado no para-lamas e outro invadindo a tampa do porta-malas. “Ele terá um caráter mais luxuoso. Deixaremos o Prisma com a função de modelo base por enquanto”, diz uma fonte da marca.

Cobalt terá o painel renovado fugindo do estilo da família Onix/Prisma. Será o primeiro a estrear a segunda geração do sistema multimídia My Link.

foto-imagem-Cobalt

Spin Activ com um novo estilo inspiração aventureira

foto-imagem-spinA Chevrolet anunciou Hoje OS Preços da rotação Activ, Versão aventureira do Carro familiar.O Modelo Chega ao Mercado este Mês POR R $ 62,060 na version com o motor 1.8 de 106/108 cv e marchas manual do Cambio de Cinco.Na version MESMO do motor com e Câmbio automático de SEIS marchas, um spin Ativo TEM Preço de R $ 65,860.A configuracao Nova do Elementos Traz Modelo Decorativos na carroceria, ACABAMENTO Exclusivo interno, tendão de um cor preta Como predominante, e, e claro, o estepe na tampa Traseira. Para Completar o visual fóruns de estrada, o spin ganhou rodas de 16 “e pneus 205/60 Miscelânea, O Que resultou em hum ganho de 8 milímetros de na altura do Modelo. A Altura Da Suspensão NAO FOI alterada, Segundo a General Motors, mas Passou Por uma nova calibragem. A rotação Ficou 75 kg Mais pesada Nesta version.

Entre OS itens de série, a minivan oferece Direção hidráulica, ar-Condicionado, Vidros e Travas Elétricos, sistema multimídia meu link e rack de teto não.

foto-imagem-spin

Como Expectativas da Pará GM um sorteio Activ São altas. A marca Aposta Que a Versão aventureira Será, Responsável POR ATÉ 25% das vendas da Linha.

Autoesporte ESTA na Apresentação Oficial do Modelo e Trara MAIS INFORMAÇÕES Nesta page.

foto-imagem-spin

foto-imagem-spin

Novo Sonic caem na internet

foto-imagem-novo-sonic

A apresentação do novo Chevrolet Sonic só acontecerá no começo de junho, durante o Salão de Chongqing. Mas as primeiras imagens oficiais do modelo já caíram na internet.

O design acompanha a nova identidade visual trazida pelo novo Cruze, exibido durante o último Salão de Pequim. A grade frontal do Sonic continua dividida em duas partes, mas agora ela está mais discreta. Os faróis ficaram menores e mais espichados, lembrando um pouco o visual do Hyundai HB20.

foto-imagem-novo-sonicAs imagens mostram a traseira do sedã, mas não do hatch. No caso do modelo três-volumes, os antigos elementos circulares foram substituídos por lentes convencionais. A Shanghai-GM, joint-venture responsável por fabricar os modelos da Chevrolet na China, lançará com o novo Sonic uma versão atualizada do sistema multimídia MyLink que terá novas funções.

foto-imagem-novo-sonicPor lá, o novo Sonic terá motores 1.4 S-TEC III para o sedã e 1.6 para o hatch. A potência de ambos despencou: o 1.4 entrega 99 cv (ante 103 cv do modelo antigo), enquanto o 1.6 tem 117 cv – frente os 121 cv de seu antecessor.

Carro básico pode ter um grande aumento de R$ 6.000

Nos últimos anos, muitos carros de entrada não podem mais ser considerados “pé-de-boi”, sem qualquer item de conforto. Se, antigamente, ar-condicionado, direção hidráulica, vidros e travas elétricas eram considerados luxo, hoje, os mesmos itens são essenciais e alguns deles saem de fábrica, mesmo em versões básicas.

O Chevrolet Onix, lançado em meados de 2012, por exemplo, traz de série, direção hidráulica, assim como o Volkswagen Gol, em sua versão mais simples. Já o Hyundai HB20, que chegou também em 2012, tem, desde as versões mais baratas, ar-condicionado e direção hidráulica.

Para o consultor automotivo Paulo Garbossa, da ADK Automotive, os consumidores passaram a exigir mais dos modelos de entrada. “Até as opções básicas estão mais sofisticadas. Isso porque, se o cliente não encontra os itens que deseja no veículo de uma marca, ele vai pesquisar em outra, o que acaba estimulando as fábricas a equiparem melhor os carros, desde as versões mais em conta”, afirma.

Outra explicação, segundo Garbossa, é que equipar um carro com ar-condicionado ou direção hidráulica, ficou mais barato. “A produção em escala facilitou na popularização dos itens. O mesmo deve acontecer com outros equipamentos, como sensor de ré e multimídia, daqui em diante”, diz.

G1 listou o modelo mais vendido das seis marcas que mais emplacaram carros no Brasil em 2013, Fiat, Volkswagen, Chevrolet, Ford, Renault e Hyundai. A partir daí, configurou o veículo com os itens ar-condicionado, direção assistida, vidros e travas elétricas. O preço dos pacotes variou entre R$ 2.105 e R$ 6.150.

Volkswagen Gol
Versão básica: Trendline 1.0 2 portas – R$ 31.710
Preço com equipamentos: R$ 34.940

O veículo mais vendido do Brasil em 2013, vem, desde a versão básica, com direção hidráulica de série. Os demais opcionais são oferecidos separadamente, prática usual em modelos da Volkswagen. Assim, é possível adicionar apenas os itens de conforto, travas e vidros elétricos e ar-condicionado, por um valor total de R$ 3.230, sendo R$ 2.650 cobrados pelo ar e R$ 580 pelo pacote chamado acesso completo para versões 2 portas.

Fiat Uno
foto-imagem-fiat-vivaceVersão básica: Vivace Evo 2 portas – R$ 25.620
Preço com equipamentos: R$ 30.673

O Uno é um dos veículos mais baratos do país. Em sua versão básica, não conta com nenhum dos itens pesquisados. Para tê-los, é necessário adquirir o pacote Kit Celebration 5, de R$ 5.053. Além de vidros e travas elétricos, direção hidráulica e ar-condicionado, ele inclui, entre outros itens, faróis de neblina e preparação para som. Com isso, o valor do carro chega a R$ 30.673.

Chevrolet Onix
foto-imagem-onixVersão básica: LS – R$ 33.190
Preço com equipamentos: R$ 38.290 (versão LT + pacote R7H)

A versão básica do Onix, LS, já conta com direção hidráulica de série. Porém, para adicionar os demais itens de conforto, o interessado deve mudar para a versão LT, a mais completa com motor 1.0. Ela custa a partir de R$ 35.090, e conta, de série, com banco do motorista e coluna de direção com regulagem de altura, maçanetas e espelho retrovisor na cor do veículo, alarme e chave canivete, mas ainda sem ar-condicionado, vidros e travas elétricos. Para ter os itens, é preciso aderir ao pacote R7H. Ele custa R$ 3.200, elevando o valor final do Onix para R$ 38.290, ou R$ 5.100 a mais do que a versão básica.

Ford Fiesta RoCam
foto-imagem-ford-fiestaVersão básica: 1.0 SE Plus – R$ 31.740
Preço com equipamentos: R$ 31.740

Prestes a dar lugar ao novo Ka, o Fiesta RoCam vive seus últimos meses na linha da Ford. Assim, a marca só comercializa o modelo nas versões mais completas. A 1.0, é equipada com ar, direção hidráulica, vidros, travas e espelhos elétricos, faróis de neblina, alarme, abertura elétrica do porta-malas e rodas de liga neve, e custa R$ 31.740.

 

Renault Sandero
foto-imagem-sanderoVersão básica: Authentique – R$ 30.500
Preço com equipamentos: R$ 36.660 (versão Expression)

A versão mais em conta do Sandero é a Authentique, de R$ 30.500. Entre os opcionais, apenas ar-condicionado e direção hidráulica, oferecidos por R$ 3.960. Para ter também vidros e travas elétricas, é preciso subir para a versão Expression, de R$ 36.660. O valor R$ 6.160 acima da Authentique, também inclui outros equipamentos, além do conjunto elétrico, como travamento automático das portas com o veículo em movimento, alarme, computador de bordo, volante com regulagem de altura e maçanetas da cor do veículo. O valor solicitado para os opcionais pela Renault para o Sandero “completo” é o mais alto entre os modelos comparados.

Hyundai HB20
foto-imagem-hb20Versão básica: Comfort – R$ 35.395
Versão com equipamentos: R$ 37.500 (vesão Comfort Plus)

A versão básica é a Comfort, de R$ 35.395. Ela já conta com ar-condicionado e direção hidráulica. Para ter também vidros e travas elétricos, é preciso subir para a versão Comfort Plus, de R$ 37.500. Além dos equipamentos de conforto, os R$ 2.105 pacote também adicionam à lista de equipamentos, alarme perimétrico, travamento automático central das portas a 15 km/h, maçanetas na cor do veículo, chave canivete e detalhes cromados no interior. Considerando apenas modelos em que foi necessário acrescentar equipamentos ao conteúdo básico, o pacote do HB20 é o mais barato, além de um dos mais completos.

Top 10 – O ranking dos carros mais vendidos em 2013

1º VOLKSWAGEN GOL: 253.915 UNIDADES

gol-carro-mais-vendido-2013

2º FIAT UNO: 183.877 UNIDADES

fiat--segundo-carro-mais-vendido-2013

3º FIAT PALIO: 176.392 UNIDADES

fiat-palio-terceiro-carro-mais-vendido-2013

4º FORD FIESTA E NEW FIESTA: 136.131 UNIDADES

ford-fiesta-quarto-carro-mais-vendido-2013

5º VOLKSWAGEN FOX E CROSSFOX: 129.120 UNIDADES

 

volkswagen-fox-crossfox-quinto-carro-mais-vendido-2013

6º FIAT GRAND SIENA E SIENA: 129.120 UNIDADES

fiat-grand-siena-sexto-carro-mais-vendido-2013

7º FIAT STRADA: 122.496 UNIDADES

fiat-strada-setimo-carro-mais-vendido-2013

8º CHEVROLET ONIX: 121.929 UNIDADES

chevrolet-onix-oitavo-carro-mais-vendido-2013

9º HYUNDAI HB20: 121.868 UNIDADES

hyundai-hb20-nono-carro-mais-vendido-2013

10º RENAULT SANDERO:102.046 UNIDADES

renault-sandero-decimo-carro-mais-vendido-2013

Sedã Classic, no entanto, continuará a ser produzido

foto-imagem-GMA GM do Brasil anunciou na sexta-feira (16) o fim da produção do sedã Classic em sua unidade em São José dos Campos (SP). A desativação da linha estava prevista para acontecer no fim do ano, mas foi antecipada devido o alto custo das operações o que tornou a manutenção da linha inviável, segundo informou a montadora. Até então, a fábrica do Vale do Paraíba produzia 150 unidades do modelo por dia, em apenas um turno de trabalho. O sedã, no entanto, continuará a ser produzido normalmente nas plantas de São Caetano do Sul (SP) e em Rosário, na Argentina. Em São José dos Campos, continuarão a ser fabricados o utilitário esportivo Trailblazer e a picape S10.
Reação nas vendas
Após ser deixado de lado por vários meses, o Classic voltou a figurar entre os mais vendidos em julho. Com 10.973 unidades emplacadas no período, o veterano conseguiu ultrapassar Fiat Siena e se tornar o sedã compacto mais vendido no mês. A reação do modelo poder ser atribuída à ofensiva da GM nas revendas, que tem promovido insistentes feirões em que o modelo é ofertado com condições especiais. Além disso, a adoção de ABS e airbag na linha 2014 garantiu ao sedã uma pequena sobrevida de pelo menos mais um ano. No acumulado do ano, o Classic é o 10º carro mais vendido, com 54.659 unidades comercializadas.
Novo compacto em São José dos Campos
A Chevrolet está na briga com outras subsidiárias da GM para receber um investimento de R$ 2,5 bilhões para produzir até 2017 um novo modelo no país, na fábrica São José dos Campos.
Conforme Autoesporte já havia informado, trata-se de um compacto inédito que viria com a missão de substituir a dupla Celta e Classic.

Vendas de carros em junho – Veja os 10 carros mais vendidos no mês de junho de 2013

Como apontaram números prévios, pela primeira vez desde novembro, o hatch Hyundai HB20 ficou fora da lista dos carros (automóveis e comerciais leves) mais vendidos em junho. No mês, o modelo ocupou a 11ª posição. Considerando apenas automóveis, ele foi o 10º mais vendido.

O HB20 chegou às lojas em outubro passado e, a partir do mês seguinte, apareceu constantemente no ranking dos mais vendidos, tendo chegado à quarta posição em fevereiro, março e abril, com vendas entre 10 mil e 12,5 mil unidades. Em maio, caiu para a nona colocação, com 9,6 mil emplacamentos.

Outro que constava no ranking anterior e caiu em junho foi o Volkswagen Voyage. Em maio, o sedã ficou em décimo, com 8.349 unidades vendidas. Quem subiu foi Chevrolet Classic e Renault Sandero.

tabela-10-carros-mais-vendidos-em-junho-de-2013

Carros Onix e Prisma são vendidos na Argentina até R$ 10 mil mais baratos que no Brasil

carro-onix-foto

A notícia é mesmo de desanimar. Como pode um carro fabricado no Brasil custar até R$ 7 mil a menos num país vizinho? Pois é isto que aconteceu com a dupla Onix e Prisma.

carro-onix-foto-imagem

Os novos compactos da Chevrolet foram lançados na Argentina nos últimos dias e chamaram a atenção pelos preços e versões à venda no mercado “hermano”.

O Onix lá parte de aproximadamente R$ 32.300 (83.500 pesos) na versão 1.4 LT, já equipado com ar-condicionado e o sistema multimídia My Link, que inclui a tela no painel.

Aqui, a mesma versão com os equipamentos custa R$ 39.490 — diferença (injustificável) de mais de R$ 7 mil. E pasmem: o Prisma 1.4 LTZ chega a ser quase R$ 10 mil mais barato

Carros mais vendidos do mês de janeiro 2013

carro-HB20-Hyundai-foto-imagem-lateral

O HB20 da Hyundai é um dos destaques da lista dos 10 carros mais vendidos em janeiro

A Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores) encerrou o mês de janeiro com 296.853 automóveis e utilitários leves vendidos, o melhor desempenho histórico do mês. Somando caminhões, ônibus, motocicletas e demais equipamentos automotores, o número sobe para 450.770 unidades.

A lista dos mais vendidos em janeiro foi marcada pela presença de modelos novatos entre os dez principais e pela ausência de modelos da Ford. Os líderes de vendas continuam os mesmos. A expectativa da Fenabrave para 2013 é de que o número de vendas chegue a 3.743.285 autos e utilitários. Em 2012, o total chegou a 3.634.421.

Confira os carros e que fizeram a alegria dos consumidores – e dos vendedores – no começo do ano, segundo o registro de emplacamentos da Fenabrave:

1º Gol – Volkswagen –22.338
2º Uno – Fiat – 18.025
3º Palio – Fiat – 17.358
4º Fox/Crossfox – Volkswagen – 12.436
5º Onix – Chevrolet – 10.724
6º Siena – Fiat –9.852
7º Celta – Chevrolet – 9.241
8º HB20 – Hyundai – 9.030
9º Corsa Sedan – Chevrolet – 8.479
10º Voyage – Chevrolet – 8.024
11º Sandero – Renault – 7.357
12º Fiesta – Ford – 7.215
13º Chevrolet – Cobalt – 4.959
14º Punto – Fiat – 4.886
15º Ka – Ford – 4.640
16º Corolla – Toyota – 3.866
17º Chevrolet – Agile – 3.639
18º C3 – Citroen – 3.212
19º City – Honda – 3.208
20º Spin – Chevrolet – 3.024