Arquivo da categoria: Ranger Sport

Novo Ford Ranger Sport

foto-imagem-fordAgradar a gregos e troianos não é tarefa fácil, mas parece ser a intenção da Ford Ranger Sport. Isso porque a picape quer entregar a capacidade de carga de picapes médias por um preço inferior e com bom pacote de equipamentos. O objetivo é tentar incomodar as vendas da Chevrolet S10 agradando a um público que mora em grandes cidades, mas viaja para o interior frequentemente.

Por R$ 67.990, a Ranger Sport segue de perto o preço inicial da líder de vendas S10 (R$ 65.890) e promete compensar a diferença nos valores com mais potência e um pacote de equipaments recheado.

Por isso, a picape conta com um motor 2.5 Duratec flex que entrega 173 cv, ou 32 cv a mais do que o motor bicombustível da S10. Esses números fazem dele o quatro cilindros mais potente da categoria. O torque máximo fica na casa dos 24,8 kgfm a 4.250 rpm quando abastecido com etanol e 24,1 a 3.750 giros com gasolina.

foto-imagem-fordA curva de torque com cerca de 20 kgfm desde os mil giros mostra o apetite de picape da Ranger, o que privilegia o desempenho estável em subidas íngremes e mostra disposição para carregar equipamentos pesados na caçamba de 1.800 litros. Mas, o anda e para típico das grandes cidades parece não agradar muito o motor da picape, que registrou 4,9 km/l com Etanol. O câmbio tem engates duros e marchas curtas, especialmente as iniciais. Segundo a montadora, as capacidades de carga total e de imersão chegam a 1.455 kg e 80 cm, respectivamente. As limitações, no entanto, ficam por conta da indisponibilidade de transmissão automática, da versão com cabine dupla e da tração integral.

foto-imagem-ford

Equipamentos

De série, a picape conta com direção hidráulica, ar-condicionado, sistema de som com rádio, leitor de CD e MP3, entrada USB e para iPod, sistema Bluetooth e tela de LCD de 4,2 polegadas. Também há controles de áudio no volante, faróis de neblina dianteiros, piloto automático, ajustes elétricos nos retrovisores e rodas de liga leve de 17 polegadas. A titulo de comparação, a S10 tem ajustes manuais dos retrovisores, rodas de 16 polegadas e apenas preparação para o sistema de som. As concorrentes empatam na oferta de ar-condicionado, direção hidráulica e computador de bordo. Os diferenciais estéticos da Ranger Sport ficam por conta do aplique frontal do pára-choque, faixas adesivas laterais e santo antonio tubular.

Mas, se esta versão pretende ser vendida para moradores de grandes cidades, as restrições das metrópoles se impõem como dificuldades. Apesar do conforto interno similar ao de carros de passeio, a posição de dirigir é bastante elevada e os 5,35 metros de comprimento e 2,16 metros de largura exigem adaptação da noção de espaço do motorista. Além disso, encontrar vagas deste porte em ruas e até mesmo espaço para manobra nas garagens dos prédios é uma tarefa nada fácil. Pelo menos ela é minimizada com a ajuda da direção hidráulica.

foto-imagem-ford

Outra característica das metrópoles que vai na contramão do jeito de ser da Ranger é a quantidade de buracos nas ruas. Não pense que com seu porte avantajado as imperfeições passarão batidas. Muito pelo contrário: em ruas esburacadas a caçamba vazia pula bastante, o que exige que o motorista diminua a velocidade.

foto-imagem-fordPor dentro, a picape segue as linhas dos carros globais da Ford. O painel de instrumentos é de fácil visualização e conta com controle de intensidade das luzes. O acabamento que mistura plástico liso e texturizado é simples, mas bem acabado, e as saídas de ar-condicionado tem ajustes limitados. Já o sistema de som, que agrega diversas funções, se mostra bastante confuso e pouco intuitivo. Além disso, a tela de 4,2 polegadas fica notavelmente desproporcional ao porte do carro e limita o uso do sistema multimídia. Pontos fora da curva para uma picape que pretende agradar também pela conectividade.

foto-imagem-ford

HB20 é o carro do ano 2013 – Ford Fusion, Ranger, Ecosport e Audi Q3 também foram premiados – Veja lista compreta

Hyundai HB20

O Hyundai HB20 é o grande vencedor do prêmio Carro do Ano 2013. O primeiro popular da marca coreana fabricado no Brasil foi eleito pelo juri composto de jornalistas de todo o Brasil e pela equipe de Autoesporte.

Para o presidente da Hyundai, Chang Kyun Han, receber o prêmio é uma grande honra e, nas palavras dele, “um incentivo para fazer o HB20 ainda melhor”. O executivo ainda apontou o momento propício para o reconhecimento, que coincide com o início das operações da marca no Brasil após a construção de sua fábrica.

Confira abaixo a lista completa de vencedores do prêmio:

Carro do Ano – Hyundai HB20
Carro Premium do Ano – Ford Fusion
Picape do Ano – Ford Ranger
Utilitário Premium do Ano – Audi Q3
Utilitário do Ano – Ford EcoSport
Motor abaixo de 2.0 – Audi A1 1.4 TSFI
Motor acima de 2.0 – Ford Ranger 3.2 20V Turbodiesel
Carro Verde do Ano – Ford Fusion Hybrid

Audi Q3

Audi leva dois troféus

Premiada na categoria Utilitário Premium do Ano, a Audi disse estar feliz com o prêmio, que completa a galeria de troféus para os SUVs da marca, que incluem também Q5 e Q7. “Acredito que isso se deve ao que chamamos de pilares da marca: tecnologia embarcada, design e acabamento refinado”, declarou Leandro Rodomile, presidente da Audi Brasil.

Ao receber o troféu para o motor abaixo de 2.0, Marcel Yoshida, diretor de pós-vendas da Audi Brasil, declarou que a esportividade, a sofisticação e progressividade são as três principais características não apenas do motor 1.4 TFSI, mas também da engenharia Audi. “A Audi sempre se esforça para reunir características como performance e consumo baixo. O A1, de 185 cv, tem consumo combinado de 16,7 km/l. Além disso, ele oferece baixos níveis de emissões de poluentes, o que também aponta a preocupação da marca com o meio-ambiente”.

Ford Ranger 2013

Ford garante cinco prêmios

O prêmio que mais surpreendeu a Ford nessa noite foi a eleição do novo Fusion como Carro Premium do Ano, palavra do gerente de marketing e produto da marca, Oswaldo Ramos. “Fomos ousados em querer brigar com produtos premium, de marcas como Audi. Quando colocamos esse nível de equipamento, elevamos a briga. Mas esse reconhecimento da mídia é prova de que estávamos certos”, afirma o executivo.

Para o presidente da Ford do Brasil, Steven Armstrong, o carro é completo e mereceu o prêmio. “Temos o que o consumidor quer, tecnologia, design e desempenho”
Sobre o prêmio para motor acima de 2.0, Lucíola Almeida, gerente de marketing de picapes da Ford, disse que “o prêmio é muito importante para este novo projeto global. Trata-se do motor mais potente da categoria, que oferece 200 cavalos. Ele foi desenvolvido globalmente para qualquer região do país, e nós da Ford brasileira ajudamos nisso. Conquistar o prêmio fecha com chave de ouro esse processo de desenvolvimento”.

Novo Ford Fusion

Vencedores também do prêmio de Picape do Ano, com a Ranger, a Ford comemora o sucesso de seus projetos globais. “A Ranger ganhou uma nova fórmula, completamente redesenhada e com nova engenharia. O prêmio acaba demonstrando que a Ford continua na liderança mundial do mercado de picapes. Isso é ótimo para nós, para o Brasil e para os consumidores”, diz Steven Armstrong, presidente da Ford. Para ele, prêmios como o Carro do Ano provam que ouvir o que o consumidor quer e precisa em cada segmento do mercado são os segredos do sucesso. “Não foi só o design da Ranger que foi premiado, mas também toda a sua força e engenharia por trás”, completa.

Ford Ranger – Com inédita versão flex, nova picape chega a partir de R$ 61,9 mil

Ford Ranger chega à 3ª geração completamente renovada (Foto: Divulgação)

A Ford apresenta neste domingo em Salta, na Argentina, a segunda geração da Ranger, primeira picape média a estrear no mercado brasileiro e que, desde 1994 (veja a linha do tempo ao fim da reportagem), sobrevive de reestilizações, atualizações na motorização e versões especiais. O utilitário é marcado, além do novo visual, pelo inédito motor flex e o diesel de 200 cv, que torna a picape a mais potente da categoria. Confira os preços da Ford Ranger 2013.

XLS 2.5 flex CS: R$ 61,9 mil
XLS 2.5 flex CD: R$ 67,6 mil
XLT 2.5 flex CD: R$ 75,5 mil
Limited 2.5 flex CD: R$ 87,5 mil
XLS 3.2 diesel CS: R$ 97,9 mil
XLS 3.2 diesel CD: R$ 106,9 mil
XLT 3.2 diesel CD: R$ 114,9 mil
XLT 3.2 diesel CD automática: R$ 120,4 mil
Limited 3.2 diesel CD automática: R$ 130,9 mil

A Ford ainda oferece uma opção com motor 2.2 a diesel, na versão XL, exclusiva para frotistas (sem preços revelados).

Versões

Na configuração XLS, a Ranger é equipada com direção hidráulica, ar-condicionado, travas, retrovisores e vidros elétricos (com função “um toque” para o motorista), computador de bordo, coluna da direção regulável apenas em altura, CD player com MP3 e tela colorida de 4,2 polegadas, rodas de liga leve de 16 polegadas e ABS com EBD – na versão cabine dupla movida a diesel, adiciona-se airbags frontais e faróis de neblina.

A XLT se destaca por acrescentar a tais itens ar-condicionado digital dual zone, controle de estabilidade (ESP), Bluetooth no rádio, sensor de estacionamento, piloto automático, vidros elétricos com acionamento a um toque para todos e sistema antiesmagamento, volante multifuncional, bancos com ajuste de altura e lombar, rodas de liga leve de 17 polegadas, estribos laterais e detalhes cromados.

Por fim, a Limited tem como diferenciais airbags laterais e de cortina, GPS, câmera traseira, sensor de chuva, acendimento automático de faróis, bancos de couro, banco do motorista com ajuste elétrico em oito direções, santantônio esportivo, compartimento refrigerado, bagageiro no teto e retrovisores externos dobráveis eletricamente com piscas e luz de cortesia integrados.

Motores

Fonte de críticas à Ranger até então, a ausência do motor flex foi solucionada com o bloco Duratec 2.5 16V, de 168 cavalos de potência com gasolina (e torque de 24,1 kgfm) e 173 cv abastecido com álcool (e torque de 24,8 kgfm) – seu câmbio é sempre manual, de cinco marchas.

A opção a diesel fica por conta do Duratorq 3.2 20V, de cinco cilindros em linha, 200 cv e 47,9 kgfm de torque, com câmbio manual ou automático – nos dois casos com seis marchas.

One Ford

A nova Ranger faz parte da estratégia, batizada de One Ford, de oferecer mundialmente o mesmo veículo. Produzida na Argentina (que abastece o mercado brasileiro), na Tailândia e na África do Sul, a picape será comercializada em 180 países. A nova geração foi vista pela primeira vez no Salão da Austrália, em 2010, e, na América do Sul, no Salão de Buenos Aires, há um ano.

Ford lança a Ranger Sport 2011

Picape chega com leves alterações no visual.
Preço sugerido é de R$ 55.990.

A Ford lança neste mês a versão 2011 da Ranger Sport, com leves alterações no visual apresentadas no Salão do Automóvel, em outubro passado. A picape ganhou nova grade e para-choque dianteiro pintados na cor do veículo, recurso que se estende à linha XLS da Ranger. Os faróis e lanternas foram escurecidos e as rodas de liga leve, pintadas na cor cinza. O modelo 2011 tem preço sugerido de R$ 55.990.

A picape é equipada com motor Duratec 2.3 16V a gasolina, com 150 cv e 22,1 kgfm. De série, a Ranger Sport vem com ar-condicionado, vidros e travas elétricas,  sistema de som My Connection com quatro alto-falantes, conexão USB e Bluetooth, faróis de neblina, ajuste de altura da coluna de direção e pneus todo-terreno. A capacidade de carga é de 777 kg.

Segundo a Ford, as vendas da versão Sport representam cerca de 13% da linha Ranger. Em 2010, as vendas totais cresceram 24% e somaram 15.307 unidades, o que a fabricante considera recorde histórico desde o lançamento nacional do modelo, em 1995.

Segundo a Ford, as vendas da versão Sport representam cerca de 13% da linha Ranger. Em 2010, as vendas totais cresceram 24% e somaram 15.307 unidades, o que a fabricante considera recorde histórico desde o lançamento nacional do modelo, em 1995.

Fonte: Revista AutoEsporte