Arquivo da categoria: EcoSport

EcoSport ganhou facelift e mais eficiência, mas o impacto no mercado foi pequeno

A Ford mexe mais uma vez na gama do EcoSport. A marca excluiu outra versão com sete airbags e ainda fez reajuste nos preços da gama.

O facelift do SUV foi lançado em 2017 com sete airbags de série desde a versão de entrada. Na linha 2019, apresentada em fevereiro desse ano, essa oferta foi reduzida somente para as três versões mais caras – com pouca redução de preço nas que ficaram com os dois airbags obrigatórios por lei.

Agora, a Ford faz outra modificação: some com a versão Freestyle Plus 1.5 AT, até então a mais barata com sete bolsas de ar. Desta forma, o equipamento de segurança fica restrito às configurações Titanium e Storm.

Elas por sua vez, sobem na tabela. O Eco Titanium, que começou a ser vendido em 2017 por R$ 93.990, agora custa R$ 100.590.

A versão aventureira Storm com tração 4×4 segue o mesmo caminho: chegou por R$ 99.990, passou a R$ 104.190 e agora não sai por menos de R$ 105.290 – uma variação de R$ 5.300 desde a estreia na virada do ano.

O andar de baixo da linha também tem acréscimo no preço de quase R$ 1 mil. A SE 1.5 MT pula para R$ 79.250, enquanto a mesma versão com câmbio automático custa R$ 85.250.

A Ford só não altera o custo de duas versões: a Freestyle 1.5 com câmbio manual, que se mantém nos R$ 86.490 (na época de lançamento o preço era de R$ 81.490), e de sua versão automática, de R$ 92.490 – aumento de R$ 6 mil frente ao valor em fevereiro de 2017.

Veja os novos preços:

Ford EcoSport SE 1.5 MT – R$ 79.250
Ford EcoSport SE 1.5 AT – R$ 85.250
Ford EcoSport FreeStyle 1.5 MT – R$86.490
Ford EcoSport FreeStyle 1.5 AT – R$92.490
Ford EcoSport Titanium 2.0 AT – R$ 100.590
Ford EcoSport Storm 2.0 AT 4×4 – R$ 105.290

Inalterado, o powertrain é formado pelos motores Dragon, três cilindros 1.5 de 137 cv e 16,2 mkgf de torque, aliado a transmissão manual de cinco ou automática de seis marchas, e o quatro cilindros 2.0 de 176 cv e 22,5 mkgf sempre com caixa automática.

Lançado em fevereiro do ano passado, o novo EcoSport mudou para tentar encarar SUVs compactos que o destronaram do posto de mais vendido no Brasil.

O modelo passou por uma reestilização profunda, ganhou o motor 1.5 três cilindros, central multimídia Sync 3 e trocou o problemático câmbio automatizado PowerShift por um automático convencional com conversor de torque e seis marchas.

Desde então, frequentes alterações na linha aconteceram ao longo de pouco mais de um ano e meio, com mudanças de valores e perda de itens de série.

O modelo fará sua primeira aparição oficial em Los Angeles (EUA), onde deverá chegar apenas em 2018

foto-imagem-EcoSport

Principal ausência no Salão do Automóvel de São Paulo , deixando brilhar os rivais Hyundai Creta e Honda WR-V, o novo EcoSport foi revelado em Los Angeles (EUA), a cerca de 10.000 km de distância do Brasil, sua terra natal.

foto-imagem-EcoSport

A data de lançamento do modelo no Brasil ainda é um mistério, uma vez que, segundo a Ford, ele só começará a ser entregue aos clientes americanos no início de 2018, importado da Romênia.

A matriz americana nutre grandes expectativas: o segmento de SUVs que por lá são chamados de subcompactos – como o Renegade, Juke, HR-V e Trax (nosso Tracker) – cresceu muito dos últimos anos, passando de 70.000 unidades em 2011 para 276.000 em 2015.

Por isso, e pelo fato de o EcoSport ser inédito nos EUA, a prioridade na apresentação foi para a parte norte do continente. Mas ele não deve demorar a dar as caras por aqui.

Por fora, as mudanças do EcoSport foram poucas, mas significativas, mais alinhadas com os modelos americanos (como o Edge) do que com os europeus. A dianteira ficou mais alta com o reposicionamento da grade, agora com duas barras horizontais e o logo da marca ao centro.

foto-imagem-EcoSport

Os faróis remetem aos antigos, mas ganharam novas proporções e iluminação por projetores. Quem também contribui para a elevação da dianteira são os faróis de neblina, maiores e mais altos, além do para-choque com porções inferiores pintadas na cor do carro.

foto-imagem-EcoSport

A traseira segue sem mudanças, com exceção da barra cromada acima do recuo da placa de licença. Não estranhe a ausência do estepe pendurado na traseira: apesar de tradicional no Brasil, o item não agradou aos norte-americanos e europeus, onde o estepe convencional é item cada vez mais raro.

Um projeto brasileiro em suas duas primeiras gerações, o EcoSport começou a ser vendido na Europa em 2014, mas teve de mudar levemente já no ano seguinte, com melhorias no acabamento e a eliminação do estepe traseiro, substituido por um kit de reparos. Os americanos também abriram mão do estepe. A abertura da tampa, porém, continua sendo feita para o lado.

foto-imagem-EcoSport

A maior novidade talvez esteja no interior do jipinho, que não se parece com o de nenhum outro carro da marca. As saídas de ar agora estão em posição mais baixa, logo acima dos controles do ar-condicionado — que, assim como no atual, é digital e de apenas uma zona. O volante e o quadro de instrumentos também são novos, enquanto os comandos dos retrovisores elétricos agora estão próximos aos dos vidros, na porta do motorista.

foto-imagem-EcoSport

No topo do painel, a central multimídia com tela de oito polegadas sensível ao toque pode se conectar aos sistemas Apple CarPlay e Android Auto, além de oferecer GPS e Bluetooth e aposentar inúmeros botões físicos. Há duas saídas USB, duas tomadas de 12V e uma de 110V para os passageiros do banco de trás.

foto-imagem-EcoSport

O esquema de som, para a versão mais cara nos EUA, é um B&O Play da Harman com 10 alto-falantes (incluindo subwoofer no porta-malas) e 675 watts. A marca ainda destaca a presença de 30 porta-trecos, no melhor estilo americano.

foto-imagem-EcoSport

As duas opções de motorização para o mercado americano serão o 1.0 EcoBoost semelhante ao utilizado no New Fiesta e o conhecido 2.0 Duratec de quatro cilindros aspirado, neste caso sempre com tração integral. No Brasil, há a expectativa de que ele também receba o novo 1.5 Dragon de três cilindros, com cerca de 130 cavalos.

O material de divulgação da Ford diz que o câmbio para ambas as configurações é um automático de seis marchas. Pode ser que seja um automático convencional no lugar do Powershift automatizado de dupla embreagem, alvo de críticas por lá ao equipar o New Fiesta e Focus. Mas a Ford americana também costuma chamar o próprio Powershift de automático.

É esperado que a Ford não demore a lançar o EcoSport reestilizado por aqui. Precursor e antigo líder do segmento, o modelo hoje amarga a terceira colocação (com direito a inversões constantes com o quarto colocado, Renault Duster) desde a chegada dos rivais Honda HR-V e Jeep Renegade. Nos próximos meses, chegam os já citados Hyundai Creta e Honda WR-V, além das versões mais acessíveis do Kicks.

Garantia dos New Fiesta, Focus e EcoSport afetados será extendida para cinco anos ou 160 mil quilômetros

foto-imagem-carro-ecosport

Há pelo menos dois anos, os proprietários de veículos da Ford equipados com o câmbio automatizado de dupla embreagem Powershift reclamam de barulho, trepidação, superaquecimento e até necessidade de trocas prematuras do kit de embreagem. Após ser alvo de uma série de reportagens e de ações do Procon, a marca finalmente assumiu que há problemas com os modelos New Fiesta (hatch e sedã) e Ecosport fabricados em 2013 e 2014, além dos Focus (hatch e sedã) feitos em 2014. A transmissão PowerShift equipa 36,3% dos New Fiesta, 37,2% dos EcoSport e nada menos que 83,4% de todos os Focus vendidos no país.

Em resposta protocolada no Procon-SP, a Ford reconhece problemas e afirma que irá realizar reparos gratuitos nos veículso que apresentarem defeitos. Os proprietários serão informados via carta comum ou mala direta – outros consumidores que não sejam avisados também podem acionar a marca para o recall.

Além dos reparos, as unidades afetadas terão a garantia extendida de três para cinco anos, ou 160 mil quilômetros rodados – o que ocorrer primeiro. Quem já ultrapassou tal quilometragem antes do fim da garantia de fábrica também será atendido gratuitamente.

O comunicado da Ford faz referência direta à reportagem da QUATRO RODAS publicada em 2014, em que proprietários relatam suas experiências. Segundo a montadora, os problemas de trepidação podem ser resultado da contaminação de uma das embreagens por fluído de transmissão. “Esse pequeno merejamento da embreagem, quando ocorre, pode causar a leve trepidação sentida pelos consumidores, e corresponde ao mesmo sintoma do desgaste natural da embreagem de uma transmissão manual tradicional. A diferença é que, no caso em tela, esse sintoma aparece de maneira antecipada, antes do fim da vida útil da embreagem”, diz o informe oficial.

A Ford ainda afirma que a trepidação não gera perda de força motriz do veículo, e que não há registro de acidentes com vítimas causados pela ocorrência do problema. Para remediar a falha, a marca está adotando um novo vedador da transmissão em veícuos zero km. Já os modelos usados e afetados pelo problema receberão uma nova embreagem gratuitamente, além da extensão da garantia.

Avaliação de segurança nos carros da Hyundai e Ford – HB20 ficou com uma estrela e Ecosport ficou com três

HYUNDAI HB20 OBTÉM TRÊS ESTRELAS NA PROTEÇÃO A ADULTOS E UMA QUANDO SE TRATA DE CRIANÇAS (FOTO: DIVULGAÇÃO)

HYUNDAI HB20 OBTÉM TRÊS ESTRELAS NA PROTEÇÃO A ADULTOS E UMA QUANDO SE TRATA DE CRIANÇAS (FOTO: DIVULGAÇÃO)

O Programa de Avaliação de Carros Novos para a América Latina, Latin NCAP, divulgou hoje o resultado dos testes de segurança do Hyundai HB20 e do Ford EcoSport – ambos equipados com airbag duplo. O hatch da marca coreana obteve três estrelas no quesito que julga a proteção a adultos e apenas uma quando se trata de crianças. Para efeito de comparação, o VW Gol 1.6 Trend (versão avaliada pelo Latin NCAP) alcançou três e duas em igual condição (uma e duas quando não estava com airbag) e o Toyota Etios tem quatro e duas estrelas, respectivamente.

Para a instituição, o HB20 demonstrou boa estabilidade estrutural, mas seus cintos de segurança (e pré-tensionadores) não puderam evitar alta carga em determinadas áreas do corpo dos ocupantes, o que impediu a obtenção de quatro estrelas na segurança oferecida a adultos. O Latin NCAP aponta, ainda, que a proteção oferecida às crianças precisa ser melhorada, pois um dos sistemas de retenção infantil se rompeu devido às altas cargas a que foi submetido pelo cinto de segurança. Com isso, o boneco que simulava a criança de três anos se chocou contra o assento do banco dianteiro. Além disso, o manequim que representava a criança no bebê-conforto (voltado para o sentido oposto ao do movimento) foi submetido a grande desaceleração.

FORD ECOSPORT TEM QUATRO E TRÊS ESTRELAS NA SEGURANÇA A ADULTOS E CRIANÇAS, RESPECTIVAMENTE (FOTO: DIVULGAÇÃO)

FORD ECOSPORT TEM QUATRO E TRÊS ESTRELAS NA SEGURANÇA A ADULTOS E CRIANÇAS, RESPECTIVAMENTE (FOTO: DIVULGAÇÃO)

Ford EcoSport

Líder de vendas no segmento (veja o ranking de março), o utilitário foi tão bem avaliado quanto o New Fiesta na segurança oferecida a adultos e conseguiu quatro estrelas na avaliação. Na proteção a crianças, porém, ele recebeu uma nota a menos que o hatch, e ficou com três estrelas. De acordo com o Latin NCAP, o teste demonstrou mais uma vez a importância de sistemas de fixação como o Isofix, que facilitam a instalação dos dispositivos de segurança infantil – bebê-conforto, cadeirinha e/ou assento de elevação. Mas explicou que os resultados não foram ótimos em algumas leituras feitas pelos sensores, por isso a classificação não chegou a quatro.

Confira os vídeos que mostram os testes de colisão do HB20 e do EcoSport:

 

Novos testes e conclusões do Latin NCAP

A partir deste ano o Latin NCAP vai adotar um novo protocolo e iniciar testes de impacto lateral segundo a norma 95 das Nações Unidas. Outros requerimentos paralelos também serão incluídos para que se possa atingir a classificação máxima. Em julho e por volta de outubro e novembro, novos resultados serão divulgados.

O Latin NCAP realiza os crash tests frontais de veículos cedidos por montadoras ou adquiridos a partir do patrocínio de instituições que apoiam o programa. A colisão é realizada a 64 km/h contra uma barreira deformável descentralizada, que atinge 40% da parte dianteira do veículo. Após o impacto, sensores medem os efeitos do choque sobre dois manequins de tamanho adulto (que ocupam os bancos dianteiros) e outros dois que simulam a presença de uma criança de três anos e outra de um ano e seis meses nos assentos traseiros. A nota máxima para cada avaliação é de cinco estrelas.

resultados-teste-de-seguranca-HB20-Ecosport

RESULTADOS DA COLISÃO DO LATIN NCAP PARA HYUNDAI HB20 E FORD ECOSPORT (FOTO: DIVULGAÇÃO/LATIN NCAP)

Desde 2010, o Latin Ncap já realizou o test crash em 28 modelos. Na próxima fase, a instituição pretende incluir o teste de impacto lateral, e talvez o teste feito com pedestres, ambos já realizados pelo Euro NCap.

Na última bateria de testes, divulgada em novembro de 2012, os carros brasileiros foram criticados pela instituição por conta da defasagem em relação aos modelos europeus. Para o engenheiro Dino Lameira, especialista da área automotiva do PROTESTE Brasil, os modelos mais básicos comercializados aqui e no restante da América Latina estariam 20 anos defasados em relação aos similares europeus e americanos.

Para o Latin NCAP, os consumidores devem exigir que as montadoras adotem, ou que lhes sejam impostas pelos governos dos países da América Latina, as recomendações das Nações Unidas em relação aos padrões dos testes de colisão (regulamentos R94 e R95) e à adoção de sistemas de retenção como Isofix (regulamento R44 da ONU).

.

Câmbio automático – Ford EcoSport 2.0 – Utilitário esportivo ganha câmbio de dupla embreagem por até R$ 70.890

ecosport-2013-foto-imagemFamília da nova geração do EcoSport está crescendo rápido

A família da nova geração do EcoSport está crescendo rápido. A novidade mais recente é o câmbio automatizado com dupla embreagem e seis velocidades, disponível nas versões SE (63.390 reais) e Titanium (70890 reais).

ecosport-2013-Cambio-PowerShift-foto-imagemCâmbio PowerShift: seis marchas e trocas manuais por meio de botão na alavanca

Diferente do sistema banhado a óleo aplicado em superesportivos, a transmissão PowerShift da Ford é do tipo caixa seca, o que explica o ruído de trepidação típico de disco de embreagem ao trafegar com o Eco sobre paralelepípedo. Ainda assim, traz enorme vantagem diante do conjunto automatizado com embreagem simples, como o que o Chevrolet Agile acaba de receber.

ecosport-2013-Cambio-foto-imagemNovo câmbio só está disponível para o motor 2.0

Para realizar passagens de marcha rapidamente, o PowerShift engata a marcha superior simultaneamente ao desengate da que estava em uso. “É por isso que não se tem o incômodo efeito gangorra típico dos automatizados monoembreagem”, diz Fabio Okano, gerente de engenharia da Ford. Numa tocada esportiva, as trocas podem ser realizadas em 235 milésimos de segundo tanto no modo automático como no sequencial, por meio de um botão na lateral da alavanca seletora do câmbio de seis marchas.

O PowerShift mostrou ser o câmbio correto para o Eco 2.0 – cuja versão FreeStyle com câmbio manual foi avaliada em setembro. Confrontando os números de ambos, dá para notar um empate técnico na prova de aceleração, mas ampla vantagem do segundo nas provas de consumo urbano (7,9 ante 6,7 km/l) e rodoviário (10,4 e 8,8 km/l). Em tempo: o FreeStyle 1.6 manual consumiu 8,6 km/l de etanol na cidade e 10,4 km/l na estrada. Infelizmente, a combinação ideal entre mecânica (Duratec 2.0 e PowerShift) e versão de acabamento (FreeStyle) não será oferecida. Mas a própria gerente de marketing da Ford, Adriana Carradori, reconhece: “Se o consumidor indicar que precisa mesmo de um EcoSport FreeStyle 2.0 Powershift, a versão pode nascer já em 2013”.

Veredicto

Rápido e versatile, o câmbio PowerShift fez com que o motor 2.0 Duratec voltasse a ser encarado como uma boa opção.

Novo EcoSport PowerShift e 4WD, agora é automático e aventureiro

A família do Novo EcoSport está ainda mais completa, com o lançamento dos dois novos modelos da linha: a versão Powershift – disponível nas versões SE e Titanium -, com câmbio automatizado de dupla embreagem; e a opção 4WD (Four Wheel Drive ou tração nas quatro rodas) oferecido exclusivamente na versão FreeStyle. Os carros foram apresentados à imprensa na última semana.

As duas versões contam com motor 2.0 16V Flex e são equipados de série com direção elétrica, freios ABS, controles de estabilidade e tração (AdvanceTrac), assistente de partida em rampa e assistente de frenagem de emergência.

Powershift

Já à venda nas concessionárias, o Powershift é o primeiro nacional a trazer câmbio automatizado de dupla embreagem. O objetivo, segundo a montadora, é unir “o conforto da caixa automática e a esportividade do câmbio manual”, com trocas de marcha mais rápidas e com pouca interrupção na faixa de torque. Durante o testdrive, realizado no percurso de Itatiba a São Paulo, o carro mostrou desempenho razoável, mas inconstante. Entre algumas queixas, problemas com relação ao isolamento acústico e certas falhas no acabamento interno. Quanto aos destaques, ponto positivo para a boa dirigibilidade e os já incluídos itens de segurança.

Sobre consumo de combustível, essa versão, segundo a Ford, é o único utilitário esportivo 2.0 automático classificado com o padrão A de economia do Inmetro. A 4WD repete o desempenho eficiente considerando consumo de combustível, recebendo a mesma classificação do Inmetro.

4WD

A versão com tração nas quatro rodas só chega ao mercado em janeiro de 2013, mas não apresentou grandes surpresas. Também equipado com motor Duratec 2.0 16V flex, a 4WD conta com 146 cavalos de potência e 19,7 kgfm de torque a 4.250 rpm.

“A gente quer pegar aquele cara não só do perfil mais aventureiro, mas que ande em condições que não sejam 100% de asfalto. Obviamente não é pra fazer um off-road pesado, mas ele oferece condições para estrada de terra”, admite o gerente de marketing da Ford, André Leite.

Esta versão já vem equipada com SYNC Media System com Bluetooth e comandos de voz, sensor de estacionamento, ar-condicionado e rodas de liga leve de 16 polegadas, direção elétrica, vidros, travas e espelhos elétricos, computador de bordo e pacote visual FreeStyle.

Conta também com airbag duplo, freios ABS, controle eletrônico de estabilidade e tração, e assistente de partida em rampa, com preço de R$66.090. Conta também com a opção de bancos de couro e airbags laterais e de cortina, por R$3.700.

A jornalista viajou a convite da Ford.

Números

63.390 Reais Preço sugerido para a versão EcoSport Powershift SE. O modelo PowerShift Titanium sai por pelo menos R$70.890 (preço sugerido)

66.090 Reais Preço sugerido do Novo EcoSport 2.0 4WD FreeStyle. Conta também com a opção de bancos de couro e airbags laterais e de cortina, por R$3.700.

Saiba mais

Outros detalhes
1) Segundo o gerente de marketing da Ford, André Leite, as cores são as mesmas que já são ofertadas nas outras opções: há o laranja, preto, branco, prata, champagne, cinza escuro, vermelho.

2) O brasileiro, no padrão de consumo dele, puxa mais para branco, preto e prata. Apesar de que a cor laranja está sendo uma surpresa, e como está sendo exposta bastante, a gente tem conseguido que o cliente veja como uma opção diferente.

3) Para 2012, a Ford espera confirmar um crescimento de 4% de volume de vendas .

4) A Ford Brasil anunciou que em 2013 continuarão produzindo no Brasil e exportando.

EcoSport pré-venda – Carro da Ford – Cliente terá de pagar um sinal de de R$ 5 mil para fazer a reserva

Novo Ford Ecosport 

A Ford anunciou nesta sexta-feira (6) que iniciará a pré-venda do Novo EcoSport no próximo dia 14, um sábado. Para esta ação serão disponibilizadas cerca de 2.500 unidades, que contam com “garantia de manutenção do preço de lançamento, mesmo que haja uma posterior elevação no valor do IPI“, diz a montadora. O desconto para o Imposto sobre Produtos Industrializados, determinado pelo governo federal no fim de maio, termina em 31 de agosto. Porém, os preços do EcoSport ainda não foram divulgados.

Quem quiser ser antecipar a compra da nova geração do SUV precisa fazer um cadastro no site www.novoecosport.com.br, a partir deste sábado (7), e receberá um e-mail de confirmação. Depois, deverá ir a um distribuidor Ford a partir do dia 14 de julho e confirmar a reserva, pagando uma entrada no valor de R$ 5 mil.

A ação ocorre antes mesmo de o carro ser exposto nas concessionárias -ou seja, o cliente poderá reservar o veículo sem conhecê-lo ou fazer um test-drive. O EcoSport tem sido alvo de algumas ações para o público. Uma ocorreu em São Paulo, em junho, com jogadores de futebol, outra está marcada para este sábado, em Porto Alegre, e uma terceira em agosto, no Rio de Janeiro. Para a imprensa, ele foi apresentado como protótipo em janeiro e em detalhes em abril, mas não foi permitido andar no veículo. O lançamento é esperado para breve, mas não há data confirmada.

Desenvolvida no Brasil, nova geração do SUV será vendida também em outros países 

Versões disponíveis

Duas versões estarão disponíveis na pré-venda, a de entrada e a FreeStyle, ambas contarão com motor Sigma 1.6 Flex de 16 válvulas, fabricado em Taubaté (SP), que já equipa o New Fiesta e o Focus. Nesses modelos, ele entrega 115 cavalos e 116 cv, respectivamente, quando abastecido com álcool.

O 1.6. será uma opção de motorização do SUV. Em abril, a Ford afirmou que, até então, só o havia sido homologado o bloco Duratec 2.0 flex de 148 cv (com etanol), importado do México e também disponível no Focus. Inicialmente, o EcoSport deverá ser vendido somente com câmbio manual, mas a transmissão automática, oferecida na atual geração, é esperada.

A versão S virá com direção elétrica, ar-condicionado, vidros dianteiros, travas e espelhos elétricos, sistema multimídia SYNC com comando de voz e Bluetooth, airbag duplo, freio ABS e faróis com LED.

A FreeStyle, que também traz computador de bordo, terá sensor de estacionamento, vidros elétricos com acionamento a um toque e sensor antiesmagamento, fechamento global, assistente de partida em rampa, controle eletrônico de estabilidade, controle de tração e um pacote de visual externo diferenciado, incluindo rodas de liga leve de 16 polegadas. A versão conta ainda com a opção de airbags laterais e de cortina e bancos de couro. As cores disponíveis são as sólidas branco e preto e as metálicas laranja e prata.

Painel da versão Titanium, apresentada à imprensa em abril passado 

Topo de linha não entra na pré-venda

Durante apresentação a jornalistas, em abril, a Ford afirmou que ofereceria o carro na versão Titanium, que não estará na pré-venda. Topo de linha, ela contará com com direção elétrica, freios ABS com EBD (distribuição eletrônica de frenagem), sistema inteligente de entrada e partida sem chave, sensores de chuva, acendimento automático dos faróis, sistema SYNC, controle eletrônico de estabilidade, assistência de partida em rampa e sensores de estacionamento, airbag duplo e de cortina, rodas de alumínio de 16 polegadas e grade cromada.

Duas concessionárias Ford no Nordeste divulgaram nas últimas semanas que o EcoSport custaria a partir de R$ 53.490. A montadora não confirma.

A segunda geração do EcoSport foi desenvolvida no Brasil, em Camaçari (BA), onde será fabricada, e o modelo passará a ser um carro global, com produção e vendas em outros países.

Tecnologia embarcada – Novo Ford EcoSport usa conectividade com o sistema SYNC( patenteado pela Microsoft)

A Ford lançou oficialmente, neste fim de semana, o novo modelo do carro Ford EcoSport. A nova versão, 100% automatizada, demorou 3 anos para ser concluída e deve chegar ao mercado custando a partir de R$ 55.000,00, de acordo com o site Interpress Motor. Apesar de ser vendido em cerca de 100 países e fabricado também na China e Índia, grande parte do projeto foi desenvolvido em solo brasileiro.

A tecnologia é fator presente em vários aspectos do carro. A conectividade com o sistema SYNC (patenteado pela Microsoft) é uma delas. Com essa função, tanto o motorista quanto os passageiros podem atender ligações telefônicas sem o uso das mãos, além de controlar o rádio e outros acessórios com comandos de voz. O carro também possui compatibilidade com Bluetooth, MP3 e iPod. A tela de LCD possui 3,5 polegadas e já é oferecida, de fábrica, com computador de bordo. Sensores de chuva, acendimento automático de faróis, partida sem a utilização de chave e assistência de partida em aclives também foram adicionados à nova versão.

Para quem mora em cidades muito montanhosas, o assistente de partida em aclives é uma boa ajuda. “Com essa tecnologia priorizamos e matemos a estabilidade, um quesito essencial na segurança”, completou o engenheiro chefe do EcoSport, Alexandre Machado, durante a coletiva de imprensa nesta manhã de segunda-feira (23/04) na fábrica de Camaçari (BA). O executivo acrescentou também que o novo sistema de airbags é bem mais econômico do que o das versões anteriores. “Pensamos em todos os detalhes que mais tiveram retorno dos nossos clientes na hora de optarem por este modelo”.

Investimentos

Se antes era associado a um jipe, hoje a robustez e inovação tecnológica prevalecem no novo modelo que tem previsão de lançamento para o segundo semestre de 2012. De acordo com o diretor de engenharia da Ford, Marcio Alfonso, o carro foi projetado para 10 anos de uso intenso. Além disso, toda a operação da Ford para o modelo EcoSport gera atualmente 8.500 empregos diretos e 90 mil indiretos. “Exportamos 20% do nosso volume. Outra grande vantagem: temos o único porto privativo”, ressalta o executivo. A Ford está investindo cerca de 2,8 bilhões de reais entre os anos de 2011 e 2015 e pretende aumentar sua capacidade de produção para 300mil veículos por ano com este lançamento.

Novo EcoSport 2012 – Veja fotos do carro da Ford


A Ford revelou o novo EcoSport nesta quarta-feira (4), no Salão de Nova Délhi, na Índia. O SUV também está sendo mostrado nesta manhã em Brasília. A apresentação desse que é um dos lançamentos mais esperados para 2012 acontece simultaneamente em diversos mercados porque o novo SUV compacto será vendido em mais de 100 países. Desenvolvido pela equipe de engenharia brasileira da montadora, o carro vai ser produzido, inicialmente, no Brasil, Índia e Tailândia. A data de lançamento ainda é mantida em segredo, assim como o preço.

Para a Ford do Brasil, o carro é um marco, pois coloca o país como um dos centros de desenvolvimento de produtos globais para a companhia norte-americana. No entanto, o salão indiano foi escolhido como palco principal da estreia porque se trata do país onde a Ford tem forte foco de expansão; além disso, a expectativa é que o evento atraia 1,4 milhão de visitantes.

 Carro foi mostrado também na Índia nesta quarta

Para o mercado brasileiro, o carro começa a ser produzido em Camaçari, na Bahia, onde é feito o modelo anterior. O novo EcoSport conta com a plataforma do New Fiesta, o primeiro que traz no DNA o conceito “One Ford”, de globalização dos carros da companhia.

No evento em Brasília, a montadora destaca que é a primeira vez que a engenharia de Camaçari desenvolve um carro global. “Esse nosso novo produto começa a nova realidade de globalização”, afirma o diretor de assuntos corporativos da Ford América do Sul, Rogélio Golfarb.

O presidente da Ford do Brasil e Mercosul, Marcos de Oliveira, destaca a importância do lançamento também para o desenvolvimento do Brasil, já que a montadora anunciou em dezembro uma nova fábrica de motores em Camaçari, a primeira no Nordeste. A nova unidade custará R$ 400 milhões em investimentos e terá capacidade para produzir 210 mil motores por ano.

A montadora não revela quanto investiu no projeto do EcoSport, mas o presidente da operação no Brasil afirma que o montante está incluso nos R$ 2,8 bilhões destinados ao Nordeste entre 2011 e 2015. O total para o Brasil é de R$ 4,5 bilhões. “O Brasil é visto com bons olhos”, diz Oliveira. A capacidade produtiva em Camaçari vai aumentar de 250 mil unidades para 300 mil.

EcoSport é o primeiro carro global desenvolvido pela Ford em Camaçari

A Ford do Brasil lançará também neste ano um terceiro veículo global. Entre os modelos aguardados estão o novo Ka e um modelo do segmento B, revelado ao G1 durante o Salão de Frankfurt.

Relembre a história do EcoSport

2003 – O modelo criado pela equipe de engenheiros da Ford no Brasil foi lançado em abril.

2004 – Lançamento da versão 4WD, com tração total inteligente e aparência externa diferenciada.

2005 – Primeiro utilitário esportivo com motor flex, na versão 1.6. No final do mesmo ano, introduziu a versão FreeStyle, com itens de estilo personalizados.
Lançada em edição limitada, fez tanto sucesso que virou modelo de série e representa mais de 60% das vendas da linha.

2006 – Trouxe sistema de áudio com conexão para iPod, USB e auxiliar frontal, além de integração Bluetooth para celular, que permite fazer e receber ligações, usar a agenda de contatos, receber mensagens, visualizar quem está ligando e ouvir músicas via “streaming”.

2007 – Chegada do EcoSport Automático, com foco no conforto ao dirigir. No mesmo ano, a linha teve a primeira mudança abrangente de estilo.

2008 – Lançamento do motor Flex 2.0.

2009 – Introdução do economizador de bateria, que desliga as luzes internas após 10 minutos de inatividade, e alto-falantes de maior potência e qualidade de som.

2010 – Design e equipamentos renovados, incluindo painel, grade, faróis e o emblema EcoSport no capô, e introdução de três anos de garantia. Confira as Primeiras Impressões do modelo quando houve a mudança.

2011 – Lançamento do modelo 2012, com a inclusão de airbag e freios ABS no modelo FreeStyle 2.0 e os mesmos itens como opcionais no FreeStyle 1.6. Desde 2003 a Ford já vendeu mais de 750 mil unidades do modelo.

Atriz Deborah Secco, ao lado do presidente da Ford do Brasil, participa da apresentação em Brasília

Fotos Flagra Novo Ecosport 2012 em testes

Versão totalmente nova do utilitário esportivo chega em 2012


Novo EcoSport está chegando. Duas unidades em teste foram flagradas no litoral de São Paulo pelo nosso leitor Marcelo Pequini há poucos dias. Se a princípio os carros se parecem som as novas versões do Fiesta, é porque são mulas, ou seja, carcaças de outro veículo colocadas sobre a plataforma em teste. Neste caso, realmente trata-se do novíssimo EcoSport, que será um projeto global a ser lançado pela Ford no final de 2012.

A nova geração do utilitário será vendida em diversos mercados. Além de ser desenvolvida e fabricada no Brasil, ela terá linhas de produção na China e na Tailândia. O mercado europeu também será destino do novo Ford, que terá visual mais próximo da nova linguagem global da marca do oval azul, com desenho mais próximo dos novos Fiesta e Focus. Mas aqueles que gostam do estepe na traseira não têm com o que se preocupar, ele permanecerá na versão 2012.

Fonte: Autoesporte