Arquivo da categoria: Dodge

Americanos do Automotive News afirmam que o monstro com 851 cv e 106,4 mkgf será um risco para a segurança em vias públicas

Apresentado há menos de duas semanas, o Dodge Challenger SRT Demon se mostrou um carro singular em vários aspectos. Ele foi pensado para ser o mais rápido possível em pistas de arrancadas. Mas esse lado superlativo já lhe rendeu alguns inimigos.

Considerada a mais importante publicação a respeito da indústria e do mercado automotivo, o Automotive News publicou um editorial defendendo que o Challenger Demon não seja liberado para as ruas.

Os articulistas americanos justificam que vender um carro de arrancada para consumidores comuns significa colocá-los em uma situação de alto risco, da mesma forma que faz a Tesla ao permitir que seus carros trafeguem por estradas em modo 100% autônomo.

O Demon, de acordo com a publicação, “é o resultado de uma seqüência de escolhas corporativas equivocadas que colocam o desejo de se vangloriar à frente da segurança pública”. Isso deixaria a Dodge no rumo oposto ao da indústria, que fez grandes avanços na segurança nos últimos anos.

Os títulos dos quais a Dodge se vangloriou durante a apresentação do modelo, no Salão de Nova York, são os seguintes:

  • o mais potente carro V8 de produção em série
  • carro de produção mais rápido no 0 a 60 mi/h (96 km/h): 2,3 segundos
  • carro de produção mais rápido a percorrer o quarto de milha (402,3 metros): 9,65 segundos, atingindo 225,3 km/h
  • maior força-g ao acelerar em um carro de produção: 1.8 g
  • maior distância percorrida com o eixo dianteiro empinando ao acelerar (é sério): 89 centímetros

Para alcançar números tão impressionantes quanto estes, o Challenger Demon recebe largos pneus slick e até TransBrake, um bloqueio da transmissão que permite que o motor gire até o momento da largada. Isso é próprio de carros de arrancada e, no caso do Demon, melhora o tempo de reação em até 30% em relação à partida por pedais.

Seu motor V8 de 6,2 litros com supercharger gera até 851 cavalos, 106,4 mkgf. Mas são números obtidos apenas com gasolina com mais de 100 octanas, própria para competições. O aquecimento em arrancadas é tão alto que o ar frio que sai do ar-condicionado pode ser direcionado para a admissão do motor.

É, de fato, um carro feito para arrancadas. E tão rápido que não pode participar das competições da NHRA (National Hot Rod Association). Ele cumpriu o quarto de milha em 9,65 segundos, sendo que carros com tempo abaixo dos 10 segundos só podem competir com gaiola de proteção, rede na janela e se o piloto estiver vestindo um macacão anti-chamas – e nenhum desses itens serão obrigatórios para os motoristas que se aventurarem a acelerar em vias públicas.

“O Demon pode cumprir todas as normas federais de segurança para veículos automotores para ser homologado para as ruas, mas da forma como é hoje não cumpre o espírito dessas normas”, diz o Automotive News.

Esportivo Dodge Charger Furioso foi preparado para render 2.000 cv de potência

foto-imagem-dodge

Você já deve conhecer o Dodge Charger. Além de ser um ícone entre os muscle cars americanos, o carro nos últimos anos viu sua popularidade aumentar nas mãos de Dominic Torreto, protagonista da franquia Velozes e Furiosos. O que você provavelmente não conhece é a versão Maximus Charger, que pode ser considerado um épico.

Com 2.000 cv, o esportivo ganhou uma versão ainda insana, feita pelos preparadores Nelson Supercars e Scott Spock Racing, que levaram mais de 4 mil horas para finalizar o monstro.
A meta era construir o Charger mais durão de todos os tempos. Para isso, eles usaram a base de um 1968, que foi alargado em 12,7 cm, e inseriram um motorzão 9.4 V8 biturbo todo em alumínio com duas injeções por cilindro.

A suspensão dianteira é derivada de um Corvette C6, que teve sua traseira completamente personalizada, e as rodas são de 18 polegadas. Agora, só falta a coragem de encarar um carro potente como esse diariamente.

 

Esportivo Dodge concorreria com Chevrolet Camaro

foto-imagem-dodge

A Dodge esconde o jogo a todo custo, mas são cada vez maiores as chances de o Challenger finalmente chegar ao Brasil. A importação do esportivo vem sido especulada há quase cinco anos, especialmente após a decisão da Chevrolet de lançar o Camaro no mercado brasileiro em 2010. No entanto, só agora é que o modelo deve desembarcar no país.

O grupo Fiat Chrysler estaria prestes a adquirir unidades do modelo, possivelmente para realizar testes de homologação. Ainda não se sabe quais versões do Challenger poderiam ser vendidas no Brasil, embora a configuração R/T, equipada com um motor 5.7 V8 HEMI, seria a mais apropriada para rivalizar com o Camaro SS V8 no mercado brasileiro.

Outros lançamentos para o Brasil também estão nos planos do grupo FCA. O novo Dodge Durango chega até o fim do primeiro trimestre deste ano, provavelmente até fevereiro. Na mesma época também desembarcam duas novas versões do Cherokee: a opção de entrada Laredo e a top Trailhawk. Já o trimestre seguinte guarda a chegada da reestilização do Chrysler 300 estrear no país, preparando terreno para a aguardada estreia do Jeep Renegade, primeiro modelo da marca fabricado no Brasil.

Dodge Charger ganhou visual agressivo e novas ferramentas para ajudar as forças de segurança

foto-imagem-dodge-charger

Combater o crime não é tarefa fácil, então a Dodge resolveu dar uma forcinha para os policiais norte-americanos e criou uma edição especial do Charger. Apelidada de Pursuit, que significa “perseguição”, em inglês, o muscle car ganhou visual mais agressivo e fio adaptado para ajudar as forças de segurança dos Estados Unidos.

Baseado no atual Charger e inspirado na versão produzida em 1960, o modelo ganhou saias laterais e mudanças no capô, nos para-choques, grade frontal, conjunto óptico e até nas portas dianteiras. Além disso, para ajudar em perseguições, o muscle car ganhou duas potentes lanternas, uma de cada lado do carro. A Dodge também explica que posicionou o pilar C mais para a traseira do carro para dar um ar de maior esportividade.

foto-imagem-dodge-charger

Dentro da cabine, os policiais contam com uma tela de 7 polegadas que passa as informações do painel de instrumentos, e outra de 5 polegadas que dá acesso à central multimídia do carro, com conexão Bluetooth e outras tecnologias. Também foram incluídos novos espaços para acomodar os equipamentos dos policiais.

Debaixo do capô, as viaturas podem levar ou um motor V6 3.6 de 296 cv de potência e 36 kgfm de torque ou um V8 5.7 de 375 cv e 54 kgfm. Na configuração mais potente, o Charger Pursuit chega a 100 km/h em menos de 6 segundos. Equipado com freios a disco com ABS e controle eletrônico de estabilidade, o carro conta com pneus de alta performance de 18 polegadas. Quando o assunto é segurança, entram em cena sete airbags: dois dianteiros, dois laterais, dois de cortina e um para os joelhos do motorista.

foto-imagem-dodge-charger

Recall Dodge Journey vendidos no Brasil

Problema nos freios afeta modelos fabricados em 2009 e 2010 importados do México

A Chrysler do Brasil anuncia o recall do crossover Dodge Journey fabricados em 2009 e 2010 para a substituição gratuita dos discos e pastilhas de freios dianteiros e traseiros.

Segundo a montadora, os freios podem apresentar pulsação ou vibração excessiva que, em casos extremos, prejudicariam a eficiência do sistema – expondo o carro a risco de acidentes.

A medida envolve 1.626 veículos vendidos no Brasil. A convocação dos proprietários será feita por meio de correspondência direta, além de informes publicitários.

A Chrysler estima que o tempo de serviço é de três horas. O reparo deve ser agendado pelo telefone (0800 703 7140) ou pelo site www.dodge.com.br.

Fonte: R7