Arquivo da categoria: Novo Prisma

Sedã chega ao Brasil no fim do ano com novo design e cabine com design mais detalhado

O novo Chevrolet Prisma só chega ao Brasil no terceiro trimestre, por volta de setembro — mas já podemos dar uma olhada no interior do veículo. Pelo que as fotos divulgadas pelo site Bit Auto deixam ver, a imagem apela para superfícies de acabamento diferentes e uma faixa emborrachada no painel, mais ou menos como é a atual geração do compacto, que permanece em linha com a chegada do novo.

Não custa lembrar que o novo Prisma  e família são desenvolvidos em conjunto com a chinesa SAIC, daí o fato de quase todas as novidades da gama surgirem por lá antes. Todos são baseados na nova arquitetura GEM (Global Emerging Markets), criada especialmente para mercados emergentes como Brasil e China. Foi um investimento bilionário, segundo a General Motors, o total chega a US$ 3,4 bilhões (cerca de R$ 13 bilhões).

Claro que as imagens são do mercado chinês e, tal como o estilo externo, a parte interna pode sofrer retoques diferentes para o Brasil. Nada que vá revolucionar o que você vê nas fotos.

O acabamento não parece fugir muito da realidade de custo-benefício dos compactos emergentes. Há uma faixa emborrachada que percorre toda a extensão do painel. Ter uma porção sensível ao toque sem ter que investir em material emborrachado por toda a parte é algo normal entre os pequenos, até o Onix e Prisma nacional apelam para isso.

Enxertos do mesmo estilo ficam acima dos puxadores de porta, outra forma de deixar tudo o que o motorista e carona tocam um pouco menos duro. Uma boa notícia são os puxadores de porta. Eles já haviam sido redesenhados no facelift para ficarem mais avançados, mas os novos parecem ser melhores de pega.

Por sua vez, tanto o volante quanto os bancos são revestidos de couro na configuração divulgada pelo Bit Auto. Um ponto que desanima são os botões para trocas de marcha. Eles parecem continuar na manopla de câmbio, uma solução nada intuitiva e que deixa o recurso de lado. Bem que gostaríamos de borboletas no volante.

Embora o segmento traga modelos com painel interamente digital, exemplo do Volkswagen Virtus, o novo Prisma fotografado não chegou a tanto. O painel tem dois mostradores analógicos em copos convencionais e uma tela LCD de 3,5 polegadas (em preto e branco) ao centro.  Apenas uma moldura metalizada dá uma graça.

É um ponto que o brasileiro deve ser mais vistoso, afinal, por aqui os sedãs compactos crescidos estão tomando o lugar dos médios. O novo Prisma tem 2,60 metros e porte parecido com o do atual Cobalt. Nada mais natural do que ele investir mais no acabamento no Brasil.

A central multimídia em posição de destaque continua a ser o maior chamariz. O MyLink é fator decisivo de compras na linha brasileira do Onix e Prisma (entre outros Chevrolet). Os gráficos indicam uma nova geração do sistema, atualmente na sua terceira.

O carro tem grandes chances de inovar novamente no segmento graças ao sistema de conectividade 4G com rede wi-fi, que estreia nesse ano no Cruze e Cruze Sport6 reestilizados.

Novo Prisma – Chevrolet lança a versão sedã do Onix – Veja fotos

novo-prisma-foto-chevrolet

A Chevrolet lança nesta terça-feira (26) a versão sedã do Onix, que será batizada de Prisma — o carro que tinha esse nome parou de ser fabricado. O “novo Prisma” tenta repetir o sucesso inicial do hatch, que foi lançado em outubro e que fechou janeiro como o quinto automóvel mais vendido. Ambos são feitos na fábrica de Gravataí (RS), onde a montadora anunciou, em janeiro, a criação de um terceiro turno, para aumentar a produção. O preço oficial será divulgado apenas nesta quarta-feira (27), mas a montadora afirma que a faixa de preço é entre R$ 35 mil e R$ 45 mil.

novo-prisma-foto-traseiro-chevrolet

O hatch será oferecido em duas versões de acabamento, LT e LTZ, ambas trazem de série sensor de

estacionamento, direção hidráulica, ABS/EBD e airbag frontal. O modelo pode ser equipado com motores 1.0 (80 cv a etanol e 78 cv a gasolina) e 1.4 (106 cv a etanol e 98 cv a gasolina). A transmissão manual de cinco velocidades é uma F17 geração 1.5 – a mesma empregada nos modelos Onix e Cobalt.

O torque máximo, com etanol, da versão 1.0 é de 9,8 kgfm a partir de 5.200 rpm, e 9,5 kgfm quando alimentado a gasolina, na mesma faixa de rotação. A velocidade de 0 a 100km/h é atingida em 13s (etanol) e 12,7s (gasolina). Já a opção 1.4 tem torque máximo, com etanol, de 13,9 kgfm a partir de 4800 rpm e 13,0 kgfm quando alimentado com gasolina. Abastecido com etanol, Prisma vai de 0 a 100 km/h em 10,7s (etanol) e 12s (gasolina). Tanto na versão 1.0 quanto na 1.4, a velocidade máxima é de 180 km/h.

70 mil estações de rádio e mapa de lazer

Entre as novidades para o modelo, a GM destaca o avanço do sistema multimídia MyLink, que traz novos aplicativos como o TuneIn e e BringGo. Com o primeiro, é possível que usuários sintonizem mais de 70 mil estações de rádio em todo o mundo via Internet. O aplicativo permite a pesquisa das estações por nome, localidade, idioma, país, estilo musical ou categoria (música, esporte, noticias, etc.).
Já o BringGo fornece ao motorista um sistema de navegação completo que além de mapas 3D apresenta atualização do trânsito em tempo real. O aplicativo também inclui pontos de interesse, como, por exemplo, restaurantes, hotéis, postos de gasolina, entre outros.

Os usuários que desejarem utilizar os aplicativos precisam fazer o download do aplicativo em um smartphone compatível com o MyLink, através de lojas como App Store e Google Play.

O MyLink faz uso de uma tela LCD touch screen de sete polegadas. Por meio do sistema, é possível controlar algumas configurações funcionais do carro, como avisos sonoros de faróis ligados, acionamento do limpador traseiro, travamento automático das portas, entre outros.

Outra comodidade viabilizada pelo sistema está na possibilidade de o usuário distribuir o som ambiente do rádio de forma independente em cada uma das caixas de som das quatro portas, além da importação de informações tradicionais do celular como, agenda de contatos e histórico de chamadas. À parte de todas estas funcionalidades, o sistema executa funções tradicionais de rádio AM/FM com leitor de áudio para arquivos MP3/WMA.

Vendas altas

A General Motors tentou guardar segredo sobre o carro e, no começo deste mês, divulgou uma foto estilizada. “O desafio era dar personalidade ao produto com traços tradicionais de um sedã alinhados a cortes esportivos e joviais. É o que podemos chamar de um Sport Sedan”, explicou Carlos Barba, diretor de design da GM América do Sul.

Desenvolvido a partir da mesma arquitetura de modelos como Sonic, Cobalt, Spin e Onix, o Chevrolet Prisma 2013 tem as características fundamentais do DNA global da GM. O novo sedã compartilhando algumas dimensões do Chevrolet Onix como entre-eixos (2,52 m) e largura (1,7 m), porém é pouco mais de 30 centímetros mais comprido, com 4,27 m. O porta-malas comporta generosos 500 litros de capacidade.

“O lançamento do Chevrolet Prisma 2013 consolida um dos mais importantes planos de investimentos dos 88 anos de história da GM no Brasil. Foram mais de R$ 5 bilhões empregados na renovação da linha de produtos e na ampliação e modernização de nossas fábricas. O Complexo Industrial de Gravataí é hoje o maior da América do Sul e o sucesso do Onix nos permite antecipar uma trajetória vitoriosa para o novo sedã compacto”, destaca o presidente da GM América do Sul e GM do Brasil, Jaime Ardila.

O Onix vendeu neste ano cerca de 16,8 mil unidades, considerando os números da primeira quinzena deste mês, divulgados pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave). Em 2012, de outubro em diante, foram 18.149. O antigo Prisma, já em fim de carreira, somou 34.932 emplacamentos no ano passado.

Fábrica de motores

O lançamento do novo Prisma acontece em Joinville onde, também nesta quarta (27), a GM inaugura uma fábrica de motores. Na época em que foi iniciada a construção, em 2011, a montadora afirmou que se tratava de um projeto de R$ 350 milhões com capacidade inicial de produção de 120 mil motores e 200 cabeçotes de alumínio por ano que serão destinados à fábricas de Gravataí e de Rosário, na Argentina.