Arquivo da categoria: Envelopar

Novo Chevrolet Onix Effect

foto-imagem-onix

A Chevrolet apresentou uma versão bem esportiva do Onix no Salão do Automóvel de São Paulo, o Track Day. Ele fez bastante sucesso, mas não deve chegar às lojas. Ao invés disso, os interessados poderão se contentar com uma nova variante, o Onix Effect. Apesar de bem menos esportiva, a versão aposta em alterações visuais em busca de aumentar a participação do carro entre o publico de até 30 anos, hoje em 25%.

Inicialmente, a versão Effect sairá apenas com motor 1.4 Flex e transmissão manual, a R$ 50.190; e opção de cores Branco Summit e Vermelho Pepper.

Impressões

Com exatos dois anos completos de mercado, o Onix tem adjetivos bem recebidos, de maneira a comprovar o posto de líder de vendas da marca. O compacto fecha novembro como o 2º mais vendido – ultrapassando o VW Gol – e no acumulado do ano, se torna o 3º veículo mais emplacado do Brasil, segundo dados da Fenabrave.

foto-imagem-onix

Nada muda mecanicamente com o Effect, mas o estilo esportivo chama a atenção sem confundir a vista. Dentre as mudanças externas estão rodas de 15” em cinza grafite, teto pintado em preto de alto brilho, faróis com máscara negra e moldura “esfumaçada”, além de adesivação própria e os logos Effect nas portas dianteiras.

As colunas centrais têm adesivos negros, o para-choque traseiro acompanha extrator de ar e, na dianteira, a grade sai com acabamento piano black. O interessante tom também aparece nas capas dos espelhos e na base da alavanca de câmbio.

No restante do habitáculo, as mudanças aparecem avermelhadas, tanto no novo volante de base achatada e melhor pega, como nos difusores de ar e na costura dos bancos. Painel de instrumentos também recebe grafismo mais jovem.

foto-imagem-onix

Assim como demais versões 1.4, o Effect mostra comportamento honesto. Com 106 cv de potência, tem embreagem hidráulica macia, direção precisa e suspensão de curso longo, que propicia conforto aliado a uma boa dose de estabilidade.

Os pneus 185/65 R15 são os mesmos e acompanham a premissa da suspensão, mas a Chevrolet poderia ter instalado rodas de 16” com pneus de perfil mais baixo. Ao menos visualmente, seria um “algo a mais” junto ao restante do banho de loja.

foto-imagem-onixCusto benefício

Com valor exatamente igual ao da versão de topo (LTZ manual), o Effect perde o acionamento elétrico dos vidros traseiros e dos espelhos retrovisores. Em compensação, o volante esportivo acompanha comandos do sistema MyLink (de série) e do som, disponíveis apenas no LTZ automático. Segundo a GM, a medida se deve ao perfil mais jovem do consumidor para a versão, que geralmente não tem filhos ou pouco usa o banco de trás. Já para os espelhos não há explicação plausível… Quem sabe é porque jovens podem fazer certa ginástica para regular a posição das lentes!

Em relação aos equipamentos de série, a nova versão sai com condicionador de ar eficiente, direção hidráulica, freios ABS e airbags frontais.

Para quem busca um compacto diferenciado visualmente, com tudo que se tem direito (e mais um pouco), a nova versão do Onix é um prato cheio. Grande vantagem é que na hora da revenda, tem tudo para manter bom valor e liquidez – assim como um LTZ.

Vale a pena?

Se você quer se destacar na multidão de carros prata ou preto com cromados, com certeza. Mas se você não é grande entusiasta de adereços esportivos e dá mais valor ao requinte visual de um LTZ, o Effect não é muito convidativo.

Porém, vale olhar melhor este Onix, pois ao vivo, a combinação visual ficou mais feliz que o imaginado. Inclusive no interior, lugar em que mais se olha um carro no uso diário.

Carro de ouro? – Maserati Grancabrio MC recebe envelopamento em ouro

Não basta ter 466 cavalos de potência e alcançar 100 km/h em 4,9 segundos. O Maserati GrandCabrio MC é também banhado a ouro. O envelopamento luxuoso foi feito pela Velos Designwerks, empresa de tuning dos Estados Unidos, que também presenteou o conversível com um jogo de rodas de alumínio. Foi uma forma de anunciar seus novos modelos de aro 18’’ e 22’’.O modelo original da Maserati foi revelado no Salão de Paris, no ano passado. O motor 4.7 V8 acelera de 0 a 100 km/h em apenas 4,9 segundos. Como velocidade máxima, o superesportivo italiano chega a alcançar 288 km/h.foto-maserati-grancabrio-mc-imagem 

foto-maserati-grancabrio-mc

 

imagem-maserati-grancabrio-mc

 

maserati-grancabrio-mc

Black Piano, StickerBomb e muitas cores marcam novas tendências dos envelopamentos dos carros

Com a popularização do envelopamento, novas opções começam a se popularizar no Brasil, como o StickerBomb

Em 2011 Robinho, craque do Milan, procurou uma oficina especializada porque queria deixar a seu Porsche Cayenne do jeito dos carros que ele via na Europa: com pintura fosca. Sem saber muito como poderia fazer aquilo, conheceu o envelopamento. Seu utilitário esportivo – que era branco brilhante – após algumas horas se transformou em branco fosco. Igual ao Robinho, milhares de brasileiros aderiram a onda fosca. Mais fácil e barato do que a pintura, o envelopamento de carros virou moda no mundo todo. Entre os benefícios estão a renovação do visual, a conservação da pintura original e a praticidade da limpeza a partir de R$ 800.

Como uma moda, a onda fosca passou e cada vez mais as empresas estão trazendo novidades para o consumidor que enjoa rápido do visual do carro. Leandro Del Grande é gerente da Foscomania – que cuidou do envelopamento do carro de Robinho -, e diz que agora a tendência é o tetoBlack Piano”, ou seja, um adesivo importado que deixa o teto do carro com a aparência brilhante e envidraçada. Além disso, novas películas da ColorSkin estão chegando com uma cartela de cores super abrangente: ter um carro amarelo, vermelho, azul e não é mais uma opção definitiva. Um dos benefícios é que você pode transformar o seu pratinha em laranjão e quando revender não pagará o preço de ter um carro diferente, pois a película sai facilmente e deixa a pintura intacta, como nova.

Black Piano simula teto envidraçado em tom escuro

Além do “Black Piano” e das novas cores, outra tendência é o perolizado que dá um brilho esverdeado e a película camaleão com aparência multicolor, muito procurada pelos admiradores dos carros tuning. Segundo Leandro, o “pretinho básico” dos carros são as faixas esportivas, ou seja, nunca saem de moda.

Aplicação de adesivo StickerBomb também pode ser feita no interior

StickerBomb

A moda pelo envelopamento pegou tanto que para muitas pessoas se transformou em profissão. Roberto Vannucchi é apaixonado por tuning e trabalhou durante dez anos em uma empresa de envelopamento de carros. “Na época, só se fazia envelopamento de carros para empresas e frota. Agora, o mercado expandiu muito. Há cursos lotados todas as semanas de pessoas querendo aprender”. Tanto que Roberto divide seu tempo entre a fotografia e o envelopamento. Dono da Oversign, ele acredita que a última tendência são os “StickerBomb”, um adesivo único que imita vários adesivos juntos.

Geralmente ele é é colocado em apenas alguns lugares do carro como o para-choques e paralamas. “Fiz recentemente um ‘StickerBomb’ para uma menina cheio de imagens de Barbie e HelloKitty”. Ou seja, o mais legal da nova moda é que dá para personalizar completamente as referências que serão colocadas no seu carro. Um “StickerBomb” sai a partir de R$ 300. Roberto Vanucchi curte tanto o envelopamento que o seu veículo pessoal se transformou em uma vitrine ambulante do trabalho. O seu Vectra já se transformou 4 vezes.

Cuidados

O envelopamento parcial do carro ainda não é o mais pedido entre os consumidores. A maioria das pessoas ainda opta por mudar o visual do carro por completo. Nesse caso, é preciso comunicar a alteração de cor no DETRAN. Quem envelopa o carro em mais de 50% precisa solicitar uma guia de alteração de cor, pagar a vistoria do veículo e emitir um novo Certificado de Registro e Licenciamento. A mudança custa em média R$ 280. Se o veículo transitar irregularmente pelas ruas, o motorista pode levar uma multa grave de R$ 127,69 perder cinco pontos na Carteira Nacional de Habilitação.

Outro cuidado que se deve ter é em relação a qualidade das películas. Antes de contratar o serviço é preciso se certificar de que o material usado é para ser aplicado em veículos. “Alguns adesivos possuem solvente na cola o que ao longo dos anos vai estragando a pintura. O adesivo para envelopamento veicular possui água na composição da cola e por isso não tem problema”, afirma Roberto Vannucchi. Segundo a 3M, uma das maiores fabricantes de adesivos, em carros repintados ou com funilaria a fazer não são indicados para adesivação. A marca também garante que a conservação é bem simples. Durante a lavagem deve-se usar panos macios e úmidos com detergente ou sabão neutro. Durante a lavagem é necessário evitar utilizar água pressurizada, evitando danos ao adesivo. A película da 3M tem garantia de 1 ano no sentido horizontal (capô e teto) e 3 anos no sentido vertical (laterais, paralamas e para-choques).

Modelos foscos ainda seguem na moda, mas ganharam opções coloridas

Envelopar carros – Após o sucesso do preto, branco é cor da vez para adesivar carros

O preto fosco ainda é o preferido entre os adeptos da envelopagem

Envelopar‘ de branco brilhante ou fosco custa de R$ 1,3 mil a R$ 3 mil.
Durabilidade pode chegar a 5 anos; retirada custa R$ 300 a R$ 600.

O preto fosco ainda predomina, mas o branco vem ganhando espaço na moda do ‘envelopamento‘ dos carros no Brasil. A cor, aliás, tem aparecido cada vez mais na pintura original dos veículos, deixando de lado a referência de carro de frota ou táxi, no caso de São Paulo. O empresário Márcio Rodrigues, de São Paulo, queria um carro branco, mas o modelo escolhido não é oferecido nessa cor no país. Ele comprou um prata e optou por adesivá-lo de branco brilhante. “Se não gostasse, sabia que poderia tirar [os adesivos]”, conta. “As pessoas acham diferente, perguntam se estou usando alguma cera.”

Empresário optou por adesivar carro que não é vendido na cor branca

Após adquirir o Hyundai Veloster por R$ 72,4 mil, Rodrigues se informou pela internet sobre o processo de adesivagem e conversou com pessoas que já tinham feito e gostado e com outras que se arrependeram. “Uma pessoa de uma loja me disse que tinha feito no carro dela e mandou tirar não porque não gostou, mas porque tinha ficado cheio de bolhas, o serviço foi mal feito”, explica o motorista de 39 anos. Ele buscou referências, escolheu uma loja e pagou R$ 2 mil pelo envelopamento em branco com alguns detalhes em preto, como no retrovisor e no capô. O empresário se diz satisfeito: “Gosto de carro bonito, não carro de boy”.

Envelopamento do Veloster do empresário tem detalhes em preto

O branco em alta

“Com o crescimento da procura pelos carros brancos, as pessoas estão em busca do acabamento ‘branco brilho’, que imita exatamente a pintura de um carro”, diz Felipe Castelli, de 23 anos, proprietário da loja AF Preto Fosco, de acessórios automotivos.

Segundo ele, a procura cresceu após o Salão do Automóvel de São Paulo no ano passado, quando marcas “premium” como Mercedes-Benz, Audi e especialmente BMW lotaram seus estandes de modelos brancos. A cor também foi muito usada no Salão de Frankfurt, no mês passado.
“Há dois anos te chamariam de louco se você dissesse que iria envelopar seu carro de branco”, lembra Paulo Surya Bento, 45 anos, proprietário de outra loja, a Preto Fosco. “Antes ninguém queria carro branco, pois era cor de táxi. Hoje todo mundo quer.”

Preço

Envelopar o carro em qualquer cor custa entre R$ 1.300 e R$ 3.000, quando utilizado um material de qualidade (normalmente importado e com durabilidade de aproximadamente cinco anos), dizem os especialistas. O preço varia de acordo com o tamanho do veículo e a dificuldade. “Adesivar um Volkswagen New Beetle, por exemplo, é muito mais difícil que um Fiat Punto, por ser mais arredondado”, explica Bento. A aplicação pode demorar de 2 a 3 dias.

Porsche foi adesivado com branco brilhante 

Segundo esses lojistas, aproximadamente 50% dos clientes adesivam o carro por completo (com preto fosco, branco brilhante ou branco fosco); 40% envelopam apenas o teto (normalmente utilizam a cor preta); e 10% aplicam o revestimento em poucas partes do carro, como capô ou retrovisores. Os clientes, dizem eles, normalmente são pessoas consolidadas financeiramente que possuem veículos de alto valor agregado. “Já fiz uns 15 Audi A5”, conta Castelli.

Manutenção

Ao contrário do que muitos imaginam, preservar o adesivo veicular não requer grandes cuidados, mas é necessário evitar excessos ou falta de zelo. Para lavá-lo, bastam água e sabão neutro, dizem os especialistas.

“Em busca de um brilho mais intenso, muitas pessoas aplicam cera automotiva após a lavagem. Essa cera, em reação com o sol, pode causar a corrosão do adesivo”, alerta Castelli. A falta de lavagem frequente do veículo também pode prejudicar a pintura.

Retirada também custa

Segundo Bento, a remoção dos adesivos é simples e rápida. Custa entre R$ 300 e R$ 600, e pode demorar em torno de meio dia. “É importante salientar que, durante a retirada do adesivo, pode ficar um pouco de cola na lataria. Essa cola, porém, pode ser retirada com um removedor próprio”, revela. Ele também nega a possibilidade de a tinta do carro sair junto com o adesivo. “Se a pintura for original, isso não ocorre.”