Arquivo diários:quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Fotos da picape Peugeot 207 flagrada em teste

Versão mais simples está pronta para ser lançada, em março

A briga entre as picapes leves vai esquentar mais a partir de março, quando será lançada a Peugeot 207 Pickup. Dessa vez o carro foi flagrado em testes pelo leitor Diogo Dias na versão mais simples, sem os adornos da Escapade, com apelo aventureiro. Repare que os para-lamas não contam com as proteções emborrachadas da versão off-road, o que deixou o carro com visual mais discreto.

Assim como a Escapade, a 207 Pickup mais simples também vem com step-sides laterais, solução inaugurada pela Chevrolet Montana e copiada pela nova VW Saveiro. Os motores serão os mesmos 1.4 de 82 cv e 1.6 16V de 113 cv que equipam a família 207 (hatch, sedã e perua). Esperam-se preços agressivos para enfrentar a forte concorrência do segmento.

Fonte: G1

Mazda5 é revelado antes do Salão de Genebra

Minivan traz novo motor 2.0 até 15% mais eficiente.
Lançamento na Europa será até o 2º trimeste de 2010.

A Mazda divulgou imagens e informações da nova geração do Mazda5. A minivan será apresentada oficialmente no Salão de Genebra, em março.

Um dos objetivos da marca nipônica com a nova geração foi reduzir o nível de emissões poluentes em 15% em relação à geração anterior.

Sob o capô, a novidade trará o novo motor 2.0 litros, que combina a tecnologia start-stop (que desliga o motor quando o veículo está parado) e injeção direta de última geração. O modelo também será oferecido na versão 1.8. Ambas terão câmbio de seis marchas.

“Nosso maior objetivo com o Mazda5 foi o de desenvolver um novo veículo que combine um desempenho ambiental superior com uma nova expressão em estilo de design”, afirma o gerente de programa da empresa, Hideki Matsuoka.

Para facilitar o embarque de até 7 ocupantes, as portas da minivan são na traseira e o interior permite várias configurações.

O modelo será lançado na Europa no segundo trimestre deste ano, de acordo com a fabricante.

Fonte: G1

Comprar um carro novo – Saiba como preparar o orçamento doméstico para fechar o negócio


Especialistas explicam o que calcular antes de fechar o negócio.
Reserva de 10% do salário para imprevistos entra na conta.

Pode ser difícil resistir a tantos apelos para a compra do carro novo, como taxas de juros baixas, prazo de pagamento em até 80 meses e facilidade na aprovação de crédito. Mas se todos os gastos que envolvem um carro não forem colocados no papel antes de fechar o negócio, a compra do veículo pode se tornar um grande rombo no orçamento doméstico. Para evitar que os consumidores se iludam com planos de financiamento tão atrativos, especialistas ouvidos pelo G1 dão dicas de como calcular o peso real de um carro novo no bolso.

De acordo com o vice-presidente da Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças e Contabilidade), Miguel José Ribeiro de Oliveira, o ideal é disponibilizar para gastos gerais 90% do que se ganha e guardar 10%. A reserva serve para resolver tudo o que é imprevisto, como comprar remédios e consertar o carro. É uma reserva de emergência mesmo”, orienta.

Já a parte destinada aos gastos, deve ser dividida em quatro: 25% para a moradia (aluguel, contas de água e luz, condomínio, IPTU etc.), 25% para despesas de alimentação, 25% para o lazer (contas de celular, internet, TV a cabo, cinema etc.) e 25% para as prestações — seja de carro, roupa, apartamento, aparelho de televisão etc.

Por essa lógica, a soma da parcela do carro, das despesas que o envolvem e de todas as outras compras parceladas não deve superar um quarto do reservado aos gastos. “O mais importante é nunca se esquecer de que não é só a prestação que você vai ter de pagar”, ressalta Oliveira.

“É muito comum a pessoa comprar o carro e ter de deixá-lo na garagem por não conseguir pagar nem a gasolina”, afirma o vice-presidente da Anefac. Segundo ele, é importante calcular tudo o que se gasta no mês com combustível, IPVA, DPVAT, seguro, licenciamento, revisão e manutenção, o que inclui estacionamento e lavagem. “São valores que temos como pesquisar antes da compra”, observa.

No caso do combustível, é preciso saber qual a média de consumo do carro que vai comprar e a média de quilômetros que costuma rodar por mês. “Dessa forma, é possível ter a ideia de quantos litros precisará mensalmente e quanto irá desembolsar com isso”, explica Oliveira.

Compensar a troca

Para ficar fácil a visualização dos gastos, o professor de Economia da Trevisan Escola de Negócios, Antonio Colangelo Luz, recomenda que o consumidor coloque, literalmente, tudo no papel. “Sem dúvida, o automóvel é um ativo que dá despesa, deve-se tomar muito cuidado”, afirma Luz.

Segundo ele, a troca de um carro usado por um novo pode gerar ganhos, que compensam o aumento de certas despesas, como o valor do seguro e da parcela do IPVA. Tais ganhos podem ser obtidos com a economia de combustível e até mesmo ao se livrar de um carro que precisaria de novas peças, pelo tempo de uso.

“Se quer trocar o carro, isto deve ser encarado como uma oportunidade de tentar economizar, porque os carros estão evoluindo. O grande segredo é fazer trocas vantajosas”, destaca. “Um carro mais novo, mais moderno, com a mesma potência do carro que já possui, pode ser mais econômico. Mas se a troca for por um modelo mais potente, haverá um gasto maior pela mesma quilometragem. Isso também deve ser avaliado”, recomenda Luz.

Caso a ideia seja comprar o primeiro carro, o economista dá outra dica. Ele recomenda que a despesa habitual com transporte não cresça mais de 30%. “Se a pessoa usa táxi, metrô ou ônibus, quando compra o carro tem que pensar que o gasto vai aumentar de qualquer jeito, mas isso não pode comprometer muito a sua renda”, avalia. Segundo ele, os 30% adicionais compensam pela comodidade que o carro oferece.

Fonte G1