Google

VW Fox 2010 – Carro da Volkswagen tem versão automatizada e novos opcionais

Data: novembro 2, 2009
Opiniões
Deixe a sua!

Fotos-Fox-2009-tem-tracos-do-design-mundial-da-Volks-e-esta-parecido-com-o-Polo-europeu-Foto-imagem

O Volkswagen Fox 2010 entra em campo fortemente remodelado, com mudanças no visual interno e externo. Para apimentar a briga na categoria de hatches compactos, o modelo também oferece novos opcionais, alguns não disponíveis nos concorrentes. Entre as boas novidades está o câmbio automatizado , que pode funcionar de forma totalmente automática.

O veículo da marca alemã parte de R$ 29.990 (com motor 1.0 e carroceria de duas portas) – nesta versão de entrada não houve alteração de custo – e vai até R$ 43.306 (propulsor 1.6, I-Motion, na configuração Prime).

A “raposa” da Volks (tradução do nome Fox, em inglês) chega em três versões: 1.0, 1.6 e 1.6 I-Motion. Na motorização mais potente, a marca faz a estreia da versão Prime (que dá direito a regulagem de altura e profundidade do volante, acabamento mais refinado e faróis de neblina). Há também o pacote Trend, que traz preparação para som, tecidos de bancos exclusivos e faróis com refletores duplos.

fox-trend-A-marca-nao-oferece-mais-configuracao-1-6-com-duas-portas-foto

Para entrar com força na disputa, a montadora oferece novos equipamentos, como o inédito teto solar, sensor de estacionamento e de chuva e luzes repetidoras do pisca-alerta nos retrovisores externos. Estes equipamentos são opcionais e não estão disponíveis nos veículos adversários. Por outro lado, o Fox não vem de série, mesmo na versão topo de linha, com ar-condicionado e pacote elétrico – itens encontrados no Chevrolet Agile, por exemplo, que parte de R$ 37.708.

PLÁSTICA – O Fox agora tem linhas mais retas e aparência mais sóbria, que pode ser notada, principalmente, pelos faróis modernos e bem pontuados pelo contorno preto. Aliás, as máscaras negras são de série em todos os modelos 2010. O próprio desenho das lanternas sugere mais refinamento ao hatch.

Ainda na dianteira, nota-se a grade na cor preta que interage com o restante do design da carroceria. O acessório traz também faróis de neblina. Na parte de trás, as mudanças se concentram na lanterna, que recebeu nova configuração de luzes, e sinalização de neblina, localizadas na parte inferior do para-choque. Na lateral o destaque fica por conta dos retrovisores. Eles receberam layout mais moderno, semelhante ao adotado no Gol. É apenas um detalhe, mas marca presença. As portas e estrutura da carroceria não mudaram.

Fox-mudou-por-fora-por-dentro-mas-plataforma-continua-mesma-fotos-2009

Passando para o interior, as alterações são fáceis de serem visualizadas. De uma forma geral, o modelo recebeu mais cuidados no acabamento – uma das maiores críticas ao Fox. Na parte interna das portas, por exemplo, não há só o plástico áspero do modelo anterior. Agora, o local foi preenchido com tecido.

Alguns porta-objetos foram realocados (caso da pequena área do console central, entre a saída de ar e o rádio). Outros desapareceram, como o espaço abaixo do volante. Particularmente, deveriam ter acrescentado, mas não retirado os porta-objetos que agradavam. O porta-luvas também foi modificado. Na verdade, ele recebeu uma tampa e guarda melhor os objetos.

O volante chama a atenção. É o mesmo que equipa o Passat CC (opcional varia de R$ 270 a R$ 283, depende da versão). Atrás dele, o motorista percebe que a fabricante mudou o painel de instrumentos, uma das maiores evoluções. Está mais fácil de visualizar, já que o velocímetro e o conta-giros estão melhor separados e do mesmo tamanho.

PRIMEIRAS IMPRESSÕES – A novidade da Volks sofreu apenas uma plástica de estilo. Mudanças na parte mecânica ou estrutural não foram feitas. O Fox continua com a mesma dirigibilidade e opções de motor. Antes, era equipado somente com câmbio manual; agora ele ganhou a opção de transmissão automatizada, batizada pela montadora de I-Motion. É a mesma que equipa o Polo, Gol e Voyage, de mesmo sobrenome.

O câmbio automatizado desempenha bem seu papel. O motorista pode optar por conduzir no modo automático ou fazer as trocas de marchas de forma manual, por aletas atrás do volante ou na própria alavanca de transmissão.

O ZAP teve a oportunidade de dirigir o Fox 2010 durante um test-drive de cerca de 80 km, em Brasília (DF). O modelo 1.0, que, de acordo com a montadora, deve ser responsável por 50% das vendas, foi aprovado em nossa avaliação.

No entanto, para relembrar os pontos positivos do antigo Fox, mantidos ou melhorados no atual modelo, vale citar: a boa posição de dirigir, que por ser alta traz mais confiança e segurança, ótimo espaço interno para os ocupantes, facilidade de acessar os comandos e engate de marchas macio e preciso.

O ponto negativo é a relação de preço e equipamentos em comparação aos seus concorrentes (Chevrolet Agile, Renault Sandero e Ford Fiesta). No segmento, a briga pelo melhor visual está acirrada e conta com concorrentes fortes. Para fazer uma boa escolha, o consumidor deve ficar atento aos itens de série de cada modelo e calcular os preços dos opcionais. Com exceção do Ford, os três rivais oferecem gostinho de novidade.

Até o fim do ano, a empresa colocará mais duas novidades no mercado. Uma em novembro e a outra em dezembro. Os lançamentos devem ser do Crossfox e da picape Amarok, respectivamente.

Fonte ZAP

1 comnetário Comente

  1. catharina says:

    Qual cor desse primeiro fox?

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.