Google

Lula diz que Petrobras pode exportar diesel com menor teor de enxofre

Data: outubro 18, 2010
Opiniões
Deixe a sua!

Resolução prevê corte a partir de 2012, para seguir metas de emissão.
Presidente inaugura unidade de hidrotratamento do combustível em SP.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta segunda-feira (18) que o Brasil pode exportar, futuramente, óleo diesel com menor teor de enxofre. De acordo com o presidente, a Petrobras vem atuando para reduzir a concentração do material no diesel combustível, mas, em alguns lugares do país, o diesel ainda circula com 1,8 mil ppm (partes por milhão). A partir de 2013, por exigência de lei, esse nível só será aceito em tratores e máquinas agrícolas. Para 2012 já são previstas mudanças.

“Já faz sete anos que a Petrobras já vem modernizando todas as suas refinarias para que a gente possa não apenas exportar o petróleo, mas que a gente possa, quando for autosuficiente, exportar óleo diesel já refinado com 50 ppm, 10 ppm ou menos até”, disse Lula, durante a inauguração de unidades de coque e hidrotratamento de diesel da Refinaria Henrique Lage, em São José dos Campos, no interior de São Paulo.

O presidente ressaltou que a inauguração de unidades do tipo é importante para a saúde da população e também pode ajudar na maior arrecadação com a exportação de derivados do petróleo.

Óleo atual parece o de fritar bife, diz Lula
“Este óleo diesel nosso não seria aceito com essa quantidade de ppm no mercado internacional”, disse Lula. O presidente parabenizou a diretoria da empresa porque ela “resolveu elevar ao máximo o possível o padrão de qualidade dos produtos”.

Lula mostrou um vidro com diesel que usamos hoje, de cor amarela, e outro vidro com diesel a 10 ppm, transparente. Disse que o diesel atual “parece o óleo que a gente usa para fritar bife”. “A gente está trabalhando, tirando tudo quanto é poluente. A gente só não vai beber, vai deixar para o carro beber”, brincou.

Em entrevista após a inauguração, o diretor de abastecimento da empresa, Paulo Roberto Costa, lembrou que a modernização da refinaria também tem como meta atender um acordo firmado com o Ministério Público para o cumprimento de resolução do Conama (Conselho nacional do Meio Ambiente). Segundo ele, o diesel com 10 ppm de enxofre será obrigatório a partir de janeiro de 2013.

Lei exige redução da concentração de enxofre
O presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, disse que a empresa faz sua parte na questão ambiental e que o país precisa também avançar em outros pontos, como a oferta de motores adequados para um diesel mais limpo e na ampliação da inspeção veicular. “Nós sabemos que isso é um conjunto de ações que não depende só do combustível.”

Por outro lado, a indústria afirma que precisa do “novo” diesel. As fabricantes de veículos defendem que motores menos poluentes já estão prontos para a comercialização, porém a nova tenologia não aceita diesel com alto teor de enxofre.

Para respeitar metas de corte de emissão de poluentes estabelecidas pelo Ministério do Meio Ambiente, a Petrobras foi obrigada a substituir todo o diesel metropolitano por diesel com 50 ppm até 1º de janeiro de 2012. E, consequentemente, melhorar a qualidade do diesel distribuído no resto do país, para 500 ppm. A partir da redução para 50 ppm, a próxima etapa, a ser concluída em 1º de janeiro de 2013, será passar o nível de enxofre para 10 ppm.

No entanto, a Agência Nacional do Petróleo (ANP) demorou para divulgar as novas especificações para o diesel, o que atrasou o calendário da obrigatoriedade de novos motores menos poleuntes, que só deverão entrar no mercado em 2013.

Carros a diesel como alternativa ecológica
O anúncio do governo desta segunda-feira deve levantar novamente uma antiga discussão, a de liberação no país de carros movidos a diesel. Com autonomia para produzir diesel de 50 ppm e 10 ppm de enxofre a ponto de exportar, os defensores do uso do carro abastecido com o combustível ganham novos argumentos.

A venda dos modelos é proibida por causa de uma lei criada em 1976. A medida foi tomada durante a crise do petróleo, quando o Brasil tentava diminuir a importação de petróleo e derivados e investia no projeto Pró-álcool. Desde então, apenas veículos comerciais (caminhões, ônibus, caminhonetes, jipes e alguns SUVs) podem circular com o combustível.

Porém, o carro a diesel é considerado uma alternativa ecológica, tanto é que é a opção adotada atualmente pelo mercado europeu. O combustível é mais poluente do que o álcool, porém faz mais quilômetros por litro e emite menos CO2 do que a gasolina. Até agora, a ideia é rejeitada por entidades ambientais e montadoras, porque o óleo diesel, em muitas regiões do país, ainda possui alta concentração de enxofre.

Fonte: G1

1 comnetário Comente

  1. vicente says:

    Tem que mais de acabar com este monopolio e interesses isolados e egocentricos, aderindo a liberação total do diesel em veiculos de passeio, aproveitando ao máximo os benefícios desse combustivel cujos motores estão tecnologicamente muito avançados e poluindo muito menos que os movidos a gasolina!

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.