Google

Lâmpadas de xenônio – Posso instalar no meu carro os faróis de xenon?

Data: janeiro 24, 2011
Opiniões
Deixe a sua!

Apesar de comum, modificação dos faróis é, na maioria das vezes, irregular

Eis a situação: seu carro não saiu de fábrica com lâmpadas de xenônio (popularmente chamadas apenas de xenon) nos faróis, mas você gostaria de instalar esse item em uma das milhares de oficinas que oferecem o serviço em todo o país. Pode ou não pode?

A resposta simples é não. Isso porque, desde 1º de janeiro de 2009, o Denatran (Departamento Nacional de Trânsito) estabelece que faróis desse tipo devem contar com regulador automático de nível do facho, que mantém a luz longe dos olhos de outros motoristas em caso de desnível da pista ou de peso na parte traseira do carro. Ainda de acordo com o órgão, para estar regular, o farol desse tipo deve contar com limpador, quase nunca encontrado nos veículos populares.

Na prática, a resolução 294 do Contran (Conselho Nacional de Trânsito) proíbe que as lâmpadas de xenônio sejam colocadas na maioria dos veículos, já que, via de regra, a instalação de limpador e regulador de facho em carros que não saem de fábrica com esses recursos é tecnicamente inviável. Sem esses itens, a iluminação mais forte pode prejudicar a visibilidade dos demais condutores.

A forte luz branca gerada por esse tipo de farol é resultado da corrente elétrica que agita as moléculas do gás xenônio presente dentro do bulbo, que passa a emitir brilho. Funciona como uma lâmpada fluorescente comum, com a óbvia diferença do tipo de gás utilizado. Quando regulado corretamente, ele proporciona até três vezes mais iluminação do que as lâmpadas halógenas (de filamento).

Lázaro Moraes, desenhista industrial e coordenador de desenvolvimento de produtos da Nino Faróis, diz que a instalação das lâmpadas de xenônio em veículos não projetados para esse tipo de farol deve ser evitada.

– Essa troca prejudica a visibilidade dos demais motoristas, além de não estar dentro das normas.

Mas como isso me afeta?

O motorista que for flagrado com faróis de xenônio irregulares em seu veículo está sujeito a multa de R$ 127,69. A fiscalização geralmente é feita com base no documento do carro, já que toda alteração de característica deve constar do CRLV – Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo. Se não estiver dentro da norma, o risco de prejuízo é grande.

E aqui vale uma dica importante: a necessidade de autorização oficial para modificações vale não apenas para os faróis. Antes de alterar suspensão ou cor do veículo, por exemplo, o proprietário deve pedir autorização prévia ao Detran de seu Estado. Depois de feitas as mudanças, o motorista deve procurar um posto de inspeção licenciado pelo Denatran. Se as alterações forem aprovadas, o órgão vai emitir um Certificado de Segurança Veicular (CSV), que deve ser entregue ao Detran para a modificação do CRLV.

Apesar de quase sempre irregular, a instalação das lâmpadas de xenônio é feita à luz do dia na maior parte do país. A reportagem do R7 telefonou para seis oficinas da capital paulista que realizam o serviço e constatou que, em cinco delas, os funcionários dizem que o acessório está dentro da lei. Em apenas um estabelecimento o atendente admitiu que a modificação é, na maioria das vezes, contrária à resolução do Contran.

Procurada pelo R7, a assessoria de imprensa do Contran esclareceu que quem fez a modificação antes de 1º de janeiro de 2009 e seguiu todos os procedimentos de autorização no Detran de seu Estado não está sujeito a multa. O mesmo vale para veículos que tenham saído de fábrica com faróis de xenônio, mas sem limpador e regulador de facho, antes de a norma entrar em vigor.

Imitações são alternativa estética

As lâmpadas halógenas que imitam o xenônio ao emitir luz levemente mais clara são uma alternativa estética ao acessório original, mas têm pouco efeito no que diz respeito ao aumento da área iluminada.

Os faróis “tipo xenon”, como são conhecidos, podem ser instalados no carro desde que sigam as especificações de potência originais do fabricante. Aumentar por conta a potência dos faróis pode prejudicar o conjunto ótico do carro e causar incêndio.

Fonte R7

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *