Google

Fotos do novo Honda Fit reestilizado, preço a parte de R$ 51.800

Data: março 22, 2012
Opiniões
Deixe a sua!

Visual do Fit 2013 segue proposta conservadora da Honds no mundo

Versão top ficou R$ 4.000 mais barata na linha 2013

A Honda já comercializa em todo o Brasil a linha 2013 do compacto Fit, redesenhado para acompanhar as mudanças de estilo feitas no modelo mundo afora. Na prática, essa reestilização segue o padrão conservador da marca japonesa, com alterações sutis no desenho, que permanece basicamente o mesmo. A maior novidade está na dianteira. O para-choque ficou mais esportivo (com a tomada de ar central maior) e os faróis foram levemente retocados – as bordas estão arredondadas e as seções de luz formam elipses.

O traço mais marcante da pequena plástica do Fit, no entanto, é a grade frontal, agora cromada em quase todas as versões (exceto na básica DX). Nas laterais, quase não se nota, mas os para-lamas dianteiros ganharam um novo vinco em arco, que contorna as caixas de roda. Já na traseira, só o para-choque foi modificado – a base ganhou duas seções afiladas, que simulam saídas de escape e tentam conferir esportividade. De resto, nada foi alterado, inclusive por dentro. Ali, só mudou o som, que ganhou conexão USB.

Honda não mexeu na motorização e na mecânica do compacto: motores seguem os 1.4 e 1.5

Leque de versões foi “enxugado”

Nesta revisão de “meia vida”, a Honda também não mexeu na mecânica. O Fit segue equipado com os eficientes blocos compactos 1.4 e 1.5 litro i-VTEC, ambos flex (as potências máximas são de 100/101 cv e 115/116 cv, com gasolina e etanol). Os câmbios permanecem os mesmos: manual e automático de cinco marchas. Uma novidade é que a configuração intermediária superior EX, com câmbio automático, passa a vir de fábrica com borboletas atrás do volante – antes o item era restrito à versão top EXL.

Versão EX já vem com trocas de marchas por borboletas atrás do volante de série

Uma mudança importante no Fit 2013 é o aumento do tanque de combustível, que foi de 42 para 47 litros. Já o leque de versões foi enxugado de nove para seis: a DX passa a ser oferecida apenas com a transmissão manual, a LX ganhou ABS com EBD para os freios (o que extinguiu a configuração LXL) e a EX automática ganhou os paddle-shifts no volante. A Honda diz que o Fit mais caro responderá por 20% das vendas, com o restante para as demais configurações. E 65% dos modelos produzidos serão automáticos.

Primeiras impressões: tudo como antes

A Honda recorreu, mais uma vez, à máxima de que “não se mexe em time que está ganhando”. Nesta reestilização do Fit, quase nada foi alterado. As mudanças estéticas buscaram apenas dar um ar de novidade ao monovolume, que segue sendo o campeão de vendas da fábrica japonesa no país – em 2001 foram quase 29 mil unidades vendidas. Sem mudanças mecânicas ou de engenharia, o modelo segue exatamente o mesmo ao volante, o que não é algo ruim. Ao contrário. O pequeno Honda é muito bem acertado.

Por dentro, o acabamento transmite qualidade, apesar do uso excessivo de plásticos. A grande variedade de nichos e a ampla visibilidade são outros pontos altos, assim como os ajustes mecânicos e de engenharia. O câmbio manual tem trocas justas e precisas, enquanto o automático é suave nas mudanças. A direção elétrica também agrada pela precisão e rapidez das respostas. Já a suspensão segue o padrão Honda e é bem rígida. Mas no geral o Fit tem um rodar agradável e transmite segurança e refino ao volante.

Confira os preços por versão do novo Honda Fit 2013 (entre parênteses os preços anteriores à reestilização):

Fit DX Manual – R$ 51.800 (R$ 51.805)
Fit LX Manual – R$ 55.700 (R$ 54.905)
Fit LX Automático – R$ 58.900 (R$ 58.905)
Fit EX Manual – R$ 62.120 (R$ 61.715)
Fit EX Automático – R$ 65.720 (R$ 65.720)
Fit EXL Automático – R$ 67.720 (R$ 71.720)

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.