Google

Airbag e abs – Lei torna os itens obrigatórios

Data: dezembro 14, 2013
Opiniões
Deixe a sua!

foto-imagem-airbag-abs

Durante seu balanço anual de atividades, a Associação Brasileira de Engenharia Automotiva (AEA) também se mostrou surpresa com a declaração do ministro da Fazenda Guido Mantega, que anunciou nesta semana que o Governo cogita seriamente adiar a entrada em vigor da lei que obriga a inclusão de air bags e freios ABS em 100% dos veículos produzidos no Brasil. A medida que passaria a valer a partir de 1º de janeiro de 2014 pode ter vigência apenas em 2016.

Antonio Megale, presidente da entidade, entende que a questão está relacionada ao aumento do custo dos veículos, entre R$ 1.000 e R$ 1.600, por conta da adição dos novos itens. “A decisão, creio, deve ter levado em conta a manutenção dos empregos no setor. É possível que os sindicatos tenham pressionado o Governo por temerem demissões. De qualquer forma, entendemos que o avanço tecnológico dos veículos é o ideal”, afirmou o executivo, que fez questão de reforçar que o posicionamento da associação leva em conta apenas os aspectos técnicos.

“É preciso esperar para ver o que vai acontecer de agora em diante. O ministro anunciou a decisão praticamente no meio do mês de dezembro. As montadoras já haviam se programado para atender a legislação prevista para 2014.” Por conta dessa lei, VW Kombi e Fiat Mille ganharam séries de despedida – por não se adequarem à colocação desses itens de segurança. Se o anúncio do governo tivesse sido feito meses atrás, a dupla de veteranos poderia continuar a ser oferecida nas concessionárias. No fim das contas, o brasileiro terá de esperar mais tempo para ter acesso a veículos que saiam de fábrica com nível melhor de segurança.

Inovar-Auto

Fora a estranha surpresa, a entidade lembrou que o Inovar-Auto foi a base de suas atividades ao longo de 2013. A AEA priorizou todos os temas relacionados ao programa, dando especial atenção a tópicos como segurança e qualidade veicular e emissões veiculares. “Promovemos discussões sobre os impactos do novo regime automotivo e trabalhamos na elaboração de um manual técnico sobre o tema. Com esse programa, o Brasil dará um grande salto qualitativo”, explica Megale.

O tema também foi o destaque do Simea, evento mais importante realizado pela AEA. A edição de 2013 foi, segundo o presidente, “a melhor de todos os tempos em termos de audiência”. Para o ano que vem, o Simea terá como tema “Inovar-Auto e a Evolução Tecnológica no Brasil”, mostrando o quanto o assunto é importante para o setor.

Outro destaque de 2013 na agenda da associação foi a correlação de laboratórios de emissões, considerada a maior do mundo, que uniformizou os procedimentos em 94% dos laboratórios existentes no país (de montadoras, sistemistas e privados) e a elaboração de procedimentos de testes de emissões para veículos híbridos “sem plug in” e “plug in”, que foram concluídos e entregues para o Ibama e o Inmetro. “Também fizemos, a pedido do Ibama, uma revisão do procedimento de testes de ruído para as inspeções veiculares”, comenta Megale.

Para 2014, a entidade continuará dedicando atenção ao Inovar-Auto e a tantas outras questões técnicas, sem se esquecer de comemorar seus 30 anos de existência.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.